Stop (canção de Spice Girls)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Stop (single de Spice Girls))
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
"Stop"
Single de Spice Girls
do álbum Spiceworld
Lado B "Ain't No Stoppin' Us Now"
Lançamento 9 de março de 1998 (1998-03-09)
Formato(s)
Gravação 1997
Gênero(s)
Duração 3:24
Gravadora(s) Virgin
Composição
  • Spice Girls
  • Andy Watkins
  • Paul Wilson
Produção Absolute
Cronologia de singles de Spice Girls
"Too Much"
(1997)
"Viva Forever"
(1998)

"Stop" é uma canção do grupo feminino britânico de música pop Spice Girls. Foi co-escrito pelas integrantes do conjunto, Paul Wilson e Andy Watkins, compositores e dupla de produção conhecida como Absolute, ao mesmo tempo em que o grupo estava filmando cenas para o filme Spice World. "Stop" foi produzido por Wilson e Watkins para o segundo álbum do grupo Spiceworld, que foi lançado em novembro de 1997.

"Stop" é uma música dance-pop, com influências de blue-eyed soul da Motown e apresenta instrumentação de um violão e um metais. O videoclipe, dirigido por James Brown e filmado na Irlanda, apresenta o grupo em uma rua tradicional da classe trabalhadora dos anos 50 e mostrou-as cantando com jovens em vários pontos infantis. A música recebeu críticas principalmente positivas dos críticos de música, com muitos deles elogiaram as influências e a produção de Motown, na canção. "Stop" foi cantanda pelo grupo em várias aparições ao vivo na Europa e na América do Norte, incluída nas suas três turnês.

Lançado como terceiro single do álbum em março de 1998, alcançou o número dois no UK Singles Chart, atrás de "It's Like That", do Run-D.M.C. Vs Jason Nevins, terminando a série de singles consecutivos em número um, da Spice Girls. Foi moderadamente bem-sucedido internacionalmente, atingindo o pico dentro dos vinte primeiros na maioria das paradas que entrou. Nos Estados Unidos, "Stop" atingiu o número dezesseis no Billboard Hot 100, tornando-se o sexto top consecutivo do grupo na parada. Foi o último single do grupo que foi lançado antes da saída de Geri Halliwell em maio de 1998, embora não tenha sido o último single lançado a incluir seus vocais.

Antecedentes e escrita[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1997, o grupo começou a filmar cenas para o filme Spice World. Ao mesmo tempo, a Virgin Records iniciou as primeiras reuniões de marketing para a campanha promocional do álbum Spiceworld, que deveria ser lançada em novembro.[1] Nenhuma música foi escrita para o álbum neste momento, então o grupo teve que fazer toda a gravação e a regravação das músicas ao mesmo tempo que gravavam o filme.[2] Entre as folgas e o final de cada dia da filmagem,[3] o grupo geralmente ia direto para um estúdio de gravação móvel, criado em um Winnebago, que as seguiam entre as gravações do filme.[2] A rotina era fisicamente árdua, somada com as dificuldades logísticas;[1] Melanie Brown comentou em sua autobiografia: "fazer os dois empregos em tempo integral, ao mesmo tempo, tomou um preço alto e dentro de um par de semanas, exaustivas".[3] O O conceito de "Stop" foi escrito principalmente por Geri Halliwell. Ela apareceu com as primeiras letras da música e as gravou num ditafone;[2] no dia seguinte ela mostrou a fita para Paul Wilson e Andy Watkins, os compositores e a dupla de produção conhecida como Absolute. A dupla então trabalhou com a melodia e começou a brincar com ela.[4] Halliwell comentou sobre isso em sua autobiografia:

Eu queria algo com uma sensação de Motown. Mel C [Chisholm] finalmente acabou o coro e nós tivemos a base para uma música chamada "Stop". Mais tarde, quando tivemos mais tempo, as outras garotas entraram e ajudamos a escrever os versos e as pontes.[4]

Composição[editar | editar código-fonte]

