Sukhoi Su-24

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sukhoi Su-24
(OTAN: Fencer)
Airplane silhouette.png
Um Su-24M Russo
Descrição
Tipo / Missão Caça-bombardeiro
País de origem  União Soviética
 Rússia
Fabricante Sukhoi
Período de produção 1967–1993[1]
Quantidade produzida Aproximadamente 1400 unidade(s)
Custo unitário US$ 24–25 milhões em 1997[2]
Primeiro voo em 1967 (49 anos)
Introduzido em 1974
Tripulação 2
Especificações (Modelo: Su-24MK)
Dimensões
Comprimento 22,53 m (73,9 ft)
Envergadura 17,64 m (57,9 ft)
Altura 6,19 m (20,3 ft)
Área das asas 55,2  (594 ft²)
Alongamento 5.6
Peso(s)
Peso vazio 22 300 kg (49 200 lb)
Peso carregado 38 040 kg (83 900 lb)
Peso máx. de decolagem 43 755 kg (96 500 lb)
Propulsão
Motor(es) 2 x turbojatos de pós-combustão Lyulka AL-21
Empuxo:
  • Empuxo seco: 7 790 kgf (76 400 N)
  • Empuxo em pós-combustão: 11 196 kgf (110 000 N)
Performance
Velocidade máxima 1 654 km/h (892 kn)
Velocidade de cruzeiro 1 315 km/h (709 kn)
Velocidade máx. em Mach 1.35 Ma
Alcance bélico 615 km (382 mi)
Alcance (MTOW) 2 775 km (1 720 mi)
Teto máximo 11 000 m (36 100 ft)
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1x Gryazev-Shipunov GSh-6-23 com 500 disparos
Foguetes S-25, S-24
Mísseis R-60, R-73E, Kh-23, Kh-25ML, Kh-28, Kh-29L/T, Kh-31P, Kh-58E, Kh-59 Ovod
Bombas KAB-500KR, KAB-500L, AB-100, AB-250, AB-500M-54, ODAB-500M, RBK-250, RBK-500, Arma nuclear de uso tático
Notas
Sukhoi,[1] Combat Aircraft since 1945[3]

O Sukhoi Su-24 (Russo: Сухой Су-24); (OTAN: Fencer) é um caça-bombardeiro supersônico desenvolvido pela União Soviética. A aeronave possui asas de geometria variável, dois motores, e assentos propostos lateralmente para dois tripulantes; sendo operacional em variadas condições climáticas. Foi a primeira aeronave soviética a possuir um sistema integrado digital de navegação e ataque.[1] [4]

O Su-24 possui extensa história operacional em mais de 30 anos de serviço. Esteve presente na Guerra do Afeganistão (1979-1989) voando em missões contra-insurgência contra os Mujahideen, Guerra Civil Libanesa, Guerra do Golfo, Guerra Civil do Tajiquistão, Primeira e Segunda Guerra na Chechênia, Guerra Russo-Georgiana, Guerra Civil Líbia (2011), Guerra Civil no Leste da Ucrânia e Guerra Civil Síria.

Continua em serviço na Força Aérea Russa, sendo exportado para vários países, como: Angola, Argélia, Azerbaijão, Bielorrússia, Cazaquistão, Líbia, Irã, Iraque, Síria, Sudão, Ucrânia, Uzbequistão.[5] [6] [7]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

No ano de 1961, a Força Aérea Soviética colocou o Su-7B em serviço. Como necessidade e insistência das forças armadas para a entrada do Su-7B, o governo solicitou ao departamento de design o desenvolvimento de uma aeronave operacional em qualquer condição climática, capaz de destruir alvos pequenos com precisão, o que formatou o início do desenvolvimento do Su-24.[1] Os primeiros estudos recorreram entre os anos de 1961 e 1962 sobre as nomenclaturas S-28 e S-32. Observando a impossibilidade de atualização da matriz do Su-7B devido ao seu tamanho reduzido, o que não possibilitava aumento de equipamentos abordo da aeronave.[1]

História operacional[editar | editar código-fonte]

Guerra Civil do Tajiquistão (1992–1997)[editar | editar código-fonte]

Fencers foram utilizados pela Força Aérea e Defesa Aérea do Uzbequistão contra a Oposição Tajique Unida que operava a partir do Afeganistão, como parte da campanha aérea em suporte ao governo do Tajiquistão de Emomali Rakhmov durante a Guerra Civil do Tajiquistão. Em 3 de Maio de 1993, um Su-24M foi abatido em por um MANPADS FIM-92 Stinger disparado por fundamentalistas islâmicos. A tripulação foi resgatada.[8] [9]

