Supernatural (1.ª temporada)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Supernatural
(1ª temporada)
Supernatural-Primeira Temporada (Blu-ray).jpg
Pôster promocional da primeira temporada
Informações
Elenco
Série Supernatural
País de origem  Estados Unidos
Idioma original Inglês
N.º de episódios 22
Exibição
Emissora The WB
Transmissão
original
13 de setembro de 2005 (2005-09-13)
4 de maio de 2006 (2006-05-04)
Cronologia das temporadas
Anterior Próxima
2ª temporada
Lista de episódios de Supernatural

A primeira temporada de Supernatural estreou em 13 de setembro de 2005 e terminou em 4 de maio de 2006, com 22 episódios. Esta é a única temporada da série a ser exibida pela emissora The WB, com todas as temporadas seguintes sendo exibidas pela emissora The CW, um empreendimento conjunto da The WB e da UPN.[1]

A temporada recebeu muitas indicações a prêmios, entre elas, dois Prémios Emmy do Primetime pelo trabalho feito no episódio piloto.[2][3] Enquanto alguns críticos não gostaram do formato mais parecido com antologia,[4][5] outros elogiaram a série pelos momentos emocionais[6] e notaram a química fraternal entre os atores principais.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A série segue os irmãos Sam e Dean Winchester enquanto procuram por seu pai, John, que está caçando o demônio que matou a mãe deles e a namorada de Sam. Durante suas viagens, eles usam o diário de seu pai para ajudá-los a continuar o negócio da família—salvar pessoas e caçar criaturas sobrenaturais.

Elenco e personagens[editar | editar código-fonte]

Estrelando[editar | editar código-fonte]

Convidado[editar | editar código-fonte]

Episódios[editar | editar código-fonte]