"Uma demonstração de 22 segundos da música, com o grupo cantando o primeiro coro. Seguido pela primeira parte do segundo verso, que consistem no uso repetido da palavra do, com uma faixa de apoio que é uma remanescente dos clássicos singles da Blue-eyed soul da Motown"

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"Stop" é uma música uptempo dance-pop, com influências da Blue-eyed soul da Motown[5] e é uma reminiscência de singles clássicos de The Supremes ou Martha and the Vandellas.[6] Está escrito na nota de Dó maior, com uma assinatura de tempo definida no tempo comum, e se move em um ritmo rápido de 132 batimentos por minuto.[7] Liricamente, a música exige uma desaceleração no processo de namoro, e é particularmente direcionado para atrair a audiência feminina jovem, já que as ligações entre as mulheres, não estão ameaçadas.[8]

É construído em uma forma de verso-pré-coro-coro, com uma pontes antes do terceiro e quarto coro. Começa com uma introdução instrumental e usa uma progressão de acordes de C-B ♭ -Am7-G, que também é usada durante os versos e o coro.[7] No primeiro verso, Halliwell, Chisholm, Bunton e Beckham cantam cada uma das linhas. Os acordes mudam para Dm11-Dm9-Dm11-Dm9-Dm7-Em7-F major7-G durante o pré-choque, seguido do coro.[7] O mesmo padrão ocorre levando ao segundo coro, a primeira parte do segundo verso consiste no uso repetido das palavras e ba da, então Bunton e Chisholm cantam o resto do verso. O grupo então cantam a ponte e terminam a música repetindo o coro duas vezes.[7] A música usa a melodia do verso da canção When You Were Mine (Prince song), com frases ligeiramente alteradas.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

"Stop" foi lançado no Reino Unido em 9 de março de 1998, em duas versões singles.[9] O primeiro, um CD single padrão, que incluiu a música e as versões ao vivo de "Something Kinda Funny", "Mama" e "Love Thing", tiradas da série de concertos que o grupo fez em Istambul, em outubro de 1997. A segunda versão, Também foi lançada em um single de CD padrão, continha a faixa, juntamente com o remix feito por David Morales, o Mix Rock & Roll da música de Stretch & Vern e uma versão cover de "Is not No Stoppin 'Us Now" do McFadden & Whitehead, Realizado junto com o cantor americano Luther Vandross.[9]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Recepção da critica[editar | editar código-fonte]

"Stop" foi em sua maioria bem recebido pelos críticos de música. Para Sylvia Patterson do NME, a música é um "Motown obscenamente atraente", ela acrescentou que é "o bom gênio pop destinou a canção a ser um número um, até o Japão cair no mar".[10] David Wild, da revista Rolling Stone, a chamou de "uma confecção retrospectiva, lite do Supremes, que é tão inegável, quanto não original".[11] David Browne da Entertainment Weekly, caracterizou-a como uma "recriação deliciosa do bop da Motown, empacotada com saltos e as boas vibrações da rua".[12] Larry Flick, da revista Billboard, disse que a canção tem "uma vibração retrospectiva, das Supremes" e chamou seu gancho de "irresistível". Flick também elogiou o remix de David Morales da música, chamando-o de "uma música vibrante, sensível ao mesmo tempo",[13] enquanto Howard Scripps do The Press of Atlantic City, a chamou de "uma óbvia canção de um grupo de garotas" e acrescentou que é "um outro potencial sucesso".[14] Por outro lado, em uma revisão de Spiceworld, Andy Gill, do The Independent, chamou o álbum de um "desfile chique, mas sem encanto" e descreveu "Stop", como um "pseudo-Motown".[15]