Em agosto de 1999, o governo do Tajiquistão denunciou um alegado bombardeio envolvendo a UzAF. Quatro Su-24, quando operavam contra militantes islâmicos em áreas próximas a dois vilarejos no distrito montanhoso de Jirgatol, que mesmo não envolvendo mortes humanas, matando 100 animais e causando incêndios em várias plantações. Tal foi negado pelas autoridades do Uzbequistão.[10]

Primeira Guerra da Chechênia (1994-1996)[editar | editar código-fonte]

O Su-24 foi utilizado Primeira Guerra da Chechênia, juntamente com outras aeronaves, alcançando superioridade aérea e destruindo mais de 266 aeronaves Chechenas em solo. Foram feitas em torno de 5300 sorties de ataque entre os anos de 1994 e 1996, como parte do Quarto Exército Russo, que tinha 140 aviões, entre eles Su-17M, Su-24 e Su-25, os quais foram assessorados por um Beriev A-50 AWACS.[11]

As forças russas não conseguiram tirar proveito da superioridade aérea, mesmo com pouca resistência a ataques aéreos e uso de táticas de guerrilha pelos terroristas chechenos.[12] [13] Pela primeira vez, o Su-24 foi utilizado apenas para missões de bombardeio de precisão. Isso decorre ao clima difícil e sistemas de alvo e precisão presentes na aeronave, utilizáveis para ataques a posições estratégicas.[14] [15] A aeronave demonstrou-se a mais capaz e usada no conflito.[16]

Guerra Civil Afegã (1996–2001)[editar | editar código-fonte]

Como parte da intervenção do Uzbequistão contra forças islâmicas no Tajiquistão, ocorreu também apoio direto daquele ao Estado Islâmico do Afeganistão. No estágios finais da Guerra Civil Afegã (1996–2001), o Uzbequistão lançou ataques aéreos contra posições do Taliban em suporte a Aliança do Norte. Em 6 de junho de 2001 um Su-24 da UzAF foi abatido durante uma missão de ataque a uma unidade de infantaria armada do Taliban perto de Heiratan, matando o piloto e controlador.[17] [18]

Segunda Guerra da Chechênia (1999-2000)[editar | editar código-fonte]

O Su-24 foi altamente utilizados durante a Segunda Guerra na Chechênia. A variante de segunda geração Su-24M Fencer-D foi disposta com um novo sistema de navegação, ataque e busca de alvo a laser; o que possibilitava uso de armas mais avançadas de precisão. A escolha esteve atrelada diretamente ao sucesso da aeronave na Primeira Guerra da Chechênia e necessidade de precisão e navegação nas condições climáticas.[16] [19]

Teve uso tanto de armas de precisão quanto bombas não guiadas, sendo utilizado em altas altitudes e velocidades, apresentado excelentes capacidades táticas de bombardeiro pela capacidade de encontrar alvos por infravermelho. Contudo, era medíocre para ataque e combate aproximado devido a visibilidade do cockpit e mobilidade; missão proposta ao Su-25.[16] [20]

Operadores[editar | editar código-fonte]

Operadores militares do Su-24:
  Operadores
  Ex-operadores
 Angola

A Força Aérea Nacional de Angola possui um Su-24 em 2016.[21]

 Argélia
Força Aérea da Argélia possui pelo menos 34 Su-24 em seu inventário. Estão sobre processo de modernização para a versão M/MK.[22] [23] [24]
 Azerbaijão
Possui 2 Su-24 em 2016.[25]
Cazaquistão
Força Aérea do Cazaquistão possui 25 Su-24 em serviço.[26]
 Irão
Força Aérea do Irã – possuía 30 Su-24MKs em serviço em janeiro de 2013.[27] [28] 24 exemplares foram recebidos do Iraque durante a Guerra do Golfo e colocados em serviço pela IRIAF. O Irã testou a produção domestica, mísseis anti-radar carregados pelo Su-24 em setembro de 2011.[29]
 Rússia
Força Aérea Russa possuía 370 Su-24 em serviço em 2011, sendo 251 Su-24Ms, 40 Su-24M2s e 79 Su-24MRs.[30] A Marinha Russa tinha 18 em serviço em 2012.[31] Os Su-24 passaram por pesada atualização por parte do programa russo de modernização de frota, estão sendo substituídos progressivamente pelo Sukhoi Su-34.[32] [33] .
 Síria
Força Aérea Síria possuía 20 em serviço em 2013. Devido a Guerra Civil Síria, não há número exatos de quantos foram perdidos e estão ativos atualmente.[27] Todos o Su-24 sírios foram atualizados para a versão Su-24M2, com pelo menos 12 unidades em operação.[34]
Sudão
Adquiriu exemplares de Su-24 da Bielorrússia em 2013.[35] Estima-se que tenha 4 unidades em 2016.[36]
 Ucrânia
Força Aérea Ucraniana recebeu 120 Su-24 devido o colapso da União Soviética, possuindo 25 unidades em serviço. Está incluído na sétima divisão armada de aviação tática da Ucrânia.[37] [38]
 Uzbequistão
Possui 23 Su-24 e 11 Su-24MK no ano de 2015.[39]

