Substantivo verbal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Substantivo verbal, em gramática, é um substantivo derivado do infinitivo, do gerúndio ou do particípio [Nota 1] de um verbo.[1]

Em português, estes substantivos são derivados dos verbos terminados em -ar, -er ou -ir, ou dos particípios [Nota 1] terminados em -do. Por exemplo:[1]

Andar - Andarilho
Andado - Andador
Ler - Ledor
Ver - Vedor
Moer - Moedor, Moedura
Ouvir - Ouvinte, Ouvidor

Lente e leitor são tirados do latim, e são irregularmente derivados de ler.[1]

Muitas destas palavras [Nota 2] podem assumir a classe gramatical de substantivo ou de adjetivo. Não existindo diferença essencial entre o substantivo e o adjetivo, e entre o primeiro e os infinitos absolutos dos verbos, todos os nomes formados destes são verdadeiros substantivos de ação que podem fazer a função de adjetivos junto a nomes individuais, como cavalo andador, homem amador. Pode-se dizer também um bom andador.[1]

Os substantivos derivados do gerúndio, tanto do português quanto do latim, exprimem a ideia de uma ação prolongada:[2]

Estudando - Estudante
Ouvindo - Ouvinte
Lendo - Lente

Os substantivos que designam uma ação absoluta são derivados do infinitivo:[2]

Atar - Atadura
Morder - Mordedura
Negar - Negação
Inflamar - Inflamação
Doar - Doação
Abater - Abatimento
Mover - Movimento
Sentir - Sentimento
Fiar - Fiação

As desinências -ção, -dura/-tura e -mento indicam ideais distintas. Por exemplo, os verbos armar e ligar tem como derivados as palavras armação, armadura, armamento, ligação, ligadura e ligamento. Armação e ligação indicam a ação de armar ou ligar, ou a coisa que foi armada ou ligada. Armadura e ligadura são aquilo que se arma ou liga, ou o resultado do ato de armar ou ligar, analogamente a moedura e serradura que são o resultado de moer ou serrar. Armamento e ligamento são o estado permanente da armação e ligação. Estes três radicais derivam dos radicais latinos:[2]

-ção - -actio (ação)
-dura - particío futuro -turus, -tura, -turum
-mento - -manens, -manentis, que permanece

Notas e referências

Notas

  1. a b O texto de Francisco Solano Constancio omite a derivação a partir do particípio, porém usa esta derivação nos exemplos.
  2. No texto de Francisco Solano Constancio, nomes apelativos.

Referências

  1. a b c d Francisco Solano Constancio, Grammatica analytica da li̥ngua portugueza (1831) Parte Segunda, De varias formas dos nomes individuais ou substantivos, p.26 [google books].
  2. a b c Francisco Solano Constancio, Grammatica analytica da li̥ngua portugueza (1831) Parte Segunda, De varias formas dos nomes individuais ou substantivos, p.27