Super Smash Bros. Melee

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Super Smash Bros. Melee
Arte da capa norte-americana do jogo.
Desenvolvedora(s) HAL Laboratory
Publicadora(s) Nintendo
Diretor(es) Masahiro Sakurai
Produtor(es) Masayoshi Tanimura
Hiroaki Suga
Shigeru Miyamoto
Kenji Miki
Projetista(s) Hitoshi Kobayashi
Programador(es) Yoshiki Suzuki
Compositor(es) Hirokazu Ando
Tadashi Ikegami
Shogo Sakai
Takuto Kitsuta
Série Super Smash Bros.
Plataforma(s) Nintendo GameCube
Lançamento
  • JP 21 de novembro de 2001
  • AN 3 de dezembro de 2001
  • EU 24 de maio de 2002
Gênero(s) Luta
Modos de jogo Um jogador
Multijogador
Super Smash Bros.
Super Smash Bros. Brawl

Super Smash Bros. Melee, chamado no Japão de Super Smash Bros. DX (大乱闘スマッシュブラザーズDX Dai Rantō Sumasshu Derakkusu?), é um jogo eletrônico de luta crossover desenvolvido pela HAL Laboratory e publicado pela Nintendo. É o segundo jogo da série Super Smash Bros. e foi lançado exclusivamente para Nintendo GameCube em 21 de novembro de 2001 no Japão, 3 de dezembro de 2001 na América do Norte e 24 de maio de 2002 na Europa. O jogo é centrado nas batalhas entre os personagens das franquias de jogos eletrônicos da Nintendo como Mario, The Legend of Zelda ou Pokémon.

Melee inclui todos os personagens do primeiro jogo, mas também adiciona personagens de outras franquias, como Fire Emblem, dos quais nenhum jogo havia sido lançado fora do Japão na época. A jogabilidade de Melee oferece uma abordagem não ortodoxa para o gênero dos jogos de luta, com um contador que mede o dano com porcentagens crescentes, representando o knockback que o personagem terá, em vez de uma barra de pontos de vida que diminui, vista na maioria dos jogos de luta. Após a popularidade de sua jogabilidade multijogador, o Melee foi apresentado em muitos torneios competitivos e é um dos jogos de luta competitivos mais populares.

Super Smash Bros. Melee recebeu elogios da crítica, além de vários prêmios e reconhecimentos de várias publicações, inclusive, sendo considerado um dos melhores jogos já feitos. Conseguiu fortes vendas após o seu lançamento, tornando-se o título mais vendido do GameCube, com mais de sete milhões de cópias vendidas em 2008. Super Smash Bros. Melee foi seguido por Super Smash Bros. Brawl para o Wii no mesmo ano.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Assim como no primeiro jogo, Super Smash Bros. Melee tem uma estrutura diferente comparada aos jogos tradicionais de luta: o objetivo é lançar os oponentes para fora dos limites do estágio.[1] Os ataques realizados dão danos de valores diferentes. Caso o dano desse ataque seja suficiente, ele dará um knockback no oponente. A vida de cada personagem é medida usando uma porcentagem, que representa o dano que o oponente recebeu.[2] Quanto maior a porcentagem, maior é o knockback recebido pelo oponente, sendo mais fácil derrubá-lo do estágio, eventualmente resultando na morte dele.[3] Ao contrário da maioria dos jogos de luta, onde os ataques são baseados em combinações de múltiplos botões, a maioria dos ataques em Super Smash Bros. Melee podem ser realizados apenas com um botão e/ou uma movimentação no analógico.[4]

Durante as batalhas, itens relacionados com as franquias da Nintendo cairão no estágio. Podem ter várias funções, como dar dano ou recuperar a vida de um personagem.[5] Adicionalmente, a maioria dos estágios são relacionados com as franquias da Nintendo também, e são interativos. Apesar deles serem renderizados em três dimensões, apenas movimentos em duas dimensões são permitidos.[6] Também é possível coletar "troféus" (chamado de "Figuras" em japonês) de vários personagens e objetos relacionados com a Nintendo, ao longo do jogo.[7][8]

Modos de jogador[editar | editar código-fonte]