Ex-operadores[editar | editar código-fonte]

 Bielorrússia
Possuía 23 Su-24M e Su-24MK 12 em 2010[40] .</ref> Em 2012 o Ministro da Defesa da Bielorrússia, Yuri Zhadobin, anunciou a retirada dos bombardeiros e sua subsequente venda.[41] .
 Iraque
Destruídos na Guerra do Golfo e Guerra do Iraque.
 Líbia
Possuía 6 exemplares de Su-24MK antes de 2010. Todos foram destruídos na Guerra Civil Líbia (2011).

Ficha Técnica (Su-24MK)[editar | editar código-fonte]

Sukhoi,[1] Combat Aircraft since 1945[3]

Características Gerais[editar | editar código-fonte]

  • Tripulação: 2 (piloto e operador de armamentos).
  • Comprimento: 22.53 m (73 ft 11 in).
  • Envergadura: 17.64 m estendido, 10.37 m em fechamento máximo.
  • Altura: 6.19 m (20 ft 4 in).
  • Área alar: 55.2 m² (594 sq ft).
  • Peso vazio: 22,300 kg (49,165 lb).
  • Peso c/ carga máx.: 38,040 kg (83,865 lb).
  • Peso máx. à decolagem: 43,755 kg (96,505 lb).
  • Motor: 2 × Saturn/Lyulka AL-21 turbojatos
    • Empuxo seco: 7 790 kgf (76 400 N)
    • Empuxo em pós-combustão: 11 196 kgf (110 000 N)

Performance[editar | editar código-fonte]

  • Velocidade máxima: 1,315 km/h (Mach 1.08) ao nível do mar, 1,654 km/h (Mach 1.35) em altitude.
  • Raio de ação: 615 km em baixa altitude, carregado com 3000kgs e tanques externos.
  • Teto de serviço: 11,000 m (36,090 ft).
  • Taxa de subida: 150 m/s (29,530 ft/min).

Armamentos[editar | editar código-fonte]

  • Até 8.000 kg (17.640 lb) em 8 pontos, incluindo até 4 × mísseis rádio comandados Kh-23/23M; até 4 × mísseis guiados a laser Kh-25ML; até 2 × Kh-28, Kh-58E ou Kh-58E-01 ou Kh-31P ARMS; até 3 × mísseis ar-solo de curto alcance guiado a laser/TV Kh-29L/T; até 2 × mísseis guiados por TV Kh-59 ou Kh-59ME, mísseis antiembarcações Kh-31A, mísseis guiados a laser S-25LD, mísseis guiados a TV KAB-500KR e bombas guiadas a laser KAB-500L.
  • Lançadores de foguete não guiados com foguetes de 240 mm S-24B ou 340 mm S-25-OFM.
  • Outras opções incluem bombas multi-propósito como a AB-100, AB-250 M54 ou M62 e AB-500M-54, bombas termobáricas ODAB-500M, bombas de fragmentação RBK-250 ou RBK-500, pequenos porões de carga KMGU-2, armas externas SPPU-6, tanques de combustível externos PTB-2.000 (1.860 l) ou PTB-3.000 (3.050 l) e bombas nucleares táticas.

