Surto de ébola em Kivu de 2018-2019

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre um evento epidêmico atualmente em curso. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 7 de outubro de 2019) Biohazard symbol (black and yellow).png
Surto de ébola em Kivu de 2018-2019
República Democrática do Congo e Uganda
Local República Democrática do Congo, Uganda.
Período 1 de agosto de 2018 até atualmente
(1 ano, 2 meses e 12 dias)
Doença Ébola
Tabela
Países Casos (conf./prov./susp.) Mortes Notas Última atualização
República Democrática do Congo RDC 3,090/114/411 2,142 1,004 sobreviventes [1]
Uganda Uganda 4/0/0 4 Encerrada em 24 de julho de 2019[2] [3][4][5][6][7]
Total 3,619 (ver nota 1) 2,146[nota 1] A 5 outubro 2019 (2019 -10-05)

O surto de ébola em Kivu de 2018-2019[nota 2] é uma epidemia que se iniciou em 1 de agosto de 2018, quando foi confirmado que quatro casos tinham resultado positivo para a doença por vírus Ébola (DVE) na região oriental de Kivu, na República Democrática do Congo (RDC).[10][11][12] O surto em Kivu inclui a província de Ituri, depois que o primeiro caso foi confirmado em 13 de agosto,[9] e que em junho de 2019, o vírus se espalhou para Uganda, tendo infectado um menino congolês de 5 anos que tinha entrado em Uganda com sua família.[13] No início de novembro de 2018, o surto se tornou o maior da história da RDC[14][15][16] e, no final do mesmo mês, o segundo maior surto de ébola da história, atrás apenas da epidemia da África Ocidental de 2013-2016.[17][18][19] Em 3 de maio de 2019, nove meses após o início do surto, mais de 1 mil mortes foram confirmadas devido à epidemia da DVE. Por comparação, durante o surto do vírus ébola na África Ocidental, que durou mais de dois anos, a Guiné (um dos três países mais duramente atingidos) teve um total de aproximadamente 2,5 mil mortes devido a DVE.[20][21]

A província afetada e a área geral estão passando por um conflito militar, o que está dificultando os esforços de tratamento e prevenção. O Diretor-Geral Adjunto para preparação e resposta a emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu a combinação de conflito militar e sofrimento civil como uma potencial "tempestade perfeita" que poderia levar a um rápido agravamento do surto.[22][23] A OMS relata que desde janeiro houve 42 ataques a instalações de saúde e 85 trabalhadores de saúde foram feridos ou mortos. Em algumas áreas, as organizações de ajuda tiveram que parar seu trabalho devido à violência.[24] Os trabalhadores da saúde também precisam lidar com notícias falsas e outras informações errôneas espalhadas por políticos oponentes.[25] Devido à deterioração da situação no Nord-Kivu e nos arredores, a OMS elevou a avaliação de risco a nível nacional e regional de "alto" para "muito alto" em 27 de setembro de 2018.[26] Em 3 de outubro, o Conselho de Segurança das Nações Unidas salientou que toda a hostilidade armada deveria parar na RDC, para melhor combater o surto contínuo da DVE.[27] Após a confirmação dos casos em Uganda, uma terceira reunião do Comitê de Emergência da OMS foi realizada em 14 de junho de 2019.[28] Entretanto, a OMS concluiu que, embora o surto tenha sido uma emergência de saúde na RDC e naquela região, ele não atende a todos os três critérios para que seja considerado uma Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional (ESPI).[29]

Em 14 de julho, um caso confirmado em Goma desencadeou a decisão da OMS, pela quarta vez, de reunir novamente um Comitê de Emergência.[30][31] O surto foi oficialmente anunciado uma ESPI em 17 de julho de 2019, o mais alto nível de alarme que a OMS pode soar.[32] Em 24 de julho, a Uganda alcançou o período necessário de 42 dias sem que nenhum caso de DVE fosse relatado, sendo assim, o país foi declarado como livre de ébola.[2] Em 26 de julho, foi noticiado que a Arábia Saudita não permitiria vistos da RDC depois que a OMS declarou uma emergência internacional na semana passada devido à DVE.[33] Em 30 de julho, um segundo caso de DVE foi confirmado na cidade de Goma, aparentemente não relacionado com o primeiro caso,[34] sendo que, no dia seguinte, foi declarado morto.[35] Em Ruanda, exercícios de simulação de ébola estão sendo conduzidos em unidades de saúde, como uma forma de prevenção para caso a doença chegue naquele país.[36] Em 1 de agosto, um terceiro caso de DVE foi confirmado em Goma.[37] Em 1 de agosto, a Ruanda fechou sua fronteira com a RDC, devido a múltiplos casos na cidade de Goma, cidade que faz fronteira com Ruanda na região noroeste do país.[38]

