Supercopa do Brasil de 2020

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Supercopa do Brasil de 2020
Supercopa do Brasil 2020.png
Evento Supercopa do Brasil
Data 16 de fevereiro
Local Estádio Mané Garrincha, Brasília

Supercopa do Brasil de 2020 foi a terceira edição do torneio, que retornou após 28 anos. Uma competição brasileira de futebol, organizada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que reuniu as equipes campeãs do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil do ano anterior. A competição foi decidida em um jogo único, disputado em 16 de fevereiro, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Supercopa foi disputada em duas ocasiões, primeiramente em 1990,[2] entre o Campeão Brasileiro Vasco da Gama, contra o Campeão da Copa do Brasil Grêmio, vitória gremista pelo placar agregado de 2–0,[3] em partidas válidas também pela Copa Libertadores de 1990.[4][5] Na segunda edição, em 1991, o Campeão Brasileiro Corinthians venceu o Campeão da Copa do Brasil Flamengo, por 1–0, em jogo único.

Em 21 de fevereiro de 2019, com o intuito de propor novas pautas para o avanço do futebol brasileiro, foi confirmado pela CBF a volta do torneio que será realizado em jogo único e em local previamente definido, para a disputa da taça.[6]

Caso um mesmo clube conquiste a vaga pelos dois critérios, o adversário do clube na Supercopa será o vice-campeão do Campeonato Brasileiro.[7]

O ex-jogador Kléberson, que foi campeão pelas duas equipes, participou do protocolo que levou a taça dos vestiários para o campo.[8]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Clube Cidade Classificação Participação
Rio de Janeiro Flamengo Rio de Janeiro Campeão do Campeonato Brasileiro de 2019 - Série A
Paraná Athletico Paranaense Curitiba Campeão da Copa do Brasil de 2019

Partida[editar | editar código-fonte]

16 de fevereiro Flamengo Rio de Janeiro 3 – 0 Paraná Athletico Paranaense Estádio Mané Garrincha, Brasília
11:00 (UTC−3)
Bruno Henrique Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14'
Gabriel Gol marcado aos 29 minutos de jogo 29'
Arrascaeta Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Súmula
Borderô
Público: 48 009
Renda: R$ 7.423.760,00
Árbitro: GoiásGO Wilton Pereira Sampaio
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Flamengo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Athletico-PR
G 1 Brasil Diego Alves
LD 13 Brasil Rafinha
Z 3 Brasil Rodrigo Caio
Z 2 Brasil Gustavo Henrique
LE 16 Brasil Filipe Luís Substituído após 87 minutos de jogo 87'
M 5 Brasil Willian Arão
M 8 Brasil Gerson
A 7 Brasil Éverton Ribeiro Capitão Substituído após 86 minutos de jogo 86'
M 14 Uruguai Giorgian De Arrascaeta Substituído após 72 minutos de jogo 72'
A 9 Brasil Gabriel Penalizado com cartão amarelo após 85 minutos 85'
A 27 Brasil Bruno Henrique
Substitutos:
G 37 Brasil César
LD 30 Brasil João Lucas
Z 26 Brasil Matheus Thuler
Z 55 Brasil Matheus Dantas
LE 6 Brasil Renê Entrou em campo após 87 minutos 87'
V 33 Brasil Thiago Maia
M 10 Brasil Diego Entrou em campo após 86 minutos 86'
A 11 Brasil Vitinho
A 19 Brasil Michael Entrou em campo após 72 minutos 72'
A 32 Brasil Pedro Rocha
A 29 Brasil Lincoln
A 21 Brasil Pedro
Treinador:
Portugal Jorge Jesus
G 1 Brasil Santos
LD 13 Brasil Khellven Substituído após 46 minutos de jogo 46'
Z 33 Brasil Lucas Halter
Z 44 Brasil Thiago Heleno
LE 6 Brasil Márcio Azevedo Substituído após 46 minutos de jogo 46'
V 5 Brasil Wellington
M 26 Brasil Erick Penalizado com cartão amarelo após 52 minutos 52'
V 18 Brasil Léo Cittadini Substituído após 63 minutos de jogo 63'
M 11 Brasil Nikão Capitão Penalizado com cartão amarelo após 61 minutos 61'
A 7 Brasil Rony
A 10 Brasil Marquinhos Gabriel
Reservas:
G 22 Brasil Léo Vieira
G 99 Brasil Bento
Z 14 Brasil Robson Bambu
Z 27 Brasil Ivaldo
LE 16 Brasil Abner Vinícius Entrou em campo após 46 minutos 46'
LE 21 Brasil Adriano
M 88 Brasil Christian
M 3 Argentina Lucho González
M 55 Brasil Fernando Canesin Entrou em campo após 46 minutos 46'
A 17 Brasil Guilherme Bissoli Entrou em campo após 63 minutos 63'
A 28 Brasil Vitinho
A 96 Brasil Carlos Eduardo
Treinador:
Brasil Dorival Júnior

Bandeirinhas:
GoiásGO Fabricio Vilarinho da Silva
GoiásGO Bruno Raphael Pires
Quarto árbitro:
Distrito Federal (Brasil)DF Sávio Pereira Sampaio
Árbitro assistente de vídeo:
São PauloSP Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Premiação[editar | editar código-fonte]

Supercopa do Brasil de 2020
Rio de Janeiro
FLAMENGO
Campeão
(1º título)

Na premiação da competição, o campeão ganhou cinco milhões de reais, enquanto o vice, dois milhões de reais.[9]

Referências

  1. «CBF confirma Brasília como sede da Supercopa do Brasil entre Fla e Athletico-PR». IstoÉ. 23 de dezembro de 2019. Consultado em 23 de dezembro de 2019 
  2. «Vasco não perde para Grêmio em São Januário desde 1993». O Globo. 8 de junho de 2007. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  3. «Site oficial» (em inglês). FIFA.com. Consultado em 15 de dezembro de 2014 [ligação inativa] 
  4. «Grêmio abre a temporada». O Fluminense. 10 de janeiro de 1990. p. 12. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  5. «Grêmio abre a temporada com amistoso». O Fluminense. 11 de fevereiro de 1990. p. 12. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  6. «CBF anuncia Supercopa do Brasil e possíveis mudanças no Brasileiro». Gazeta Esportiva. Consultado em 21 de fevereiro de 2019 
  7. «Supercopa do Brasil: confira os documentos técnicos da competição». Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  8. «Campeão por Flamengo e Athletico, Kleberson é homenageado na Supercopa». Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  9. «Supercopa do Brasil 2020: veja qual será a premiação da competição». Torcedores.com. 23 de dezembro de 2019. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 

Ver também[editar | editar código-fonte]