Supernatural (série de televisão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Supernatural
Informação geral
Formato Série
Gênero Terror
Fantasia
Ação
Aventura
Mistério
Drama[1]
Duração 38–45 minutos
Criador(es) Eric Kripke
País de origem  Estados Unidos
Idioma original Inglês
Produção
Produtor(es) executivo(s) McG
David Nutter
Kim Manners
John Shiban
Phil Sgriccia
Sera Gamble
Ben Edlund
Jeremy Carver
Jim Michaels
Todd Aronauer
Adam Glass
Andrew Dabb
Brad Buckner
Eugenie Ross-Leming
Câmera Câmera única
Distribuída por Warner Bros. Television Distribution
Elenco Jared Padalecki
Jensen Ackles
Katie Cassidy
Lauren Cohan
Misha Collins
Mark A. Sheppard
Mark Pellegrino
Alexander Calvert
Compositor da música tema Jay Gruska
Christopher Lennertz
Empresa(s) de produção Kripke Enterprises
Wonderland Sound and Vision (2005–2013)
Warner Bros. Television
Localização Colúmbia Britânica, Canadá
Exibição
Emissora de televisão original The WB (2005–2006)
The CW (2006–presente)
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Formato de áudio Dolby Digital 5.1
Transmissão original 13 de setembro de 2005 (2005-09-13) – presente
N.º de temporadas 13
N.º de episódios 273 (lista de episódios)
Cronologia
Programas relacionados Supernatural: Bloodlines

Supernatural (Sobrenatural no Brasil e em Portugal) é uma série de televisão norte-americana de fantasia sombria e urbana criada por Eric Kripke produzida pela Warner Bros. Television em parceria com a Wonderland Sound and Vision, que estreou em 13 de setembro de 2005 na The WB Television Network, e depois tornou-se parte da programação da The CW Television Network. A série narra a história de dois irmãos, Sam Winchester e Dean Winchester, interpretados respectivamente por Jared Padalecki e Jensen Ackles, que caçam demônios, fantasmas, monstros e outras criaturas sobrenaturais no mundo.

Eric Kripke estava desenvolvendo Supernatural há quase dez anos; na sua ideia original, os Winchesters não existiam, a história baseava-se em jornalistas que relatava em suas notícias acontecimentos sobrenaturais. Como a The WB, emissora original do programa, não aprovou a ideia, Kripke reformulou o conceito da série e teve a aprovação. [2] Os produtores executivos originais são Kripke, McG e Robert Singer.

As filmagens da série ocorrem em Vancouver, no estado da Colúmbia Britânica, no Canadá. Seu episódio piloto foi visto por mais de 5,69 milhões de telespectadores, [3] e o índice de audiência dos quatro primeiros episódios levou ao canal The WB produzir uma primeira temporada completa de 22 episódios. Originalmente, Kripke planejou a série para três temporadas, mas posteriormente expandiu para cinco. A quinta temporada, que estreou em 10 de setembro de 2009, encerrou o enredo principal da série; [4] no entanto, devido ao aumento da audiência das quarta e quinta temporadas, a The CW decidiu continuar a exibição de Supernatural. A série foi renovada para uma décima terceira temporada no dia 8 de janeiro de 2017.

É exibida no Brasil pelo canal a cabo Warner Channel e pelo canal aberto, SBT, e pela Netflix;e em Portugal, pelos canais pagos AXN e Animax.

Temporadas[editar | editar código-fonte]

A série segue os irmãos Sam Winchester e Dean Winchester que viajam por toda a América em um Chevrolet Impala 1967 preto investigando e combatendo eventos paranormais e outras ocorrências inexplicáveis, muitas delas baseadas em lendas urbanas americanas e folclore, assim como diferentes criaturas sobrenaturais.

Temporada Episódios Exibição original
1 22 13 de setembro de 2005 - 4 de maio de 2006
2 22 28 de setembro de 2006 - 17 de maio de 2007
3 16 4 de outubro de 2007 - 15 de maio de 2008
4 22 18 de setembro de 2008 - 14 de maio de 2009
5 22 10 de setembro de 2009 - 13 de maio de 2010
6 22 24 de setembro de 2010 - 20 de maio de 2011
7 23 23 de setembro de 2011 - 18 de maio de 2012
8 23 3 de outubro de 2012 - 15 de maio de 2013
9 23 8 de outubro de 2013 - 20 de maio de 2014
10 23 7 de outubro de 2014 - 20 de maio de 2015
11 23 7 de outubro de 2015 - 25 de maio de 2016
12 23 13 de outubro de 2016 - 18 de maio de 2017
13 23 10 de outubro de 2017

Produção[editar | editar código-fonte]

Criação e concepção[editar | editar código-fonte]

Eric Kripke, o criador da série.

Antes de levar Supernatural para a televisão, o criador Eric Kripke tinha desenvolvido a série durante quase dez anos, [5]tendo sido fascinado por lendas urbanas desde que era criança.[6]Apesar de ter pensado em Supernatural como um filme,[7]passou anos tentando vender a ideia num formato de série de televisão.[8]O conceito passou por várias fases antes de se tornar no produto final, e mudou de uma antologia sobre o paranormal para um grupo de jornalistas que viajavam pelo país numa van "lutando contra demônios em busca da verdade".[6][9]Kripke queria que fosse uma série na estrada por achar que essa era "a melhor forma de contar essas histórias porque é puro, despojado e incomparavelmente americano... Estas histórias existem em várias pequenas cidades espalhadas por todo o país, e faz muito mais sentido chegar e ir embora destas histórias dirigindo". [6]Devido ao fato de já ter trabalhado anteriormente com a WB com a série Tarzan, Kripke teve a oportunidade de propor ideias de programas ao canal, e aproveitou a oportunidade para Supernatural.[7]Porém, o canal não gostou da sua ideia dos jornalistas, por isso Kripke decidiu que os personagens principais eram dois irmãos[10] e que eles são de Lawrence, no Kansas, devido à proximidade da cidade ao Stull Cemetery, um local famoso por suas lendas urbanas.[11]

Quanto ao nome que daria aos protagonistas, Kripke decidiu que se chamariam "Sal" e "Dean" como homenagem ao romance On the Road, de Jack Kerouac. Contudo, achou que "Sal" não era o melhor nome para um personagem principal e mudou-o para "Sam".[12] Originalmente, o último nome dos irmãos seria "Harrison" para fazer referência ao ator Harrison Ford, visto que Kripke queria que Dean tivesse "a presunção ousada e imprudente de Han Solo". Porém, havia um Sam Harrison que morava no Kansas, por isso o nome teve de ser mudado por razões legais. Para combinar o seu interesse na Winchester Mystery House e o seu desejo de dar um aspeto de "Western moderno" à série, Kripke deu-lhes o sobrenome de "Winchester". Contudo, também isto criou um problema. O nome original do pai de Sam e Dean era "Jack" e também havia um Jack Winchester no Kansas, o que forçou Kripke a mudar o nome do personagem para "John".[13]

"Dizemos que é um western americano moderno - dois pistoleiros que chegam à cidade, lutam contra os maus, beijam a moça e vão-se embora com o pôr-do-sol. E sempre dissemos, desde o princípio que, se íamos ter cowboys, tínhamos de lhes dar um cavalo confiável."
- Eric Kripke sobre a decisão de incluir o Impala.

