Sucker Punch - Mundo Surreal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sucker Punch)
Ir para: navegação, pesquisa
Sucker Punch
Sucker Punch - Mundo Surreal (PT/BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
 Canadá

2011 •  cor •  110 min 
Direção Zack Snyder
Roteiro Zack Snyder
Steve Shibuya
Elenco Emily Browning
Abbie Cornish
Jena Malone
Vanessa Hudgens
Jamie Chung
Carla Gugino
Gênero Ação
Drama
Fantasia
Steampunk
Lançamento Estados Unidos 25 de março de 2011[1]
Brasil 25 de março de 2011
Portugal 31 de março de 2011
Idioma Inglês
Orçamento US$ 82 milhões[2]
Receita US$ 89 792 502[2]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Sucker Punch (no Brasil e em Portugal, Sucker Punch - Mundo Surreal) é um filme de ação, fantasia, drama e steampunk, do diretor Zack Snyder, que foi lançado em 25 de março de 2011.[1] O diretor chegou a declarar que o filme é uma espécie de "Alice no País das Maravilhas com metralhadoras".[3]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história gira em torno de Babydoll, uma garota de 20 anos que presenciou a morte de sua mãe pelas mãos de seu padrasto que está obcecado pela fortuna da família, em um ato de desespero ela dispara uma arma de fogo contra o assassino de sua mãe, mas a bala atingiu sua irmã mais nova. Naturalmente Babydoll entrou em choque e foi exposta a doses cavalares de remédios controlados. O Padrasto (intitulado simplesmente como "cara mal") usou as evidencias do crime para incriminar Babydoll, e ainda aproveitou-se para interna-la em um sanatório para doentes mentais dirigido por Blue Jones. Enquanto negociavam a "estadia" da garota, Blue e o Padrasto discutiam como iriam livrar-se da jovem, então Blue sugere uma cirurgia de lobotomia que seria feita em 5 dias, prometendo que após a cirurgia a garota não lembraria o próprio nome, para a realização da cirurgia Blue precisaria forjar a assinatura da Drª. Vera Gorski (médica responsável pelo tratamento alternativo com música para os pacientes do sanatório Lenox). A partir desse momento Babydoll cria universos paralelos dentro de outros universos paralelos (provavelmente a junção do trauma de suas perdas, remédios e depressão). Com a finalidade de fugir da instituição Babydoll cria uma lista de 4 itens que são essenciais no plano de fuga. A cada porta atravessada Babydoll vive um espaço diferente, o sanatório já não existe, ela agora encontra-se em um orfanato de faixada, onde foi abandonada pelo padre (interpretado pelo padrasto). Na mente de Babydoll o orfanato funciona clandestinamente como um bordel onde vivem outras garotas (também pacientes), dentre essas estão: Amber, Blondie, Rocket e Sweet Pea a irmã mais velha de Rocket que auto intitula-se "a estrela do show". Drª. Gorski é visualizada como instrutora de dança das meninas.

Blue informa que Babydoll terá sua primeira noite em 5 dias com o "manda chuva" (data de sua cirurgia de lobotomização), então Gorski incentiva Babydoll a mostrar seus dotes através de uma dança erótica e usa as seguintes palavras “...Sua luta pela sobrevivência começara agora, não quer ser julgada? Não será! Não acha que é forte o bastante? Você é! Está com medo? Não fique! você tem as armas de que precisa agora lute!”. É nesse momento que Baby cria mais uma fantasia, ela se ver no Japão feudal, e dentro de um templo encontra o "Homem Sábio". Depois que ela expressa seu desejo de "escapar", o Homem Sábio apresenta a Babydoll suas armas uma espada katana, e uma Desert Eagle 50 prateada, em seguida ele informa 5 itens que são necessários para escapar, são respectivamente: Um mapa, fogo, uma faca, uma chave, e um quinto elemento não revelado que exigiria "um sacrifício profundo", mas traria uma "vitória perfeita". Ela então luta com três gigantes samurais para provar seu valor e conhecer seu poder de fogo. Quando sua fantasia termina, ela se encontra de volta ao bordel, e sua dança impressiona todos os espectadores inclusive Blue.