O jogo oferece tanto modos em um jogador como também modos em multijogador. Os modos aplicáveis variam do "Classic Mode", que envolve o jogador lutando contra vários oponentes e um personagem chefe,[9] até o "Home Run Contest", um minijogo que envolve o jogador tentando lançar um saco de areia o mais longe possível com um bastão de beisebol.[10] Alguns modos são personalizados para personagens específicos; por exemplo, o "Target Test" estabelece uma área especializada para cada personagem, na qual é necessário destruir dez alvos no menor tempo possível.[11]

Nos modos multijogador, até quatro jogadores ou robôs (CPUs) podem lutar no modo mata-mata ou em equipes separadas. Os robôs são divididos em nove níveis de dificuldade; quanto maior o nível, mais difícil é para derrotá-lo.[12][13] As opções são bem customizáveis, podendo ser escolhido até os tipos e/ou número de itens que podem aparecer na batalha.[14]

Personagens[editar | editar código-fonte]

Super Smash Bros. Melee contém vinte e cinco personagens (ou vinte e seis, se considerar Zelda e Sheik como personagens separados).[15] Inicialmente, quatorze personagens são jogáveis. Outros onze personagens podem ser desbloqueados, completando metas especificas. Todos os personagens são derivados de franquias da Nintendo.[16] Alguns personagens representam franquias famosas, mas outros representam franquias menos populares; Marth e Roy representam a série Fire Emblem, que, na época do lançamento, ainda não havia sido lançado fora do Japão.[17] A aparição dos personagens em Super Smash Bros. Melee aumentou a popularidade de Fire Emblem no ocidente.[18] Referências aos universos originais dos personagens aparecem no jogo; em um dos eventos do "Event Mode", Mario precisa derrotar Bowser para salvar a Princesa Peach.[19] Os personagens também têm ataques relacionados a seus universos, como o arsenal de armas de Link.[20]

Desenvolvimento e lançamento[editar | editar código-fonte]

A HAL foi a desenvolvedora de Melee

A HAL Laboratory desenvolveu Super Smash Bros. Melee, com Masahiro Sakurai sendo o diretor. O jogo foi um dos primeiros a serem lançados para o GameCube, e marcou o avanço nos gráficos em comparação ao Nintendo 64. Os desenvolvedores queriam homenagear a estreia do console criando uma sequência FMV que atrairia a atenção das pessoas para os gráficos.[21] No site oficial da HAL, os desenvolvedores postaram imagens e informações marcando o avanço na física e nos detalhes do jogo em relação ao antecessor.[22] O jogo ficou em desenvolvimento por 13 meses, e Sakurai disse que seu estilo de vida na época era "destrutivo" sem feriados e com curtos fins de semana.[23] Ao contrário do experimento que foi o primeiro jogo da série, ele sentiu uma grande pressão para entregar um sucessor de qualidade, alegando que foi o "maior projeto que eu já levara até aquele momento". Apesar do doloroso ciclo de desenvolvimento, Sakurai orgulhosamente o chamou de "o jogo mais nítido da série... é muito bom jogá-lo", mesmo em comparação com seu sucessor, Super Smash Bros. Brawl.[23]

No site oficial do jogo, os desenvolvedores explicaram os motivos de tornar personagens específicos jogáveis; também explicaram porque alguns personagens não estavam disponíveis como personagens jogáveis logo após o lançamento. Inicialmente, o time de desenvolvimento queria colocar Lucas no lugar de Ness, por ele ser o personagem principal de Mother 3, mas manteram Ness para que o lançamento não fosse adiado.[24] O criador do jogo incluiu Lucas no jogo sucessor, Super Smash Bros. Brawl.[25] Marth e Roy foram inicialmente destinados a serem jogáveis exclusivamente na versão japonesa de Super Smash Bros. Melee. No entanto, eles receberam atenção favorável durante a localização norte-americana do jogo, levando à decisão dos desenvolvedores de incluí-los na versão norte-americana.[26][27]

Sakurai disse que o time de desenvolvimento havia sugerido personagens de quatro outros jogos para representar a era do Famicom/NES, até decidirem que Ice Climbers seria a escolha certa.[28] Os desenvolvedores perceberam que alguns personagens tem ataques muito parecidos com outros;[29] esses personagens são referidos como "clones" na mídia.[30]