Quando era mais jovem, Kripke gostava de ver séries em que o carro era um símbolo da mesma, como é o caso de The Dukes of Hazzard e Knight Rider. Isto levou-o a incluir um em Supernatural.[14] Originalmente queria que o carro fosse um Mustang de 65, mas o seu vizinho convenceu-o a mudá-lo para um Impala de 67, uma vez que "você não pode colocar um cadáver no porta-malas" e porque "queria um carro que, quando pára num sinal, faça as pessoas trancar as portas".[12] Kripke disse, "É o Rottweiler dos carros, e eu penso que isso dá mais autenticidade aos fãs de carros por causa disso, porque não é um carro bonito. É um carro agressivo, musculoso, e eu acho que é a isso que as pessoas reagem, porque se encaixa tão bem no tom do nosso programa".[15]

Kripke já tinha apresentado a série para Peter Johnson, um produtor executivo da Fox, e quando ele passou a ser presidente da Wonderland Sound and Vision, contratou Kripke. Pouco depois, Johnson envolveu-se no programa como coprodutor executivo, juntamente com McG, e a empresa de produção comprometeu-se a fazer o episódio piloto. Porém, antes do piloto começar a ser filmado, alguns problemas com o roteiro precisavam ser resolvidos. Originalmente, os irmãos não foram criados por seu pai, mas sim pelos seus tios. Assim, quando Dean pedia a ajuda de Sam no episódio piloto, tinha que convencer seu irmão sobre a existência do sobrenatural. Contudo, Kripke percebeu que desta forma o passado dos personagens principais teria sido muito complicado, e reescreveu o roteiro junto com Johnson de forma a que o pai de Sam e Dean os tivesse criado para serem caçadores. [16] O roteiro passou por várias revisões. Uma das ideias originais era a de Jessica, namorada de Sam, ser na verdade um demônio e que tal revelação levaria Sam a juntar-se a Dean na sua viagem; contudo, Kripke achava que era mais apropriado que a motivação de Sam fosse a morte de Jessica, por isso decidiu matá-la da mesma forma que matou a mãe dos irmãos. [17] Outro dos conceitos revistos foi o de Sam pensar que Dean era um assassino em série que matou o seu pai[18] e seria este quem morreria em vez de Jessica.[19] As filmagens do episódio piloto receberam luz verde após o diretor David Nutter, que já tinha trabalhado com Kripke em Tarzan, ter-se juntado ao projeto.[20] Quando o canal comprou a série completa, o estúdio contratou Robert Singer para produtor executivo uma vez que queriam que Kripke trabalhasse com alguém com experiência. O coprodutor executivo, John Shiban, também foi contratado para a ajudar a desenvolver a mitologia da série devido ao seu trabalho em The X-Files.[21] Kripke tinha um plano da mitologia para três temporadas, mas mais tarde expandiu-o para cinco[22] e esperava terminar a série em alta.[23]

Protagonistas[editar | editar código-fonte]

Jared Padalecki e Jensen Ackles, protagonistas da série.

Para interpretar os dois personagens protagonistas de Supernatural, os irmãos Sam e Dean Winchester, a escolha deu-se aos atores Jared Padalecki e Jensen Ackles, respectivamente. Kripke queria o mais semelhante o possível a Luke Skywalker e Han Solo de Star Wars. [24]

Padalecki conhecia os produtores executivos McG e David Nutter, [25] os primeiros a convencê-lo para fazer um teste para o papel de Sam. [26] O ator tornou-se interessado no papel graças ao seu gosto por séries de terror, como The X-Files e Twilight Zone, que ele achou semelhante a Supernatural. Ele também estava animado para interpretar "o herói relutante", comparando Sam a personagens como Neo de Matrix e Luke Skywalker de Star Wars. [25]

Ackles foi originalmente convidado por Nutter para fazer um teste para o papel de Sam, [27] mas o ator preferiu o personagem de Dean após ler o roteiro. [28]

Escrita[editar | editar código-fonte]

A equipe da primeira temporada consistiu de Kripke e outros cinco roteiristas, que ajudaram especialmente na pesquisa de lendas urbanas. [29] O tom da série foi muito influenciado por filmes como Poltergeist, onde os eventos paranormais ocorrem em um ambiente familiar ao invés de uma localização remota, Evil Dead II e Um Lobisomem Americano em Londres, onde, além do sobrenatural, há também uma boa dose de comédia. Comentando sobre o primeiro filme, Kripke acrescentou: "É a ideia de que o terror pode acontecer em seu próprio quintal. Quantos espectadores estão preocupados com um vampiro em um castelo abandonado?"[30] Outras influências incluem The Two Sisters os filmes de terror asiáticos The Eye, Ju-on e Ringu.[31] A partir da quarta temporada, com a introdução da mitologia cristã na trama, Kripke disse que se inspirou no poema épico Paraíso Perdido, de John Milton. [32] Kripke inicialmente não queria anjos para ser destaque em Supernatural, acreditando que Deus operou através de caçadores em vez de anjos. [33] No entanto, com tantos vilões demoníacos, ele e os roteiristas mudaram de idéia quando perceberam que a série precisava de anjos para criar uma "batalha cósmica". Como Kripke disse, "Nós tivemos o império, mas nós realmente não temos a rebelião". [34] Kripke sempre quis ter uma história com poucos personagens centrais, mas com grandes batalhas no fundo, comparável a Star Wars e O Senhor dos Anéis, e a introdução de anjos permitia isso a Supernatural. [35] Kripke descobriu que abriu muitas novas histórias. [34]

"Sempre foi uma série sobre a família, muito mais do que qualquer outra coisa. A mitologia é apenas um motor para levantar questões sobre a família. Um irmão mais velho cuidando de um irmão mais novo, querendo saber se você tem que matar a pessoa que você mais ama, a lealdade familiar contra a obrigação da família bem maior, em comparação com a felicidade pessoal ... "

—Eric Kripke

De acordo com Kripke, o objetivo original de Supernatural era concentrar-se apenas nos monstros semanais, com Sam e Dean sendo o único denominador comum em uma série de curtas-metragens de terror. [36] Seu único desejo era apenas "assustar as pessoas a fundo".[37] No entanto, em alguns episódios, Kripke e o produtor executivo Bob Singer perceberam a química na tela entre Jared Padalecki e Jensen Ackles. Essa revelação causou uma mudança na série, focando mais os irmãos que os próprios monstros, baseando o monstro semanal em torno do enredo que queriam para os Winchesters. Segundo Kripke, "... às vezes nós nem sequer temos o monstro até a maneira no final do intervalo, porque é mais importante focar os irmãos e a tensão e a ansiedade criada entre eles". [36]

Ao contrário de séries com a "mitologia infinita", como Lost, Kripke preferiu manter a mitologia de Supernatural simples, dizendo: "É tão difícil ir temporada após temporada, com um mistério e, em seguida, fornecer uma resposta que vai ser satisfatória." Ele optou ter a estrutura da série como o dos primeiros episódios de The X-Files, com episódios da mitologia baseada em propagação através de muitos episódios de autoincluído-Supernatural geralmente com três episódios de autofechado seguido por um episódio de mitologia. Com este formato, os telespectadores não precisam ter conhecimento prévio da mitologia, "podendo começar a acompanhar a série a qualquer momento". [38]

Música[editar | editar código-fonte]

A série apresenta uma síntese de incisão orquestral, apesar dos instrumentos reais, como violões e violoncelos serem usados raramente. Ao contrário de outros programas de televisão, Supernatural apresenta dois compositores: Christopher Lennertz e Jay Gruska. Eles escrevem temas para os seus próprios episódios e personagens e, trabalham um com o outro se há sobreposição entre os episódios. Enquanto canções originais são usadas em todos os episódios, um outro aspecto importante da série é o "Rock Clássico", que o criador Eric Kripke ameaçou encerrar por conta do elevado preço para adquirir direitos autorais. A maioria das canções é da coleção particular de Kripke, e uma de suas bandas favoritas, o Led Zeppelin, seja muito caro para usar, optou-se por bandas como Blue Öyster Cult e AC/DC, em mais de uma ocasião e Bon Jovi em apenas uma ocasião. Várias músicas são normalmente utilizadas ao longo de cada episódio, embora Kripke prefira manter uma linha fina entre a orquestra e as canções utilizadas. Por vezes Lennertz e Gruska são obrigados a escrever seções curtas de Rock para preencher lacunas de quinze a vinte segundos, devido ao alto custo para adquirir direitos autorais de músicas. Normalmente, no último episódio de cada temporada, a música "Carry On Wayward Son", de Kansas, é tocada no início. [39]

Local das filmagens[editar | editar código-fonte]

