Stora Enso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Stora Enso
Stora Enso web logo.png
Razão social Stora Enso ovj.
Empresa de capital aberto
Atividade Celulose
Fundação 1998
Sede Helsínquia,  Finlândia
Presidente Gunnar Brock
Pessoas-chave Karl-Henrik Sundström (CEO)
Empregados 26.379 (2010)
Produtos Papel e cartão de embalagens
Faturamento Baixa EUR 10.544 bilhões (2013)[1]
Website oficial www.storaenso.com/

A Stora Enso Oyj é uma fabricante Finlandesa de pasta e papel. Fundada em 1998, com a Fusão da Stora e da Enso (ambas da área florestal). Sua sede localiza-se em Helsinki, capital da Finlândia e possui aproximadamente 46.000 empregados em mais de 40 países. Em 2002 era a quinta maior fabricante de papel em rendimento e em 2005 era o maior fabricante de polpa e papel do mundo em termos de capacidade da produção.

A primeira parte da companhia é datada de 1288, embora atividades de mineração tenham iniciado anteriormente. Em 2000, a companhia adquiriu a U.S. company Consolidated Paper. No mesmo ano, Stora Enso e AssiDomän deram forma a uma companhia comum, Billerud AB, para produzir papel de embalagens.

É considerada a empresa de capital aberto mais antiga do mundo, sendo que seu primeiro share data do ano de 1288.

Historia[editar | editar código-fonte]

Complexo industrial da empresa em Varkaus.

A gigante sueco-finlandesa Stora Enso é o maior produtor mundial de papel e cartão, produzindo sozinha o dobro da produção de papel do Brasil. Dona de um faturamento anual de aproximadamente EUR 15,2 bilhões, a Stora Enso tem 50% das ações da Veracel Celulose S.A., localizada no sul da Bahia, que é uma das maiores fábrica de celulose em linha única do mundo.

Na Europa, a Stora Enso é o resultado da união de duas empresas tradicionais. Ela foi criada em 1998 a partir da fusão da sueca Stora com a finlandesa Enso. A história da Stora se confunde com a da própria Suécia. E remete ao ano de 1288, data do registro da mina de cobre de Kopparberget. Reza a lenda que o veio de cobre da mina foi descoberto quando um bode voltou do pasto com os chifres vermelhos. O cobre sueco foi sinônimo de riqueza e poder. Após a coroação em Estocolmo, os reis para lá se dirigiam. No processo de extração do cobre, era necessária uma quantidade enorme de madeira – seja para escorar as paredes, seja para fazer escadas ou queimá-las para facilitar a extração. Daí a origem da Stora na produção de papel e celulose. No século XVIII, 75% de toda a produção mundial de cobre vinham de Kopparberget, que encerrou a produção em 1922.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A subsidiária brasileira da Stora Enso foi fundada em 1º de Abril de 1998 na cidade de São Paulo, a capital dos negócios do Brasil. Após a fusão entre a Stora e a Enso, o nome da empresa mudou de Stora Sudamérica para Stora Enso Brasil (SEB).

A localização da SEB – no coração da América do Sul foi escolhida devido a suas vantagens estratégicas e facilidade de atendimento não só do Brasil mas também da região da América Latina.

No Paraná, a empresa adquiriu a Inpacel Indústria Ltda (International Paper), que produzia papel para impressão de revistas e catálogos, localizada no município de Arapoti. Em 2007 a Stora Enso fechou parceria com a Arauco do Brasil, vendendo 20% da unidade fabril, 80% da unidade florestal e 100% da serraria.[2] Já em 2015 o grupo resolveu vender 80% que detinha da unidade industrial de Arapoti para a produtora chilena de papel Papeles Bio Bio,[3] atual BO Paper,[4] que havia adquirido anteriormente a Pisa Papel de Imprensa S/A de Jaguariaíva, entre 2013 e 2014.[5][6]

Além da comercialização dos produtos Stora Enso no território brasileiro através de importações diretas e canais de distribuição, a Stora Enso Brasil é responsável também pelo atendimento e suporte de vendas dos mercados da América Latina onde a companhia não possui escritórios locais tais como Chile, Peru, Bolívia, Colombia, Venezuela, América Central e toda a região do Caribe.

Ainda no Brasil, destinadas áreas a silvicultura na Bahia, para obtenção de matéria prima através de (eucalipto). Possui outro projeto em andamento no Rio Grande do Sul, a fim de formar uma base florestal na ordem de 100 mil ha para possível implantação de uma fábrica de celulose.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://assets.storaenso.com/se/com/DownloadCenterDocuments/0205_E_Q4_RESULTS2013_EN.pdf
  2. «Stora Enso e Arauco fecham parceria no Brasil». O Globo. 29 de setembro de 2007. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  3. Juliana Machado (31 de dezembro de 2015). «Stora Enso acerta venda de fábrica no PR para chilena Papeles Bio Bio». Valor Econômico. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  4. Fernando Rogala (11 de outubro de 2017). «Grupo BO projeta consolidar R$ 50 mi em aportes até 2018». A Rede. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  5. «Histórica papelera cambió de nombre a Bo Paper Bío Bío S.A.». Lignum. 8 de outubro de 2018. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  6. Fernando Rogala (5 de abril de 2016). «Stora Enso conclui venda e fábrica de papel passa a se chamar BO Paper». Folha Paranaense. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Stora Enso