Sud Expresso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sud-Express
Composição típica do Sud Expresso, em 2010
Composição típica do Sud Expresso, em 2010
Unknown route-map component "exKBHFa"
Londres - Victoria
Unknown route-map component "exABZg+l" Unknown route-map component "exKBHFeq"
Londres - Charing Cross
Unknown route-map component "exBHF"
Dover
Transverse water + Unknown route-map component "exTRAJEKT"
Transverse water + Unknown route-map component "lGRZq" + Unknown route-map component "lGRZq"
Reino UnidoFrançaMancha
Unknown route-map component "exBHF"
Calais-Maritime
Unknown route-map component "exBHF"
Calais-Ville
Unknown route-map component "exBHF"
Bolonha-sobre-o-Mar
Unknown route-map component "exBHF"
Pierrefitte-sur-Seine
Unknown route-map component "exBHF"
Paris - Orleães
Unknown route-map component "exABZl+l" Unknown route-map component "exKBHFeq"
Paris - Norte
Unknown route-map component "exBHF"
Paris - Orsay
Unknown route-map component "exBHF"
Aubrais - Orleães
Unknown route-map component "exBHF"
Orleães
Unknown route-map component "exBHF"
Tours (S. Pierre Corps)
Unknown route-map component "exBHF"
Poitiers
Unknown route-map component "exBHF"
Angoulême
Unknown route-map component "exBHF"
Bordéus
Unknown route-map component "exBHF"
Lamothe
Unknown route-map component "exBHF"
Morcenx
Unknown route-map component "exBHF"
Baiona
Unknown route-map component "exBHF"
Négresse (Biarritz)
Unknown route-map component "exBHF"
Saint-Jean-de-Luz
Unknown route-map component "exSTR" + Continuation backward
LGV AtlantiqueParis
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "KBHF-Le"
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "exlZOLL"
Unknown route-map component "KBHF-Ra"
Hendaia(mud. bitola)
Bridge over water + Unknown route-map component "lGRZq"
EspanhaFrançaRio Bidasoa
Station on track
Irun
Station on track
San Sebastian
Unknown route-map component "eBHF"
Zumárraga
Station on track
Vitoria-Gasteiz
Station on track
Miranda de Ebro
Station on track
Burgos
Unknown route-map component "eBHF"
Venta de Baños
Station on track
Valladolid
Station on track
Medina del Campo
Unknown route-map component "STRc2" Unknown route-map component "xABZg3"
(traj. ant)
Unknown route-map component "LSTR+1"
Unknown route-map component "exBHF" + Unknown route-map component "STRc4"
El Escorial
Unknown route-map component "LSTR" Unknown route-map component "exBHF"
Madrid-Delicias
Unknown route-map component "LSTR" Unknown route-map component "exBHF"
Madrid-Príncipe Pío
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Salamanca
Unknown route-map component "eBHF" Unknown route-map component "exLSTR"
La Fuente de San Esteban
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Ciudad Rodrigo
Unknown route-map component "eZOLL" Unknown route-map component "exLSTR"
Alfândega
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Fontes de Onor
Unknown route-map component "LSTR"
Unknown route-map component "exBHF" + Unknown route-map component "exlZOLL"
Valência de Alcântara
Straight track + Unknown route-map component "lGRZq"
Unknown route-map component "exSTR" + Unknown route-map component "lGRZq"
PortugalEspanha
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Vilar Formoso
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Guarda
Unknown route-map component "eBHF" Unknown route-map component "exLSTR"
Vila Franca das Naves
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Celorico da Beira
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Mangualde
Unknown route-map component "LSTR" Unknown route-map component "exBHF"
Torre das Vargens
Unknown route-map component "eBHF" Unknown route-map component "exLSTR"
Nelas
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Santa Comba Dão
Unknown route-map component "eHST" Unknown route-map component "exLSTR"
Luso-Buçaco
Unknown route-map component "eBHF" Unknown route-map component "exLSTR"
Pampilhosa
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Coimbra-B
Station on track Unknown route-map component "exLSTR"
Pombal
Station on track + Unknown route-map component "exSTRc2"
Unknown route-map component "exLSTR3"
Caxarias
Unknown route-map component "eABZg+1" Unknown route-map component "exSTRc4"
(traj. ant)
Station on track
Entroncamento
Station on track
Lisboa-Oriente
Unknown route-map component "xABZgl" Unknown route-map component "KBHFeq"
Lisboa-Santa Apolónia
Unknown route-map component "exABZl+l" Unknown route-map component "exKBHFeq"
Lisboa-Rossio
Unknown route-map component "exABZg+l" Unknown route-map component "exKBHFeq"
Estoril
Unknown route-map component "exKDSTe"
Campolide(inv. marcha)