Em 1 de agosto de 2019, ou seja, exatamente 1 ano após o início da epidemia, 2.619 casos tinham sido confirmados (sendo que ainda haviam 94 casos prováveis e 423 suspeitos), 1.823 pessoas tinham morrido e 782 tinham sobrevivido ao surto de DVE na RDC.[39] Em 24 de agosto de 2019, A OMS disse que o surto de ébola na RDC está a aproximar-se do marco histórico de dois mil mortos, na epidemia que dura há mais de um ano.[40] Numa conferência de imprensa em Londres, o chefe das emergências médicas da OMS afirmou que, apesar da agência de saúde da ONU ter as vacinas e os medicamentos que potencialmente podem mudar o curso da epidemia, continua a ser problemático conseguir entregar os medicamentos a quem deles precisa.[40] A OMS está a tentar angariar mais 278 milhões de dólares para apoiar os esforços para conter a epidemia.[40] Em 15 de setembro, a OMS registrou um abrandamento dos casos de DVE na RDC,[41] no entanto, o rastreamento de contatos continua abaixo de 100%, atualmente em 89%.[41]

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Figura 1. Surto de ébola em Kivu de 2018-2019 (casos e mortes totais até 22 de setembro de 2019.[42])
O gráfico representa o total de casos em função das datas/do tempo.
Legenda: o vermelho/rosa representa os casos suspeitos; o amarelo, os casos prováveis; o azul, os casos confirmados; o verde, o total de casos; o preto, as mortes. Os dados são da Organização Mundial da Saúde, a OMS.

Tanzânia[editar | editar código-fonte]

Em relação a possíveis casos de DVE na Tanzânia, a OMS declarou em 21 de setembro que "até o momento, os detalhes clínicos e os resultados da investigação, incluindo testes laboratoriais realizados para o diagnóstico diferencial desses pacientes, não foram compartilhados com a OMS. As informações insuficientes recebidas pela OMS não permitem formular hipóteses sobre a possível causa da doença."[43][44][45] Em 27 de setembro, o Centro de Controle de Doenças (CDC) e o Departamento de Estado dos Estados Unidos alertaram os potenciais viajantes sobre a possibilidade de casos não relatados de DVE na Tanzânia.[46] Em 28 de setembro, o Reino Unido começou a indicar aos potenciais viajantes da Tanzânia a morte não diagnosticada de um indivíduo e a declaração da OMS de 21 de setembro sobre o assunto.[47]

ESPI[editar | editar código-fonte]

Em 16 de julho, a OMS convocou, pela quarta vez, uma reunião do seu Comité de Emergência, que foi realizada em 17 de julho, para avaliar a evolução da epidemia do ébola na RDC, e da necessidade de declarar Emergência Internacional.[48] A decisão foi tomada depois de se confirmar que a doença já tinha chegado à Goma, em 14 de julho de 2019, a cidade mais povoada e estratégica de todas as afetadas até agora, e que estará a 20 quilômetros da fronteira com o Ruanda, o que aumenta o risco de uma propagação da epidemia.[48]

O surto foi oficialmente anunciado uma ESPI em 17 de julho de 2019, após a reunião do Comitê de Emergência da OMS.[49][50] É apenas a quinta vez na história que a OMS emite esta declaração, que inclui recomendações quanto às ações preventivas que se devem ter e que poderá desbloquear fundos desesperadamente necessários para combater o vírus.[51]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Os casos ocorridos em Uganda e de outros 7 membros da família foram classificados em Mabalako, na RDC, ou seja, na zona de saúde onde começaram a desenvolver os sintomas. Destes 8 casos confirmados da mesma família, 5 permaneceram na RDC e 3 cruzaram a fronteira. […] As 2 mortes em Bwera foram a do menino de 5 anos e a da avó de 50 anos que foram classificadas nos casos estatísticos de Mabalako, RDC.[8]
  2. A província de Ituri foi acrescentada à província de Nord-Kivu, em termos de infecção viral, quando o primeiro caso de DVE foi confirmado em 13 de agosto.[9]