A Nintendo apresentou o jogo na E3 2001 com uma demonstração jogável.[31] A próxima importante exposição ocorreu em agosto de 2001 na Spaceworld, novamente mostrando uma demonstração jogável, mas atualizada em relação à anterior. A Nintendo organizou um torneio no evento, onde um GameCube e uma cópia de Super Smash Bros. Melee eram os prêmios para o vencedor.[32] Antes do lançamento do jogo, o site oficial japonês incluiu atualizações semanais, incluindo imagens e informações de personagens.[33][34] A revista japonesa Famitsu relatou que a Nintendo exibia propagandas entre as exibições do filme Pokémon 4Ever em cinemas do Japão.[35] Em janeiro de 2003, o jogo começou a fazer parte do Player's Choice, uma marca usada pela Nintendo para promover jogos que tiveram mais de um milhão de cópias vendidas.[36] Em agosto de 2005, a Nintendo criou um bundle que incluia o jogo e um GameCube, por 99,99 doláres.[37]

Música[editar | editar código-fonte]

Smashing...Live!
Trilha sonora de New Japan Philharmonic
Gênero(s) Música de jogos eletrônicos
Duração 1:01:52
Gravadora(s) Enterbrain

Super Smash Bros. Melee contém tanto músicas novas como também músicas rearranjadas de múltiplas franquias da Nintendo. Em 2002, a Enterbrain lançou uma trilha sonora no Japão intitulada Dairantou Smash Brothers DX Orchestra Concert. A mesma trilha foi lançada em 2003 como Smashing... Live! como um bonus ao se inscrever à revista Nintendo Power, na América do Norte, ou ao se inscrever à Official Nintendo Magazine, no Reino Unido. A trilha em si não contém músicas pegas diretamente do jogo, mas sim, vários arranjamentos ao vivo da orquestra New Japan Philharmonic.[38] Parte das músicas do jogo são desbloqueáveis após fazer certas missões.[39] No site oficial japonês do jogo, os desenvolvedores postaram discussões sobre a música do jogo e a atuação de vozes entre Masahiro Sakurai e os compositores do jogo.[40]

Recepção[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Allgame 4.5 de 5 estrelas.[41]
Edge 6/10[42]
EuroGamer 10/10[43]
Famitsu 37/40[44][45]
GameSpot 8.9/10[46]
IGN 9.6/10[14]
Official Nintendo Magazine 95%[47]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic 92/100[48]

Em geral, Super Smash Bros. Melee recebeu elogios dos críticos que, em grande parte, creditaram a expansão da jogabilidade em relação ao primeiro jogo. Focando nas funcionalidades adicionais, a GameSpy comentou que "Melee ganha bem no departamento do 'nós adicionamos várias coisas extras boas'".[49] Críticos compararam o jogo favoravelmente com Super Smash Bros. Fran Mirabella III, da IGN, disse que o jogo estava "em uma liga totalmente diferente comparado à versão do 64";[14] Miguel Lopez da GameSpot elogiou o jogo por incluir um Classic Mode mais avançado comparado com o antecessor, mas detalhando que o Adventure Mode é "realmente uma experiência hit-or-miss".[46] Apesar das notas mistas em relação aos modos de um jogador, vários críticos disseram que o modo multijogador é um forte componente no jogo.[43][46][49] Em sua análise, a GameSpy declarou que "você terá muita dificuldade em encontrar uma experiência multijogador mais agradável em qualquer outro console".[49]

Os visuais de Melee tiveram avaliações positivas. A GameSpot louvou os modelos dos personagens e os fundos dos estágios, declarando que "os modelos de personagens são agradavelmente encorpados e a qualidade de suas texturas é incrível".[46] Fran Mirabella III da IGN elogiou a física, a animação e os gráficos do jogo, embora seu colega Matt Casamassina tenha dito que "alguns dos cenários não têm o brilho visual dos personagens" ao dar uma segunda opinião.[14]

Críticos elogiaram a música orquestrada do jogo;[14][46] Greg Kasavin da GameSpot comentou: "é brilhante".[46] GameSpy elogiou a música por seu efeito nostálgico, considerando a variedade de séries na qual as músicas foram baseadas.[49] Também elogiaram os controles simples,[43][14][49] mas sua "hiper-responsividade", com personagens correndo facilmente e movimentos precisos sendo difíceis de fazer, foi expressa como uma falha séria do jogo pela GameSpot.[46] Com uma crítica mais branda aos controles, Bryn Williams, da GameSpy, comentou que "o movimento e a navegação parecem um pouco sensíveis demais".[49] A base do sistema de jogabilidade de Melee é as batalhas entre os personagens da Nintendo, sugeridas como sendo excessivamente agitadas; N-Europe questionou se a jogabilidade não era "muito frenética?", mesmo gostando da variedade de modos oferecidos.[50] Similarmente, Clark Nielsen, da Nintendo Spin, disse que "Melee foi rápido demais para o seu próprio bem", e "habilidade era mais sobre apenas ser capaz de entender o que estava acontecendo, e não sobre realmente entrar no combate".[51] Em relação ao ritmo do jogo, o site Edge comentou que ele fez algumas funcionalidades (como a de bloqueio) redundantes, pois o jogador não tem tempo suficiente para reagir aos ataques.[42]