O Sud Expresso, também conhecido por Sud-Expreso ou Surexpreso (em espanhol), Sudexpress (em francês), Sud, ou Sud-Express, é o nome de um serviço ferroviário internacional de passageiros, que liga Lisboa, em Portugal, à localidade francesa de Hendaia, junto à fronteira entre Espanha e França. A viagem inaugural deste comboio deu-se em 4 de Novembro de 1887, ligando nessa altura Lisboa a Calais por Madrid e Paris.[1] Originalmente, este serviço era prestado pela famosa CIWL, mas após a nacionalização das empresas ferroviárias (a nível europeu), passou a ser da responsabilidade conjunta da CP (Portugal), RENFE (Espanha) e SNCF (França), sendo actualmente apenas gerido pela CP - Comboios de Portugal, E.P.E..

Interior do vagão restaurante em 1887.

História[editar | editar código-fonte]

Início dos serviços[editar | editar código-fonte]

Este serviço foi criado para ser parte de uma rede de comboios entre São Petersburgo, na Rússia, e Lisboa, de onde os passageiros poderiam continuar a viagem de barco até às Américas e África; este plano, idealizado pelo engenheiro e empresário belga Georges Nagelmackers, seria gerido pela sua empresa, a Compagnie Internationale des Wagons-Lits et des Grands Express Européens.[2] No entanto, as dificuldades impostas pelo governo Prussiano e o encerramento de fronteiras devido a uma epidemia de cólera em França, em 1885, impediram a realização deste plano, mas decidiu-se avançar com o troço entre Paris, Madrid e Lisboa.[2] A viagem inaugural, entre as três capitais, deu-se em 21 de Outubro de 1887.[2][3] Este serviço fazia parte da família dos Grandes Expressos Europeus, operados pela Compagnie Internationale des Wagons-Lits.[3] Em 1888, as companhias britânicas de navegação Royal Mail e The Union Line criaram serviços de paquetes a partir de Lisboa, de forma a complementar o Sud Expresso; a primeira ligava a capital portuguesa ao Rio da Prata e ao Brasil, enquanto que a segunda operava entre Southampton e a costa oriental de África.[4]

Em 1 de Janeiro de 1906, o Sud Express passou a circular de forma diária.[5]

Em 1913, este serviço ligava a Estação de Charing Cross, em Londres, ao Rossio, em Lisboa, passando pelas Gares do Norte e de Orsay, em Paris.[6]

Em 21 de Junho de 1914, o comboio n.º 6 colidiu contra o Sud Expresso n.º 21, na zona da Ponte Seca, entre as estações de Celorico da Beira e Fornos de Algodres, provocando um morto e dois feridos.[7]

A suspensão do Sud Expresso esteve planeada para 30 de Novembro de 1914, tendo sido adiada, nesse mês, para 31 de Dezembro do mesmo ano.[8]

Após a Primeira Guerra Mundial, o Sud Express passou a ter uma carruagem directa para o Estoril, permitindo a deslocação de turistas ricos desde a Europa Central, e contribuindo para a celebrização da Costa do Estoril como um destino de férias internacional.[9]

