Supervulcão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mapa de supervulcões conhecidos em todo o mundo:

Um supervulcão refere-se a um vulcão que produz os maiores e mais volumosos tipos de erupções na Terra; são vulcões com potencial de gerar catástrofes globais e extinção em massa; entretanto o volume total de magma expelido dessas erupções variam.

O termo foi originalmente cunhado pelos produtores do programa científico popular da BBC, Horizon, em 2000 para se referir a esses tipos de erupções. Essa investigação trouxe o assunto ao público, levando a estudos mais aprofundados dos possíveis efeitos.[1]

A princípio, supervulcão não era um termo técnico utilizado em vulcanologia, mas mais recentemente, desde 2003 e 2004, o termo tem sido usado em artigos. Embora não exista nenhuma definição exata do tamanho mínimo para um "supervulcão", existem pelo menos dois tipos de erupção vulcânica que tem sido identificadas como supervulcão: erupções massivas e grandes províncias eruptivas (sigla em inglês LIP de large igneous province) que provocaram mudanças radicais no clima mundial, estando provavelmente associado a grandes extinções.

Análises geológicas e por satélite demonstraram que os supervulcões formam grandes caldeiras, que após a explosão se parecem mais como crateras; ao contrário dos vulcões comuns que possuem normalmente domo em forma de cone devido ao acúmulo gradativo de lava expelida pelo topo.

As crateras formadas por supervulcões são enormes e podem ter algumas dezenas de quilometros de extensão, algumas sendo percebidas apenas por imagens de satélite. Tais crateras se formaram após grandes explosões que ejetaram na forma de cinzas vulcânicas volumes de até milhares de km3 de rocha derretida.[2] Após a explosão e liberação do magma, o topo da caldeira normalmente colapsa, formando uma cratera gigantesca. Também são características das LIPs os Trapps de basalto como os dos Trapps siberianos na Rússia.

Supervulcões[editar | editar código-fonte]

Imagem de satélite do Lago Toba, Indonésia.
Imagem de satélite do Lago Taupo, Nova Zelândia.
Imagem de satélite de Campos Flégreos, Itália.

IEV 8[editar | editar código-fonte]

Erupções de IEV 8 ocorreram nos seguintes locais.
Nome Zona Localização Notas Anos atrás (aprox.) Volume expelido (aprox.) Reference
La Garita Campo vulcânico San Juan Colorado, Estados Unidos 27.800.000 5.000 km3
Lago Toba Lago Toba, Sumatra Setentrional Indonésia, Sumatra Produziu 2200–4400 toneladas de H2SO4. 74.000 2.800 km3 [3][4]
Caldeira de Yellowstone Parque Nacional de Yellowstone Idaho/Wyoming, Estados Unidos 2.100.000 2.500 km3 [5]
Atana Ignimbrite La Pacana Norte do Chile Parte do complexo vulcânico Altiplano–Puna 4.000.000 2.500 km3 [6]
Taupo Nui a tia Zona Vulcânica de Taupo Ilha do Norte, Nova Zelândia Whakamaru Ignimbrite/Mount Curl Tephra 340.000 2.000 km3 [7]
Caldeira de Yellowstone Parque Nacional de Yellowstone Idaho, Estados Unidos Kilgore Tuff 4.500.000 1.800 km3 [8]
Caldeira de Yellowstone Parque Nacional de Yellowstone Idaho, Estados Unidos Blacktail Tuff 6.000.000 1.500 km3 [8]
Cerro Guacha Complexo vulcânico Altiplano–Puna Bolívia Duas erupções menores identificadas 5,700,000 1,300 km3 [9]
Caldeira Mangakino Zona Vulcânica de Taupo Nova Zelândia Kidnappers eruption 1.080.000 1.200 km3 [10]
Erupção Oruanui Zona Vulcânica de Taupo Nova Zelândia Lago Taupo 26.500 1.170 km3
Cerro Galán Zona Vulcânica do Centro dos Andes Catamarca, Argentina 2.500.000 1.050 km3
Caldeira de Yellowstone Parque Nacional de Yellowstone Wyoming, Estados Unidos Lava Creek Tuff 640.000 1.000 km3 [5]