em
geral
na
temporada
Título Dirigido por Escrito por Exibição original Audiência
(em milhões)
1 1 "Pilot"
"(Piloto)"
David Nutter Eric Kripke 13 de setembro de 2005 (2005-09-13) 5.69[7]
Dois irmãos, Sam e Dean Winchester, testemunham a morte paranormal de sua mãe quando crianças. Crescem treinados pelo seu pai para lutar contra o mau. John Winchester é obcecado pelo desejo de vingança contra a criatura que matou sua esposa. Sam busca uma vida normal na faculdade, com sua namorada, mas seu irmão mais velho o traz de volta à vida das caçadas quando seu pai desaparece. A única pista deixada é a indicação de um caso da Mulher de Branco, um espírito vingativo que os dois devem caçar. Sam deixa claro a Dean que deve voltar muito em breve pois almeja uma vaga na universidade. 
2 2 "Wendigo"
"(Wendigo)"
David Nutter História por : Ron Milbauer & Terri Hughes Burton
Roteiro por : Eric Kripke
20 de setembro de 2005 (2005-09-20) 5.01[8]
Sam e Dean seguem as coordenadas deixadas pelo pai em seu diário, e acabam no meio de uma floresta no Colorado, onde diversos turistas de um acampamento sumiram. Os irmãos logo percebem que deve ser trabalho de um Wendigo, criatura folclórica norte-americana, e que será difícil sobreviver à situação. 
3 3 "Dead in the Water"
"(Mortos na Água)"
Kim Manners Sera Gamble & Raelle Tucker 27 de setembro de 2005 (2005-09-27) 5.01[9]
Os Winchester investigam o caso de afogamentos num lago, onde os corpos das vítimas (supostamente cometendo suicídio) somem totalmente. Eles descobrem que o espírito vingativo de um garoto que pode se manifestar através da água pode ser o causador das mortes. 
4 4 "Phantom Traveler"
"(O Viajante Fantasma)"
Robert Singer Richard Hatem 4 de outubro de 2005 (2005-10-04) 5.40[10]
Aos 40 minutos do vôo 2485, um homem possuído pelo viajante fantasma causa a queda do avião, matando quase todos a bordo. Agora, ele está atrás dos poucos sobreviventes para matá-los um a um, e Sam e Dean terão de embarcar no desafio de tentar exorcizá-lo antes que cause mais tragédias. 
5 5 "Bloody Mary"
"(Bloody Mary)"
Peter Ellis História por : Eric Kripke
Roteiro por : Ron Milbauer & Terri Hughes Burton
11 de outubro de 2005 (2005-10-11) 5.50[11]
Um grupo de adolescentes faz uma brincadeira invocando Bloody Mary, e isso desencadeia uma série de mortes sangrentas. Os irmãos Sam e Dean investigam o caso e descobrem que o espírito pode se mover através de superfícies refletoras, e correm para salvar as possíveis próximas vítimas. 
6 6 "Skin"
"(Pele)"
Robert Duncan McNeill John Shiban 18 de outubro de 2005 (2005-10-18) 5.00[12]
Os irmãos vão ajudar o caso de um amigo de faculdade de Sam, que é acusado de homicídio, mas jura não ter feito nada. Logo percebem que pode-se tratar de um metamorfo (criatura capaz de transformar-se em outras formas físicas) na cidade, que está tomando formas alheias para cometer crimes, e tentam caçá-lo. 
7 7 "Hook Man"
"(O Homem-Gancho)"
David Jackson John Shiban 25 de outubro de 2005 (2005-10-25) 5.08[13]
Um espírito maligno está matando suas vítimas com um gancho metálico (no lugar de sua mão), aterrorizando uma pequena cidade em Iowa. Sam e Dean encontram a conexão entre as vítimas e têm de queimar os restos mortais do fantasma para salvar os outros do perigo. 
8 8 "Bugs"
"(Insetos)"
Kim Manners Rachel Nave & Bill Coakley 8 de novembro de 2005 (2005-11-08) 4.47[14]
Depois de um operário de construção ser morto por insetos escavando seu cérebro, Sam e Dean investigam a história do local onde o complexo residencial está sendo construído. O solo parece ter sido amaldiçoado por uma antiga tribo indígena, que foi expulsa e devastada há muito tempo. Agora eles terão que sobreviver ao enxame de insetos querendo aniquilá-los. 
9 9 "Home"
"(Lar)"
Ken Girotti Eric Kripke 15 de novembro de 2005 (2005-11-15) 4.21[15]
Sam tem um pesadelo indicando que há um perigo para os novos moradores da antiga casa dos Winchester, e os irmãos viajam para Lawrence, Kansas. Lá, encontram uma antiga amiga de seu pai que pode revelar mais sobre a criatura que assombra casa. 
10 10 "Asylum"
"(Sanatório)"
Guy Bee Richard Hatem 22 de novembro de 2005 (2005-11-22) 5.38[16]
Sam e Dean investigam um sanatório abandonado, e descobrem que, quando estava ativado, houve uma revolta entre os pacientes contra o médico-chefe. Enquanto tentam escoltar um casal para fora do lugar, são surpreendidos pelos fantasmas do local, que fazem um voltar-se contra o outro. 
11 11 "Scarecrow"
"(Espantalho)"
Kim Manners História por : Patrick Sean Smith
Roteiro por : John Shiban
10 de janeiro de 2006 (2006-01-10) 4.23[17]