O Sud Expresso foi suspenso entre 20 de Julho de 1936 e 1 de Agosto de 1939, devido ao início da Guerra Civil Espanhola.[10] Foi interrompido novamente em 1 de Novembro de 1940, devido à Segunda Guerra Mundial.[11]

No Congresso Internacional dos Caminhos de Ferro em 1937, na cidade de Paris, o professor Wiener apresentou um relatório sobre a velocidade atingida pelos comboios, no qual o Sud Expresso ficou em sétimo lugar na tracção a vapor, tendo atingido a velocidade de 113 Km/h no percurso entre Lisboa e o Entroncamento.[12]

Extinção[editar | editar código-fonte]

O Plano Estratégico de Transportes, documento do estado português que foi apresentado em Outubro de 2011, previa, entre outras medidas, a extinção deste serviço.[13]

Actualidade[editar | editar código-fonte]

Este serviço liga diariamente a capital portuguesa à fronteira franco-espanhola, com o comboio proveniente de Lisboa a terminar em Hendaia (França) e o de regresso a iniciar-se em Irún (Espanha). Até 2 Julho de 2017, existem ligações entre este serviço e o TGV de e para Paris, mas com a entrada à exploração da nova Linha de Alta Velocidade L'Océane (entre Tours e Bordéus), os TGV's deixam de garantir a ligação no sentido Paris - Lisboa, na estação de Irún, com a maioria dos serviços a terminar em Hendaia. O transbordo passa a ser da total responsabilidade dos passageiros.

Este serviço tem a seguinte oferta:

Lugares Sentados

  • Lugar sentado em Classe Turista.

Lugares Cama

  • Gran Classe Single ou Duplo
    • Compartimento para 1 ou 2 pessoas, com casa de banho (incluindo duche e artigos de higiene e telefone interno);
  • Cama Preferente Single ou Duplo
    • Compartimento para 1 ou 2 pessoas (com lavatório, artigos de higiene e telefone interno); 
  • Cama Turista
    • Compartimento para 4 pessoas (com lavatório e artigos de higiene).

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Percurso e tipos de serviços[editar | editar código-fonte]

Originalmente, ligava Lisboa a Calais por Madrid e Paris.[1], tendo sido depois reduzido apenas da capital portuguesa até à fronteira entre França e Espanha. Durante algum tempo, também foi ao Estoril, na Linha de Cascais[14], utilizando o sistema de carruagens directas.[9]

Além de passageiros, o Sud Expresso também transportou correio.[15]

Material circulante e composição[editar | editar código-fonte]

Em 1983, este serviço incluía duas carruagens restaurante, da operadora Caminhos de Ferro Portugueses.[16]

Este serviço foi rebocado por locomotivas a vapor, como a CP 355[17], e a CP 097.[18] Outra série de locomotivas a vapor utilizada no Sud Expresso foi a 800, que foi encomendada pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses da Beira Alta para rebocar os comboios expressos, e que entrou ao serviço em 1931.[19]

Também foram utilizadas locomotivas a gasóleo, como as da Série 1300[20], e 1960, estas últimas na Linha da Beira Alta.[21]

Em 2006, era rebocado por locomotivas eléctricas da Série 2600 dos Caminhos de Ferro Portugueses, sendo nessa altura composto por um furgão, carruagens Sorefame de primeira e segunda classes, carruagens cama, e carruagens restaurante.[22]

