Supercopa Sul-Americana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Supercopa Libertadores)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Supercopa Sul-Americana
Supercopa Sudamericana
Dados gerais
Organização CONMEBOL
Edições 10
Outros nomes Supercopa João Havelange
Supercopa Libertadores
Local de disputa Flags of the Union of South American Nations.gif América do Sul
Sistema Eliminatórias
editar

A Supercopa Sul-Americana (também conhecida como Supercopa João Havelange ou Supercopa Libertadores) foi uma competição que reunia todos os clubes que haviam sido campeões da Libertadores da América. Durante o período que foi realizada, o campeão da competição disputava o título da Recopa Sul-Americana contra o campeão da Copa Libertadores no ano seguinte.[1]

A CONMEBOL pretende fazer com que o torneio retorne em 2020, reunindo as 25 equipes que venceram até 2019 a Copa Libertadores.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Disputada entre 1988 e 1997, a partir de 1998 foi substituída pela Copa Mercosul (que posteriormente seria substituída pela Copa Sul-Americana em 2002). O campeão da Supercopa classificava-se automaticamente para a disputa da Recopa Sul-Americana, juntamente com o campeão da Copa Libertadores. O campeão ganhava vaga na Recopa Sul-Americana, devido que a Supercopa era a segunda competição mais antiga da América do Sul. No caso, só existia a Copa Libertadores e a supercopa antes da criação da Recopa Sul-Americana.

O Atlético Nacional sagrou-se campeão da Libertadores em 1989 pela primeira vez e foi incluído na Supercopa no mesmo ano, o que também aconteceu com o Colo-Colo em 1991 e com o São Paulo em 1992. Em 1994, o Vélez Sársfield ganhou a Libertadores uma semana antes do início da Supercopa, adiando a sua entrada para o ano seguinte.

Apesar de ser considerada uma competição importante, a Supercopa sempre foi criticada porque o seu critério de participação dependia de um titulo da libertadores, o que não selecionava os melhores times do momento. O Palmeiras, por exemplo, que foi considerado um dos grandes times da década de 90 do futebol brasileiro nunca participou da competição por não ter o título da libertadores, enquanto a competição existia. Em contrapartida, o Grêmio do Brasil, Estudiantes e Racing da Argentina disputaram a competição mesmo quando frequentavam a série B de seus países.

Em 2019, Alejandro Domínguez presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol afirmou a possibilidade de recriar a Supercopa em 2020 como uma forma de classificação para o Mundial de clubes de 2021, com vagas para o campeão e vice da Supercopa.[3][4]

Lista de Campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Final
Vencedor Placar Vice
1988
Detalhes[5]
Argentina Racing 2 - 1
1 - 1
Agr: 3 - 2
Brasil Cruzeiro
1989
Detalhes[6]
Argentina Boca Juniors 0 - 0
0 - 0
Agr: 0 - 0
Pen: 5 - 3
Argentina Independiente
1990
Detalhes[7]
Paraguai Olimpia 3 - 0
3 - 3
Agr: 6 - 3
Uruguai Nacional
1991
Detalhes[8]
Brasil Cruzeiro 0 - 2
3 - 0
Agr: 3 - 2
Argentina River Plate
1992
Detalhes[9]
Brasil Cruzeiro 4 - 0
0 - 1
Agr: 4 - 1
Argentina Racing
1993
Detalhes[10]
Brasil São Paulo 2 - 2
2 - 2
Agr: 4 - 4
Pen: 5 - 3
Brasil Flamengo
1994
Detalhes[11]
Argentina Independiente 1 - 1
1 - 0
Agr: 2 - 1
Argentina Boca Juniors
1995
Detalhes[12]
Argentina Independiente 2 - 0
0 - 1
Agr: 2 - 1
Brasil Flamengo
1996
Detalhes[13]
Argentina Vélez Sársfield 1 - 0
2 - 0
Agr: 3 - 0
Brasil Cruzeiro
1997
Detalhes[14]
Argentina River Plate 0 - 0
2 - 1
Agr: 2 - 1
Brasil São Paulo

