Sucre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Sucre (desambiguação).
Sucre
Sucre
Vista panorâmica da cidade de Sucre.
Vista panorâmica da cidade de Sucre.
Bandeira oficial de Sucre
Brasão oficial de Sucre
Bandeira Brasão
Apelido: "Ciudad de los Cuatro Nombres
Ciudad Blanca de América
"
Lema: "Aquí nació la Libertad"
Coordenadas 19° 2' 34" S 65° 15' 19" O
País  Bolívia
Departamento Chuquisaca
Fundação 29 de setembro de 1538 (477 anos)
Prefeito Moises Torres
Área  
  Total 11 800 km²
Altitude 2 810 m
População  
  Cidade (2007) 300 000 hab.
   -Densidade metropolitana   25,42/km²
Fuso horário UTC (UTC-4)

Sucre (pronunciado em português europeu[ˈsukɾ(ɨ)]; pronunciado em português brasileiro[ˈsukri]; pronunciado em castelhano[ˈsukɾe]) é a capital constitucional da Bolívia e capital do departamento de Chuquisaca, além de ser também a 5.ª cidade mais populosa do país. Embora Sucre seja a capital boliviana de jure, a sede do governo localiza-se em La Paz, o que a torna capital de facto. Localizada na região do Centro-Sul boliviano, Sucre eleva-se a 2 810 metros (9 200 pés) de altitude, sendo portanto uma das cidades mais altas da América do Sul. Ao longo de sua história, foi denominada Charcas, La Plata e Chuquisaca, e recebeu a alcunha de "Cidade dos Quatro Nomes".

Em 1991, seu centro histórico — que conserva grande parte do patrimônio boliviano — foi incluído no Patrimônio Mundial da UNESCO. A cidade atrai milhares de turistas todos os anos graças ao seu centro histórico com construções dos séculos XVIII e XIX.

História[editar | editar código-fonte]

Em 29 de setembro de 1538, Sucre foi fundada com o nome de Ciudad de la Plata de la Nueva Toledo por Pedro de Anzures, marquês de Campo Redondo. Em 1559, o rei Filipe II da Espanha instituiu a Audiência de Charcas em La Plata, com autoridade sobre uma área que cobre o que é hoje o Paraguai, o sudeste do Peru, o norte do Chile e da Argentina, e boa parte da Bolívia. Em 1609, uma arquidiocese foi fundada na cidade. Em 1624, foi fundada a Universidade São Francisco de Xavier.

Até o século XVIII, La Plata foi o centro judicial, religioso e cultural da região. Em 1839, depois de tornar-se a capital da Bolívia, a cidade teve seu nome alterado em homenagem ao líder revolucionário Antonio José de Sucre. Após o declínio econômico de Potosí, Sucre viu a sede do governo boliviano, em 1898, mudar-se para La Paz. Em 1991, Sucre tornou-se Patrimônio da Humanidade, segundo a UNESCO.

A cidade de quatro nomes[editar | editar código-fonte]

Cada um dos nomes conhecidos representam uma época específica da história da cidade:

  • Charcas era o nome indígena do lugar em que os espanhóis construíram a cidade colonial;
  • La Plata foi o nome dado à cidade emergente;
  • Chuquisaca foi o nome concebido à cidade durante a época de sua independência;
  • Sucre homenageia o marechal da Grande Batalha de Ayacucho(9 de dezembro de 1824): Don Antonio Jose de Sucre.

Construções[editar | editar código-fonte]

Prédio da Prefeitura, na Praça 25 de Maio
Sucre, ao anoitecer

A Casa da Liberdade (La Casa de la Libertad)[editar | editar código-fonte]

Construída em 1621, essa talvez seja uma das mais importantes construções nacionais. A república foi fundada nessa casa por Simón Bolívar, que escreveu a Constituição Boliviana.

Biblioteca Nacional (La Biblioteca Nacional)[editar | editar código-fonte]

Construída no mesmo ano da fundação da república, é o primeiro e mais importante centro bibliográfico e de documentos do país. Possui documentos que datam do século XV.

Catedral Metropolitana (La Catedral Metropolitana)[editar | editar código-fonte]

Construída entre 1559 e 1712, a catedral abriga o Museu Catedralício, que é o primeiro e mais importante museu religioso do país. A pinacoteca conta com uma vasta coleção de pinturas de mestres dos períodos colonial e republicano também de europeus como Bitti, Fourchaudt e Van Dyck. A catedral contém uma vasta coleção de joias feitas de ouro, prata e outras gemas.

Palácio do Arcebispo (El Palacio Arzobispal)[editar | editar código-fonte]

Construído em 1609, foi uma importante instituição religiosa e histórica durante os tempos coloniais.

Cemitério[editar | editar código-fonte]

O maior e mais belo cemitério do país.

Conventos[editar | editar código-fonte]

  • San Felipe Nery;
  • San Francisco;
  • La Recoleta;
  • Santa Teresa;
  • Santa Clara.

Igrejas[editar | editar código-fonte]

  • Santo Domingo;
  • San Lazaro;
  • San Sebastian;
  • Iglesia de la Merced;
  • San Agustín;
  • Santa Mónica;
  • Santa Barbara;
  • San Miguel.

Capelas[editar | editar código-fonte]

Cidades geminadas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]