Superboy (revista em quadrinhos)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Superboy
Superboy 62.jpg

As duas principais versões do personagem são atacadas pelo vilão "Zero Negro" na capa de Superboy #62, publicada em 1999
Editora DC Comics
Publicação
Formato de publicação Série regular
Qte. de edições Superboy (1949-1977):
230[nota 1]
Superboy (2010-2011):
11
Superboy (2011-2014):
35
Personagens "Superboy" em duas versões:
  • "Kal-El" (1949-1977, 1980-1984, 1989-1991)
  • "Kon-El" (1994-2002, 2010-2011, 2011-2014)

Superboy é uma revista em quadrinhos americana que foi publicada pela editora DC Comics, uma empresa ligada ao grupo Time-Warner, em diferentes oportunidades. Várias versões da revista já foram lançadas, as primeiras tendo como protagonista o super-herói Superman em sua adolescência, quando ainda era um "Superboy". A primeira destas revistas foi publicada entre 1949 e 1977, sendo uma das primeiras revistas derivadas do personagem. Entre 1980 e 1984, a série seria retomada sob o título The New Adventures of Superboy e, em 1989, após a estreia de uma série de televisão intitulada Superboy, a editora lançaria uma nova revista inspirada na série, apresentando aventuras relacionas aos episódios, distante da continuidade então estabelecida nas histórias em quadrinhos.

Após as minisséries Crise nas Infinitas Terras e The Man of Steel, a história cronológica de Superman foi reescrita, e sua história de origem alterada de forma que ele não mais teria atuado como super-herói durante a adolescência, eliminando o conceito de "Superboy" das histórias publicadas a partir dali. Durante a década de 1990, após um outro personagem de mesmo nome, um clone adolescente do super-herói Superman, seria criado por Karl Kesel e Tom Grummett em 1993 durante a história A Morte do Superman, e a revista seria relançada, tendo esse novo personagem como protagonista. Essa versão teria 100 edições regulares até 2002, quando foi descontinuada.

Em 2010, o clone seria protagonista de uma história curta na revista Action Comics, e, posteriormente, de uma nova revista, também intitulada Superboy. Em 2011, essa revista seria também descontinuada e substituída por uma nova versão com o relançamento de toda a linha de quadrinhos de super-herói da DC Comics. Com o relançamento, surgiria um terceiro personagem, "Jon Lane Kent", que também adotaria a alcunha de "Superboy", ainda que brevemente. Em 2014, após 34 edições, essa versão da revista também seria descontinuada.

Antecedentes e contexto[editar | editar código-fonte]

Histórico de publicação[editar | editar código-fonte]

1949-1970: Superboy[editar | editar código-fonte]

Superman convida o público a ler Superboy #01, de 1949

A primeira série apresentou a versão original do personagem "Superboy", uma versão adolescente do personagem Superman. Desde o surgimento do personagem, em More Fun Comics #101, a demanda por mais histórias crescia junto com a popularidade do "novo" personagem. A maioria das histórias tinham como cenário a cidade rural de Smallville durante a juventude do herói, mas eram também produzidas histórias de caráter humorístico retratando sua infância como "Superbebê".[1][2] O historiador Les Daniels comentaria, ao analisar as histórias em retrospecto:

Cquote1.svg Muitos das primeiros histórias de Superboy pareciam dedicadasa enaltecer a vida na América das pequenas cidades e as capas feitas [para a revista] faziam Smallville parecer uma terra dos sonhos, onde poucos problemas existiam...De fato, o início da revista poderia muito bem ser chamado de o Saturday Evening Post dos quadrinhos.[3] Cquote2.svg

O elenco de apoio incluía os pais adotivos de Superboy, Jonathan e Martha Kent, sua vizinha Lana Lang,[4] melhor amigo , Pete Ross , o Chefe da Polícia de Smallville "Chefe Parker", e o superpoderoso cão Krypto. Com exceção de Lex Luthor, cuja versão adolescente aparecia frequentemente como um adversário do "Garoto de Aço", quase nenhum dos vilões de destaque na revista Superman apareceriam em mais de uma história. "Fuzzy, o Rato de Krypton" apareceu em uma única história em Superboy #65 (junho de 1958),[5] e inspirou um similar personagem criado pelo escritor Art Baltazar em 2012.[6] O incompreendido vilão Bizarro estreou em Superboy #68 (Out. 1958).[7]

