Subversion

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Apache Subversion
Desenvolvedor Apache Software Foundation
Versão estável 1.7.7 (9 de outubro de 2012; há 79 semanas e 1 dia)
Sistema operacional Multi-plataforma
Licença Licença Apache
Página oficial subversion.apache.org/

Apache Subversion (também conhecido por svn) é um sistema de controle de versão desenhado especificamente para ser um substituto moderno do CVS, que se considera ter algumas limitações.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Versão 1.6: (lançada em 20 de março de 2009)

  • Melhorias no svn merge
  • Correção de vários bugs

Versão 1.5: (lançada em 19 de junho de 2008)

  • Registro de intercalagens.

Versão 1.4: (lançada em 10 de setembro de 2006)

  • Suporte ao BDB 4.4
  • O acesso ao repositório mudou um pouco. Quer dizer que os repositórios vão sendo gradualmente atualizados. Então, versões anteriores não poderão aceder a novos repositórios.

Versão 1.3: (lançada em 1 de janeiro de 2006)

  • Binds para python e ruby
  • Mais de 30 bugs corrigidos

Versão 1.2: (lançada em 21 de maio de 2005)

  • travamento de arquivos quando não é possível intercalá-los ("reserved checkouts")
  • auto-versionamento WebDAV integral

Versão 1.1 (lançada em 20 de Setembro de 2004):

  • mensagens internacionalizadas do programa
  • versionamento de atalhos simbólicos
  • um novo formato de repositório, FSFS, que não usa um "back-end" de base de dados, guardando as revisões em ficheiros no sistema de ficheiros.

A versão 1.0 do Subversion (lançada em 23 de Fevereiro de 2004) possui as seguintes características:

  • As características mais correntes do CVS
  • São guardadas versões de directorias, mudanças de nome e meta-dados de ficheiros
  • As operações de "commit" são verdadeiramente atómicas
  • Servidor HTTP Apache como servidor de rede, WebDAV/DeltaV como protocolo (também existe um processo independente de servidor que usa um protocolo personalizado sobre TCP/IP)
  • A ramificação e a etiquetagem são operações "baratas" (em tempo constante)
  • Desenho nativo de arquitectura cliente-servidor e de "biblioteca em camadas"
  • O protocolo cliente-servidor envia diffs em ambas as direcções
  • Os custos são proporcionais ao tamanho das mudanças e não ao tamanho dos dados
  • Tratamento eficiente de ficheiros binários.
  • Saída de informação passível de ser analisada gramaticalmente (incluindo a saída de registos em formato XML)
  • Licença de software livre - "licença CollabNet/Tigris.org ao estilo Apache"

Softwares relacionados[editar | editar código-fonte]

Clientes/fachadas em ambiente gráfico de usuário (GUI)[editar | editar código-fonte]

Alternativas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]