Stephen Thomas Erlewine do Allmusic, comentou que a música "consolida e expande o estilo do grupo [...] [adicionando] força, neo-Motown de Blue-eyed soul na veia do Culture Club".[5] Erlewine elogiou "Stop" em uma revisão do álbum de compilação do grupo, dizendo que "é tão incrível essa parte obrigatória de British Tamla/Motown, que a canção trará".[16] Stewart Mason, também do Allmusic, comparou-a aos singulares clássicos do Bananarama e chamou-a de "um pedaço glorioso de pop descartável, mas maravilhoso"[6] Amanda Murray, da Sputnikmusic, também elogiou a música, dizendo que é "uma música bem animada, completamente despreocupada e animada".[17] A SMusic Week descreveu-a como uma "homenagem animada e tocada por trompete ao R&B da velha escola. Muito influenciada pelo Motown. [...]".[18] O Virginian-Pilot disse que os chifres da música são "soul clássico, com um ajuste dos anos 90".[19] O crítico de música Roger Catlin, do The Buffalo News, a descreveu como "um Motown forte [...] [com] uma mensagem pró-feminista".[20] Em uma revisão do álbum Greatest Hits do grupo, Nick Levine, do Digital Spy, disse que "Stop" ainda soa "como a melhor música que o Motown, nunca produziu".[21]

Recepção comercial[editar | editar código-fonte]

"Stop" foi lançado no Reino Unido em março de 1998. Ele entrou e chegou ao número dois no UK Singles Chart, com vendas da primeira semana de mais de 115.000,[22] sendo mantidos fora do primeiro lugar pelo remix de Jason Nevins de Run–D.M.C. do single de 1983 do DMC "It's Like That".[23] Ele terminou a série de números um consecutivos das Spice Girls na parada (de "Wannabe" a "Too Much").[24] "Stop" ficou três semanas dentro dos dez primeiros, oito semanas dentro do top quarenta e dezoito semanas no total,[25] ganhando uma certificação de prata pela British Phonographic Industry (BPI) em março de 1998.[26] A até março de 2017, a música já tinha vendido 420.200 cópias, no Reino Unido.

"Stop" foi moderadamente bem sucedido no resto da Europa. Chegou à sexta posição no Eurochart Hot 100,[27] atingiu o pico dentro dos dez melhores na Finlândia, Irlanda, Holanda, Suécia e Valónia,[28][29][30] e dentro dos vinte primeiros na Áustria, na Flandres, França, Itália e Suíça.[31][32] A música foi mais bem sucedida na Oceania. Na Nova Zelândia, estreou em 12 de abril de 1998 no número treze, alcançou o número nove e permaneceu 12 semanas na parada.[33] Na Austrália, estreou no quadro de singles da ARIA no número onze, atingindo o número cinco na quinta semana. Permaneceu durante vinte e uma semanas na parada[34] e foi certificado de platina pela Australian Recording Industry Association (ARIA).[35]

Em abril de 1998, "Stop" estreou no gráfico de singles do RPM canadense no número noventa e nove,[36] atingindo um pico do número três na sua nona semana.[37] Nos EUA, "Stop" estreou no Billboard Hot 100 em 20 de junho de 1998, no número trinta e seis.[38] Ele alcançou o número dezesseis duas semanas depois, tornando-se o sexto top consecutivo do grupo na parada.[39] "Stop" atingiu o pico de onze, no Hot 100 Singles Sales chart,[40] mas recebeu pouco apoio das estações de rádio[41] e entrou mal no Hot 100 Airplay, atingindo o número setenta.[42] A música atingiu o número três na parada do Hot Dance Singles Sales, mas apenas teve sucesso moderado em outros formatos, atingindo os quatorze no Hot Dance Club Play e aos trinta e sete no Mainstream Top 40.[43]

Videoclipe[editar | editar código-fonte]

Uma cena do clipe para "Stop", com as Spice Girls fazendo uma dança com gestos manuais, em uma rua tradicional da classe trabalhadora, inspirada nos anos 50.