Durante o período conhecido como "Era de Prata" dos quadrinhos americanos, as histórias simples de Superboy eram bastante populares, e isso levaria a editora DC Comics a publicar histórias adicionais do personagem na revista Adventure Comics. Em 1962, Superboy já havia se tornado a segunda revista em quadrinhos mais vendida nos Estados Unidos, superada apenas por Superman em vendas.[8]

1971-1980: A ascensão da Legião dos Super-Heróis[editar | editar código-fonte]

A "Era de Prata" chegava ao fim, e o advento da "Era de Bronze" a partir da década de 1970, traria para a revista um novo grupo de coadjuvantes que se tornaria cada vez mais populares: a Legião dos Super-Heróis estrelou inicialmente uma série de histórias secundárias, publicadas após a trama de Superboy e geralmente com uma quantidade menor de páginas, a partir de Superboy #172 (Março de 1971). Nick Cardy foi o artista para a capa de Superboy #182-198 e 200-206.[9] Dave Cockrum começou a desenhar as histórias da Legião na revista a partir da edição #184 (abril de 1972), aumentando ainda mais a popularidade da equipe[10] ao ponto de, a partir da edição #197 (setembro de 1973), as capas da revista passarem a ter o título Superboy starring the Legion of Super-Heroes ("Superboy estrelando a Legião dos Super-Heróis"). Criadas por Cary Bates e Cockrum, as histórias da Legião na revista se tornariam cada vez mais populares, e retratariam eventos significativos como o casamento de Bouncing Boy e Duo Moça na edição #200 (Fevereiro de 1974).[11] Cockrum foi substituído na arte por Mike Grell a partir da edição #203 (agosto de 1974), que contou com a morte do Garoto Invisível.[12] A partir da edição #222 (Dec. 1976), a revista passou a se chamar "Superboy e a Legião dos Super-Heróis". O personagem Dawnstar foi introduzida na edição #226 (abril de 1977).[13] Destacou-se ainda "Earthwar", uma trama produzida pelo escritor Paul Levitz e pelos artistas James Sherman e Joe Staton em 1978 em Superboy e a Legião dos Super-Heróis #241-245 (julho-Novembro. 1978).[14] A popularidade da equipe ganhou tamanha proporção que, a partir da edição 259, o título da revista foi mudado para apenas Legião dos Super-Heróis (volume 2), e o Rapaz de Aço deixaria de aparecer regularmente na revista, deixando também de ser membro da equipe.


1980-1984: The New Adventures of Superboy[editar | editar código-fonte]

1989-1991: Superboy: The Comic Book[editar | editar código-fonte]

1994-2002: Kon-El no Havaí[editar | editar código-fonte]

A primeira revista a ter Kon-El como protagonista foi publicada originalmente entre 1994 e 2002, por um total de 100 edições. Kesel e Grummett foram os responsáveis também pelas primeiras edições da revista, notórias por retratar o jovem herói no Havaí, vivendo inúmeros romances e sendo levemente irresponsável (por exemplo, usando os óculos especiais que lhe possibilitavam uma "visão de raio-x" para ver mulheres nuas na praia) ao mesmo tempo que combatia super-vilões e tentava lidar com o legado que seu nome impunha[15][16][17]. Uma versão em português dessa revista foi publicada em formatinho pela Editora Abril entre outubro de 1996[18] e fevereiro de 1999[19].

2010-2015: Relançamento e mudanças[editar | editar código-fonte]

A publicação da revista foi retomada em 2010, com Jeff Lemire nos roteiros e Pier Gallo como desenhista. Uma história curta de dez páginas publicada em agosto de 2010 na 892 edição da revista Action Comics serviu de prelúdio para o trabalho que os dois desenvolveriam na revista[17][20][21][22][23]. A revista será uma das 52 séries que farão parte do relançamento de toda a linha de quadrinhos de super-herói da DC Comics em Setembro de 2011, com roteiros de Scott Lobdell e desenhos do brasileiro R.B. Silva[24].