Com base em estatísticas incompletas, pelo menos 60 erupções IEV 8 já foram identificadas.[2][11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. de Silva, Shanaka (2008). «Arc magmatism, calderas, and supervolcanos». Geology. 36 (8): 671–672. doi:10.1130/focus082008.1 
  2. a b Bryan, S.E. (2010). «The largest volcanic eruptions on Earth». Earth-Science Reviews. doi:10.1016/j.earscirev.2010.07.001 
  3. Petraglia, M.; Korisettar, R.; Boivin, N.; Clarkson, C.; Ditchfield, P.; Jones, S.; Koshy, J.; Lahr, M. M.; et al. (2007). «Middle Paleolithic Assemblages from the Indian Subcontinent Before and After the Toba Super-Eruption». Science. 317 (5834): 114–6. Bibcode:2007Sci...317..114P. PMID 17615356. doi:10.1126/science.1141564 
  4. Knight, M.D., Walker, G.P.L., Ellwood, B.B., and Diehl, J.F. (1986). «Stratigraphy, paleomagnetism, and magnetic fabric of the Toba Tuffs: Constraints on their sources and eruptive styles». Journal of Geophysical Research. 91: 10355–10382. Bibcode:1986JGR....9110355K. doi:10.1029/JB091iB10p10355 
  5. a b Global Volcanism Program | Volcanoes of the World | Large Holocene Eruptions Arquivado em 13 de fevereiro de 2010 no Wayback Machine.
  6. Lindsay, J. M.; de Silva, S.; Trumbull, R.; Emmermann, R.; Wemmer, K. (2001). «La Pacana caldera, N. Chile: a re-evaluation of the stratigraphy and volcanology of one of the world's largest resurgent calderas». Journal of Volcanology and Geothermal Research. 106 (1–2): 145–173. Bibcode:2001JVGR..106..145L. doi:10.1016/S0377-0273(00)00270-5 
  7. Froggatt, P. C.; Nelson, C. S.; Carter, L.; Griggs, G.; Black, K. P. (13 de fevereiro de 1986). «An exceptionally large late Quaternary eruption from New Zealand». Nature. 319 (6054): 578–582. Bibcode:1986Natur.319..578F. doi:10.1038/319578a0. The minimum total volume of tephra is 1,200 km3 but probably nearer 2,000 km3, ... 
  8. a b Lisa A. Morgan & William C. McIntosh (2005). «Timing and development of the Heise volcanic field, Snake River Plain, Idaho, western USA». GSA Bulletin. 117 (3–4): 288–306. Bibcode:2005GSAB..117..288M. doi:10.1130/B25519.1 
  9. Salisbury, M. J.; Jicha, B. R.; de Silva, S. L.; Singer, B. S.; Jimenez, N. C.; Ort, M. H. (21 de dezembro de 2010). «40Ar/39Ar chronostratigraphy of Altiplano-Puna volcanic complex ignimbrites reveals the development of a major magmatic province». Geological Society of America Bulletin. 123 (5–6): 821–840. Bibcode:2011GSAB..123..821S. doi:10.1130/B30280.1. Consultado em 29 de novembro de 2015.. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2016 
  10. Rejuvenation and Repeated Eruption of a 1.0 Ma Supervolcanic System at Mangakino Caldera, Taupo Volcanic Zone, New Zealand American Geophysical Union, Fall Meeting 2012, abstract #V31C-2797. Acessado em 10 de setembro de 2017.
  11. BG, Mason (2004). «The size and frequency of the largest explosive eruptions on Earth». Bull Volcanol. 66 (8). 735 páginas. Bibcode:2004BVol...66..735M. doi:10.1007/s00445-004-0355-9 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]