Steven Pressfield

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde agosto de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Steven Pressfield
Steven Pressfield, Junho de 2011
Nascimento 1943 (74 anos)
Port of Spain, Trinidad e Tobago
Nacionalidade trinitário-tobagense
norte-americano
Ocupação Escritor
Gênero literário Ficção histórica; Não-Ficção
Página oficial
stevenpressfield.com

Steven Pressfield (Port of Spain, Trinidade, setembro de 1943) é um escritor e autor de roteiros para cinema, americano. Seus livros retratam principalmente a ficção histórica militar em ambientes da antiguidade clássica.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pressfield serviu ao Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos na década de 1960, e mais tarde se graduou na Universidade Duke.[1] Ele é judeu.[2]

Steven Pressfield apareceu como um dos historiadores do documentário do The History Channel em 2007, Last Stand of the 300.[carece de fontes?]

Literatura[editar | editar código-fonte]

Suas obras de ficção histórica têm alto valor de pesquisa, mas, para dar andamento ao drama, Pressfield pode alterar alguns detalhes, como a seqüência dos eventos, ou fazer uso de termos contemporâneos e nomes de locais celebrados, com o objetivo, segundo ele, de tentar capturar o “espírito dos tempos”.

Para aumentar a imersão dos leitores aos tempos antigos, Pressfield tipicamente escreve seus livros a partir do ponto de vista dos personagens envolvidos. Em The Virtues of War (As Virtudes da Guerra), por exemplo, a história é contada a partir da perspectiva em primeira pessoa de Alexandre.

O épico Portões de Fogo é requisito na Academia Militar dos Estados Unidos e no Instituto Militar de Virgínia,[3] e de acordo com o L. A. Times, “alcançou status cult entre marines”.

Obras[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Ficção histórica[editar | editar código-fonte]

  • Gates of Fire (1998) no Brasil: Portas de Fogo (Objetiva, 2000 / Contexto, 2017)

Sobre a Batalha das Termópilas. Enquanto o exército persa invade a Grécia, os soldados vindos da Esparta e seus aliados tentam resistir-lhes na passagem das Termópilas. Foi o início dum terrível combate.

Sobre Alcibíades e a Guerra do Peloponeso. Atenas e Esparta, então no auge de suas potências, lutam entre elas pela hegemonia da Grécia. Um homem vai se destacar neste conflito impiedoso, Alcibíades. A sobrevivência de sua nação vai depender de sua conduta.

  • Last of the Amazons (2002) em Portugal: A Última Amazona (Ulisseia, 2003)

No qual Teseu, lendário rei de Atenas, segue viagem a navio para a Costa Norte do Mar Negro, povoada por uma raça de guerreiras femininas. Enquanto em Atenas os homens inventavam a civilização, a tribo das amazonas preferiu a liberdade das estepes. Porém, quando a rainha deste povo orgulhoso tomou a decisão de se casar com Teseu, rei de Atenas, o conflito tornou-se inevitável.

  • The Virtues of War (2004) em Portugal: As Virtudes da Guerra (Ulisseia, 2006)

Sobre Alexandre o Grande. Um nome que todo mundo conhece, um destino sem igual, uma vida feita para a guerra

Sobre as conquistas de Alexandre o Grande no Afeganistão. Enquanto as suas tropas há anos faziam campanhas, Alexandre o Grande continuou avançando na Ásia. Foi aqui, numa região terrível, que ele enfrentou seus inimigos mais tenazes: os afegãos.

Um relato fictício de uma patrulha do Grupo Britânico de Longo Alcance do Deserto, durante a Campanha Norte-Africana da Segunda Guerra Mundial

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Ficção[editar | editar código-fonte]

Não-ficção[editar | editar código-fonte]

  • The War of Art: Break Through the Blocks and Win Your Inner Creative Battles (2002) no Brasil: A Guerra da Arte - Supere os Bloqueios e Vença Suas Batalhas Interiores de Criatividade (Nova Fronteira, 2005)

Um livro que investiga a psicologia da criação das artes e como o "impedimento dos escritores" pode ser curado.

  • Do The Work (2011)
  • The Warrior Ethos (2011)
  • Turning Pro (2012)
  • The Authentic Swing: Notes from the Writing of First Novel (2013)
  • The Lion's Gate: On the Front Lines of the Six Day War (2014) no Brasil: A Porta Dos Leões - Nas Linhas de Frente da Guerra Dos Seis Dias (Contexto, 2017)
  • An American Jew: A Writer Confronts His Own Exile and Identity (2015)
  • Nobody Wants to Read Your Sh*t: Why That Is and What You Can Do About It (2016)

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Como roteirista[editar | editar código-fonte]

Antes de publicar suas primeiras obras de ficção, Pressfield escreveu vários roteiros para Hollywood.

Estrelado por Steven Seagal e dirigido por Andrew Davis.

Obra de ficção científica, estrelando Emilio Estevez, Mick Jagger, e Anthony Hopkins.

Dirigido por Vic Armstrong, estrelando Dolph Lundgren e George Segal.

Adaptação cinematográfica[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: The Legend of Bagger Vance

Baseado no livro homônimo, estrelando Matt Damon como o jogador profissional de golfe e Will Smith como seu guia espiritual.[4]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]