Supercopa do Brasil de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Supercopa do Brasil de Futebol
Supercopa do Brasil
Dados gerais
Organização CBF
Edições 5
Outros nomes Supertaça do Brasil
Local de disputa Brasil
Número de equipes 2
Sistema Ida e volta (1990)
Jogo único (1991, 2020–)
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

Supercopa do Brasil de Futebol ou Supertaça do Brasil é uma competição esportiva brasileira disputada entre o campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol e o campeão da Copa do Brasil de Futebol, ou disputada contra o vice-campeão brasileiro caso o campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil seja o mesmo. É disputada no ano seguinte ao da conquista dos respectivos títulos, em formato semelhante aos das supercopas existentes em diversos países europeus. A sua primeira edição, em 1990,[1][2][3][4][5] foi disputada no sistema de ida e volta; sendo que no ano seguinte, foi alterado para jogo único.

A competição foi disputada em duas ocasiões, no começo dos anos 90, primeiramente em 1990,[6] entre o campeão do Campeonato Brasileiro, Vasco da Gama, contra o campeão da Copa do Brasil, Grêmio. Sendo disputada no sistema de ida e volta, o Grêmio ficou com o título, pelo placar agregado de 2–0,[7] em partidas válidas também pela Copa Libertadores de 1990.[8][9] Na segunda edição, em 1991, agora em partida única, o campeão brasileiro Corinthians venceu o campeão da Copa do Brasil Flamengo, por 1–0, em partida no estádio do Morumbi.

A Supercopa do Brasil retornou em 2020. A partida foi disputada entre Flamengo, campeão do Campeonato Brasileiro e Athletico Paranaense, campeão da Copa do Brasil. Diferente das duas últimas edições, a partida ocorreu em campo neutro, no estádio Mané Garrincha.

História[editar | editar código-fonte]

Origens (1990–1991)[editar | editar código-fonte]

Primeiro troféu entregue, em 1991.

Em 1989, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) criou a Copa do Brasil de Futebol, com o intuito de fomentar o futebol nacional propiciando que clubes de menor importância tivessem a chance de disputar uma competição nacional de ponta. A competição nos moldes de mata-mata, garantiam ao campeão vaga direta na Copa Libertadores da América, sendo considerada pela crônica esportiva a segunda maior competição do país até os dias de hoje. A criação da Copa do Brasil propiciou à CBF a chance de criar uma nova competição. Nos moldes da Copa da Inglaterra, Taça de Portugal, Copa Chile e Copa del Rey, criou-se a Supercopa do Brasil, onde os campeões do Campeonato Brasileiro de Futebol e Copa do Brasil de Futebol teriam a chance de se enfrentar pelo título de Supercampeão Brasileiro.

A primeira edição da competição ocorreu em 1990.[1][2][3][4][5] O confronto entre o campeão brasileiro Vasco da Gama e o campeão da Copa do Brasil Grêmio programado para ocorrer em jogo específico, foi disputado no mesmo jogo em que as equipes se enfrentariam pela Copa Libertadores da América de 1990.[10] O Grêmio conquistou a taça[11] após vitória por 2–0 no jogo de ida, disputado no Estádio Olímpico Monumental, e um empate em 0–0 no jogo de volta.[12] O Grêmio atesta jamais ter recebido qualquer troféu da CBF referente à Supercopa.[13]

Hiato (1992–2019)[editar | editar código-fonte]

Mesmo sendo uma competição muito recorrente e tradicional no futebol Europeu, como a Supercopa da Espanha, a Supercopa da Inglaterra e a Supercopa da Itália, a Supercopa do Brasil ficou um período de 27 anos sem ter um calendário oficial.

Apesar disso, em 2018, o Corinthians, campeão do Brasileiro 2017 e o Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil 2017, realizaram duas partidas amistosas durante o período correspondente à Copa do Mundo FIFA de 2018. O primeiro jogo, disputado no estádio do Mineirão, em 4 de julho, terminou com vitória do Corinthians por 2–0,[14] enquanto a partida de volta, disputada em 11 de julho, na Arena Corinthians, acabou com um empate de 2–2.[15]

Retorno e atualidade (2020–)[editar | editar código-fonte]

Partida da Supercopa do Brasil entre Athlético Paranaense e Flamengo, em 2020.