Babydoll convence as quatro meninas para se juntar a ela na preparação de uma fuga. Ela planeja usar suas danças como uma distração, enquanto as outras meninas obtém as ferramentas necessárias. Durante suas danças, ela imagina aventuras que espelham os esforços de escapar. Estas aventuras incluem infiltrar um bunker protegido por IGerman's (Robôs nazistas) na II Guerra Mundial, para obter um mapa do bordel (localizado no escritório de Blue dentro do hospício) a dança reflete a ação de Sweet Pea que entrou no escritório de Blue para roubar o mapa; O Assalto a um castelo infestado de orcs para recuperar dois cristais de produção de fogo de dentro de um bebê dragão (dança que representa o esforço de Amber para roubar um isqueiro do bolso do prefeito); E embarcar em um trem para lutar contra guardas robóticos e desarmar uma bomba (espelhado por Sweet Pea roubando uma faca de cozinha do cinto do cozinheiro), durante essa última fantasia, algo da errado com a música e Babydoll para de dançar, libertando o cozinheiro do estado de transe, então Rocket sacrifica-se para salvar Sweet Pea e é morta quando a bomba detona, que é paralelo com o cozinheiro fatalmente esfaqueando Rocket enquanto ela tenta proteger sua irmã. Simultaneamente Blue ouve Blondie falando sozinha sobre o plano de Babydoll, e conta para Gorski, confirmando suas suspeitas de que algo está errado. Ele tranca Sweet Pea em um armário e confronta as outras meninas nos bastidores e atira em Amber e Blondie em seguida tenta estuprar Babydoll, mas ela o apunhala com a faca do cozinheiro e rouba sua chave mestra. Com os 4 itens em mão, e ciente que todas as portas abrirão no caso de incêndio, Babydoll libera Sweet Pea e coloca fogo em uma sala de arquivos para manter os serventes ocupados e abrir as portas enquanto procuram uma saída no mapa.

Elas escapam para o pátio, onde eles encontram uma multidão de homens bloqueando seu caminho. Babydoll deduz que o quinto item necessário para a fuga é de fato seu próprio sacrifício. Apesar dos protestos de Sweet Pea, ela insiste em revelar-se aos visitantes, distraindo-os o tempo suficiente para permitir que sua amiga escape despercebida.

De volta ao hospício, o cirurgião acaba de realizar a lobotomia de Babydoll e fica perplexo com a expressão da jovem garota (pois fez uma lobotomia em uma pessoa sã), e pergunta por que Gorski autorizou o procedimento. Drª Gorski percebe que Blue forjou a sua assinatura e convoca a polícia, que prendem Blue enquanto ele tenta agredir sexualmente uma boneca lobotomizada. Enquanto estava sendo levado, Blue também incrimina o padrasto. Babydoll é mostrada sorrindo serenamente, dando a perceber que aparentemente ela encontrou a liberdade dentro de seu próprio "paraíso interior". É revelado em seu sonho que é realmente um flashback fantasioso, paralelo aos eventos que realmente aconteceram no hospício.

Em uma estação de ônibus, Sweet Pea é parada pela polícia enquanto ela tenta entrar em um ônibus para Fort Wayne, mas ela é resgatada pelo motorista do ônibus (o Homem Sábio/general das missões), que engana a polícia e permite que ela embarque.

Durante os créditos finais, Drª. Gorski e Blue executam "Love Is the Drug" em uma seqüência musical, que inclui todas as cinco protagonistas.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção e design[editar | editar código-fonte]

Um ônibus MCI-Courier 95 Skyview, da empresa de transporte Greyhound Lines. É semelhante ao usado nas gravações de uma das cenas finais do filme.[nota 1]