Embora o episódio piloto tenha sido filmado em Los Angeles, as filmagens principais tem lugar em Vancouver, na Columbia Britânica. Assim, as filmagens em locação geralmente ocorrem na área. O episódio "Dead in the Water" foi filmado no lago Buntzen, [40] e as cenas finais do episódio "Simon Said" foram filmados na barragem Cleveland. [41] Outros locais utilizados em Supernatural são muitas vezes reutilizados duas ou três vezes, com o departamento de arte fazendo alterações para dissimular isso. [42] O parque Heritage em Burnaby tem sido usado como um cemitério no episódio "Red Sky at Morning", e como a localização da casa do pão de gengibre no episódio "Bedtime Stories". Além disso, o hospital Riverview em Coquitlam tem servido muitos cenários para a série, incluindo um asilo no episódio "Asylum", um hospital no episódio "In My Time of Dying", e uma prisão no episódio "Folsom Prison Blues". Por causa dos episódios ocorrerem geralmente no meio do nada, as filmagens realizam-se muitas vezes em uma antiga base militar. Depois de ter sido fechada por anos, os edifícios foram removidos, deixando apenas as estradas em que conjuntos são erguidos, como para cenas em encruzilhadas. [43]

Distribuição online[editar | editar código-fonte]

Ao invés de ter a estreia da série na televisão, a WB fez o episódio piloto disponível para streaming on-line através do Yahoo! uma semana antes de ser definido para estreia no canal como parte de um projeto promocional.[44] Após a transição para The CW, episódios de Supernatural foram adicionados à iTunes Store da Apple a partir de dezembro de 2006, sendo uma das primeiras séries da CW a serem disponibilizadas para venda on-line.[45] No mês seguinte, a rede começou a transmitir episódios da série em seu site com interrupção comercial limitada, disponível por até quatro semanas após as aberturas iniciais.[46] A partir do dia 11 de janeiro de 2007, a Network Ten da Austrália também começou a oferecer episódios completos para download através do site, por meio de um acordo com a Warner Bros. Television. Para combater a pirataria, Ten estreou a segunda temporada cinco dias antes de sua transmissão inicial no país, tornando Supernatural o primeiro grande show de rede disponível para download gratuito na Austrália antes de ser exibido. Os episódios seguintes ficaram disponíveis on-line apenas algumas horas depois de serem televisionados.[47] Na mesma época, os episódios também foram disponibilizados para download no Xbox Live Marketplace da Microsoft.[48] Em setembro de 2008, a Amazon.com lançou seu novo serviço de TV on-demand, com Supernatural sendo um dos muitos programas de televisão disponíveis para venda.[49]

Lançamento de DVD e Blu-Ray[editar | editar código-fonte]

Temporada Episódios Data de lançamento de DVD e Blu-ray
Região 1 Região 2 Região 4
1 22 5 de setembro de 2005 (DVD)[50]
15 de junho de 2010 (Blu-ray)[51]
2 de outubro de 2006 (DVD)[52]
22 de agosto de 2011 (Blu-ray)[53]
6 de setembro de 2006 (DVD)[54]
27 de outubro de 2007 (Blu-ray)[55]
2 22 11 de setembro de 2007 (DVD)[56]
14 de junho de 2010 (Blu-ray)[57]
29 de outubro de 2007 (DVD)[58]
22 de agosto de 2011 (Blu-ray)[59]
3 de outubro de 2007 (DVD)[60]
26 de outubro de 2011 (Blu-ray)[61]
3 16 2 de setembro de 2008 (DVD)[62]
11 de novembro de 2008 (Blu-ray)[63]
25 de agosto de 2008 (DVD)[64]
10 de novembro de 2008 (Blu-ray)[65]
30 de setembro de 2008 (DVD)[66]
4 de março de 2009 (Blu-ray)[67]
4 22 1 de setembro de 2009[68] 2 de novembro de 2009[69] 6 de janeiro de 2010[70]
5 22 7 de setembro de 2010[71] 18 de outubro de 2010[72] 10 de novembro de 2010[73]
6 22 13 de setembro de 2011[74] 7 de novembro de 2011[75] 2 de novembro de 2011[76]
7 23 18 de setembro de 2012[77] 5 de novembro de 2012[78] 31 de outubro de 2012[79]
8 23 10 de setembro de 2013[80] 28 de outubro de 2013[81] 25 de setembro de 2013[82]
9 23 9 de setembro de 2014[83] 8 de junho de 2014[84] 8 de outubro de 2014[85]
10 23 8 de setembro de 2015[86] 21 de março de 2016[87] 9 de setembro de 2015[88]
11 23 6 de setembro de 2016[89] TBA 9 de setembro de 2016

Elementos recorrentes[editar | editar código-fonte]

The Colt[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: The Colt (Supernatural)

O Colt e as treze balas originais, foram feitas em 1835 por Samuel Colt. Este revólver é incapaz de matar apenas 5 seres em toda criação, além de ser a “chave” para abrir o Portal do Inferno. Seis das treze balas foram usadas, até chegar às mãos de um caçador chamado Daniel Elkins - que provavelmente usou duas balas — assassinado misteriosamente. E enquanto os irmãos investigavam o assassinato de Elkins, se depararam com um clã de vampiros que haviam roubado a Colt. Como os irmãos mantinham um vampiro do clã como refém, houve uma troca do vampiro pela Colt, mas acabam-na perdendo quando o revólver é entregue a Azazel, por John, devido ao pacto para ressuscitar Dean.

No episódio All Hell Breaks Loose - Parte Dois da segunda temporada, a última bala é usada para, enfim, matar Azazel. Além desta bala, as outras quatro restantes foram usadas pelos Winchesters. Uma por John ao matar o vampiro Luther, duas por Sam, uma na tentativa falha de matar Azazel, e outra quando atirou na perna de Azazel que estava possuindo John, e outra por Dean quando matou o filho de Azazel e irmão de Meg, Tom. Após All Hell Breaks Loose - Parte Dois pensou-se que o revólver havia tornado-se inútil, porém Ruby o conserta. Mas no episódio Dream a Little Dream of Me da terceira temporada, Bela rouba o Colt dos irmãos na esperança de negociá-lo com Lilith e assim tornar-se livre do pacto que havia feito 10 anos antes. Lilith aceita, embora com uma condição. Bela deveria matar Sam. Porém, ela não consegue, e o paradeiro da Colt segue indefinido durante toda a quarta temporada e durante os primeiros episódios da quinta temporada.

No episódio The End da quinta temporada, o Colt reaparece, revelando assim, que o mesmo não foi destruído. Novamente no episódio The Real Ghost Busters da quinta temporada, é revelado que o revólver está com um demônio chamado Crowley. Os irmãos o encontram e ele entrega o Colt aos irmãos, para que possam matar Lúcifer. No final deste episódio, Lúcifer é baleado por Dean, mas o mesmo não morre e ainda revela que existem cinco coisas que o Colt não pode matar, e que ele mesmo, Lúcifer, é uma delas.

Samuel Colt[editar | editar código-fonte]

Durante a produção da terceira temporada de Supernatural, Kripke afirmou que os escritores, por vezes, discutiram a possibilidade de uma série prequela (que se passava antes de Supernatural). Situado no Velho Oeste, o spin-off seguiria Samuel Colt e um grupo de caçadores.

Chevy Impala[editar | editar código-fonte]

Característico Chevrolet Impala (Chevy Impala)1967. Foi-lhe dado pelo seu pai, que o comprou em 1973 depois de Dean, que foi enviado para esse ano por Castiel, o ter convencido a compra-lo em vez de uma Volkswagen Kombi de 1964. O carro tem uma matrícula do condado de Sedgwick, Kansas (contudo, Lawrence, a terra natal dos irmãos é no condado de Douglas). O número da matrícula é KAZ 2Y5, uma referência ao Estado onde os Winchester nasceram e ao ano de estreia da série, 2005. A partir do episódio 2.20, a matrícula passa a ser do Ohio (CNK 80Q3) para ajudar os rapazes a esconderem-se do FBI.

