Styvenson Valentim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Capitão Styvenson
Foto oficial de Styvenson Valentim.jpg
Foto oficial como Senador
Senador pelo Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2019
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 7 de fevereiro de 1977 (42 anos)
Rio Branco, Acre
Partido REDE (2018-2019)
PODE (2019-atualmente)
Profissão policial militar

Eann Styvenson Valentim Mendes (Rio Branco, 7 de fevereiro de 1977) é um policial militar e político brasileiro.[1] Ficou conhecido pela rigidez na coordenação da lei seca no Rio Grande do Norte.[2] Atualmente, é Senador da República pelo estado do Rio Grande do Norte, sendo filiado ao Podemos (PODE).[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Eann Styvenson Valentim nasceu em 1977 na cidade de Rio Branco e é capitão da Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte. Ele Possui graduação em direito pela Faculdade Estácio do Rio Grande do Norte.

Tornou-se conhecido no Rio Grande do Norte a partir de 2014, quando coordenou as fiscalizações da Lei seca pela Polícia Militar do estado. Ocupou o cargo até julho de 2016. Também ficou notabilizado por realizar muitas prisões em outras atividades como policial militar e por atuar em defesa da reforma de escolas.

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte,recebeu 25,6% dos votos válidos em sua primeira disputa para um cargo público eletivo. Como bandeiras de atuação, elencou as áreas da educação, saúde e segurança pública como prioritárias. Styvenson também deverá priorizar a moralidade, a transparência, o respeito e o zelo pelo bem público.[4]

Styvenson foi o senador mais votado do Rio Grande do Norte, com 745.827 votos, representando 25,63%, sendo eleito pela Rede Sustentabilidade.

Posse e Porte de Armas - O antes e o depois das eleições[editar | editar código-fonte]

Como vários outros políticos, aproveitou-se da campanha presidencial do Presidente Jair Bolsonaro e se apresentou como um defensor do direito ao porte de armas mas tem votado contra o assunto.

Em junho de 2019, votou contra o Decreto das Armas do presidente Jair Bolsonaro.

No dia 04 de julho de 2019 na CCJ do Senado que debateu o PL 3713/19 fez declarações restritivas sobre a posse e porte de armas, como por exemplo restringir o acesso a armas para pessoas que tenham problemas respiratórios e tendinite, além de sugerir a obrigatoriedade de exame toxicológico a todos os interessados na aquisição de arma de fogo.

O texto substitutivo apresentado pelo Senador Alessandro Vieira acata a sugestão de Styvenson para que todos os cidadãos sejam obrigados a passar por exame toxicológico antes da aquisição de armas de fogo e de licença de porte de arma de fogo..


Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.