Actualmente este serviço é composto por uma composição Talgo IV e traccionado por locomotivas da Série 5600.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b MARTINS et al, 1996:249
  2. a b c ARANGUREN, Javier (1996). «"Sud Expreso": Han pasado ya 109 años del viaje inaugural». Maquetren (em espanhol). 5 (49). Madrid: Ed. España Desconocida. p. 39-42. ISSN 1132-2063 
  3. a b REIS et al, 2006:36
  4. «De Paris à Madeira, Africa, Brazil, e Rio da Prata» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro de Portugal e Hespanha. 1 (1). 15 de Março de 1888. p. 5. Consultado em 24 de Outubro de 2011 
  5. MARTINS et al, 1996:251
  6. «Lisboa, Paris e Londres». Guia Official dos Caminhos de Ferro de Portugal (168). Lisboa: Gazeta dos Caminhos de Ferro. Outubro de 1913. p. 116. Consultado em 10 de Maio de 2012 
  7. MARQUES, 2014:187
  8. «Viagens e Transportes» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 27 (647). 1 de Dezembro de 1914. p. 359. Consultado em 17 de Agosto de 2012 
  9. a b COLAÇO e ARCHER et al, 1999:36-38
  10. MARTINS et al, 1996:259-260
  11. MARTINS et al, 1996:261
  12. MARTINS et al, 1996:87
  13. CIPRIANO, Carlos, e CRISÓSTOMO, Pedro (14 de Outubro de 2011). «Linhas ferroviárias do Oeste e Alentejo perdem serviço de passageiros». Público. Consultado em 16 de Outubro de 2011 
  14. SANTOS e CABRAL, 2003:104
  15. MARTINS et al, 1996:53
  16. «BBR-9800 y RRR-9900». Carril (em espanhol) (6). Barcelona: Associació d'Amics del Ferrocarril-Barcelona. Dezembro de 1983. p. 45. ISSN 1132-2063 
  17. REIS et al, 2006:56
  18. REIS et al, 2006:94
  19. MARTINS et al, 1996:90
  20. REIS et al, 2006:118
  21. MARTINS et al, 1996:92
  22. REIS et al, 2006:179

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • COLAÇO, Branca; Archer, Maria (1999). Memórias da Linha de Cascais. Vila Real de Santo António: Câmaras Municipais de Cascais e Oeiras. 370 páginas. ISBN 972-637-066-3 
  • MARQUES, Ricardo (2014). 1914: Portugal no ano da Grande Guerra 1.ª ed. Alfragide: Oficina do Livro - Sociedade Editora, Lda. 302 páginas. ISBN 978-989-741-128-1 
  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
  • SANTOS, Conceição; CABRAL, João (2003). Patrimónios de Cascais. Cascais: Câmara Municipal de Cascais. 180 páginas. ISBN 972-637-117-1 

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

  • Fotobiografia dos Caminhos de Ferro Portugueses - 150 Anos. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses E. P. 2006 
  • ABRAGÃO, Frederico de Quadros (1956). Cem Anos de Caminho de Ferro na Literatura Portuguesa. Lisboa: Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses 
  • ALEGRIA, Maria Fernanda (1983). O desenvolvimento da rede ferroviária portuguesa e as relações com Espanha no século XIX. Coimbra: Centros de Estudos Geográficos da Universidade de Coimbra 
  • ANTUNES, J. A. Aranha; et al. (2010). 1910-2010: o caminho de ferro em Portugal. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e REFER - Rede Ferroviária Nacional. 233 páginas. ISBN 978-989-97035-0-6 
  • CERVEIRA, Augusto; CASTRO, Francisco Almeida e (2006). Material e tracção: os caminhos de ferro portugueses nos anos 1940-70. Col: Para a História do Caminho de Ferro em Portugal. Volume 5. Lisboa: CP-Comboios de Portugal. 270 páginas. ISBN 989-95182-0-4 
  • MARISTANY, Manolo (1974). Carrilets de España y Portugal (em Castelhano). Volume 2 de 2. [S.l.]: J.M. Casademont 
  • VILLAS-BOAS, Alfredo Vieira Peixoto de (2010) [1905]. Caminhos de Ferro Portuguezes. Lisboa e Valladollid: Livraria Clássica Editora e Editorial Maxtor. 583 páginas. ISBN 8497618556 
  • QUEIRÓS, Amílcar (1976). Os Primeiros Caminhos de Ferro de Portugal: As Linhas Férreas do Leste e do Norte. Coimbra: Coimbra Editora. 45 páginas 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre o serviço Sud Expresso

Ligações externas[editar | editar código-fonte]