O carro é uma das figuras mais proeminentes da série, pode até ser considerado um personagem. Logo no episódio piloto, é no Chevy Impala que John e os seus filhos observam a casa a arder. O carro é a coisa mais preciosa que Dean possui e este protege-o com quase tanta paixão como a sua família. No episódio piloto é também revelado que o porta-malas contém vários tipos de armas que ajudam os irmãos a lutar contra as criaturas sobrenaturais. Durante a primeira temporada, Sam desenha símbolos no porta-mala que são à prova de demônios, para transformar o porta-malas num local protegido para guardar a Colt, que eles estão tentando guardar a todo custo para matar o demônio dos olhos amarelos.

O Chevy Impala 1967, 4 portas foi criado na época do tão famoso American Way of Life com um motor V-8 350.

No último episódio da 5° temporada, é mostrado algumas características especiais do Chevy Impala, como o primeiro dono, que andava pelas estradas dos EUA, distribuindo bíblias para ajudar as pessoas, preparando-as para o dia do juízo final; um soldadinho de plástico que Sam colocou, quando era criança, no cinzeiro do carro, fato esse que ajudou Sam a controlar Lúcifer que estava em posse de seu corpo. E também é mostrado que Dean, quando criança, colocou peças de lego dentro da ventilação do Impala, e mesmo depois de reconstruí-la manteve essas pequenas coisas, pois são essas coisas que a fazem especial. Mas ao longo das temporadas Sam e Dean sempre utilizam o carro.

A faca de Ruby[editar | editar código-fonte]

Ruby tem em sua posse uma faca misteriosa e presumivelmente mágica. Já foi vista e utilizada várias vezes durante a 3ª e 4ª temporadas, principalmente como instrumento para matar demônios. Quando é esfaqueado numa área vital, tanto o demônio como o humano que este possui sofrem de morte imediata. O demônio que possui o humano convulsa violentamente, tal como se fosse alvejado pela Colt. Depois tremeluz, mas, ao contrário do que acontece com um exorcismo, não é expulso fumo negro do corpo, devido ao fato de o demônio estar morto. Foi dito por Henry Winchester, avô paterno dos irmãos que um demônio não pode ser morto a não ser por uma faca antiga dos Curdos, que fica surpreso quando a vê em posse de Dean, mas como foi criada ou porque mata demônios nunca foi revelado. Em comparação com a Colt, que só não mata cinco coisas em toda a criação, esta faca só funciona em demônios com exceção a Alastair e Abbadon, podendo matar até cães do inferno como mostrado na 8.ª temporada. Apesar da personagem estar morta, sua faca é usada ainda, tendo já sido usada por um outro demônio chamado Meg. É dito a que a faca foi feita pelo povo Curdo, especificamente para ferir ou destruir demônios, entretanto, a técnica utilizada para sua criação ou mesmo porque desta lâmina matar demônios ainda não foi revelado.

A Primeira Lâmina (The First Blade)[editar | editar código-fonte]

A primeira lâmina, também conhecida como espada de Caim, foi a arma utilizada por Caim para matar o seu irmão Abel. É uma poderosa arma rudimentar, formada a partir da mandíbula de um jumento. Para ser utilizada, o portador deverá possuir a marca de Caim, que lhe foi dada por Lúcifer após ter matado seu irmão. A lâmina possui um grande poder e transforma o utilizador em um assassino cruel com poderes progressivos e ilimitados. Caim foi encontrado por Dean e Crowley na 9ª temporada e assim, forneceu a Dean a sua marca para a utilização da primeira lâmina.

Impacto[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Após os quatro primeiros episódios de Supernatural exibido em 2005, The WB decidiu encomendar a série para uma temporada completa de 22 episódios. Durante esses primeiros episódios, a série ficou em terceiro lugar em homens com idade entre 18-34 e 12-34. Também registou um aumento de 73% nos homens com idades compreendidas entre os 18 e os 49 anos em relação ao ano anterior, embora apenas ganhasse 4% no total de telespectadores, e manteve 91% dos telespectadores de Gilmore Girls.[90] Supernatural teve avaliações baixas durante sua segunda temporada, com os espectadores consistindo principalmente de meninas adolescentes, e The CW tentando atrais mais espectadores masculinos. [91] O futuro da série estava em dúvida no final da segunda temporada.[92] Apesar das avaliações medíocres no ano precedente, ela estava de volta para uma terceira temporada.[93] Embora a classificação de sua terceira temporada foi baixa, ela fez bem com os espectadores com idade entre 18-49 anos. Nesta categoria, classificou a oitava de todas as séries de retorno transmitidas por uma grande rede.[94] A série recebeu uma encomenda adiantada para sua quarta temporada.[95] As classificações da série aumentaram em sua quarta temporada.[96] A estreia da quarta temporada foi ao ar em 18 de setembro de 2008, com a média de sua audiência mais alta desde sua estreia no The CW com 3,96 milhões de telespectadores, 33% na estréia da temporada e 1,7 / 5 nos adultos de 18-49, 42 % do ano anterior.[97] Em 16 de outubro de 2008, a série foi vista por 3,06 milhões de espectadores, fazendo a menor audiência da temporada. Em 30 de outubro de 2008, a série subiu para seu melhor desempenho em adultos 18-34 (1,4 / 4), adultos 18-49 (1,5 / 4) e espectadores total (3.6 mil) desde a sua estreia na temporada em 18 de setembro de 2008.[98] Para a estreia da quinta temporada, a audiência aumentou 6% nas mulheres de 18-34 (1,7 / 5) durante a estreia da quarta temporada.[99] No entanto, Tendo em conta as visualizações DVR com os novos dados do Live-Plus 7 Day, a audiência total para a estreia aumentou 38%, com mulheres de 18-34 aumentando em 35% e adultos de 18-34 em 47%.[100]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

À exceção da argumentista Raelle Tucker que recebeu o Constellation Award de "Melhor Argumento de Ficcção Cientifica de 2007" pelo episódio "What Is and What Should Never Be", a série, o elenco e a equipe técnica já foram nomeados várias vezes. O episódio piloto foi nomeado para dois Emmy em 2006, o compositor Christopher Lennertz foi nomeado na categoria de Melhor Banda Sonora Dramática. Os editores de som receberam uma nomeação de Melhor Edição de Som. Os mesmos foram mais tarde nomeados na mesma categoria em 2008 pelo episódio "Jus in Bello". O episódio piloto também foi nomeado para um Golden Reel Award na categoria de Melhor Edição de Som de Televisão. Os episódios "Salvatin" e "All Hell Breaks Loose, Part 2" foram nomeados na mesma categoria em 2007 e 2008. Além disso, a série também foi nomeada para um Saturn Award na categoria de Melhor Série em Canal Aberto em 2006, 2008 e 2009.

Também teve nomeações nos Teen Choice Awards de 2006 nas categorias de Programa de TV Revelação e Estrela de TV Revelação (Jensen Ackles). Vários anos mais tarde, a série foi nomeada para Série de TV de Fantasia ou Ficção Científica. Jared Padalecki recebeu uma nomeação na categoria de Ator de TV: Drama em 2007. Em 2009, a série foi nomeada para um People's Choice Award na categoria de Série de Ficção Científica ou Fantasia Preferida e também para um prêmio GLAAD na categoria de Melhor Episódio Individual (numa série sem uma personagem homossexual regular) pelo episódio da terceira temporada "Ghostfacers", acabando por vencer o People's Choice Award em 2010. O elenco não regular da série também já recebeu várias nomeações.

Em 2007, Colby Paul foi nomeado para um Young Artist Award na categoria de Melhor Ator de TV (Comédia ou Drama) - Ator Convidado seguido em 2008 por Nicholas Elia na mesma categoria pelo episódio da terceira temporada "The Kids Are Alright" e Conchita Campbell pelo episódio "Playthings". Jessica Harmon foi nomeada em 2008 para um Leo Award na categoria de Melhor Atriz Convidada Numa Série de Drama pelo episódio da segunda temporada "All Hell Breaks Loose, Part 1", assim como Mandy Playdon que foi nomeada no ano seguinte pelo episódio "Family Remains". Em 2010 Os Constellation Awards nomearam Jensen Ackles e Misha Collins para Melhor Ator num Episódio de Ficção Cientifica de 2009 (pelos episódios da quinta temporada "The End" e "The Rapture", respectivamente), Alona Tal para Melhor Atriz Num Episódio de Ficção Científica de 2009 (pelo episódio "Abandon All Hope") e Sobrenatural para Melhor Série de Ficção Científica de 2009. No final de 2010, Sobrenatural venceu a capa da revista TV Guide, e no início de 2012 a série é indicada para duas categorias no People's Choice Awards, ganhando ambas. Em 2015, Misha Collins e Jensen Ackles levam o award do Teen Choise para Melhor Quimica da TV, pelo casal não-oficial "Destiel".