Histórias publicadas com "Kal-El"[editar | editar código-fonte]

Histórias publicadas com "Kon-El"[editar | editar código-fonte]

102 edições - 100 edições regulares e 2 edições especiais numeradas "0" e "1.000.000" - e 4 "anuais" foram publicados entre 1994 e 2002 tendo Kon-El/Conner Kent como protagonista, atuando como Superboy. Destas, destaca-se o trabalho produzido por Karl Kesel e Tom Grummett com o personagem em suas primeiras histórias, que estabeleceram o Havaí como cenário de suas aventuras, além de criar todo um elenco de apoio para o herói.[25][26][27] O escritor Joe Kelly também colaboraria com os roteiros da série em uma série de histórias publicadas a partir da edição 83[28]

Impacto cultural[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Ver também "edições publicadas".

Referências

  1. Wallace, Daniel; Dolan, Hannah, ed. (2010). "1940s".
  2. Wallace "1940s" in Dolan, p. 64: "Superboy #8 introduced a toddler version of the Man of Steel.
  3. Daniels, Les (1995).
  4. Irvine, Alex "1950s" in Dolan, p. 65: "Superboy met the girl next door in Superboy #10, when the spunky redhead Lana Lang made her first appearance.
  5. Coleman, Jerry (w), Sikela, John (p), Sikela, John (i). 
  6. Nagorski, Alex (May 24, 2012).
  7. Irvine "1950s" in Dolan, p. 91: "A book-length story by writer Otto Binder and artist George Papp took up the entirety of Superboy #68.
  8. Miller, John Jackson (n.d.). "1962 Comic Book Sales Figures".
  9. Coates, John (1999).
  10. McAvennie, Michael "1970s" in Dolan, p. 151: "After more than a year as Murphy Anderson's background inker, Dave Cockrum landed his big DC break as the Legion of Super-Heroes artist .
  11. McAvennie "1970s" in Dolan, p. 159: "Bouncing Boy and Duo Damsel became the first Legionnaires to tie the knot.
  12. McAvennie "1970s" in Dolan, p. 160 "With the unenviable task of replacing the departing Dave Cockrum, one of the most popular artists ever to draw the Legion of Super-Heroes, Mike Grell's first issue on Superboy starring the Legion of Super-Heroes killed off one of the team's most beloved members."
  13. McAvennie "1970s" in Dolan, p. 172: "[The Legion] recruited the young Dawnstar from the Legion Academy in a story by scribe Paul Levitz and artist James Sherman."
  14. McAvennie "1970s" in Dolan, p. 178: "[Paul Levitz] demonstrated his great affinity for the Legion...when he and artist James Sherman waged "Earthwar".
  15. http://www.comicbookresources.com/?page=article&id=21259
  16. «Revista do Superboy é cancelada no número 100». Universo HQ. 16 de março de 2002. Consultado em 10 de setembro de 2011. 
  17. a b Leonardo Vicente Di Sessa (20 de maio de 2010). «Superboy ganha nova revista mensal». HQManiacs. Consultado em 10 de setembro de 2011. 
  18. http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao.aspx?cod_tit=sb00302+&esp=&cod_edc=8125
  19. http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao.aspx?cod_tit=sb00302+&esp=&cod_edc=8153
  20. Alex Segura (25 de junho de 2010). «JEFF LEMIRE ON SUPERBOY #1 AND BEYOND». The Source (em inglês). dcu.blog.dccomics.com. Consultado em 10 de setembro de 2011. 
  21. Kiel Phegley (14 de maio de 2010). «LEMIRE FLIES WITH "SUPERBOY"». Comic Book Resources. Consultado em 10 de setembro de 2011. 
  22. http://www.newsarama.com/comics/Superboy-Lemire-Interview-100514.html
  23. http://comics.ign.com/articles/111/1116113p1.html
  24. http://www.universohq.com/quadrinhos/2011/n26082011_04.cfm
  25. http://ifanboy.com/articles/dc-histories-conner-kent-superboy-ii-kon-el/
  26. http://www.mtv.com/news/2620806/a-brief-history-of-conner-kent-better-known-as-superboy/
  27. http://comicsalliance.com/karl-kesel-adoption-silver-age-comics-collection-blast-off-comics/
  28. http://ifanboy.com/articles/superboy-conner-kent-where-do-i-start/
Ícone de esboço Este artigo sobre Banda desenhada da DC Comics é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.