Referências

  1. «Operations Dashboard for ArcGIS». Who Maps (em francês-inglês). ArcGIS. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  2. a b «Press Release | Ministry of Health» (em inglês). Health Go. 25 de julho de 2019. Consultado em 3 de agosto de 2019 
  3. Gladstone, Rick (12 de junho de 2019). «Two More Ebola Cases Diagnosed in Uganda as First Victim, 5, Dies». The New York Times (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2019 
  4. «2nd Ebola death in Uganda after outbreak crosses border». ABC News (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2019 
  5. «Ebola Virus Disease Outbreak Uganda Situation Reports» (PDF) (em inglês). Organização Mundial da Saúde. Consultado em 18 de junho de 2019 
  6. «Update of Ebola Outbreak in Kasese District, 21 June 2019 - Uganda» (em inglês). ReliefWeb. 21 de junho de 2019. Consultado em 23 de junho de 2019 
  7. «Congolese girl, 9, dies of Ebola in Uganda - hospital official» (em inglês). Reuters. 30 de agosto de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  8. Kalenga, Oly Ilunga (13 de junho de 2019). «Situation épidémiologique dans les provinces du Nord-Kivu et de l'Ituri» (em francês). Consultado em 17 de julho de 2019 
  9. a b «EBOLA RDC - Evolution de la riposte contre l'épidémie d'Ebola dans la province du Nord Kivu au Lundi 13 août 2018» (em inglês). Mailchi. 17 de agosto de 2018. Consultado em 18 de julho de 2019 
  10. «Congo declares new Ebola outbreak in eastern province» (em inglês). Reuters. 1 de agosto de 2018. Consultado em 7 de junho de 2019 
  11. «Congo announces 4 new Ebola cases in North Kivu province». The Washington Post (em inglês). Consultado em 7 de junho de 2019 
  12. «Cluster of presumptive Ebola cases in North Kivu in the Democratic Republic of the Congo» (em inglês). Organização Mundial da Saúde. Consultado em 7 de junho de 2019 
  13. Hunt, Katie. «Ebola outbreak enters 'truly frightening phase' as it turns deadly in Uganda» (em inglês). CNN. Consultado em 12 de junho de 2019 
  14. «EBOLA RDC - Evolution de la riposte contre l'épidémie d'Ebola dans les provinces du Nord Kivu et de l'Ituri au Vendredi 9 novembre 2018». Mailchi (em francês). Consultado em 18 de julho de 2019 
  15. «Current Ebola Outbreak Is Worst in Congo's History: Ministry». US News and World report (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2019 
  16. «Congo confirms 33 Ebola cases in past week, of whom 24 died». Reuters (em inglês). 15 de outubro de 2018. Consultado em 18 de julho de 2019 
  17. «Ebola Virus Disease Distribution Map: Cases of Ebola Virus Disease in Africa Since 1976 | 2014-2016 Outbreak West Africa | History | Ebola (Ebola Virus Disease)» (em inglês). CDC. 22 de maio de 2018. Consultado em 18 de julho de 2019 
  18. «Operations Dashboard for ArcGIS» (em inglês). Who Maps. 25 de novembro de 2018. Consultado em 18 de julho de 2019 
  19. Weber, Lauren (29 de novembro de 2018). «The Ebola Outbreak In Congo Just Became The Second Largest Ever». Huffington Post (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2019 
  20. «2014-2016 Ebola Outbreak in West Africa | History | Ebola (Ebola Virus Disease)» (em inglês). CDC. 29 de março de 2019. Consultado em 18 de julho de 2019 
  21. «The Latest: Ebola deaths top 1,000 in Congo outbreak». Washington Post (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2019 
  22. Belluz, Julia (25 de setembro de 2018). «An Ebola "perfect storm" is brewing in Democratic Republic of the Congo». Vox (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2019 
  23. «Ebola-hit DRC faces 'perfect storm' as uptick in violence halts WHO operation - Democratic Republic of the Congo». Relief Web (em inglês). 25 de setembro de 2018. Consultado em 18 de julho de 2019 
  24. «Ebola outbreak deaths top 1,000 in Congo amid clinic attacks». The Washington Post (em inglês). 5 de maio de 2019. Consultado em 18 de julho de 2019 
  25. Spinney, Laura (17 de janeiro de 2019). «In Congo, fighting a virus and a groundswell of fake news». Science (em inglês). 363 (6424): 213–214. Bibcode:2019Sci...363..213S. PMID 30655420 Verifique |pmid= (ajuda). doi:10.1126/science.363.6424.213 
  26. «Ebola virus disease – Democratic Republic of the Congo» (em inglês). OMS. Consultado em 18 de julho de 2019 
  27. «UN calls for end to Congo fighting to combat Ebola outbreak». Washington Post (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2019 