Apesar dos novos recursos adicionados ao jogo, algumas análises criticaram ele pela falta de originalidade e por serem muito similares ao seu antecessor. Caleb Hale da GameCritics notou que, apesar de ser "tão bom quanto seu antecessor do Nintendo 64", "o jogo não se expande muito além desse ponto".[52] Similarmente, a Edge declarou que "não é evolução; é reprodução", em referência à falta de inovação.[42] A natureza nostálgica do jogo recebeu uma reação positiva,[43] bem como os estágios e itens que fazem referência aos jogos anteriores da Nintendo.[50] Jornalistas saudaram a lista de 26 personagens da Nintendo,[43][49] bem como o sistema de troféus, que a Nintendo Spin rotulou como "um ótimo complemento para este jogo".[49][53]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Quando lançado no Japão, se tornou o jogo mais rapidamente vendido, com 358,525 cópias vendidas na semana acabada em 25 de novembro de 2001.[54] Esse sucesso continuou, com o jogo vendendo mais de um milhão de unidades apenas dois meses após seu lançamento, tornando-o o primeiro título do GameCube a atingir um milhão de cópias.[55] O jogo também vendeu bem na América do Norte, onde vendeu em torno de 250 mil cópias em nove dias.[56] Nos Estados Unidos, Super Smash Bros. Melee foi o décimo nono jogo mais vendido de 2001 de acordo com a NPD Group.[57][58] Em julho de 2006, já havia vendido 3,2 milhões de cópias e rendeu 125 milhões de dólares apenas nos Estados Unidos. A revista Next Generation classificou-o como o quinto jogo mais vendido da sexta geração entre janeiro de 2000 e julho de 2006 no país.[59] Aproximadamente 4,06 milhões de cópias foram vendidas no país, em 27 de dezembro de 2007.[60] Com uma proporção de software para hardware de 3:4,[54] alguns atribuíram o aumento das vendas do GameCube perto da data de lançamento ao jogo.[55] Super Smash Bros. Melee é o jogo mais vendido do GameCube, com mais de sete milhões de cópias vendidas mundialmente.[61] Foi estimado que, em um determinado momento, 70% de todos os proprietários de GameCube possuíam também o Melee.[62]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Várias publicações reconheceram "Super Smash Bros. Melee" em concursos e prêmios. A GameSpy escolheu o jogo como o melhor jogo de luta para o GameCube, em sua lista de melhores jogos de 2001.[63] A IGN o escolheu como o Jogo do Ano,[64] a Electronic Gaming Monthly escolheu-o como melhor jogo multijogador e melhor jogo de GameCube,[65] e a GameSpot o escolheu como o melhor jogo de GameCube e o décimo melhor jogo do ano.[66][67]

A GameFAQs, após uma votação, clasificou o jogo em sexto lugar entre os 100 melhores jogos de todos os tempos e ele ficou entre os quatro finalistas do concurso "Best. Game. Ever.".[68][69] Na edição número 200 da Electronic Gaming Monthly, os editores escolheram Melee como o nonagésimo segundo jogo mais influenciador em sua lista dos 200 melhores jogos de seu tempo, definindo Melee como "bilhões de coisas para desbloquear, além de Yoshi atacando Pikachu com um bastão".[70] A Nintendo Power nomeou Super Smash Bros. Melee como o décimo sexto melhor jogo a aparecer em um console da Nintendo,[71] e o escolheu como o Jogo do Ano de 2001. IGN nomeou-o como o terceiro melhor jogo do GameCube de todos os tempos em 2007, dizendo que o jogo é "o grande palco dos lutadores, assim como Mario Kart é para os fãs de corrida.[72] GameSpy o colocou na posição quatro em uma lista similar, citando que ele tem "melhores gráficos, melhor música, mais personagens, mais modos de jogo, mais segredos para descobrir" em relação ao anterior.[73] O jogo foi colocado na posição 58 na lista dos 100 melhores jogos da Nintendo da Official Nintendo Magazine.[74] Em 2019, a Game Informer classificou-o como o segundo melhor jogo de luta de todos os tempos.[75]