Em 2013, surgiram informações na imprensa de que a CBF estaria programando uma nova edição da competição para 2015, disputada entre o campeão do Campeonato Brasileiro, Cruzeiro, contra o campeão da Copa do Brasil, Atlético Mineiro.[3] No entanto, a competição não foi confirmada e nem sequer foi incluída no calendário de competições da CBF, em 2015, embora o diretor de competições da entidade disse que o torneio poderia ser debatido e incluído no calendário.[5][3] Em 2017, foi criada a Supercopa do Brasil Sub-20. O torneio de base serviu como uma espécie de “termômetro” para uma possível criação da competição em âmbito profissional. Na época, segundo o então diretor de competições da CBF o principal problema no profissional eram as datas.[16]

Em 2019, com o intuito de propor novas pautas para o avanço do futebol brasileiro, foi confirmado pela CBF a volta do torneio que será realizado em jogo único e em local previamente definido, para a disputa da taça.[17] Com a CBF promovendo o retorno do torneio em 2020, a disputa era entre o campeão do Campeonato Brasileiro de 2019, o Flamengo, e o campeão da Copa do Brasil do mesmo ano, o Athletico Paranaense.

A partida entre as duas equipes aconteceu em 16 de fevereiro de 2020, com a partida vencida pelo Flamengo, por 3–0.[18]

Campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Final
Campeão Placar(es) Vice-campeão Sede(s) da final
1990
Detalhes
Rio Grande do Sul
Grêmio
Campeão da Copa do Brasil 1989
2 – 0
0 – 0
Rio de Janeiro
Vasco da Gama
Campeão Brasileiro 1989
Ida: Rio Grande do Sul Olímpico
Volta: Rio de Janeiro São Januário
1991
Detalhes
São Paulo
Corinthians
Campeão Brasileiro 1990
1 – 0 Rio de Janeiro
Flamengo
Campeão da Copa do Brasil 1990
São Paulo
Morumbi
19922019 Não disputado
2020
Detalhes
Rio de Janeiro
Flamengo
Campeão Brasileiro 2019
3 – 0 Paraná
Athletico Paranaense
Campeão da Copa do Brasil 2019
Distrito Federal (Brasil)
Mané Garrincha
2021
Detalhes
Rio de Janeiro
Flamengo
Campeão Brasileiro 2020
2 – 2
6 – 5 (pen)
São Paulo
Palmeiras
Campeão da Copa do Brasil 2020
Distrito Federal (Brasil)
Mané Garrincha
2022
Detalhes
Minas Gerais
Atlético Mineiro
Campeão Brasileiro e da Copa do Brasil 2021
2 – 2
8 – 7 (pen)
Rio de Janeiro
Flamengo
Vice-campeão Brasileiro 2021
Mato Grosso
Arena Pantanal

Títulos[editar | editar código-fonte]

Por clube[editar | editar código-fonte]

Modelo do troféu entregue ao campeão.
Clube Títulos Vices
Rio de Janeiro Flamengo 2 (2020 e 2021) 2 (1991 e 2022)
Rio Grande do Sul Grêmio 1 (1990) 0
São Paulo Corinthians 1 (1991) 0
Minas Gerais Atlético Mineiro 1 (2022) 0
Rio de Janeiro Vasco da Gama 0 1 (1990)
Paraná Athletico Paranaense 0 1 (2020)
São Paulo Palmeiras 0 1 (2021)

Por cidade[editar | editar código-fonte]

Cidade Títulos Clubes
Bandeira da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro 2 Flamengo (2)
Bandeira de Porto Alegre (RS).svg Porto Alegre 1 Grêmio (1)
São Paulo City flag.svg São Paulo 1 Corinthians (1)
Bandeira de Belo Horizonte.svg Belo Horizonte 1 Atlético Mineiro (1)

Por federação[editar | editar código-fonte]

Federação Títulos Vices
 Rio de Janeiro 2 3
 São Paulo 1 1
 Rio Grande do Sul 1 0
 Minas Gerais 1 0
 Paraná 0 1

Por região[editar | editar código-fonte]

Região Títulos Vices
Sudeste 4 4
Sul 1 1
Centro-Oeste 0 0
Nordeste 0 0
Norte 0 0

Por meio de classificação[editar | editar código-fonte]