Recepção[editar | editar código-fonte]

Tanner Stransky da Entertainment Weekly, deu a nota B à primeira temporada, dizendo que a série "dá a impressão de ser uma apresentação semanal de filmes de terror", mas que "o Chevy Impala de 67 e a trilha sonora dão-lhe credibilidade."[101] Jeff Swindoll do Monsters and Critics "gostou muito" da primeira temporada [102] devido ao seu "conteúdo de terror e à química de irmãos dos protagonistas". Também destacou que a temporada terminou "com um estrondo de suspense para a próxima temporada." [103] Swindol também gostou da segunda temporada e disse que "ainda funciona graças à química fraterna de Padalecki e Ackles" e que a segunda temporada se tinha centrado mais na mitologia da série. Swindoll também gostou da terceira temporada e disse que "Eric Kripke deve ter vendido a alma ao diabo para a série não sofrer uma queda na terceira temporada." Ao crítico também agradaram os momentos que envolveram o personagem de Bobby Singer (Jim Beaver), comparando-o ao personagem Cooter da série Dukes of Hazzard.[104] Contudo, Daniel Bettridge da Den of Geek! acredita que a greve dos roteiristas prejudicou a temporada, com muitos pontos deixados sem solução e o último episódio dar a sensação de ter sido "um pouco apressado". Ele também achou que as novas personagens femininas, Ruby (Katie Cassidy) e Bela (Lauren Cohan), foram "de uma forma decepcionante, mal exploradas e usadas ineficazmente."[105] Enquanto Diana Steenberg do IGN gostou do fato de ter existido uma história principal durante toda a temporada, com o pacto de Dean, isso fez com que os episódios individuais parecessem atos secundários que encheram até a história principal se desenvolver.[106] Em 2008, a AOL TV colocou o programa na sua lista dos "Maiores Prazeres Culpados da TV". [107]

Misha Collins, interpréte de Castiel.

Outro crítico do Monsters and Critics, June L., fez uma crítica positiva da quarta temporada, dizendo que a série se manteve "intrigante e divertida e deu muito que pensar aos espectadores em termos da análise filosófica da natureza do bem e do mal." [108] Steenberg achou que a série fez a transição de "uma série bem boa para uma série mais do que boa". Elogiou Misha Collins pela forma como interpretou o anjo Castiel e achou que as interações entre Dean e Castiel foram "um dos pontos altos da temporada".[109] Antes da estreia da quinta temporada, a revista Rolling Stone escolheu a série como uma das "50 Melhores Razões para Assistir TV", citando Sam e Dean Winchester como o "Bo e Luke da caça de demônios." Maureen Ryan do The Chicago Tribune escolheu Supernatural entre as suas dez melhores séries de 2009, afirmando que "a série bem pensada arriscou-se mais e tornou-se mais criativa em 2009, com episódios hilariantes e inovadores e a correr mais riscos com as suas histórias." [110] Mike Hale do The New York Times também incluiu a série na sua lista de dez melhores desse ano. "Supernatural é atualmente uma das séries mais loucas e divertidas do horário nobre."[111]

Em 2012, a Entertainment Weekly listou a série na posição #19 no "25 Melhores Shows de TV dos últimos 25 anos", dizendo: "Supernatural começou com uma premissa bastante simples - caras quentes matam coisas assustadoras - mas não ficaria assim por muito tempo. Os personagens literalmente foram ao inferno e voltaram, e ao longo do caminho, eles teceram uma mitologia complexa e envolvente cheia de amigos (anjo Castiel), inimigos recorrentes (demônio Crowley), e piadas (Wincest!). Supernatural tem também, no entanto, episódios dedicados a zombar dos aspectos mais tolos de sua própria existência, como seu fandom exagerado. Esta abordagem autorreferencial premiou os espectadores de longa data e ajudou a construir uma comunidade tão apaixonada, é quase assustador ". [112]

Fandom[editar | editar código-fonte]

Seguidores da série na Comic-Con 2015 em Londres fazendo cosplays de personagens como Sam, Dean, Castiel, Meg e alguns gladiadores do episódio "LARP and the Real Girl".

Sendo uma série cult, Supernatural tem atraído uma base de fãs dedicados.[113] O Fandom é ativamente online na Internet, em redes sociais e forúns[114] e muitos têm escrito histórias fanfic sobre a série, que vão desde Wincest (o emparelhamento romântico dos irmãos Dean e Sam Winchester) para Destiel (o emparelhamento romântico de Dean Winchester e Castiel) para vários outros pares de personagens. Os escritores referenciaram isto várias vezes na série,[115] incluindo o episódio 200, que faz referências a Wincest, Destiel e Sastiel (o emparelhamento romântico de Sam Winchester e Castiel).[116] As primeiras convenções de fãs dedicados a Supernatural ocorreram em Nashville, Tennessee, em outubro de 2006[117] e em Londres em maio de 2007,[118] e as convenções desde então se expandiram para a Alemanha e em todo os Estados Unidos. As estrelas da série e grande elenco convidado fazem aparições,[119] com os fãs dos Estados Unidos, Europa, China e Austrália participando.

Antes da estréia da quinta temporada da série, em que Lúcifer é finalmente libertado de sua prisão, os fãs tentaram promover o show através do Twitter. Muitos fãs postaram a hashtag "#LuciferIsComing" que a transformou em "tópicos de tendências"[120][121] - uma lista retratando palavras e frases publicadas com a maior frequência no site.[122] No entanto, os usuários do Twitter que não sabiam das intenções dos fãs responderam com vários posts de "#GodIsHere", e o tópico foi bloqueado dos tópicos de tendências do Twitter após reclamações. O ator Misha Collins, que interpreta Castiel na série, tentou continuar a campanha pedindo que os fãs publicassem "#PDiddyIsScaredOfHisTV", sendo o rapper P. Diddy o que muitos fãs acreditam ser o instigador da repercussão inicial.[120][121] No entanto, depois de uma hora, esta tentativa de tendência do tema também foi bloqueada pelo Twitter.[123]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Mercadoria[editar | editar código-fonte]

Supernatural tem uma vasta quantidade de mercadoria disponível, incluindo calendários, camisetas, copos de doses, tatuagens temporárias e cartazes.[124] Inkworks lançou cromos da série, algumas cartas com autógrafos de atores e amostras de trajes reais usados na série.[125]

O Supernatural Role Playing Game (um jogo de de RPG de mesa) foi desenvolvido por Margaret Weis Productions, Ltd.[126] Originalmente programado para lançamento em outubro de 2007,[127] foi adiado até agosto de 2009.[128] O jogo usa material da série, novelas e quadrinhos.[127] Além disso, em 7 de setembro de 2010, Watertower Music lançou Supernatural: Original Television Soundtrack - Seasons 1-5. Apresenta 18 trilhas originais por compositores da série Christopher Lennertz e Jay Gruska.[129] Funko também lançou três figuras de ação Pop! de Dean, Sam e Castiel em 21 de novembro de 2013.[130]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A série também tem desenvolvido um universo expandido. Quatro minissérie de seis edições foram publicados pela editora de histórias em quadrinhos Wildstorm, uma subsidiária da DC Comics.