Competição profissional[editar | editar código-fonte]

O jogador Armada já ganhou mais de 300 mil dólares no total em sua carreira de jogador de Melee

Super Smash Bros. Melee é um jogo considerado largamente competitivo que já fez parte de múltiplos torneios.[62] Muitos consideram o jogo o mais viável da série, do ponto de vista competitivo.[76][77][78] De 2004 a 2007, a Major League Gaming patrocinou Melee em seu Pro Circuit.[79] Apesar de remover Melee em 2007, a MLG ainda patrocinou vários torneios como parte da Underground Smash Series. Melee também foi incluído na Evolution Championship Series (EVO) em 2007, um torneio de jogos de luta realizado em Las Vegas e foi realizado na EVO 2013 após uma votação de caridade para decidir o jogo final a ser apresentado em sua programação de torneios.[80][81]

Ken Hoang, conhecido como o "Rei do Smash" e considerado o melhor jogador de 2003 a 2006, já ganhou mais de cinquenta mil dólares em torneios Smash.[82][83][84] Em agosto de 2018, foi calculado que o jogador Armada ganhou mais de 300 mil dólares no total em torneios de Smash e mais de noventa mil dólares apenas em 2017,[85] sendo considerado uma das pessoas que mais ganharam na cena competitiva do Melee.[86]

A comunidade foi mostrada em um documentário crowd-funded de 2013, chamado The Smash Brothers. O filme relata a história dos jogadores Hoang, Azen, Mew2King, Isai, PC Chris, KoreanDJ e do ganhador da EVO 2013 e 2014 Mang0.[87][88]

Sucessores[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Super Smash Bros.

Em um comunicado de imprensa pouco antes da E3 2005, a Nintendo anunciou o sucessor de Melee: Super Smash Bros. Brawl.[89] O presidente da Nintendo na época, Satoru Iwata, pediu para que Masahiro Sakurai fosse o diretor do jogo.[90] Apesar de ter uma jogabilidade relativamente mais lenta que a do Melee, o jogo retém a maior parte da jogabilidade antecessores e ainda conseguindo adicionar novos elementos importantes, como um modo de um jogador mais substancial e a utilização do Nintendo Wi-Fi Connection.[91] O jogo permite o uso do Wii Remote, do Nunchuk, do controle do Gamecube, e do Classic Controller.[92] Assim como Melee, o jogo referencia outras franquias e universos.[93][94] Há estágios e músicas de Melee que estão presentes em Brawl.[95] O quarto jogo da série, que é dividido em duas plataformas, Super Smash Bros. for Nintendo 3DS e Wii U, foram lançados em 2014 para o Nintendo 3DS e o Wii U respectivamente.[96][97][98][99] O quinto jogo, Super Smash Bros. Ultimate foi lançado em dezembro de 2018 para o Nintendo Switch.[100]

