Super Mario Bros. 3

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Super Mario Bros. 3
Super Mario Bros. 3 coverart.png
Super Mario Bros. 3
Produtora Nintendo
Editora(s) Nintendo
Plataforma(s) NES/Famicom
Data(s) de lançamento Japão 23/10/1988
Estados Unidos 12/02/1990
União Europeia 1991
Austrália 1992
Gênero(s) Plataforma
Modos de jogo Um jogador, multijogador
Número de jogadores 1 ou 2
Classificação ESRB Everyone (6+)
Média Cartucho (3 megabits)
Controles Joystick

Super Mario Bros. 3 (também conhecido como SMB3) é o último jogo da série lançado pela Nintendo para seu console de 8 bits conhecido como Famicom no Japão e NES no resto do mundo. O jogo foi dirigido por Shigeru Miyamoto, um dos designers de jogos mais famosos do mundo e foi lançado no Japão no dia 23 de outubro de 1988. O lançamento americano só aconteceu quase dois anos mais tarde no dia 12 de fevereiro de 1990.[1]

Super Mario Bros. 3 mostrou tudo que o console da Nintendo podia oferecer - uma trilha sonora afinada, jogabilidade perfeita, gráficos bonitos e cenários bem trabalhados. O resultado foi um grande sucesso comercial. Super Mario Bros. 3 vendeu quase 18 milhões de cópias no mundo todo, sendo assim o jogo individual (sem ser vendido junto com um console) mais vendido da história dos videogames.[2] [3]

História[editar | editar código-fonte]

Neste jogo, o Reino dos Cogumelos está passando por um longo período de paz graças aos esforços dos irmãos Mario e Luigi. Entretanto, o reino forma uma entrada para o Mundo dos Cogumelos onde as coisas não vão bem. Bowser enviou seus sete filhos para este mundo para que eles fizessem as travessuras que quisessem. Lá, eles roubaram os cetros mágicos reais de cada país daquele mundo e transformaram os seus reis em animais. Para fazer com que tudo volte ao normal, Mario e Luigi devem recuperar os cetros mágicos e fazer com que os reis voltem ao normal. Para isso, eles contarão com a ajuda da Princesa Peach, que se comunica com eles através de cartas.

Só que no final, é revelado que isso tudo era um truque para que Bowser sequestrasse a Princesa Peach, já que ele capturou-a enquanto Mario e Luigi estavam ocupados.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Para os jogadores americanos, que tiveram um versão especial do jogo Super Mario Bros. 2, essa terceira versão é marcada pelo retorno da jogabilidade clássica da série. Novamente o jogador deverá pular sobre os adversários para derrota-los, como também pode assumir novas formas usando itens especiais. Não limitando-se apenas a retornar ao velho estilo, SMB3 adiciona novos elementos a jogabilidade: uma série de novos itens, quebra-cabeças, novos inimigos, áreas secretas e uma dificuldade maior.

Ao invés de apenas pular de uma fase para outra, agora Mario viaja pelo Reino dos Cogumelos usando um mapa com diversos caminhos, deixando o jogador à vontade para selecionar a ordem das fases ou até mesmo ignorar algumas delas. Enquanto o jogador esta nesse mapa pode ganhar itens especiais que são guardados no seu inventário e podem ser usados entre as fases.[4]

Mundos[editar | editar código-fonte]

Aqui estão os "mundos" do Super Mario Bros. 3 (SMB3), cada mundo é uma região de fases (níveis) do jogo:

  • Mundo 1: Grass Land
  • Mundo 2: Desert Land ou Desert Hill
  • Mundo 3: Water Land ou Sea Side
  • Mundo 4: Giant Land ou Big Island
  • Mundo 5: Sky Land ou The Sky
  • Mundo 6: Ice Land ou Iced Land
  • Mundo 7: Pipe Land ou Pipe Maze
  • Mundo 8: Dark Land ou Castle of Koopa
  • Mundo 9: Warp Zone

O jogo tem no total 88 fases divididas em 8 mundos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Super Mario Bros. 3 é considerado por muitos o melhor jogo da série e também a obra-prima feita pela Nintendo para NES/Famicom. O jogo também é frequentemente listado como um dos melhores jogos para videogames de todos os tempos.

