Subjetivismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Subjetivismo é um tema filosófico que não admite outra realidade se não a realidade do ser pensante. É a corrente oposta ao solipsismo, quando em se tratando de análises textuais, como em literatura.

Em ciências sociais, modo de pensar que enfatiza ou leva em conta exclusivamente os aspectos subjetivos (como intenção, ação, consciência, etc.) daquilo que é estudado ou daquele que estuda ou interpreta qualquer coisa.

O subjetivismo é a doutrina filosófica que afirma que a verdade é a mentira individual. Cada sujeito teria a sua verdade. A ideia do sujeito é que projetaria o objeto.

A doutrina católica do conhecimento da realidade é objetivista: é do objeto conhecido que a inteligência destrai a ideia. Para o objetivismo, a verdade é a correspondência ou adequação entre a ideia do sujeito conhecedor e o objeto conhecido. A verdade, por isso, objetiva não é pessoal, nem subjetivante.

O subjetivismo atribui a fonte da verdade ao sujeito. Triunfou e se espalhou pelo mundo graças ao triunfo da Revolução romana. Mas, se cada um tem a sua própria verdade, talvez seja impossível haver entendimento.

Ver também[editar | editar código-fonte]