Referências

  1. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  2. «Super Smash Bros. Melee—Game Freaks 365». Game Freaks 365. 3 de dezembro de 2001. Consultado em 6 de maio de 2020. Arquivado do original em 6 de maio de 2008 
  3. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Introduction». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  4. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Basics». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  5. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Items». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  6. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Stages». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  7. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Trophies». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  8. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Secrets». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  9. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Classic Mode». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020. Cópia arquivada em 9 de dezembro de 2006 
  10. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Home Run Contest». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  11. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Target Test». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  12. Super Smash Bros. Melee instruction booklet (PDF). [S.l.: s.n.] p. 27 
  13. «Guides: Super Smash Bros. Melee previews—Yahooo». Yahoo. 27 de novembro de 2001. Consultado em 6 de maio de 2020. Arquivado do original em 5 de julho de 2008 
  14. a b c d e f Mirabella III, Fran (3 de dezembro de 2001). «IGN: Super Smash Bros Melee review». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  15. «Character roster» (em japonês). Nintendo. Consultado em 6 de fevereiro de 2008 
  16. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee–Characters». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  17. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Marth». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  18. Prandoni, Claudio (21 de abril de 2020). «Como Smash Bros. ajudou a trazer Fire Emblem para o ocidente». The Enemy. Consultado em 22 de maio de 2020 
  19. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee—Events». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  20. Mirabella III, Fran; Peer Schenider; Craig Harris. «Guides: Super Smash Bros. Melee–Link». IGN. Consultado em 6 de maio de 2020 
  21. «Smash Bros. FMV Explained». IGN. 31 de agosto de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  22. «A Detailed Melee». IGN. 7 de setembro de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  23. a b George, Richard (8 de dezembro de 2010). «Super Smash Bros Creator: "Melee The Sharpest"». IGN 
  24. Sakurai, Masahiro (17 de julho de 2001). «Super Smash Bros. Melee» (em japonês). Nintendo. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  25. Sakurai, Masahiro (1 de outubro de 2007). «Super Smash Bros. Brawl—Lucas». Nintendo. Consultado em 24 de novembro de 2007. Arquivado do original em 24 de novembro de 2007 
  26. Sakurai, Masahiro (15 de janeiro de 2002). «Super Smash Bros. Melee—Roy» (em japonês). Nintendo. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  27. Sakurai, Masahiro (14 de dezembro de 2001). «Super Smash Bros. Melee—Marth» (em japonês). Nintendo. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  28. Sakurai, Masahiro (9 de outubro de 2001). «Super Smash Bros. Melee—Ice Climbers» (em japonês). Nintendo. Consultado em 24 de novembro de 2007. The four games considered were Balloon Fight ("the balloon would be easily blown"), Urban Champion ("seem too small"), Clu Clu Land ("they know how to fight?") and Excitebike ("would have to jump") 
  29. «Roy» (em japonês). Nintendo. 15 de janeiro de 2002. Consultado em 11 de janeiro de 2008 
  30. «IGN: Super Smash Bros. Melee». IGN. 10 de janeiro de 2002. Consultado em 11 de janeiro de 2008. Arquivado do original em 9 de maio de 2008 
  31. «IGN: E3: Hands-on Impressions for Super Smash bros Melee». IGN. 17 de maio de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  32. «IGN: Spaceworld 2001: Super Smash Bros Melee hands-on». IGN. 25 de agosto de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  33. «Super Smashing Moves». IGN. 19 de julho de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  34. «Super Smash Bros. Melee» (em japonês). Nintendo. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  35. «Nintendo kicks-off GameCube hype in Japan». IGN. 12 de julho de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  36. «Nintendo Expands Player's Choice Line-up». IGN. 23 de janeiro de 2003. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  37. Casamassina, Matt (7 de julho de 2005). «Super Smash Bros. Bundle». IGN. Consultado em 24 de novembro de 2007 