O videoclipe de "Stop" foi filmado em 27 de janeiro de 1998, na Irlanda e foi dirigido por James Byrne.[44] Sobre o conceito, Melanie Brown comentou: "Não houve uma divulgação, para este vídeo, oque foi um erro. Não foi planejado até o último detalhe oque seria o conceito do clipe e era bastante gratuito. então o diretor teve que abranger a ideia de todas nós, além de colocar suas idéias em cima dele e fazer tudo fluir.[45]

O inicio lembra uma rua da classe trabalhadora britânica tradicional dos anos 50, foi filmado em Carnew Street,[46] em Dublin, e apresenta cenas de cada integrante do grupo cantando em diferentes portas.[47] Então, durante no primeiro refrão, o grupo executa uma dança com jestos manuais, que também foi usada durante suas apresentações ao vivo.[8] A segunda metade do vídeo, ambientada na pequena cidade de Rathdrum, Condado de Kootenai (Idaho).[48] Mostrou o grupo interagindo com jovens em várias atividades, como correr pelas ruas dançando, pular corda, brincar de alpacas, berço de gato e pat-a-cake, hula hooping, cavalgadas, Geri participa de competições de vários tipos. Os locais são representados como pessoas da classe trabalhadora que frequentam a feira local ou tomam uma bebida no pub. No final do vídeo, o grupo canta em um estágio no salão local em frente a uma plateia de jovens e idosos. A plateia aplaude após a conclusão da música. Geri pode ser vista afastando a língua e o vídeo se encerra.[8][46]

Performances ao vivo[editar | editar código-fonte]

As Spice Girls fazem uma dança de gestos manuais, enquanto executam a música no Air Canada Centre em Toronto, Canadá; Durante a turnê The Return of the Spice Girls, vestida com roupas de bronze e cobre feitas por Roberto Cavalli.

A música foi cantada muitas vezes na televisão, tanto no Reino Unido como nos EUA, incluindo apresentações no An Audience with..., Top of the Pops, The Tonight Show with Jay Leno e o Late Show with David Letterman.[49][50][51] Por sua performance "Stop" no BRIT Awards, o grupo adotou uma aparência de Supremes e apareceu no palco em um carro ao estilo dos anos 1960.[52][53] O grupo cantou "Stop", sem Halliwell em Modena, Itália; Para o concerto de caridade organizado por Pavarotti e Friends, anualmente em junho de 1998.

Em outubro de 1997, o grupo a cantou como a nona música de seu primeiro concerto ao vivo na Arena Abdi İpekçi em Istambul, Turquia. O desempenho foi transmitido no Showtime em um evento pay-per-view intitulado Spice Girls In Concert Wild!.[54] No entanto, a versão VHS e DVD do concerto, Girl Power! Live in Istanbul, não inclui a performance de "Stop".[55] Em novembro de 2007, o grupo realizou juntos pela primeira vez em quase uma década no salão de moda de Victoria's Secret de 2007, realizado em Los Angeles, Califórnia. O grupo que se vestiu com roupas temáticas militares cantou "Stop".[56] Uma performance gravada em Playback na música, vestidas com roupas de marinheiras azuis, exibida em 17 de novembro de 2007 para a maratona Children in Need 2007.[57] Em 8 de novembro de 2010, Brown realizou "Stop" com os concorrentes da segunda série da edição australiana do The X Factor.[58]

O grupo cantou a música em suas três turnês, o Spiceworld Tour, Christmas in Spiceworld Tour e The Return of the Spice Girls.[59][60][61][62] Permaneceu no set ao vivo do grupo após a saída de Halliwell, no final da parte européia da Spiceworld Tour, suas partes foram cantadas por Brown. A performance no concerto final da turnê, pode ser encontrada no vídeo: Spice Girls Live at Wembley Stadium, filmado em Londres, em 20 de setembro de 1998.[63] Para a turnê Return of the Spice Girls, foi cantada como a segunda música do segmento de abertura do show. O grupo vestiu roupas de bronze e cobre coloridas feitas pelo estilista italiano Roberto Cavalli.[64][65]

Formatos[editar | editar código-fonte]

Estes são os formatos e faixas dos principais singles lançados de "Stop".

Desempenho[editar | editar código-fonte]

Posições[editar | editar código-fonte]