  • Supernatural: Origins retrata o início da vida de John, Sam e Dean Winchester, e mostra como John se tornou um caçador. [131]
  • Supernatural: Rising Son, "uma história de família disfuncional", detalha Dean quando ele começa a seguir os passos de seu pai.
  • Supernatural: Beginnings End mostra os acontecimentos definitivos que levaram Sam a deixar sua família para participar de Stanford. [132]
  • Supernatural: Caledonia, nomeado Supernatural : The Dogs of Edinburgh, no Reino Unido, mostra a viagem de Sam Winchester para o Reino Unido enquanto está em Stanford. [133]

As duas primeiras minisséries, Origins e Rising Son, foram escritas por Peter Johnson, um dos coprodutores executivos da série de televisão, enquanto a terceira, Beginnings, foi escrita pelos roteiristas da série de televisão Andrew Dabb e Daniel Loflin. [132] O quadrinista Geoff Johns foi responsável pela backup story da primeira edição de Origins. [131] Embora Kripke foi fortemente envolvido com Origins, a greve dos roteiristas o impediu de ter o mesmo envolvimento com Rising Son.[134] A quarta e última minissérie, Caledonia, foi escrita pelo aclamado escritor Brian Wood. [133]

Romances[editar | editar código-fonte]

Vários romances baseados na série foram também publicados.

Título Escritor Publicação Publicação ISBN
Nevermore Keith R.A. DeCandido 31 de julho de 2007 HarperEntertainment ISBN 0-06-137090-8
Witch's Canyon Jeff Mariotte 30 de outubro de 2007 HarperEntertainment ISBN 0-06-137091-6
Bone Key Keith R.A. DeCandido 26 de agosto de 2008 HarperEntertainment ISBN 0-06-143503-1
Heart of the Dragon Keith R.A. DeCandido 16 de fevereiro de 2010 Titan Books ISBN 1-84856-600-X
The Unholy Cause Joe Schreiber 4 de maio de 2010 Titan Books ISBN 1-84856-528-3
The War of the Sons Rebecca Dessertine e David Reed 31 de agosto de 2010 Titan Books ISBN 1-84856-601-8
One Year Gone Rebecca Dessertine 24 de maio de 2011 Titan Books ISBN 0-85768-099-4
Coyote's Kiss Christa Faust 12 de julho de 2011 Titan Books ISBN 0-85768-100-1
Night Terror John Passarella 13 de setembro de 2011 Titan Books ISBN 0-85768-101-X

Spin-offs[editar | editar código-fonte]

Durante a produção da terceira temporada de Supernatural, Kripke e os roteiristas às vezes discutiam a possibilidade de uma série prequela, ou seja, que se passasse antes do enredo da série principal. O spin-off mostraria as aventuras de Samuel Colt e um grupo de caçadores no Velho Oeste. Kripke disse, "Quem sabe, talvez um dia eu vou ser capaz de contar essa história." [135]

Ghostfacers[editar | editar código-fonte]

Dada a crescente popularidade dos personagens de Ed Zeddmore e Harry Spangler, Kripke considerou um spin-off dedicado aos Ghostfacers (No Brasil, Os Encara-Fantasmas), um grupo amador de caça sobrenatural. Ele discutiu a ideia com os atores A.J Buckley e Travis Wester, e teve uma reunião bem sucedida com os produtores executivos da The CW. [136]Embora Kripke anunciou planos para produzir uma websérie durante a Comic-Con de 2008, [137] a greve dos roteiristas atrasou a produção até 2009. [136]

Buckley e Wester, juntamente com Patrick J. Doody e Chris Valenziano, escreveu a série. [136]Eles constataram o formato de dez segmentos de três minutos[138]—difícil de dirigir, pois cada webisódio tem que trabalhar tanto individualmente como parte do enredo geral. [136]No entanto, Wester observou: "Nós não poderíamos ficar muito indulgente, não poderíamos aprofundar longas conversas. Isso ajuda não só com a narração de histórias, mas com a comédia ... Com drama, é preciso tempo para estabelecer uma conexão emocional com os personagens. Com comédia, você pode saltar para a direita." [136] A série também é estrelada por Brittany Ishibashi como Maggie e Austin Basis como Spruce. [138] Embora uma ideia inicial de Kripke envolvia o elenco em busca de reais casas assombradas, [137] a websérie apresenta os Ghostfacers investigando um teatro que acredita-se ser assombrado pelo fantasma de uma jovem (interpretada por Kelly Carlson). [138]

Em 23 de outubro de 2011, AJ Buckley postou em sua conta no Twitter uma ligação para um webisódio especial onde os Ghostfacers conhecem Castiel. [139]

Supernatural: The Animation[editar | editar código-fonte]

Supernatural: The Animation.

Em 9 de junho de 2010, o site oficial da Warner Bros. do Japão anunciou uma versão em anime da série intitulada Supernatural: The Animation (スーパーナチュラル・ザ・アニメーション), que estreou no Japão em janeiro de 2011. [140] A série foi produzida pelo conhecido estúdio de animação japonês Madhouse, o mesmo que criou Death Note. [141] Shigeyuki Miya e Atsuko Ishizuka foram os diretores e Eric Kripke recebeu créditos como criador do projeto.[142] O cofundador da Madhouse, Masao Maruyama foi o produtor executivo, Naoya Takayama supervisionou os roteiros e Takahiro Yoshimatsu desenhou os personagens. Yūya Uchida e Hiroki Touchi, que dão as vozes de Sam e Dean na dublagem japonesa da série em live action, reprisam seus respectivos papéis.

A série de anime teve uma temporada de 22 episódios; a história abrange as primeiras duas temporadas da série em live action, mas também incluem algum material original que explora a infância dos Winchester, o desenvolvimento de alguns personagens secundários e vilões exclusivos para o anime.[143] A Warner Home Video lançou os primeiros dois episódios em Blu-ray e DVD no Japão em 23 de fevereiro de 2011; os episódios a partir do terceiro e até ao décimo-segundo foram lançados em 9 de março de 2011 e os restantes no dia 27 de abril.[144]

Jared Padalecki dublou Sam na dublagem em inglês do anime, enquanto Jensen Ackles dublou Dean apenas nos dois últimos episódios, por razões de programação; Andrew Farrar dublou Dean nos 20 primeiros episódios. [145]

