Stellaria solaris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaStellaria solaris
Uma concha de Stellaria solaris (Linnaeus, 1764)[1] em vista superior. Antes única espécie classificada de Stellaria, este molusco possui concha de espiral baixa, caracterizada por suas expansões planas, rombudas e de disposição radial, que ficam impressas nas voltas anteriores, como cicatrizes.[2]
Uma concha de Stellaria solaris (Linnaeus, 1764)[1] em vista superior. Antes única espécie classificada de Stellaria, este molusco possui concha de espiral baixa, caracterizada por suas expansões planas, rombudas e de disposição radial, que ficam impressas nas voltas anteriores, como cicatrizes.[2]
Cinco vistas da concha de Stellaria solaris (Linnaeus, 1764).[1]
Cinco vistas da concha de Stellaria solaris (Linnaeus, 1764).[1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Caenogastropoda
Ordem: Littorinimorpha
Superfamília: Xenophoroidea
Família: Xenophoridae
Género: Stellaria
Möller, 1832[1][3]
Espécie: S. solaris
Nome binomial
Stellaria solaris
(Linnaeus, 1764)[1]
Distribuição geográfica
A região da África do Sul[4] ao Indo-Pacífico (imagem), é o habitat da espécie S. solaris (Linnaeus, 1764)[1], em profundidades da zona nerítica.[5][6]
Sinónimos
Trochus solaris Linnaeus, 1764
Xenophora (Stellaria) solaris (Linnaeus, 1764)
Astraea polaris Röding, 1798
Xenophora solariformis Tesch, 1920
Stellaria solaris paucispinosa Kosuge & Nomoto, 1972
(WoRMS)[1]

Stellaria solaris (nomeada, em inglês, sunburst carrier-shell[5][6][7][8]; na tradução para o português, "concha-transportadora-da-explosão-solar") é uma espécie de molusco gastrópode marinho pertencente à família Xenophoridae, na ordem Littorinimorpha. Foi classificada por Carolus Linnaeus, em 1764, originalmente denominada Trochus solaris e considerada, no século XX, única espécie de seu gênero (táxon monotípico[1][2][5] de Stellaria; agora com mais espécies, sendo esta a espécie-tipo)[3]; distribuída pela região sul da África[4] e costas do Indo-Pacífico, na areia da zona nerítica até profundidades consideráveis.[5][6][7] A definição Stellaria é proveniente de estrela; solaris deriva de sol.[carece de fontes?]

Descrição da concha[editar | editar código-fonte]

Concha de formato circular, em vista superior ou inferior, e cônica de espiral baixa, em vista lateral, chegando até pouco mais de 13.5 centímetros, quando desenvolvida e de coloração pardo-clara, bem pálida a amarelada.[9] Ela é caracterizada por suas projeções tubulares, planas e de pontas rombudas, irradiando-se de suas voltas e tornando-se impressas na superfície da concha, esta levando poucos ou nenhum objeto aderido às suas voltas, ao contrário da maioria dos Xenophoridae, as "conchas-transportadoras". Em vista inferior possui um profundo umbílico e uma escultura radial fina, sobre a superfície da sua concha.[2][6][7][8][9]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h «Stellaria solaris» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 13 de maio de 2019 
  2. a b c FERRARIO, Marco (1992). Guia del Coleccionista de Conchas (em espanhol). Barcelona, Espanha: Editorial de Vecchi. p. 76. 220 páginas. ISBN 84-315-1972-X 
  3. a b «Stellaria Möller, 1832» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 13 de maio de 2019 
  4. a b «Stellaria solaris distribution» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 13 de maio de 2019 
  5. a b c d ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 74. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  6. a b c d DANCE, S. Peter (2002). Smithsonian Handbooks: Shells. The Photographic Recognition Guide to Seashells of the World (em inglês) 2ª ed. London, England: Dorling Kindersley. p. 55. 256 páginas. ISBN 0-7894-8987-2 
  7. a b c WYE, Kenneth R. (1989). The Mitchell Beazley Pocket Guide to Shells of the World (em inglês). London: Mitchell Beazley Publishers. p. 46. 192 páginas. ISBN 0-85533-738-9 
  8. a b LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 138-139. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  9. a b «Stellaria solaris» (em inglês). Hardy's Internet Guide to Marine Gastropods. 1 páginas. Consultado em 13 de maio de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre moluscos, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.