A pré-produção começou em Los Angeles em junho de 2009, em seguida, mudou-se para Vancouver, em julho. A fotografia principal começou em setembro de 2009, em Vancouver, e concluiu-se em janeiro de 2010. Com um orçamento de US $ 82 milhões,[4] a pós-produção começou em setembro de 2009 e foi previsto para durar até janeiro de 2010 em Vancouver e Toronto.[5] [6] Originalmente, a produção teria começado em junho de 2009, mas foi adiada.[7] Produção celebrado em 22 de janeiro de 2010.[8] Snyder confirmou que antes da data de produção, ele já tinha disparado algumas sequências de fantasia para Sucker Punch.[9] Snyder disse que o filme é um "retrato estilizado de movimento sobre a ação e tipo de paisagens da imaginação e coisas dessa natureza". Snyder também havia decidido-se sobre o título do filme há algum tempo, afirmando que é uma referência da cultura pop. "É sobre o que espero que o filme se sinta quando você vê-lo, mais do que um específico 'Oh, é uma história desta pessoa.' É tudo estilizado."[10]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Sucker Punch teve recepção geralmente desfavorável por parte da crítica especializada. Com índice de 23%, o Rotten Tomatoes chegou ao consenso: "É tecnicamente impressionante e carregado com imagens atraentes, mas sem personagens ou um plano para apoiá-los, tudo de emoções visuais de Sucker Punch são em vão".[11] No Metacritic possui uma pontuação de 33/100.[12]

Embora Snyder havia afirmado que ele queria que o filme fosse "uma história legal e não apenas como um jogo de vídeo onde você é apenas solto e sai enlouquecendo",[13] alguns críticos compararam o filme desfavoravelmente a um videogame em seus comentários. Richard Roeper deu ao filme um D, dizendo que "prova que um filme pode ser alto, e repleto de belas mulheres jovens cheio de ação - e ainda aborrecê-las às lágrimas."[14] O Orlando Sentinel deu o filme uma em cada quatro estrelas chamando-lhe "um suspense erótico sem suspense e anti-erótico nos moldes do jogo de vídeo".[15] Revendo-o para The Sydney Morning Herald, Giles Hardie chamou o filme de "incrivelmente ambicioso", e explicou que, enquanto as «profundezas tradicionais de desenvolvimento de caráter e motivações são postas de lado, [...] isso é intencional, permitindo que o público mergulhe nas camadas de sonhos e depois perguntam-se juntos o que realmente aconteceu".[16] O crítico de cinema britânico Mark Kermode descreveu o filme como "o mais chato, juntamente vagaroso, infantilmente crasso, adolescente, loucamente estúpido e caovinista que eu senti através de uma forma muito, muito tempo."

Silvio Pilau do CinePlayers criticou a incoerência do roteiro: "Não existe, em Sucker Punch – Mundo Surreal, um desenvolvimento para uma relação emocional entre as personagens, um arco dramático para alguma delas ou mesmo uma base para justificar as fantasias criadas pela protagonista – sem qualquer explicação, ela começa a imaginar que está em uma espécie de prostíbulo onde ainda “sonha” com mundos tão díspares quanto uma trincheira de guerra e um trem em movimento prestes a explodir uma cidade. De onde vêm essas ilusões e o que elas representam segue um verdadeiro mistério para o espectador."[17]

A Legendary Pictures atribuiu o fracasso do filme tornar-se um sucesso de bilheteria, devido à platéia não aceitar um herói de ação do sexo feminino.[18]

Representação das mulheres[editar | editar código-fonte]

Sucker Punch também atraiu críticas por sua representação das mulheres. Vários críticos descreveram o filme como misógino e outros expressaram preocupação sobre o seu tratamento da violência sexual.[19] Monika Bartyzel de Moviefone escreveu: "As mulheres de Zack Snyder 'Sucker Punch' não estão habilitadas. Embora elas recebam confusões viciosas, espadas e armas, as protagonistas do mais recente de Snyder não são nada mais do que figuras cinematográficas de escravização dados somente a luta mais mínima. Sua rebelião é uma das irrisórias imaginativas em um mundo fortemente misógino que quase não é questionado ou verdadeiramente desafiado ".[20]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora do filme, produzida por Tyler Bates (que também compôs a música do filme) e Marius de Vries, consiste em 9 faixas, na maior parte covers.