Notas

Referências

  1. Erickson, Hal. «Supernatural [TV Series]». AllMovie. Consultado em 16 de fevereiro de 2014 
  2. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.6
  3. «Weekly Program Rankings» (em inglês). ABC Medianet. 20 de setembro de 2005 
  4. De Leon, Kris (1 de setembro de 2009). «Show Creator Eric Kripke Determined to End 'Supernatural' at Season 5». BuddyTV (em inglês). Consultado em 28 fevereiro de 2010 
  5. Bill Keveney (17 de agosto de 2005) 'Supernatural' is an eerie natural for WB Página visitada a 21 de abril de 2011
  6. a b c Fernandez, Maria Elena (5 de janeiro de 2005).On the road trip from hell Melbourne: The Age. Página visitada a 21 de abril de 2011
  7. a b Donahue, Lauri (7 de setembro de 2005). Kripke goes for ‘Supernatural’ chills Toledo Free Press. Página visitada a 21 de abril de 2011
  8. Children of the damned The Sydney Morning Herald. (16 de janeiro de 2006). Página visitada a 21 de abril de 2011
  9. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.8
  10. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.6
  11. Supernatural: Your Burning Questions Answered! TV Guide (12 de outubro de 2006). Página visitada a 21 de Abril de 2011
  12. a b Fact scarier than fiction The Daily Telegraph. (8 de março de 2007). Página visitada a 21 de abril de 2011
  13. Angie Rentmeester & Noelle Talmon (14 de fevereiro de 2008). A 'Supernatural' Spin-Off? Death By Bad Taco? Series Creator Eric Kripke Explains Página visitada a 21 de abril de 2011.
  14. Appeal-Democrat. 10 de Janeiro de 2008 Supernatural Impala Página visitada a 21 de abril de 2011
  15. Appeal-Democrat. 10 de Janeiro de 2008 Supernatural Impala Página visitada a 21 de Abril de 2011
  16. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), pp.8-10
  17. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p. 13
  18. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p. 14
  19. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.11
  20. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.10
  21. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.12
  22. Eric Kripke Fields Your Questions About Supernatural TV Guide. (15 de fevereiro de 2007). Página visitada a 21 de abril de 2011.
  23. Supernatural Creator Eric Kripke Answers Fan’s Questions – Part III Eclipse Magazine. Página visitada a 21 de abril de 2011
  24. Varias (5 de setembro de 2006). Supernatural season 1 DVD featurette "Supernatural: Tales From The Edge Of Darkness" (DVD) (em inglês). Warner Bros. 
  25. a b «Supernatural interview with Jared Padalecki (Sam Winchester)». Newzline (em inglês). 7 de fevereiro de 2007 
  26. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p. 126
  27. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p. 130
  28. Mumtaj Begum (12 de setembro de 2008). «Jensen Ackles enjoys doing Supernatural». The Star Online (em inglês) 
  29. Lauri Donahue (7 de setembro de 2005) Kripke goes for ‘Supernatural’ chills Toledo Free Press. Página visitada a 20 de abril de 2011
  30. Fact scarier than fiction The Daily Telegraph. 8 de março de 2007. Página visitada a 20 de abril de 2011
  31. The Supernatural Panel - Comic-Con Report TV Squad. 29 de julho de 2009. Página visitada a 20 de abril de 2011
  32. «Eric Kripke tells Comic-Con fans what to expect from Season 5» (em inglês) 
  33. Williams, Don (3 de dezembro de 2007). «'Supernatural' Creator Nixes Divine Intervention». buddyTV (em inglês) 
  34. a b «Interview: Eric Kripke from Supernatural». Fanbolt (em inglês). 31 de julho de 2009 
  35. Ryan, Maureen (26 de agosto de 2009). «'It's the fun Apocalypse': Creator Eric Kripke talks Supernatural». Chicago Tribune (em inglês) 
  36. a b Maureen Ryan (26 de agosto de 2009) 'It's the fun Apocalypse': Creator Eric Kripke talks 'Supernatural'
  37. Mumtaj Begum Team spirit The Star Online. 14 de setembro de 2010. Página visitada a 20 de abril de 2011
  38. Brian Ford Sullivan (4 de outubro de 2007). «On the Futon with... "Supernatural" Creator Eric Kripke» (em inglês). The Futon Critic 
  39. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.148
  40. Knight, Nicholas, (Season 1 Companion), p.28
  41. Knight, Nicholas, (Season 2 Companion), p.40
  42. Knight, Nicholas, (Season 3 Companion), p.134
  43. Knight, Nicholas, (Season 3 Companion), p.133
  44. «New drama 'Supernatural' gets online jump». USA Today (em inglês). 6 de setembro de 2005 
  45. Fritz, Ben; Adalian, Josef (17 de dezembro de 2006). «CW goes digital with iTunes». Variety (em inglês) 
  46. «The CW Expands Its Online Offerings by Streaming Several Primetime Series for Free on CWTV.com» (em inglês). The Futon Critic. 19 de janeiro de 2007 
  47. «Supernatural is first online». The Daily Telegraph (em inglês). 10 de janeiro de 2007 
  48. Kaufman, Joanne (9 de julho de 2007). «Gamers turn to XBox Live for movies». The New York Times (em inglês) 
  49. «Amazon.com launches new TV store». Forbes (em inglês). 17 de setembro de 2008. Consultado em 20 de setembro de 2008 
  50. Lacey, Gord (4 de maio de 2006). «Supernatural - Supernatural data e extra para a 1ª temporada». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 22 de setembro de 2009 
  51. «Supernatural: A Primeira Temporada Completa [Blu-ray] (2010)». Amazon.com. Consultado em 11 de maio de 2012 
  52. «Supernatural - A Primeira Temporada Completa (DVD)». Amazon.co.uk. Consultado em 23 de setembro de 2009 
  53. «Supernatural - 1ª Temporada Completa [Blu-ray] [2011] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de maio de 2012 
  54. «Supernatural - 1ª Temporada Completa (6 Discos Definidos)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2006 
  55. «Supernatural - A 1ª Temporada Completa (3 Discos Definidos) (Blu-ray)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  56. Lambert, David (23 de maio de 2007). «2ª Temporada Marcada Para Setembro: Data, Extras e Muito Mais». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 22 de setembro de 2009 
  57. «Supernatural: The Complete Second Season [Blu-ray] (2006)». Amazon.com. Consultado em 11 de maio de 2012 
  58. «Supernatural - The Complete Second Season (DVD)». Amazon.co.uk. Consultado em 23 de setembro de 2009 
  59. «Supernatural - Season 2 Complete [Blu-ray] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de maio de 2012 
  60. «Supernatural - The Complete 2nd Season (6 Disc Set)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  61. «Supernatural - The Complete 2nd Season (3 Disc Set) (Blu-ray)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  62. Lambert, David (3 de junho de 2008). «Supernatural - A Supernatural Press Release for the 3rd Season DVD Package». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 22 de setembro de 2009 
  63. «Supernatural: The Complete Third Season [Blu-ray] (2007)». Amazon.com. Consultado em 11 de maio de 2012 
  64. «Supernatural - The Complete Third Season (DVD)». Amazon.co.uk. Consultado em 23 de setembro de 2009 
  65. «Supernatural - Season 3 Complete [Blu-ray] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de maio de 2012 
  66. «Supernatural - The Complete 3rd Season (5 Disc Set)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  67. «Supernatural - The Complete 3rd Season (3 Disc Set) (Blu-ray)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  68. Lambert, David (3 de junho de 2009). «Supernatural - Official Announcement of Season 4 DVDs & Blu-rays Brings Date, Specs & Bonus Material». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 22 de setembro de 2009 
  69. «Supernatural - Complete Fourth Season [Blu-ray]». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de maio de 2012 
  70. «Supernatural - The Complete 4th Season (4 Disc Set) (Blu-ray)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  71. Lambert, David (16 de junho de 2010). «Supernatural - The Complete 5th Season DVD and Blu-ray Announced: Extras, 3D Box Art, More!». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 20 de junho de 2010 
  72. «Supernatural - Complete Fifth Season [Blu-ray]». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de maio de 2012 
  73. «Supernatural - The Complete 5th Season (4 Disc Set) (Blu-ray)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  74. Lambert, David (15 de junho de 2011). «Supernatural - 'The Complete 6th Season' Formally Announced by Warner for Blu-ray Disc and DVD». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 5 de novembro de 2011 