  28. Gladstone, Rick (12 de junho de 2019). «Boy, 5, and Grandmother Die in Uganda as More Ebola Cases Emerge». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 18 de junho de 2019 
  29. «Statement on the meeting of the International Health Regulations (2005) Emergency Committee for Ebola virus disease in the Democratic Republic of the Congo on 14 June 2019» (em inglês). Organização Mundial da Saúde. Consultado em 15 de junho de 2019 
  30. «High-level meeting on the Ebola outbreak in the Democratic Republic of the Congo affirms support for Government-led response and UN system-wide approach» (em inglês). OMS. Consultado em 18 de julho de 2019 
  31. Schnirring, Lisa (15 de julho de 2019). «Ebola spread to Goma triggers new emergency talks, cases top 2,500» (em inglês). CIDRAP. Consultado em 18 de julho de 2019 
  32. Goldberg, Mark Leon (17 de julho de 2019). «The World Health Organization Just Declared an Ebola "Emergency" in the Democratic Republic of Congo. Here's What That Means» (em inglês). UN Dispatch. Consultado em 18 de julho de 2019 
  33. «Saudi Arabia suspends visas to people from Congo over Ebola» (em inglês). Washington Post. Consultado em 29 de julho de 2019 
  34. «New Ebola case diagnosed in DR Congo's Goma: health official» (em inglês). Yahoo!. 30 de julho de 2019. Consultado em 31 de julho de 2019 
  35. «Second Ebola death in densely packed DR Congo city» (em inglês). BBC. 31 de julho de 2019. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  36. «Roundup: Rwandan hospitals conduct Ebola simulation drills to prevent outbreak» (em inglês). XinhuaNet. 30 de julho de 2019. Consultado em 31 de julho de 2019 
  37. «DR Congo Ebola epidemic spreads as second Goma patient dies, third case is confirmed» (em inglês). France 24. 1 de agosto de 2019. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  38. Doshi, Vidhi (1 de agosto de 2019). «Rwanda closes border with DRC over deadly Ebola outbreak». The Guardian (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2019 
  39. «EBOLA RDC - Evolution de la riposte contre l'épidémie d'Ebola dans les provinces du Nord Kivu et de l'Ituri au Jeudi 1e août 2019». us13.campaign-archive.com (em francês). Mailchi. 2 de agosto de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2019 
  40. a b c «OMS diz que surto de Ébola na RDCongo está a chegar ao marco histórico de dois mil mortos». https://lifestyle.sapo.pt. Sapo Lifestyle. 24 de agosto de 2019. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  41. a b «Outbreaks and Emergencies Bulletin, Week 37: 9 - 15 September 2019» (em inglês). Organização Mundial da Saúde / Escritório Regional da África. Consultado em 18 de setembro de 2019 
  42. «WHO AFRO Outbreaks and Other Emergencies, Week 28: 8 - 14 July 2019; Data as reported by 17:00; 14 July 2019 - Democratic Republic of the Congo» (em inglês). ReliefWeb. Consultado em 18 de julho de 2019 
  43. «WHO — Cases of Undiagnosed Febrile Illness – United Republic of Tanzania» (em inglês). OMS. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  44. «WHO accuses Tanzania of withholding information about suspected Ebola cases» (em inglês). Washington Post. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  45. «Tanzania not sharing information on suspected Ebola cases: WHO» (em inglês). Aljazeera. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  46. «U.S. alerts travelers to Tanzania about possible unreported Ebola» (em inglês). STAT. 27 de setembro de 2019. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  47. «Health — Tanzania travel advice» (em inglês). Governo do Reino Unido. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  48. a b «OMS reúne-se quarta-feira para decidir Emergência Internacional devido a epidemia do ébola». Impala News. 16 de julho de 2019. Consultado em 17 de julho de 2019 
  49. Goldberg, Mark Leon (17 de julho de 2019). «The World Health Organization Just Declared an Ebola "Emergency" in the Democratic Republic of Congo. Here's What That Means» (em inglês). UN Dispatch. Consultado em 17 de julho de 2019 
  50. Moreno, Ana Carolina (17 de julho de 2019). «OMS declara emergência internacional por surto de ebola na República Democrática do Congo». G1. Globo. Consultado em 17 de julho de 2019 
  51. «Ébola considerado como "emergência internacional"». Rádio Comercial. 17 de julho de 2019. Consultado em 17 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre epidemias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.