Os irmãos recebem uma ligação de John, dizendo a eles para pararem de procurá-lo, e passando informações de uma caçada que devem fazer. Sam se recusa, e parte em procura do pai sozinho, enquanto Dean fica para cuidar do caso: uma pequena vila por onde casais viajantes passam antes de desaparecer misteriosamente, sempre na mesma semana de cada ano. 
12 12 "Faith"
"()"
Allan Kroeker Sera Gamble & Raelle Tucker 17 de janeiro de 2006 (2006-01-17) 3.86[18]
Dean é eletrocutado numa caça, e os médicos dizem que terá poucos meses de vida, com o dano no coração. Sam, desesperado, procura uma forma de salvar seu irmão, e encontra um curandeiro de culto religioso, levando Dean para ser curado. O que eles não sabem é o quanto custa esse milagre com vidas. 
13 13 "Route 666"
"(Rota 666)"
Paul Shapiro Brad Buckner & Eugenie Ross-Leming 31 de janeiro de 2006 (2006-01-31) 5.82[19]
Uma antiga namorada de Dean liga para ele, pedindo ajuda para resolver uma série de assassinatos motivados por questões raciais. Todas as vítimas estavam sendo amedrontadas por uma caminhonete-fantasma (sem motorista, e que não deixa rastros) antes de serem mortas. 
14 14 "Nightmare"
"(O Pesadelo)"
Phil Sgriccia Sera Gamble & Raelle Tucker 7 de fevereiro de 2006 (2006-02-07) 4.27[20]
Sam tem uma premonição da morte de um homem, que foi causada para parecer um suicídio. Os dois vão para o local para tentar salvá-lo, mas chegam tarde demais, e ficam confusos quando nada no assassinato parece indicar paranormalidade. Até descobrirem que aquela família guardava segredos sinistros. 
15 15 "The Benders"
"(A Família Bender)"
Peter Ellis John Shiban 14 de fevereiro de 2006 (2006-02-14) 3.96[21]
Os irmãos investigam o caso de um homem que desapareceu misteriosamente, quando Sam também é capturado pela mesma força maligna. Dean busca desesperadamente por seu irmão, e eles descobrem que os culpados na verdade não têm nada de sobrenatural. 
16 16 "Shadow"
"(A Sombra)"
Kim Manners Eric Kripke 28 de fevereiro de 2006 (2006-02-28) 4.22[22]
Enquanto investigando um assassinato brutal numa cidade, Sam e Dean acabam encontrando Meg, e depois descobrindo que ela é a responsável. Quando tentam impedi-la, acabam caindo na armadilha preparada por ela, e enfrentando os espíritos furiosos que ela controla. 
17 17 "Hell House"
"(A Casa do Inferno)"
Chris Long Trey Callaway 30 de março de 2006 (2006-03-30) 3.76[23]
Os irmãos investigam uma casa assombrada pelo Mordecai, um homem que matou suas seis filhas na década de 1930, e que, agora, ataca outras garotas que invadem a propriedade. Mais tarde, eles encontram um site dedicado à lenda do Mordecai, que pode ser o motivo da conjuração do espírito. 
18 18 "Something Wicked"
"(Alguma Coisa Maligna)"
Whitney Ransick Daniel Knauf 6 de abril de 2006 (2006-04-06) 3.67[24]
Sam e Dean investigam uma pequena cidade cujas crianças estão ficando em coma sem motivos aparentes. Durante a investigação, descobrem que o causador pode ser o mesmo de anos atrás, quando eram crianças e Sam quase morreu por descuido do irmão. 
19 19 "Provenance"
"(Proveniência)"
Phil Sgriccia David Ehrman 13 de abril de 2006 (2006-04-13) 3.62[25]
Um jovem casal é morto violentamente logo após comprar um retrato de uma família do início do século passado. Os irmãos Winchester descobrem que todos os últimos donos da pintura tiveram mortes semelhantes e decidem investigar a causa, para impedir que o novo comprador tenha o mesmo fim. 
20 20 "Dead Man's Blood"
"(O Sangue do Morto)"
Tony Wharmby Cathryn Humphris & John Shiban 20 de abril de 2006 (2006-04-20) 3.99[26]
Com a morte de Daniel Elkins, um caçador de vampiros e antigo mentor de John Winchester, Sam e Dean procuram saber o que aconteceu e se surpreendem ao encontrarem com o próprio pai no local. John os alerta que Daniel possuía a Colt, uma arma capaz de destruir qualquer criatura sobrenatural, e que os vampiros devem tê-la levado. Os Winchester correm para recuperá-la e assim poderem matar a criatura que destruiu a família. 
21 21 "Salvation"
"(Salvação)"
Robert Singer Sera Gamble & Raelle Tucker 27 de abril de 2006 (2006-04-27) 3.26[27]
Sam tem a premonição de uma família sendo atacada da mesma forma que a sua, então ele, Dean e John partem para Salvation, Iowa, com a esperança de salvar aquela família e de finalmente matar o demônio. No entanto, Meg ameaça matar todos os amigos de John, um por um, se ele não lhe entregar a Colt. 
22 22 "Devil's Trap"
"(A Armadilha do Diabo)"
Kim Manners Eric Kripke 4 de maio de 2006 (2006-05-04) 3.99[28]
Os irmãos precisam salvar seu pai de Meg, e pedem ajuda a Bobby, um antigo amigo de família. Conseguem juntos capturar Meg e forçá-la a dizer onde está John, mas para esse resgate eles terão de enfrentar finalmente o demônio que vêm caçando durante toda a vida. O demônio apodera-se de John, após o salvamento efetuado pelos irmãos, mas Dean evita o pior. 

