Stephanie Borges

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Stephanie Borges
Stephanie Borges no lançamento do livro "Talvez precisemos de um nome para isso"
Nascimento 29 de outubro de 1984 (37 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Alma mater Universidade Federal Fluminense
Ocupação jornalista, poeta, tradutora
Principais trabalhos
  • Talvez precisemos de um nome para isso

Stephanie Borges (Rio de Janeiro, 29 de outubro de 1984) é uma jornalista, poeta e tradutora brasileira[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Stephanie Borges nasceu no Rio de Janeiro, em 29 de outubro de 1984. Graduou-se em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense. Trabalhou em agências de comunicação e nas editoras Cosac Naify e Globo Livros[2]. Traduziu obras de bell hooks, Claudia Rankine e Audre Lorde[3].

Publicou poemas nas revistas Escamandro, Ruído Manifesto, Garupa e Pessoa[4]. Seu primeiro livro, Talvez precisemos de um nome para isto, uma reflexão sobre a subjetividade da mulher negra a partir de sua relação com seus cabelos, foi o ganhador do Prêmio Cepe Nacional de Literatura de 2018 na categoria Poesia[5][6].

Participa do podcast Benzina com o antropólogo Orlando Calheiros[7].

Obras[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

Tradução[editar | editar código-fonte]

  • VERKAIK, Robert. Jihadi John: Como nasce um terrorista Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Harper Collins Brasil, 2017. ISBN 9788595080898.
  • MOORE, Darvid Barlclay. As estrelas sob os nossos pés. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Plataforma 21, 2018. ISBN 9788592783754
  • CLAYTON, Dhonielle. Belles. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Plataforma 21, 2018. ISBN 9788592783921.
  • HOOKS, bell. Olhares negros: raça e representação. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Elefante, 2019. ISBN 9788593115219[9]
  • LORDE, Audre. Irmã outsider: ensaios e conferências. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Autêntica, 2019. ISBN 9788551304341[10]
  • WOODSON, Jacqueline. Um outro Brooklyn. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Todavia, 2020. ISBN 9786551140075.

Referências

  1. Clubes de leitura e o porquê de ler juntos. Suplemento Pernambuco
  2. Stephanie Borges. Revista Pessoa
  3. Pauta da mulher negra ganha destaque no Prêmio Cepe. Cepe, 18 de junho de 2019
  4. Ciclo Profissão: Escritor. Instituto Estação das Letras
  5. Prêmio Cepe Nacional de Literatura 2018 anuncia vencedores. Jornal do Commercio, 12 de dezembro de 2018
  6. Stephanie Borges recria histórias e mitologias do cabelo em poema. Jornal do Commercio, 31 de julho de 2019
  7. «Benzina». Megafono. Consultado em 18 de março de 2020 
  8. «TALVEZ PRECISEMOS DE UM NOME PARA ISSO». Editora CEPE. Consultado em 2 de junho de 2020. Cópia arquivada em 24 de outubro de 2019 
  9. «Olhares negros». Editora Elefante. Consultado em 2 de junho de 2020. Cópia arquivada em 13 de junho de 2019 
  10. «Irmã outsider: Ensaios e conferências». Grupo Autêntica. Consultado em 2 de junho de 2020. Cópia arquivada em 2 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.