  75. «Supernatural - Season 6 Complete [Blu-ray] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de maio de 2012 
  76. «Supernatural - The Complete 6th Season (4 Disc Set) (Blu-ray)». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  77. Lambert, David (6 de junho de 2012). «Supernatural - 'The Complete 7th Season' is Officially Announced for DVD, Blu: Date, Extras, Packaging». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 5 de novembro de 2012 
  78. «Supernatural - Season 7 Complete (Blu-ray + UV Copy) [2012] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 14 de maio de 2014 
  79. «Supernatural: Season 7». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2012 
  80. Lambert, David (5 de junho de 2013). «Supernatural - 'The Complete 8th Season' Announced for DVD, Blu: Date, Extras, More!». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 5 de junho de 2013 
  81. «Supernatural - Season 8 Complete [Blu-ray] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 10 de julho de 2013 
  82. «Supernatural: Season 8». EzyDVD. Consultado em 11 de maio de 2013 
  83. Lambert, David (11 de junho de 2014). «Supernatural - 'The Complete 9th Season' Announced: Date, Extras, Package Art ***UPDATED EXTRAS***». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 22 de junho de 2014 
  84. «Supernatural - Season 9 [Blu-ray] [Region Free]». Amazon.co.uk. Consultado em 26 de fevereiro de 2015 
  85. «Supernatural: Season 9». EzyDVD. Consultado em 3 de outubro de 2014 
  86. Lambert, David (3 de junho de 2015). «Supernatural - 'A 10ª temporada completa' em Blu-ray, DVD: Liberação de Imprensa e Box!». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 14 de junho de 2015 
  87. «Supernatural - Season 10 [Blu-ray] [2016]». Amazon.co.uk. Consultado em 3 de março de 2016 
  88. «Supernatural: Season 10». EzyDVD. Consultado em 28 de novembro de 2015 
  89. Lambert, David (1 de junho de 2016). «Supernatural - Imprensa Warner anuncia 'A 11ª temporada completa'». TVShowsOnDVD.com. Consultado em 2 de junho de 2016 
  90. «Supernatural Given Full-Season Pick-Up by the Wb» (em inglês). The WB. 6 de outubro de 2005 
  91. Owen, Rob (15 de março de 2007). «TV Preview: 'Supernatural' tries to come out of the shadows». Pittsburgh Post-Gazette (em inglês) 
  92. McFarland, Melanie (3 de novembro de 2007). «Supernatural ratings less than super». Seattle Post-Intelligencer (em inglês) 
  93. Downey, Kevin (28 de setembro de 2007). «This time, the CW network gets it right». Media Life Magazine (em inglês) 
  94. de Moraes, Lisa (19 de setembro de 2008). «So, America's Going Steady With 'Survivor'». The Washington Post (em inglês) 
  95. Serpe, Gina (3 de março de 2009). «CW Wants More Model, Gossip, Chris» (em inglês). E! Online 
  96. Spelling, Ian (14 de dezembro de 2008). «'Supernatural' actor Misha Collins is the new angel on the block» (em inglês). ReadingEagle.com 
  97. Gorman, Bill (19 de setembro de 2008). «Thursday, September 18: Flashpoint Shines for CBS, Supernatural's Strong Debut». TV by the Numbers (em inglês) 
  98. Seidman, Robert (31 de outubro de 2008). «"Smallville" and "Supernatural" on the Rise...». TV by the Numbers (em inglês) 
  99. «Chicks Dig the Vampires! Vampire Diaries Sets Record as the CW's Most Watched Series Premiere Ever» (em inglês). The CW. 11 de setembro de 2009 
  100. «DVR Spells OMG Ratings for CW» (em inglês). The CW. 1 de outubro de 2009 
  101. Stransky, Tanner (6 de Setembro de 2006). Supernatural: The Complete First Season Entertainment Weekly Página visitada a 20 de Abril de 2011
  102. Swindoll, Jeff (10 de Setembro de 2007) DVD Review: Supernatural - The Complete Second Season Visitada a 20 de Abril de 2011
  103. Swindoll, Jeff (6 de Setembro de 2006) DVD Review: Supernatural - The Complete First Season Visitada a 20 de Abril de 2011
  104. Swindoll, Jeff (10 de Setembro de 2008) Supernatural - The Complete Third Season – DVD Review Visitado a 20 de Abril de 2011
  105. Supernatural season 3 DVD review Den of Geek. 26 de Agosto de 2008. Visitada a 20 de Abril de 2011
  106. Steenbergen, Diana. 23 de Maio de 2008 Supernatural: Season 3 Review
  107. «TV's Biggest Guilty Pleasures». AOL TV (em inglês). Aol, Inc. 2 de janeiro de 2008 
  108. L., June (2 de Setembro de 2009) Supernatural: The Complete Fourth Season – DVD Review Visitada a 20 de Abril de 2011
  109. Steenbergen, Diana (22 de Maio de 2009) Supernatural: Season 4 Review Visitada a 20 de Abril de 2011
  110. Ryan, Maureen (14 de Dezembro de 2009) Watch this: The Top TV shows of 2009 Visitada a 20 de Abril de 2011
  111. Hale, Mike (18 de Dezembro de 2009) A Top 10 List That Needs an Addendum Visitada a 20 de Abril de 2011
  112. "25 Best Cult TV Shows from the Past 25 Years." Entertainment Weekly. 3 de agosto de 2012, p. 42.
  113. «'Supernatural': Sexy. Scary. Over?». Entertainment Weekly (em inglês) 
  114. Goldman, Eric (17 de abril de 2007). «Supernatural: Behind the Scenes and Behind the Demons» (em inglês). IGN 
  115. Kubicek, John (11 de setembro de 2009). «'Supernatural' Slash: "This is Wrong"» (em inglês). BuddyTV 
  116. Sastry, Keertana (11 de novembro de 2014). «'Supernatural' Addresses Wincest, Destiel, the Lack of Female Characters, & More in Its 200th Episode» (em inglês). Bustle 
  117. TWC Editor, ed. (2010). «Interview with Wincon organizer Ethrosdemon». Transformative Works and Cultures. 4. doi:10.3983/twc.v4i0.208 
  118. De Leon, Kris (10 de maio de 2007). «Jensen Ackles Headed To First-ever Supernatural Convention» (em inglês). BuddyTV 
  119. Claustro, Lisa (3 de setembro de 2007). «'Supernatural' Stars to Attend Convention Saluting Various Genre Series» (em inglês). BuddyTV 
  120. a b Kubicek, John (10 de setembro de 2009). «Lucifer is Coming: How 'Supernatural' Stole Twitter» (em inglês). BuddyTV 
  121. a b Kubicek, John (14 de setembro de 2009). «Misha Collins and 'Supernatural' Fans Declare Twitter War on P. Diddy» (em inglês). BuddyTV 
  122. «Twitter Search for Everyone!». Twitter. 30 de abril de 2009 
  123. Kubicek, John (17 de setembro de 2009). «Is Twitter Silencing 'Supernatural' Fans Again?» (em inglês). BuddyTV 
  124. «Supernatural» (em inglês). The WB Shop 
  125. Toser, Harris (21 de setembro de 2013). «Cryptozoic Announces New Licenses at Philly Non-Sports Card Show» (em inglês). Non-Sport Update Magazine 
  126. «'Supernatural RPG' from Margaret Weis Productions» (em inglês). 20 de abril de 2007 
  127. a b «WinchesterBros.com Exclusive — Q&A with RPG Guru & Developer, Jamie Chambers» (em inglês). 10 de junho de 2007 
  128. «Review of Supernatural Role Playing Game» (em Ingles). RPG.net. 14 de agosto de 2009 
  129. «Supernatural: Original Television Soundtrack - Seasons 1-5 CD» (em inglês). Amazon.com 
  130. «Supernatural Pop!'s - Funko Brings us the Winchester Boys» (em inglês). NerdFu 
  131. a b «SUPERNATURAL: ORIGINS #1» (em inglês). DC Comics 
  132. a b «SUPERNATURAL: BEGINNING'S END #1» (em inglês). DC Comics 
  133. a b «SUPERNATURAL #1» (em inglês). DC Comics 
  134. Don Williams (16 de janeiro de 2008). «New 'Supernatural' Comic Book Series Starting in April». BuddyTV (em inglês) 
  135. «A 'Supernatural' Spin-Off? Death By Bad Taco? Series Creator Eric Kripke Explains» (em inglês). Starpulse.com. 14 de fevereiro de 2008 
  136. a b c d e «'Supernatural's' Ghostfacers scare up their own Web series». Chicago Tribune (em inglês). 5 de abril de 2010 
  137. a b «Supernatural Boys Dish on New Season, Possible Spinoff» (em inglês) 
  138. a b c Schneider, Michael (25 de janeiro de 2010). «'Supernatural' spawns Web spinoff». Variety (em inglês) 
  139. «Found #facer footage». 23 de outubro de 2011 
  140. News: Supernatural The Animation Project Launched From Japan 9 de Junho de 2010 Visitada a 20 de Abril de 2011
  141. News: Madhouse Makes Anime Series for Warners' Supernatural TV Show (Update 2) 10 de Junho de 2010. Visitada a 21 de Abril de 2011
  142. “SUPERNATURAL” gets animated 10 de Junho de 2010. Visitada a 21 de Abril de 2011
  143. Anime News: Supernatural Gets 22-Episode Anime Series 11 de junho de 2011. Visitada a 20 de Abril de 2011
  144. Supernatural: The Anime Series Haunts Homes in July on Blu-ray and DVD 14 de Abril de 2011. Visitada a 20 de Abril de 2011
  145. Supernatural Goes Anime This Summer 15 de Abril de 2011. Visitada a 20 de Abril de 2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Supernatural (série de televisão)
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Supernatural (série)