Títulos por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube País Títulos Vices Aproveitamento em finais
Cruzeiro  Brasil 2 (1991 e 1992) 2 (1988 e 1996) 50%
Independiente  Argentina 2 (1994 e 1995) 1 (1989) 66,6%
Boca Juniors  Argentina 1 (1989) 1 (1994) 50%
Racing  Argentina 1 (1988) 1 (1992) 50%
River Plate  Argentina 1 (1997) 1 (1991) 50%
São Paulo  Brasil 1 (1993) 1 (1997) 50%
Olimpia  Paraguai 1 (1990) 0 100%
Vélez Sarsfield  Argentina 1 (1996) 0 100%

Total de títulos por país[editar | editar código-fonte]

País Títulos Vices Aproveitamento em finais
Argentina Argentina 6 4 60%
Brasil Brasil 3 5 37,5%
Uruguai Paraguai 1 0 100%

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Ano Artilheiro Clube Gols
1988[5] Antonio Alzamendi
Sergio Oliveira
Argentina River Plate
Uruguai Nacional
4
1989[6] Mauro Airez
Rubén Insúa
John Jairo Trellez
Argentina Argentinos Juniors
Argentina Independiente
Colômbia Atlético Nacional
3
1990[7] Raúl Amarilla Paraguai Olimpia 7
1991[8] Juan José Borrelli
Charles
Gaúcho
Sergio Martínez
Argentina River Plate
Brasil Cruzeiro
Brasil Flamengo
Uruguai Peñarol
3
1992[9] Renato Gaúcho Brasil Cruzeiro 7
1993[10] Ronaldo Brasil Cruzeiro 8
1994[11] Sebastián Rambert Argentina Independiente 5
1995[12] Enzo Francescoli Argentina River Plate 7
1996[13] Patricio Camps Argentina Vélez Sársfield 4
1997[14] Ivo Basay Chile Colo-Colo 8

Direitos de transmissão[editar | editar código-fonte]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A Supercopa Sul-Americana foi transmitida ao vivo pela Rede Bandeirantes, Rede Record, Rede Globo, Rede Manchete, Rede SBT, Rede CNT e na TV Brasil vía televisão aberta. Na televisão por assinatura, a Supercopa Sul-Americana também foi transmitida ao vivo pelo seguentes canais:, ESPN

Na América Latina[editar | editar código-fonte]

A Supercopa Sul-Americana foi transmitida pela TVC Sports, CMS, Fox Sports, PSN e na ESPN com todos os jogos ao vivo vía televisão por assinatura em toda América Latina.

No Caribe[editar | editar código-fonte]

A Supercopa Sul-Americana foi transmitida pela Flow Sports e no Digicel Sports com todos os jogos ao vivo vía televisão por assinatura em todo Caribe.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Supercopa Sul-Americana». Site da Conmenbol. Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  2. Globo Esporte  Texto "https://globoesporte.globo.com/blogs/bastidores-fc/noticia/clubes-brasileiros-aprovam-volta-da-supercopa-da-libertadores-mas-fazem-ressalva-sobre-calendario.ghtml" ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. «Com volta da Supercopa dos Campeões, Conmebol elabora critérios de classificação ao Mundial de 2021». Globoesporte. Consultado em 5 de dezembro de 2019 
  4. Prosperi, Luiz Antonio (17 de outubro de 2019). «Mundial de Clubes 2021: Conmebol recria Supercopa dos Campeões da Libertadores valendo vaga ao torneio da Fifa». Chuteira FC. Consultado em 5 de dezembro de 2019 
  5. a b «Supercopa Libertadores 1988». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  6. a b «Supercopa Libertadores 1989». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  7. a b «Supercopa Libertadores 1990». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  8. a b «Supercopa Libertadores 1991». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  9. a b «Supercopa Libertadores 1992». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  10. a b «Supercopa Libertadores 1993». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  11. a b «Supercopa Libertadores 1994». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  12. a b «Supercopa Libertadores 1995». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  13. a b «Supercopa Libertadores 1996». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 
  14. a b «Supercopa Libertadores 1997». RSSSF (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2015 

Ligação externa[editar | editar código-fonte]