Faixas Autor Intérprete
Sweet Dreams (Are Made of This) Eurythmics Emily Browning
Army of Me (Sucker Punch Remix) Björk Björk com Skunk Anansie
White Rabbit Jefferson Airplane Emiliana Torrini
I Want It All/We Will Rock You Mash-Up Queen Queen, com um rap de Armageddon Aka Geddy
Search and Destroy The Stooges Skunk Anansie
Tomorrow Never Knows The Beatles Alison Mosshart e Carla Azar
Where Is My Mind? Pixies Yoav com Emily Browning
Asleep The Smiths Emily Browning
Love Is The Drug Roxy Music Carla Gugino e Oscar Isaac

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. O modelo exato utilizado nas gravações é o MCI-Courier 96

Referências

  1. a b Warner Bros. Pictures and Legendary Pictures' Sucker Punch 3D to be Released in IMAX(R) 3D on March 25, 2011 (em inglês). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  2. a b Sucker Punch (2011) (em inglês) Box Office Mojo. Visitado em 25 de outubro de 2011.
  3. Snyder's 'Alice in Wonderland with Machine Guns' - Sucker Punch (em inglês). Visitado em 16 de novembro de 2010.
  4. Amy Kaufman (24 de março de 2011). Movie Projector: Will Wimpy Kid put Sucker Punch on the ropes? (em inglês) LATimes Latimesblogs.latimes.com. Visitado em 27 de junho de 2015.
  5. Frosty (20 de fevereiro de 2009). Zack Snyder says 'Sucker Punch' is his Next Movie! (em inglês) Collider Collider.com. Visitado em 27 de junho de 2015.
  6. Steve Barton (24 de junho de 2009). Zack Snyder Talks Sucker Punch (em inglês) Dread Central Dreadcentral.com. Visitado em 27 de junho de 2015.
  7. Brendon Connelly (20 de fevereiro de 2009). Zack Snyder's Sucker Punch Aiming For March 2011 Release (em inglês) Slash Film Slashfilm.com. Visitado em 27 de junho de 2015.
  8. Bryan Enk (25 de janeiro de 2010). Zack Snyder Drinks His Last Sucker Punch (em inglês) Ugo Ugo.com. Visitado em 27 de junho de 2015.
  9. Why Zack Snyder thinks his action fantasy Sucker Punch will blow 300 away" (em inglês) Scifi Wire Scifiwire.com (23 de junho de 2009). Visitado em 27 de junho de 2015.
  10. Borys Kit (3 de março de 2009). Actresses line up for Zack Snyder's "Sucker Punch" (em inglês) Reuters Reuters.com. Visitado em 27 de junho de 2015.
  11. Sucker Punch (em inglês) Rotten Tomatoes. Visitado em 30 de janeiro de 2014.
  12. Sucker Punch (em inglês) Metacritic CBS Interactive. Visitado em 29 de maio de 2015.
  13. Interview: Zack Snyder: The Watchman of "300 " (em inglês) The Trade (8 de março de 2007). Visitado em 28 de maio de 2015.
  14. Richard Roeper (25 de março de 2011). Sucker Punch (em inglês) Smh. Visitado em 28 de maio de 2015.
  15. Sucker Punch (em inglês) Orlando Sentinel. Visitado em 29 de maio de 2015.
  16. Giles Hard. Sucker Punch (em inglês) Smh au. Visitado em 29 de maio de 2015.
  17. Silvio Pilau (2 de fevereiro de 2011). Sucker Punch (em português) CinePlayers. Visitado em 28 de maio de 2015.
  18. Rebecca Pahle (21 de agosto de 2003). Legendary Pictures Turned Down a Movie Because Its Main Character Is a Female Action Hero (em inglês) The Mary Sue. Visitado em 29 de maio de 2015.
  19. Sucker Punch' and the Decline of Strong Woman Action Heroines (em inglês) The Atlantic. Visitado em 29 de maio de 2015.
  20. Monika Bartyzel. Girls on Film: Faux Feminism in 'Sucker Punch.' (em inglês) Movie Fone. Visitado em 29 de maio de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]