Produção[editar | editar código-fonte]

Escrita[editar | editar código-fonte]

A mitologia da primeira temporada segue principalmente a busca de Sam e Dean pelo pai desaparecido. O criador da série Eric Kripke resumiu esse enredo como "encontrar papai", que ele considerou "simples", "emocional" e "claro".[29] No entanto, ele achou que os episódios auto-fechados—histórias independentes que chegam ao encerramento no final de cada episódio e acrescentam pouco às histórias abrangentes— estavam sendo "imprevisíveis".[29] Porque os primeiros dez episódios consistem em histórias auto-fechadas, a mitologia de série não começa até o episódio onze, "Scarecrow". Este episódio introduz o demônio Meg Masters, que o produtor executivo Kim Manners sentiu que era "desesperadamente necessário".[30] Embora incertos em exatamente que direção tomar o personagem, os escritores pretendiam Meg para ser um antagonista para os Winchester ao longo de seu arco de história.[31] A mitologia da série se expande ainda mais com a adição da arma que mata demônios Colt perto do fim da temporada, emprestando ao tema "americano moderno ocidental" que os produtores estavam indo.[32]

Embora os adversários semanais para os Winchesters fossem freqüentemente baseados em lendas urbanas, os escritores tentaram colocar sua própria rotação nas histórias para cada um dos episódios. Por exemplo, Kripke combinou a conhecida lenda urbana do caroneiro desaparecendo com a lenda mexicana de La Llorona para dar ao espírito mais motivação e caracterização no piloto.[33] O episódio "Hook Man", no entanto, pegou três ou quatro elementos das numerosas variações da lenda do Homem Gancho. A figura é um escapado paciente mental no mito tradicional, mas os escritores decidiram para os fins da série lhe fazer o fantasma de um assassino com gancho. Eles também adicionaram um elemento poltergeist por tê-lo ligado às emoções conflitantes do ator convidado—ele usa um crucifixo feito de seu gancho derretido. Em vez de se concentrarem nas interpretações modernas, Kripke e o co-produtor executivo John Shiban decidiram que os vampiros de Supernatural resultariam mais das lendas originais. Os vampiros receberam presas retráteis—inspiradas nos dentes de tubarões—, sem qualquer aversão à luz solar ou ao crucifixo. Kripke acrescentou pessoalmente que os vampiros se tornariam fracos se recebessem o sangue de um homem morto.[34]

Outros aspectos surgiram de conceitos ou ideias básicas. Para o episódio "Skin", o escritor Shiban sentiu que o vilão metamorfo tinha que mudar para um dos personagens principais. O personagem escolhido foi Dean, e os escritores decidiram não limpar seu nome de tentativa de assassinato no final do episódio. Embora eles inicialmente temiam que ter um dos personagens principais sendo um homem procurado, mais tarde arruinaria a série, os escritores eventualmente consideraram que era "uma grande camada para adicionar", abrindo novas histórias e personagens potenciais. A reputação de Dean é abordada novamente em "The Benders", e as capturas dele na segunda e terceira temporadas.[35] Outro elemento que influenciaria futuros episódios surgiu em "Hook Man", quando os escritores Milbauer e Burton perceberam que as espingardas disparam sal, uma fraqueza para espíritos.[36] Kripke considerou a "combinação perfeita de elemento oculto", pois reuniu um "repelente folclórico do mal" com o "aspecto colarinho azul das espingardas"..[37] O episódio "Asylum" mais tarde estabeleceu o ferro como uma outra arma contra os fantasmas. "Faith", por outro lado, decorreu da questão de saber se era verdadeiramente errado curar pessoas boas de suas doenças ao custo da vida de estranhos. Kripke observou: "[Layla] realmente é uma ótima garota e ela merece viver, e um estranho que você nem sabe vai morrer ... e talvez isso valha a pena."[38] Ceifeiros não estavam no roteiro original do episódio, mas foram adicionados depois para darem aos escritores uma chance de criar sequências "assustadoras" e explicar a habilidade do curandeiro de fé.[38] Por causa dos escritores terem achado brega o visual tradicional do Ceifeiro—encapuçado e carregando uma foice—para ser brega—eles por fim o fizeram aparecer como "o homem mais velho enrugado que você poderia sempre imaginar."[39]

Embora o vilão do episódio "Hell House" tem origens sobrenaturais, a base da história veio de uma stituação que o escritor Trey Callaway tinha quando criança, ele e seus amigos criaram uma cena falsa de assassinato em um celeiro abandonado e depois convenceram seus amigos de que os assassinatos ocorreram ali. As crianças costumavam ir lá se assustar, com uma menina fugindo e quebrando a perna depois de acreditar que ela viu um fantasma atacante.[40] Os antagonistas humanos de "The Benders", no entanto, estavam completamente desprovidos de elementos sobrenaturais. Shiban tomou essa decisão não só para surpreender o público, mas também para que os Winchester enfrentassem algo que nunca tinham encontrado antes.[41] Para "Nightmare", Tucker tentou escrever o personagem Max como simpático, e, portanto, teve dificuldades em decidir como terminar o episódio. Os escritores finalmente decidiram tê-lo se matando para evitar que ele fizesse mais mal.[42]