Referências

  1. a b c d e f «Sukhoi Su-24 history». sukhoi.org. 15 de abril de 2007. Consultado em 28 de janeiro de 2011. 
  2. «Military aircraft prices». aeronautics.ru. Consultado em 5 de março de 2011. [ligação inativa]
  3. a b Wilson 2000, p. 130.
  4. «Putin se vinga do Ocidente oferecendo jatos Sukhoi Su-24 à Argentina». Poder Aéreo. Aereo.jor.br. 
  5. «Su-24M Fencer Bomber, Russia». Airforce-technology.com. 
  6. «Conheça o caça russo Su-24M». Br.sputniknews.com. 24 de novembro de 2015. 
  7. Alex, Dan (24 de novembro de 2015). «Sukhoi Su-24 (Fencer) Long Range Strike / Attack Aircraft (1974)». Militaryfactory.com. 
  8. John Pike. «Uzbekistan- Air Force». Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  9. Human Rights in Tajikistan [S.l.: s.n.] Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  10. «World: Asia-Pacific - Explosions anger Tajikistan». BBC News [S.l.: s.n.] 17 de agosto de 1999. Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  11. THOMAS. Timothy L. Air Operations in Low Intesity Conflict: The case of Chechnya. www.airpower.maxwell.af.mil/airchronicles/apj/apj97/win97/thomas.pdf
  12. Michael Coffey. «Military Learning Between the Chechen Wars». SRAS - The School of Russian and Asian Studies. 
  13. Anne C. Aldis and Roger N. McDermott Eds., Russian Military Reform 1992-2002 (London.: Frank Cass, 2003), p. 152.
  14. Novichkov (Junho de 1995). «Frontal and Army Aviation in the Chechen Conflict». Chechnya Weeky. Consultado em 9 de abril de 2016. 
  15. Evans. Robert D. Russian Airpower in the Second Chechen War. School of Advanced Military Studies. United States Army. Command and General Staff College. Fort Leavenworth, Kansas. P.11
  16. a b c «Su-24 Operations». Globalsecurity.org. 
  17. Cooper, Tom; Troung; Koelich, Marc (10 February 2008). «Afghanistan, 1979–2001; Part 2». ACIG. Consultado em 23 de dezembro de 2014. 
  18. Lewis, Paul (2 de outubro de 2001). «Russia opens way for US attack». Flight Global. Consultado em 23 de dezembro de 2014. 
  19. Evans, Robert D. Russian Airpower in the Second Chechen War. P. 30-31
  20. Evans, Robert D. Russian Airpower in the Second Chechen War. P. 31-32
  21. The Military Balance 2016. p.-430
  22. «Su-24 Fencer - REDSTARS». red-stars.org (em francês). Consultado em 24 de novembro de 2015. 
  23. John Pike. «Algeria - Air Force - Equipment». Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  24. Niels Hillebrand. «Sukhoi Su-24 Fencer». Milavia. Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  25. The Military Balance 2016. p.-180
  26. "World Air Forces 2015 pg. 21"
  27. a b «2013 Aerospace». Aviation Week and Space Technology [S.l.: s.n.] janeiro de 2013. 
  28. The Military Balance 2010. p.-253
  29. «Su-24 front-line bomber». airforceworld.com. setembro de 2011. Consultado em 5 de outurbro de 2011. 
  30. «Наука и техника: ВВС России ускорят модернизацию бомбардировщиков Су-24» [Ciência e tecnologia: a Força Aérea Russa vai acelerar a modernização dos bombardeiros Su-24]. Lenta.ru (em russo). 21 de outubro de 2011. Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  31. The Military Balance 2012, p. 200.
  32. Velovich, Alexander (25 de Janeiro de 2010). «Reorganization Nears Completion, But Russian Industry Still Has Far To Go». Aviationweek.com. 
  33. «Russia producing new Su-34 bombers». United Press International [S.l.: s.n.] 14 de Janeiro de 2008. 
  34. The Military Balance 2016. p.-356
  35. Cenciotti, David (19 de agosto de 2013). «Sudan gets second hand Belarusian Su-24 Fencer attack planes. And here are some photos.». The Aviationist [S.l.: s.n.] Consultado em 14 de novembro de 2014. 
  36. The Military Balance 2016. p.-471
  37. «Су-24» [O Su-24]. mil.in.ua (em ucraniano). Arquivado desde o original em 18 de maio de 2011. Consultado em 24 de novembro de 2015. 
  38. The Military Balance 2016. p.-206
  39. The Military Balance 2015. p.-204
  40. The Military Balance 2010. P.-178
  41. «Бомбардировщики Су-24 выведены из состава Вооруженных Сил Беларуси» Белорусское телеграфное агентство [S.l.] 2012-02-21. Consultado em 2015-12-05. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Antonov, Vladimir, et al. Okb Sukhoi: A History of the Design Bureau and Its Aircraft. Leicester, UK: Midland, 1996. ISBN 1-85780-012-5.
  • Eden, Paul (: ). The Encyclopedia of Modern Military Aircraft (London: Amber Books, 2004). ISBN 1-904687-84-9. 
  • Gordon, Yefim. Sukhoi Su-24 (New York: IP Media, Inc., 2005). ISBN 1-932525-01-7. 
  • Wilson, Stewart. Combat Aircraft since 1945. Fyshwick, Australia: Aerospace Publications, 2000. ISBN 1-875671-50-1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sukhoi Su-24
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.