Supercorda tipo I SO(32)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Teoria das cordas
Calabi-Yau.png
Teoria das supercordas

Na Física teórica, a teoria das supercordas do Tipo I SO(32), no âmbito da teoria de perturbação do acoplamento fraco, é uma das cinco diferentes teorias das cordas consistentes[1].

Esta é uma teoria que contém cordas abertas[2] e tem uma supersimetria em 10 dimensões. Na teoria do tipo I SO(32), as cordas abertas podem carregar medidores de graus de liberdade em seus terminais, e cancelamento de anomalias que restringe exclusivamente o grupo de gauge para ser SO(32). Ela contém D-branas com 1, 5 e 9 dimensões espaciais[3][4].

5 tipos de teorias[editar | editar código-fonte]

Em termos da teoria de perturbação de acoplamento fraco parece haver apenas cinco consistentes teorias das supercordas conhecidas como: Tipo I SO(32) [nota 1] [5] , Tipo IIA, Tipo IIB[nota 2], Tipo Heterótica SO(32) e Heterótica E8×E8 [nota 3] [6].

 

Supercorda

Tipo

Dimensões do

espaço-tempo

Detalhes - Supersimetria entre as forças e matéria

D Brane

I

10

Ambas com cordas abertas e fechadas. Inexistência de taquiões. O grupo de simetria é SO(32).

1,5,9

IIA

10

Apenas cordas fechadas vinculadas às D-branas. Inexistência de taquiões. Fermiões sem massa não são quirais.

0,2,4,6,8

IIB

10

Apenas cordas fechadas vinculadas a D-branas. Inexistência de taquiões. Fermiões sem massa quirais.

-1,1,3,5,7

HO

10

Apenas com cordas fechadas.Sem taquiões. Heterotico, i.e, os movimentos direitos e esquerdo da corda divergem. O grupo simétrico é SO(32).

Nenhum

HE

10

Somente com cordas fechadas. Sem taquiões. Heterotico. Grupo de simetria E8xE8.

Nenhum

Referências

  1. Exploring the SO(32) Heterotic String por Hans Peter Nillesa, Sa´ul Ramos-S´ancheza, Patrick Vaudrevangea, Akýn Wingerterb http://arxiv.org/pdf/hep-th/0603086.pdf
  2. Shiraz (29-Out-2008). «Open strings from closed strings». Shiraz's lecture ( theory.tifr.res.in/~minwalla/ ). Consultado em 8-out-2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  3. Schwarz, John (2000). "Introduction to Superstring Theory".
  4. «Supersymmetric Strings». Consultado em 10-out-2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. Frenkel, Edward (2009). "Gauge theory and Langlands duality". Seminaire Bourbaki, p.2
  6. John M. Pierre (Sep. 1998). «Supersymmetric Strings». Society for Science & the Public. Consultado em Sep. 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)

Notas

  1. Teoria das cordas Tipo I com a acoplamento de corda constante é equivalente a corda heterótica SO(32) com o acoplamento . Esta equivalência é conhecido como S-dualidade (dualidade forte-fraca)
  2. A teoria das cordas Tipo II é um termo unificado que inclui tanto cordas tipo IIA e cordas tipo IIB. Em baixas energias, a teoria das cordas do tipo IIA é descrita por supergravidade do tipo IIA em dez dimensões, que é uma teoria não-quiral (ou seja simétrica esquerda-direita) com (1,1) d = 10 supersimetria; o fato de que as anomalias nesta teoria se cancelam é, por conseguinte, trivial.
  3. Na Teoria das cordas heterótica tem 2 tipos de cordas: Tipo Heterótica SO(32) e o tipo Heterótica E8×E8, abreviadas como HO e HE
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.