Começando na série, Kripke excluiu vampiros devido à sua filiação a Buffy the Vampire Slayer. Ele queria que Supernatural tivesse sua própria identidade, mas se tornou mais confortável com ela ao longo do tempo. Os escritores pretendiam que o episódio de vampiro "Dead Man's Blood" fosse um episódio auto-fechado, mas a introdução de Kripke do Colt o ligou aos dois últimos episódios da temporada.[43] Esta adição agradou os escritores do penúltimo episódio "Salvation", porque o Colt deu aos irmãos uma maneira de lutar contra Meg e também forneceu uma razão para ela para matar os amigos dos Winchester.[44] Gamble e Tucker criaram o último enredo porque sentiram que Kripke só permitiria sua inclusão se eles morressem. Quando os escritores não puderam encontrar algo para os Winchester estarem fazendo enquanto Meg está solta, dividiram o episódio em duas histórias; John iria atrás de Meg enquanto os irmãos protegiam outra família de Azazel. Tucker sentiu que isso abriu "todas essas coisas emocionais com os caras", assim como "trouxe de volta todos os temas do a série e amarrou a temporada em um grande arco agradável".[45] Da mesma forma, Kripke acreditava que a revelação de John sendo possuído por Azazel em "Devil's Trap" tinha que ser, como ele completou as duas principais linhas da temporada—encontrar seu pai e rastrear o demônio—ao mesmo tempo, mas tinha que encontrar ambos os personagens em um corpo.[46]

Influências da cultura popular[editar | editar código-fonte]

Enquanto as lendas sobrenaturais e urbanas inspiraram muitos episódios, alguns aspectos do enredo foram influenciados pela cultura popular. A inspiração para a aparência do wendigo em "Wendigo" veio da criatura apresentada no vídeo da música "Come to Daddy" do Aphex Twin. As características humanas foram adicionadas ao projeto devido às origens humanas do wendigo, e a criatura foi dada a habilidade de imitar vozes humanas para criar um "efeito assustador".[47] No entanto, Kripke não estava satisfeito com a aparência final do wendigo, o julgando como "o primo alto e desajeitado de Gollum". Devido a isso, a criatura não é vista durante a maior parte do episódio.[48] Para cenas de metamorfose no episódio "Skin", Kripke escolheu basear a transformação na de Um Lobisomem Americano em Londres, usando próteses e maquiagem em vez de imagens geradas por computador.[49] Samara de The Ring influenciou o vilão titular em "Bloody Mary", embora Kripke sentiu que ela acabou parecendo muito semelhante ao personagem devido à sua aparência terrível e ao uso de quadros por segundo para criar um efeito de manipulação de tempo. O supervisor de efeitos visuais Ivan Hayden, por outro lado, acredita que foi mais uma homenagem.[50]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

Embora o episódio piloto tenha sido filmado em Los Angeles, as filmagens principais para o resto da temporada ocorreram em Vancouver, Columbia Britânica.[51] Lugares muitas vezes serviam como locais de filmagens, com grande parte de "Dead in the Water" acontecendo em Buntzen Lake eo clímax de "Wendigo" ocorrendo em uma mina Britannia Beach.[52][53] Da mesma forma, Riverview Hospital funcionou como uma instituição mental em "Asylum".[54] Embora a produção reciclou às vezes sets de outras séries da televisão—"The Benders" fez uso de uma cidade ocidental anteriormente-construída,[55] enquanto o armazém de "Shadow" originou a partir da série Tru Calling[56]—a maioria dos episódios geralmente exigem a construção de novos sets devido à constante mudança de cenários.[57] A equipe de produção, no entanto, criou sets de pé reutilizáveis ​​na forma de quartos de motel frequentado pelos Winchesters. Cada episódio apresenta um tema diferente para disfarçar o uso repetido do set de quartos de motel, com cores diferentes, colchas e cortinas sendo usadas. O episódio "Provenance", por exemplo, exibia um quarto de motel com temas de discoteca.[58]

Música[editar | editar código-fonte]

