Stefano Aguiar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Stefano Aguiar
Deputado federal por Belo Horizonte
Período 1 de fevereiro de 2015 até a atualidade
Deputado federal por Belo Horizonte
Período suplente, assumiu 2012 até 2013 (pelo PSC)
Dados pessoais
Nascimento 3 de março de 1976 (43 anos)
Belo Horizonte, Minas Gerais
Partido PSC (2009-2013)
PSB (2013-2016)
PSD (2016-atualmente)
Profissão Administrador de empresas
Pastor
linkWP:PPO#Brasil

Stefano Aguiar Dos Santos (Belo Horizonte, 3 de março de 1976) é um administrador de empresas, empresário, proprietário rural, pastor e político brasileiro, filiado ao Partido Social Democrático (PSD). É deputado federal pelo estado Minas Gerais. Em 2011 foi deputado federal em MG pelo PSC, e foi filiado ao PSB antes de se filiar em 2016 ao PSD.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Stefano formado em administração de empresas e em teologia. É pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular, pela qual ocupa os cargos de superintendente e de Secretário Estadual de Cidadania em Minas Gerais.[2]

Foi assessor especial do governo de Minas Gerais de 2005 a 2010. Suplente na legislatura 2011-2015, assumiu o mandato em 2012 na vaga de Mário de Oliveira (PSC), seu tio, e renunciou ao cargo em 2013, após licença.

Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[3] Posteriormente, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[3] Em abril de 2017 foi contrário à Reforma Trabalhista.[3][4] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer.[3][5]

Referências

  1. «STEFANO AGUIAR - PSD/MG». Câmara dos Deputados. Consultado em 8 de janeiro de 2017 
  2. http://www.quadrangular.org/secretarias/
  3. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017