Super Clássico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Superclássico: Sampaio Corrêa x Moto Club
NOVO ESCUDO SAMPAIO CORRÊA.pngMoto Club logo.png
Sampaio Corrêa 183 vitória(s), 705 gol(s)
Moto Club 203 vitória(s), 730 gol(s)
Empates 224
Total de jogos 610
Total de gols 1 435
editar

Moto Club versus Sampaio Corrêa é o maior clássico do município de São Luís e do estado do Maranhão. O confronto é chamado pela imprensa e pela torcida maranhense de Superclássico, sendo também conhecido como Papão contra Tubarão ou Sam-moto mascotes respectivos do Moto e do Sampaio. O duelo reúne os times com o maior número de títulos e com o maior número de torcedores do estado. [1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O primeiro confronto e a maior goleada do Tubarão[editar | editar código-fonte]

O primeiro confronto entre as duas equipes foi realizado dia 14 de julho de 1940, quando o Sampaio goleou por 7 x 2, pelo Campeonato Maranhense sendo a maior goleada da Bolívia, frente ao estreante do Campeonato Maranhense de 1940, partida realizada no campo da Rua Oswaldo Cruz. Sampaio atuou com Caranguejo, Chico e Tarrindo; Dequinha, Clarindo e Jaime; Beneditino, Zambeta, Mascote, Leocádio e Manoelzinho; Moto Clube - Zé Neves; Zezinho e Cojuba; 91, Bá e Mozabar; Belfort e Elvitre; Djalma, Cecílio e Aderson. Marcaram para o Sampaio: Beneditino (4 gols), Zambeta, Manoelzinho e Mascote, descontando para o Moto Clube: Belfort e Aderson (Moto Clube).

Maior Goleada Rubro Negra[editar | editar código-fonte]

Maior goleada do Moto Club aconteceu em 1953 vitória por 9 á 3 no Estádio Nhozinho Santos, pelo Torneio Municipal com gols de Nabor(duas vezes), Casquinha(duas vezes), Hamilton (duas vezes) e Ronaldo e Massaud marcando os três gols bolivianos. Moto atuou com Aluísio; Baé, Homena, Carvalho e Português; Ananias e Ronaldo; Zezico, Hamilton, Laxinha e Nabor. O treinador era o saudoso Rinaldi Maia.

Maiores Públicos[editar | editar código-fonte]

Maiores públicos foram 95.000 pessoas no ano de 1987 pelo Campeonato Maranhense, no dia 28 de julho de 1998 : 75.000 o público também pelo estadual e 65.000 pelo estadual de 2001.

Estádios[editar | editar código-fonte]

Os clássicos entre Moto Club e Sampaio Corrêa geralmente são disputados no Estádio Castelão, de propriedade do Governo do Maranhão. Quando este não pode ser utilizado, os jogos são realizados no Estádio Municipal Nhozinho Santos. Ambas as equipes não possuem estádio.

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Na Série C de 2017, a rivalidade entre as duas agremiações foi destaque nacional. O Sampaio Corrêa, que mais tarde conquistaria o acesso à Série B, perdeu em casa para o Botafogo-PB, resultado que acabou rebaixando o Moto de divisão, uma vez que o time rubro-negro havia sido derrotado pelo Fortaleza no Ceará.
A derrota da Bolívia Querida gerou uma série de questionamentos, pois o Papão do Norte chegou a alegar que o rival havia perdido propositalmente para prejudicá-lo. Porém, nada foi de fato constatado. O certo é que o Moto Club acabou amargando o rebaixamento e o Sampaio Corrêa foi promovido à Série B 2018, um ano após seu descenso.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

2. Associação dos Cronistas e Locutores Esportivos do Maranhão: http://www.aclem.com.br/2014/03/moto-e-sampaio-se-enfrentarao-domingo.html


Soccer stub.svg Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.