Subemprego

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Subemprego é uma situação econômica localizada entre o emprego e o desemprego. Ocorre normalmente quando a pessoa não tem recursos financeiros ou formação técnica profissional para se recolocar no mercado de trabalho. Um exemplo de economia informal é a de catador de papel.

Tal situação, que deveria ser temporária, transforma-se em definitiva quando o trabalhador não consegue mais voltar à economia formal (com o recebimento de salário, carteira assinada, etc.)

Os trabalhadores em situação de subemprego não podem contar com o apoio da Previdência Social, nem possuem direitos trabalhistas, como férias, décimo terceiro, etc. Na tentativa de melhorar esta situação, e melhorar a dignidade desses trabalhadores, o governo criou o formato jurídico de Empresa MEI (Microempreendedor individual), na tentativa de formalizar tais profissionais atuantes na informalidade, o que além de melhorar a dignidade de tais profissionais, eles também podem contar com o apoio da Previdência Social mediante um pagamento mensal referente a 5% do valor do salário minimo nacional, tais autônomos legalizados passam a terem personalidade jurídica, com CNPJ e podem comprar diretamente de fornecedores, abrir contas em banco, obter comprovante de rendimentos para utilizar em seus atos cíveis, podem conseguir empréstimos em bancos e podem até contratar 1 funcionário registrado, porém existe limite de faturamento anual pra se manter enquadrado no modelo de empresa MEI. Praticamente qualquer autônomo informal consegue se enquadrar em algum objeto social permitido, até mesmo vendedores ambulantes, catadores de lixo recicláveis e artistas de rua, e mesmo que o objeto social não seja exatamente o exercido, sempre existe algum parecido e que pode se enquadrar, citamos o caso de profissionais do sexo, obviamente não existe um objeto social pra tal função, porém os profissionais do sexo, (homens ou mulheres), optam por registrar-se como empresa MEI utilizando o objeto social: "Professor particular", o que de fato não deixa de ser, pois são professores de sexo. A formalização é bem simples, é feito pela internet, sem custos nem burocracias e não é exigido contratação de contabilistas, nem pra abrir a empresa nem pra gerir mensalmente papeladas perante o Fisco, pois a gestão é muito simples e qualquer pessoa que saiba ler e escrever consegue gerir sua micro empresa acompanhando as informações completas disponíveis no site portal do empreendedor.

Nas economias subdesenvolvidas, especialmente nas mais pobres e menos industrializadas, o grande surto de urbanização não foi nem é acompanhado de um processo de modernização de igual porte, gerando subdesemprego. [carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.