A mais sintetizada partitura orquestral da temporada foi composta por Christopher Lennertz e Jay Gruska.[59] Os dois tentam basear a música nas imagens de cada episódio,[60] com cerca de um terço da partitura de cada episódio sendo recém-escrito para a lenda sobrenatural.[59] Por exemplo, tomadas fora de ângulo em "Dead in the Water" são acompanhadas por notas repetitivas e discordantes. Além disso, as palavras faladas como "água" e "morrer" são seguidas por um passo menor, porque Lennertz sentiu que ele criou um "borbulhante" som de água.[60] Um violoncelo elétrico e sopros ajudaram a criar um grande tom emocional no episódio "Home", com Lennertz considerando que a sugestão final "se tornou um momento musical muito cinematográfico".[61] Para se encaixar com o ambiente do episódio em "Asylum", Gruska fez a música muito sutil; Lennertz sentiu que era "arrepiante" como "uma serpente que furtiva ao longo da terra".[62] Por outro lado, Lennertz combinava o tema dos evangelistas itinerantes em "Faith" usando um pequeno piano de 76 teclas que estava danificado e ligeiramente desafinado. Ele anexou pequenos itens, como moedas e clipes de papel para as chaves para criar um barulho, fazendo o piano parecer "velho e cagado".[63] Lennertz então tocou "música gospel" durante as cenas do sermão envolvendo os Ceifeiros.[59] Porque ele sentiu que havia também uma "vibração de vendedor de óleo de cobra" para o episódio, ele incluiu um duduk armênio devido à sua associação com encantamento de serpentes.[63] A pontuação de "Hell House", por outro lado, tinha um tom muito mais leve para coincidir com o humor do episódio. Por exemplo, a música para as cenas envolvendo os caçadores fantasmas "profissionais" usou instrumentos de percussão para imitar relativamente o tema de Mission: Impossible.[64]

Entretanto, os personagens recorrentes muitas vezes têm certos temas musicais ligados a eles. Para o episódio piloto, Lennertz usou um solo de piano com notas discordantes e reverberações para criar um efeito de eco "realmente desagradável" para as cenas envolvendo as mortes de Mary e Jessica nas mãos do demônio Azazel.[65] Lennertz retorna a isso em "Nightmare", inclusive quando Sam percebe a conexão que ele compartilha com o demônio e Max.[66] O episódio "Dead in the Water" foi o primeiro a usar o que Kripke sente que é a "emoção Winchester", que envolve notas de piano dolorosas e reverberantes em cima de cordas. Ele toca quando os irmãos fazem conexões com outros personagens.[60] Além disso, há variantes de uma linha de guitarra usada como "tema humorístico dos irmãos" em muitos episódios, incluindo "Pilot" e "Hell House", quando os irmãos estão se divertindo.[64] Com Gruska escrevendo o tema de Meg Masters para "Scarecrow", Lennertz reutilizou a música em "Shadow", mas "levou o assustador até um entalhe" para implicar para os espectadores que ela é "mais importante e mais diabólica" do que as outras criaturas no episódio.[67] Para o penúltimo episódio "Salvation", Lennertz incorporou elementos musicais utilizados ao longo da temporada.[68]

Além da partitura, a série faz uso de canções do rock, sendo a maioria selecionada da coleção particular de Kripke.[69] Entre as muitas bandas apresentadas na primeira temporada estão AC/DC, Blue Öyster Cult, Creedence Clearwater Revival, Lynyrd Skynyrd e Bad Company. As canções de rock também são geralmente apresentadas em "The Road So Far"—montagens no início de certos episódios que recapitulam eventos anteriores. Isso foi feito pela primeira vez com o episódio "Salvation", em que a temporada inteira foi recapturada por "Carry On Wayward Son" de Kansas, com o episódio subsequente—final da temporada—usando "Fight the Good Fight" de Triump.

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Para retratar os aspectos sobrenaturais do show, a série faz uso de efeitos visuais, especiais e maquiagem, assim como trabalho de dublê. Enquanto várias empresas foram contratadas para a produção do episódio-piloto em Los Angeles, os episódios seguintes sendo filmados em Vancouver exigiram uma nova equipe para ser contratada.[70] A empresa Entidade FX realizou os efeitos visuais para o episódio piloto,[71] with Ivan Hayden taking over as visual effects supervisor for the rest of the season.[72] com Ivan Hayden assumindo como supervisor de efeitos visuais para o resto da temporada. A equipe foi obrigada a projetar todos as tomadas do avião externo em "Phantom Traveler" a partir do zero usando imagens geradas por computador.[73] Além disso, eles criaram um efeito de manipulação de tempo para o vilão titular em "Bloody Mary" alterando a taxa de captura da câmera.[50] Randy Shymkiw atuou como supervisor de efeitos especiais,[74] e o departamento achou o episódio "Asylum" um grande desafio, porque uma cena tem o espírito vingativo colapso em pó. Eles fizeram moldes do tronco e das mãos do personagem e tiveram que encontrar a mistura perfeita para que os moldes continuassem sólidos, mas se desintegrando quando necessário.[75]