Classificação[nota 1] Títulos Vices
Campeonato Brasileiro 3 (1991, 2020 e 2021) 1 (1990)
Copa do Brasil 1 (1990) 3 (1991, 2020 e 2021)
Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil 1 (2022) 0
Campeonato Brasileiro (vice-campeão) 0 1 (2022)

Transmissão televisiva[editar | editar código-fonte]

Os jogos da primeira, da terceira e da quarta edição da Supercopa foram transmitidos pela TV Globo. A Rede Bandeirantes transmitiu a segunda edição.[19]

Notas e referências

Notas

  1. Em caso de um mesmo time ser campeão de Brasileirão e Copa do Brasil, independentemente de qual título tenha sido conquistado primeiro, para esta tabela considera-se a classificação por ambas competições.

Referências

  1. a b Alves, Marcus (28 de novembro de 2014). «CBF pode resgatar Supercopa, com Atlético e Cruzeiro, em 2015». ESPN. Consultado em 20 de abril de 2022 
  2. a b «CBF dá como certa a Supercopa do Brasil em 2015». Correio do Povo. Consultado em 15 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  3. a b c d «CBF dá como certa a Supercopa do Brasil em 2015». Lance!. Consultado em 15 de dezembro de 2014 [ligação inativa] 
  4. a b «Supercopa do Brasil traz histórico de dificuldades com o calendário». Lance!. Consultado em 15 de dezembro de 2014 [ligação inativa] 
  5. a b c Nogueira, Thiago (27 de novembro de 2014). «Supercopa do Brasil não está prevista nas competições da CBF em 2015». O Tempo. Consultado em 20 de abril de 2022 
  6. «Vasco não perde para Grêmio em São Januário desde 1993». O Globo. 8 de junho de 2007. Consultado em 20 de abril de 2022 
  7. «Site Oficial da FIFA» (em inglês). Federação Internacional de Futebol (FIFA). Consultado em 15 de dezembro de 2014 [ligação inativa] 
  8. «Grêmio fixa passe de Assis e Cuca». O Fluminense. 10 de janeiro de 1990. p. 12. Consultado em 20 de abril de 2022 
  9. «Grêmio abre a temporada com amistoso». O Fluminense. 11 de fevereiro de 1990. p. 12. Consultado em 20 de abril de 2022 
  10. Reimnitz, Patrick; Cruz, Santiago (24 de outubro de 2005). «Brazil Super Cup Finals» (em inglês). RSSSF. Consultado em 20 de abril de 2022 
  11. «Clube clássico: Orgulho de ser tricolor». FIFA. Consultado em 20 de abril de 2022. Arquivado do original em 22 de outubro de 2013 
  12. Pilatti, Marcel. «Supercopa do Brasil - 1991». Todo Poderoso Timão. Consultado em 20 de abril de 2022 
  13. «Ficha do jogo > Vasco x Grêmio». Site do Grêmio. Consultado em 20 de abril de 2022. Arquivado do original em 12 de fevereiro de 2009 
  14. «Corinthians vence o Cruzeiro por 2 a 0 no Mineirão; aniversariante Romero e Pedro Henrique marcam». ge. 4 de julho de 2018. Consultado em 20 de abril de 2022. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2022 
  15. «Nada de amistoso: Corinthians e Cruzeiro empatam diante de mais de 37 mil pessoas em Itaquera». ge. 11 de julho de 2018. Consultado em 20 de abril de 2022. Arquivado do original em 12 de fevereiro de 2022 
  16. Muratori, Matheus (17 de novembro de 2017). «Cruzeiro x Corinthians? CBF admite estudar ideia de 'recriar' Supercopa entre campeões». Super Esportes. Consultado em 20 de abril de 2022 
  17. «CBF anuncia Supercopa do Brasil e possíveis mudanças no Brasileiro». Gazeta Esportiva. 21 de fevereiro de 2019. Consultado em 20 de abril de 2022 
  18. «Flamengo 3 x 0 Athletico-PR - Supercopa do Brasil 2020 Final». ge. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 20 de abril de 2022 
  19. «Acervo Folha, páginas 2 do caderno de esportes do jornais de 14 de março e 18 de abril de 1990 e 27 de janeiro de 1991». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de abril de 2022 [ligação inativa] 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]