Strangers When We Meet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Strangers When We Meet
Um estranho em minha vida (PT)
O Nono Mandamento (BR)
 Estados Unidos
1960 •  cor •  117 min 
Direção Richard Quine
Produção Richard Quine
Bryna Productions
Richard Quine Productions
Roteiro Evan Hunter
Elenco Kirk Douglas
Kim Novak
Ernie Kovacs
Barbara Rush
Walter Matthau
Gênero Drama romântico
Música George Duning
Companhia(s) produtora(s) Bryna Productions
Distribuição Columbia Pictures
Lançamento 29-06-1960
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Strangers When We Meet (br.: O nono mandamento / pt.: Um estranho em minha vida) é um filme de drama romântico estadunidense de 1960, dirigido por Richard Quine. O roteiro de Evan Hunter adapta romance próprio homônimo.

As filmagens foram em Los Angeles, com cenas em Beverly Hills, Brentwood , Santa Monica e Malibu. Todos os locais são da Califórnia.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Larry Coe é um arquiteto de Los Angeles casado e dedicado aos dois filhos pequenos. Ao levar um dos filhos para o ponto do ônibus escolar ele conhece Margaret Gault, a mãe casada de outra pequena criança. Atraído pela beleza da mulher, Larry começa a flertar com ela ao mesmo tempo que recebe uma encomenda para planejar a construção de uma casa em Beverly Hills para o famoso escritor Roger Altar. O caso entre Larry e Margaret se torna sério e o vizinho inescrupuloso Felix descobre e tenta se aproveitar da situação até que chega o momento em que o casal terá que resolver o que fazer com os respectivos casamentos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

A Revista Variety disse que o filme é (em tradução livre, como as demais) "...fácil de se ver mas difícil para pensar...um dramalhão à moda antiga" e "é uma bastante supérflua e lenta história, mas que é levada à tela com tal habilidade e charme que o espectador se encanta com uma atitude de gozo relaxado, mais que o efeito produzido por uma fantasia casual".[1] A Revista Time chamou o filme de "pura viagem".[2] "Silêncio invariavelmente estrangulado", como o crítico de cinema Stanley Kauffmann do The New Republic descreve a dicção de Novak[3] Craig Butler do Allmovie disse que Douglas "visto um pouco fora de lugar" e que o roteiro é "previsível".[4]

Referências

  1. "Strangers When We Meet". - Revista Variety. - 1 de janeiro de 1960. - Recuperado em 08-06-2008
  2. "The New Pictures". - Revista Time - 4 de julho de 1960. - Recuperado: 08-06-2008
  3. U.S.. - Revista Time. - 1 de agosto de 1960. - Recuperado: 08-06-2008
  4. Butler, Craig. - Resview: Strangers When We Meet . - Allmovie. - Recuperado em 08-06-2008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]