Os departamentos de efeitos especiais e visuais muitas vezes se sobrepõem, como na cena de morte de Mary Winchester no episódio piloto. Porque a personagem é fixada ao teto e queimada à morte, a atriz Samantha Smith foi requerida para se encontras em um assoalho com as duas tubulações do propano que jorram o fogo aproximadamente cinco pés afastado dela em um ou outro lado. Para a verdadeira queima da personagem, um corpo de papel machê foi acendido em um teto falso.[76] Quando a queima da criatura titular no episódio "Wendigo" não foi suficiente usando efeitos especiais, um manequim de armação de arame envolto em lã de aço foi então queimado, com a cena sendo composta na filmagem original para extrair a morte do wendigo.[53] Para fazer parecer que o Homem Gancho é invisível quando ele raspa seu gancho ao longo da parede para uma das cenas em "Hook Man", um fio foi colocado dentro de paredes de gesso e, em seguida, puxado para fora; o fio depois foi removido digitalmente na pós-produção.[74] No episódio "Bugs", o elenco teve que ser fechado em uma pequena área com centenas de abelhas, e foram picados apesar de terem usados trajes especiais com algemas costuradas em suas mangas e calças.[77] No entanto, as abelhas não aparecem bem na câmera, assim a maioria delas que aparecem na versão final foram adicionadas com CGI.[78]

Além dos efeitos digitais, a série também apresenta trabalho de dublê. Lou Bollo assumiu como coordenador de dublês após o episódio piloto,[79] e grandes cenas frequentemente envolvendo os atores, embora com acrobacias de dublês foram usadas ​​para certos momentos. Para a cena final do lago em "Dead in the Water", em que Dean deve salvar um garoto depois que ele é puxado debaixo de água por um espírito vingativo, Jensen Ackles teve que segurar o jovem ator enquanto eles foram derrubados dez pés na água por mergulhadores.[80] O ator retratando o espírito vingativo tinha que usar uma roupa de mergulho sob seu traje devido ao longo período de tempo que ele era obrigado a gastar no lago.[81] Ackles e Jared Padalecki executaram a maioria da cena de luta caracterizada em "Skin", e levaram somente quatro horas para aprenderem a coreografia da luta. No entanto, acrobacias de dublês foram trazidas para as cenas em que eles são jogados em estantes e através de uma mesa de café.[82] Para o episódio "Shadow", em vez de filmar no local exterior para a cena de Meg Masters sendo jogada para fora de uma janela para a rua abaixo, decidiu-se não descrever o impacto, em vez disso tendo os Winchester olhando para baixo em seu corpo após a aterrissagem. Assim, a filmagem do mesmo foi permitida a ter lugar no estúdio usando um corpo duplo.[83]

Ao longo da filmagem, várias cenas fazem uso de todos os três departamentos de efeitos. Para cenas envolvendo o espírito flutuante e ardente de Mary Winchester em "Home", um dublê pequeno e magro usando um terno de fogo foi aceso em fogo e levantado no ar em fios. Para a transição do espírito para a forma normal de Mary, Smith estava na frente de um fundo preto com o vento soprando sobre ela, e as duas cenas foram mais tarde combinadas na pós-produção.[84] Muitos aspectos entraram em filmagem da cena do acidente no final da temporada "Devil's Trap". Para as cenas de interiores usadas nos primeiros momentos do Impala sendo atingido, Jeffrey Dean Morgan, Padalecki e Ackles foram obrigados a sentar no carro, que estava na frente de um chroma key. Uma folha de Lexan colocada muito perto da janela do lado do passageiro protegeu os atores quando a janela foi quebrada e, ao mesmo tempo, os canhões sob a moldura explodiram pedaços de vidro de borracha para dar a aparência de que a janela explodiu sobre eles.[85] Para cenas da colisão real, o carro e o caminhão foram cableados junto por um guincho, e dirigidos um em direção ao outro. A intenção era que um canhão lançasse o Impala no ar no ponto de colisão, fazendo com que o carro deslizasse sem controle enquanto o caminhão afasta. No entanto, o carro ficou preso no pára-choque do caminhão, forçando o canhão a falhar e o caminhão ficar fora de controle. O caminhão começou a bater, mas o dublê que dirigia o salvou de virar. O erro acabou sendo benéfico para a cena, já que Kripke e o diretor Manners acharam que ela ficou "muito real".[86]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Após os quatro primeiros episódios de Supernatural exibidos em 2005, a emissora The WB decidiu encomendar uma temporada completa de 22 episódios para a série. Durante estes primeiros episódios, a série ficou em terceiro lugar em homens com idade entre 18–34 e 12–34 anos. A série também registrou um aumento de 73% nos homens com idades entre 18–49 anos do ano anterior, embora tenha ganhado apenas 4% no total de telespectadores, e mantido 91% dos telespectadores de Gilmore Girls.[87] A primeira temporada de Supernatural teve cerca de 3.81 milhões de telespectadores.[2]