  38. Wachman, Dylan (21 de agosto de 2005). «Smashing…Live! Review». Sputnik Music. Consultado em 15 de março de 2008 
  39. «Attending hidden manipulation» (em japonês). Nintendo. 25 de janeiro de 2002. Consultado em 10 de janeiro de 2008 
  40. «Discussions music staff» (em japonês). Nintendo. 18 de janeiro de 2002. Consultado em 10 de janeiro de 2008 
  41. Frankle, Gavin. «Super Smash Bros. Melee Review». AllGame. Consultado em 6 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2014 
  42. a b c «Super Smash Bros. DX review». Edge (106): 89. Janeiro de 2002 
  43. a b c d e Bramwell, Tom (23 de maio de 2002). «Super Smash Bros Melee//GC//Eurogamer». Eurogamer. Consultado em 14 de dezembro de 2007 
  44. ニンテンドーゲームキューブ - 大乱闘スマッシュブラザーズDX. Weekly Famitsu. No.915 Pt.2. Pg.96. 30 de junho de 2006.
  45. «Geimen» (em japonês). Geimen. Consultado em 14 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 22 de abril de 2006 
  46. a b c d e f g Lopez, Miguel (1 de dezembro de 2001). «Super Smash Bros Melee for GameCube review—GameSpot». GameSpot. Consultado em 14 de dezembro de 2007 
  47. «Rated GameCube». Official Nintendo Magazine (1). Março de 2006 
  48. «Super Smash Bros. Melee for GameCube Reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 14 de julho de 2013 
  49. a b c d e f g h Williams, Bryn (3 de dezembro de 2001). «Super GameSpy: Smash Bros Melee review». GameSpy. Consultado em 14 de dezembro de 2007 
  50. a b «N-Europe: Smash Bros :Melee review». N-Europe. 11 de abril de 2001. Consultado em 15 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 25 de dezembro de 2008 
  51. Nielsen, Clark (27 de maio de 2007). «The Games We Hate». Nintendo Spin. Consultado em 24 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 11 de dezembro de 2008 
  52. Hale, Caleb (20 de fevereiro de 2002). «GameCritics.com: Smash Bros :Melee review». GameCritics.com. Consultado em 15 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 31 de dezembro de 2007 
  53. Zuk, Michal (25 de abril de 2004). «Super Smash Bros Melee—Nintendo Spin». Nintendo Spin. Consultado em 23 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 4 de julho de 2007 
  54. a b «Smash Bros. Melee hot in Japan». IGN. 29 de novembro de 2001. Consultado em 21 de dezembro de 2007 
  55. a b «Smash Bros. Melee "Million" in Japan». IGN. 16 de janeiro de 2002. Consultado em 21 de dezembro de 2007 
  56. Satterfield, Shane (14 de dezembro de 2001). «Nintendo announces more sales figures». GameSpot. Consultado em 21 de dezembro de 2007 
  57. «Annual 2001 Video Game Best-Selling Titles». NPDFunworld. NPD Group. Consultado em 12 de março de 2008. Cópia arquivada em 27 de junho de 2002 
  58. «Annual 2001 Video Game Best-Selling Titles». NPDFunworld. NPD Group. Consultado em 12 de março de 2008. Cópia arquivada em 24 de abril de 2003 
  59. Campbell, Colin; Keiser, Joe (29 de julho de 2006). «The Top 100 Games of the 21st Century». Next Generation. Arquivado do original em 28 de outubro de 2007 
  60. «US Platinum chart games». The Magic Box. 27 de dezembro de 2007. Consultado em 21 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 21 de abril de 2007 
  61. «At Long Last, Nintendo Proclaims: Let the Brawls Begin on Wii!». Nintendo. 10 de março de 2008. Consultado em 15 de março de 2008. Arquivado do original em 14 de outubro de 2013 
  62. a b «Why 'Super Smash Bros. Melee' Is Still the King». Wenner Media. 5 de dezembro de 2016. Consultado em 5 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 30 de abril de 2017 
  63. «GameCube Fighting Game of the Year: Super Smash Bros. Melee». GameSpy. Consultado em 23 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2007 
  64. «Insider: Reader's Choice awards». IGN. 19 de janeiro de 2001. Consultado em 23 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2004 
  65. «2001 "Gamers' Choice Awards"». Ziff Davis. Electronic Gaming Monthly (153). Abril de 2002. ISSN 1058-918X. Cópia arquivada em 6 de março de 2008 
  66. «The Best and Worst of 2001: Best GameCube Game». GameSpot. Consultado em 23 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 9 de outubro de 2002 
  67. «The Best and Worst of 2001: The Top Ten Video Games of the Year». GameSpot. Consultado em 23 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2001 
  68. «Spring 2004: Best. Game. Ever.». GameFAQs. Consultado em 8 de março de 2008 
  69. «Fall 2005: 10-Year Anniversary Contest—The 10 Best Games Ever». GameFAQs. Consultado em 8 de março de 2008. Arquivado do original em 16 de julho de 2015 