Alguns meses antes do seu lançamento nos Estados Unidos o jogo aparece no filme The Wizard (no Brasil "O gênio do videogame") como sendo a prova final em uma competição de videogames. No filme Beethoven de 1992 existe uma cena onde dois garotos aparecem jogando Super Mario Bros. 3.

Uma versão de Super Mario Bros. 3 com melhoras gráficas e sonoras foi lançada para o console de 16 bits SNES em 1993. Essa versão é parte da coletânea Super Mario All-Stars que traz versões melhoradas de todos os jogos da série. Em 2003 uma versão similar a existente em Super Mario All-Stars foi lançada para o portátil Game Boy Advance com o título de Super Mario Advance 4: Super Mario Bros. 3.

O jogo recebeu nota 9,5 em IGN.[5]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Super Mario Bros. 3 foi um sucesso comercial e se tornou um dos jogos mais vendidos da indústria dos videogames.[21] a sua inclusão no The Wizard serviu como um preview e gerou um alto nível de expectativa nos Estados Unidos antes de seu lançamento.[6] Em 1993, o jogo tinha vendido respectivamente 4 e 7 milhões de unidades no Japão e nos Estados Unidos. Nos Estados Unidos, sozinho o jogo gerou mais US$ 500 milhões em receita para a Nintendo.

O Game Informer informou em sua edição de outubro de 2009 que a versão do Console tinha vendido 1 milhão de cópias.

Em 2008, a Guinness World Records listou o jogo como o jogo individual mais vendido da história dos videogames a partir de um sistema e relatou as vendas mundiais de mais 18 milhões de cópias, incluindo os ports.[7]

Remakes[editar | editar código-fonte]

O jogo foi portado para vários outros consoles da Nintendo. Foi incluído em 1993 no game do SNES, Super Mario All-Stars, uma compilação de remakes de jogos do Super Mario do NES caracterizado pelas atualizações nos gráficos e no som[8] . e que também mais tarde foi lançado para o Wii em 2010[9] . E em uma versão de Game Boy Advance, Super Mario Advance 4: Super Mario Bros 3, foi lançado em 2003. Esta versão apresenta suporte para o Nintendo e-reader, que permite ao jogador acessar níveis adicionais armazenados nos cartões de leitor, além de som e gráficos atualizados.[10]

Super Mario Bros. 3 foi relançado como um título para download do Virtual Console em 2007 para o Wii e em 2014 para ambos os consoles Wii U e Nintendo 3DS. Estas versões suportam múltiplos controladores de console específico, como o Wii Remote ou Wii U GamePad e permitam aos jogadores para salvar progresso com o uso de save states.[11]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • A ilha que se encontra à direita do terceiro mundo tem o formato do mapa do Japão, e a posição do castelo que se encontra nesta ilha parece representar Kyoto (devido a localização), que é a capital que sedia a matriz da Nintendo[12] .

Referências

  1. GameFAQs
  2. GamesRadar - Why Super Mario Bros 3 is one of the greatest games ever made
  3. GameCubicle
  4. Nintendo.com.au
  5. IGN - Super Mario Bros. 3 Review
  6. Roush, George (June 18, 2008). Watching The Wizard IGN. Visitado em January 25, 2009.
  7. In: Craig Glenday. Guinness World Records Gamer's Edition 2008. [S.l.]: Guinness World Records Limited, 2008. p. 110. ISBN 978-1-904994-20-6
  8. "Super Mario All-Stars for SNES: Release Summary". GameSpot
  9. Yeung, Karlie (October 28, 2010)
  10. Davis, Ryan (October 17, 2003). "Super Mario Advance 4: Super Mario Bros. 3 Review"
  11. Provo, Frank (December 19, 2007). "Super Mario Bros. 3 Review". GameSpot. Archived from the original on February 8, 2009. Retrieved January 27, 2009.
  12. reinodocogumelo.com World 3 de Super Mario Bros. 3... é o mapa do Japão!