Referências

  1. Bianco, Robert (24 de janeiro de 2006). «New CW: We'll have to watch and see» (em inglês). USA Today. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  2. a b «Season Program Rankings» (em inglês). ABC Medianet. 9 de maio de 2006. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  3. «Supernatural: Season 1» (em inglês). IGN. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  4. Stransky, Tanner (6 de setembro de 2006). «Supernatural: The Complete First Season (2006)». Entertainment Weekly (em inglês). Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  5. Neigher, Eric (10 de outubro de 2005). «Supernatural: Season One» (em inglês). Slant. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  6. Porter, Rick (5 de setembro de 2006). «'Supernatural: Season One'» (em inglês). Screener. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  7. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 20 de setembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  8. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 27 de setembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  9. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 4 de outubro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  10. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 11 de outubro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  11. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 18 de outubro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  12. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 25 de outubro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  13. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 1 de novembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  14. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 15 de novembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  15. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 22 de novembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  16. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 29 de novembro de 2005. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  17. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 18 de janeiro de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  18. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 24 de janeiro de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  19. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 7 de fevereiro de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  20. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 14 de fevereiro de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  21. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 22 de fevereiro de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  22. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 7 de março de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  23. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 4 de abril de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  24. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 11 de abril de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  25. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 18 de abril de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  26. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 25 de abril de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  27. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 2 de maio de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  28. «Weekly Program Rankings». ABC Medianet. 9 de maio de 2006. Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 15 de agosto de 2010 
  29. a b «On the futon with... "Supernatural" creator Eric Kripke» (em inglês). The Futon Critic. 4 de outubro de 2007. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  30. Knight, p.66
  31. Knight, p.140
  32. «Supernatural Impala» (em inglês). AppealDemocrat.com. 10 de janeiro de 2008. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  33. Knight, p.26
  34. Knight, p.109
  35. Knight, p.43
  36. Knight, p.63
  37. Knight, p.47
  38. a b Knight, p.71
  39. Knight, p.94
  40. Knight, p.95
  41. Knight, p.82
  42. Knight, p.81
  43. Knight, pp.104–105
  44. Knight, p.111
  45. Knight, p.110
  46. Knight, p.119
  47. Knight, p.27
  48. Knight, pp.23–24
  49. Knight, p.45
  50. a b Knight, p.37
  51. Knight, p.14
  52. Knight, p.28
  53. a b Knight, p.25
  54. Knight, p.60
  55. Knight, p.85
  56. Knight, p.86
  57. Knight, p.150
  58. Knight, p.103
  59. a b c «The Supernatural Music of Christopher Lennertz». Mania (em inglês). Demand Media. 27 de julho de 2006. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  60. a b c Knight, p.147
  61. Knight, p.59
  62. Knight, p.61
  63. a b Knight, p.73
  64. a b Knight, pp.91–92
  65. Knight, p.21
  66. Knight, p.78
  67. Knight, p.89
  68. Knight, p.113
  69. «Supernatural Creator Eric Kripke Answers Fan Questions – Part I» (em inglês). Eclipse Magazine. 23 de abril de 2008. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010 
  70. Supernatural season 3 DVD featurette "From Legends to Reality" 
  71. «Credits» (em inglês). EntityFX. Cópia arquivada em 28 de julho de 2010 
  72. Knight, p.144
  73. Knight, p.34
  74. a b Knight, p.48
  75. Knight, pp.60–61
  76. Knight, p.20
  77. Knight, pp.50–51
  78. Knight, pp.52–53
  79. Knight, p.41
  80. Knight, p.29
  81. Knight, p.30
  82. Knight, pp.42–43
  83. Knight, pp.88–89
  84. Knight, pp.56–57
  85. Knight, p.121
  86. Knight, pp.121–122
  87. Warner Bros. (Junho de 2005). «Supernatural» (em inglês). Cópia arquivada em 14 de agosto de 2010