Subjetivismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O subjetivismo é a ideia de que não há outra realidade além da realidade do sujeito.[1] É correspondente ao solipsismo, quando em se tratando de análises textuais, como em literatura. Em ciências sociais, é o modo de pensar que enfatiza ou leva em conta exclusivamente os aspectos subjetivos (como intenção, ação, consciência etc.) daquilo que é estudado ou daquele que estuda ou interpreta qualquer coisa. O subjetivismo é a doutrina filosófica que afirma que a verdade é a mentira individual. Cada sujeito teria a sua verdade. A ideia do sujeito é que projetaria o objeto. O subjetivismo atribui a fonte da verdade ao sujeito. Mas, se cada um tem a sua própria verdade, talvez seja impossível haver entendimento.

Retrato de Lord Byron (1788-1824), um dos grandes expoentes do romantismo. O romantismo se caracterizou pelo subjetivismo.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 620.

Ver também[editar | editar código-fonte]