  70. Semrad, Steve. «1UP 200 Greatest games of all time». 1UP. Consultado em 23 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 27 de setembro de 2007 
  71. «Top 200». Nintendo Power (200). Fevereiro de 2006 
  72. «The Top 25 GameCube Games of All Time». IGN. 16 de março de 2007. Consultado em 18 de março de 2007 
  73. «Top 25 GameCube Games of All-Time - #4: Super Smash Bros. Melee». GameSpy. 12 de agosto de 2005. Consultado em 13 de setembro de 2007 
  74. «100 Greatest Nintendo Games Ever». Official Nintendo Magazine (40): 07. Março de 2009 
  75. «What are the top 30 fighting games of all time? Game Informer offers their full list». 20 de abril de 2019 
  76. Myers, Andy (outubro de 2005). «Smash Takes Over». Nintendo Power. 196: 106 
  77. Beauchamp, Travis (2013). The Smash Brothers. EastPointPictures. Consultado em 27 de janeiro de 2015 
  78. Khan, Imad (13 de junho de 2014). «Will Wii U's 'Smash Bros.' win over the 'Melee' crowd?». The Daily Dot. Consultado em 27 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 13 de fevereiro de 2015. Right now, the competitive scene is still playing the 2001 GameCube release, Super Smash Bros. Melee. It's an excellent game, and rather amazingly suited for tournament play. The speed and mechanics allow for a lot of creativity. When Super Smash Bros. Brawl was released in 2008 for the Wii, players looked at it with confusion. It was too far removed from the fast and frantic play of Melee. 
  79. «2004 Events». Major League Gaming. 10 de setembro de 2006. Consultado em 14 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2009 
  80. «EVO 2008 Championship series—SSBM». EVO 2008. 5 de março de 2008. Consultado em 18 de março de 2008. Arquivado do original em 25 de março de 2014 
  81. «Fighting Game Fans Raise over $225,000 for Breast Cancer Research. Smash Wins!». 1 de fevereiro de 2013 
  82. Brown, Chris (10 de março de 2011). «Know Your Roots: Ken Gets Carried». Major League Gaming. Consultado em 18 de fevereiro de 2012 
  83. Dodero, Camille (21 de novembro de 2006). «The Next action sport». The Phoenix. Consultado em 3 de março de 2008. Arquivado do original em 9 de julho de 2016 
  84. Campbell, Sean (29 de maio de 2006). «Are they worth fighting for?». Got Frag. Consultado em 3 de março de 2008. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2012 
  85. «Armada - Adam Lindgren - Smash Player Profile». e-Sports Earnings. Consultado em 2 de setembro de 2018 
  86. «Super Smash Bros. Melee Prize Pools & Top Players». e-Sports Earnings. Consultado em 2 de setembro de 2018 
  87. Hernandez, Patricia (6 de outubro de 2013). «A Fascinating Look At The World's Best Super Smash Bros. Players». Kotaku. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  88. O'Neill, Patrick Howell (6 de outubro de 2013). «'The Smash Brothers' might be the best eSports documentary of all time». The Daily Dot. Consultado em 8 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2014 
  89. Casamassina, Matt (17 de maio de 2005). «E3 2005: Smash Bros. For Revolution». IGN. Consultado em 1 de dezembro de 2006. Arquivado do original em 15 de junho de 2006 
  90. «Smash Bros. Revolution Director Revealed». IGN. 16 de novembro de 2005. Consultado em 1 de dezembro de 2007 
  91. Bramwell, Tom (11 de maio de 2005). «Miyamoto and Sakurai on Nintendo Wii». Eurogamer. Consultado em 1 de dezembro de 2007 
  92. «Four Kinds of Control». Nintendo. 8 de junho de 2007. Consultado em 1 de março de 2008. Arquivado do original em 2 de março de 2008 
  93. Sakurai, Masahiro (23 de maio de 2007). «Link». Nintendo. Consultado em 1 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 30 de novembro de 2007 
  94. Sakurai, Masahiro (2 de junho de 2001). «Super Smash Bros. DOJO!!—Assist Trophies». Nintendo. Consultado em 18 de março de 2008. Arquivado do original em 16 de março de 2008 
  95. Sakurai, Masahiro (30 de novembro de 2007). «Melee Stages». Nintendo. Consultado em 12 de agosto de 2010. Arquivado do original em 22 de agosto de 2009 
  96. Schreier, Jason (21 de junho de 2013). «An In-Depth Chat With The Genius Behind Super Smash Bros.». Kotaku. Gawker Media. Consultado em 25 de abril de 2015 
  97. Karmali, Luke (7 de outubro de 2014). «Super Smash Bros. on Wii U Gets Release Date». IGN. Consultado em 7 de outubro de 2014 
  98. «『大乱闘スマッシュブラザーズ』"Miiファイター"参戦決定、『for Nintendo 3DS』発売日も決定!【E3 2014】» (em japonês). Famitsu. 11 de junho de 2014. Consultado em 11 de junho de 2014 
  99. Dyer, Mitch (10 de junho de 2014). «E3 2014: Super Smash Bros. for 3DS Delayed». IGN. Consultado em 10 de junho de 2014 
  100. Makuch, Eddie (12 de junho de 2018). «E3 2018: Super Smash Bros. Ultimate Release Date On Switch Announced». GameSpot (em inglês). Consultado em 7 de maio de 2020