Susana Pevensie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Susana Pevensie
Nome Susana Pevensie
Títulos Rainha Susana, a Gentil
Raça Humana
Naturalidade Finchley, área metropolitana de Londres, Inglaterra
Família Pedro & Edmundo (irmãos), Lúcia (irmã), Eustáquio (primo)
Nascimento 1928
Habilidades Manuseio de arco e flecha
Principais feitos Tornou-se rainha de Nárnia com seus três irmãos durante a era de ouro
Criador C.S.Lewis
Aparições em Livros
O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (1950)
Príncipe Caspian (1951)
O Cavalo e seu Menino (1954)
Aparições na Mídia
1988-1990 BBC: Sophie Cook (jovem) & Suzanne Debney (adulta)
2005-2008 Disney: Anna Popplewell (jovem) & Sophie Winkleman (adulta)

Susana Pevensie (1928-?) é uma personagem criada pelo escritor irlandês C.S. Lewis para a série de livros chamada As Crônicas de Nárnia.

Susana descobre Nárnia junto com os seus irmãos Pedro, Lúcia e Edmundo, quando estão fugindo da Dona Marta em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa.

Nome[editar | editar código-fonte]

Susana é um nome hebraico que significa Lírio, graciosa, pura, imaculada. Representa a união entre a destreza e a habilidade. É própria de pessoas intuitivas e muito capacitadas, que sempre dominam as situações, especialmente no plano profissional, e estão sempre atentas a todos os detalhes.

Pevensey (vocábulo similar a Pevensie), na costa sudeste da Inglaterra, é o lugar de um castelo medieval de figuras importantes na história britânica de diversos pontos. Em Puck of Pook's Hill (1907), de Joseph Rudyard Kipling, um dos personagens refere-se a este lugar como a "Porta da Inglaterra", que é no que literalmente se transforma o guarda-roupa mencionado nos livros de Lewis. O sobrenome "Pevensie" só foi aparecer realmente nas Crônicas na terceira publicação, e no quinto livro da série: A Viagem do Peregrino da Alvorada.

Desenvolvimento da personagem[editar | editar código-fonte]

É a mais velha das meninas. Susana, quando chega a Nárnia, é descrita como uma garota um tanto pessimista, mas sempre sensata. É a que mais duvida da existência de Nárnia junto a Pedro, o irmão mais velho. Diz que tudo não passa de uma invenção da irmã mais nova, Lúcia.

Ela gosta de ficar sozinha. Em certos momentos, Susana mostra não querer ficar em Nárnia; porém sempre se mantém fiel. Às vezes, bate de frente com o irmão Pedro, por terem opiniões diferentes. Tanto quanto Pedro, reluta em não ser mais uma criança. Desde que recebeu seu arco e flecha do Papai Noel em O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, Susana põe-se a treinar e torna-se muito boa neste ramo, chegando a liderar os arqueiros em guerra. É dito que as duas coisas que Susana sabe fazer muito bem é manusear arco e flecha, e nadar. O grande rei Pedro sempre tenta ajudá-la. Susana é um tanto medrosa; porém, com a ajuda de Pedro, mostra-se corajosa em alguns momentos.

Perfil biográfico[editar | editar código-fonte]

É descrita como uma moça muito linda, tanto é que o Príncipe Rabadash quer se casar com ela em O Cavalo e seu Menino, cego de amor por sua beleza estonteante.

Ela se mostra um tanto pessimista em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa. É sempre sensata em suas ações e, muitas vezes, se sente responsável pelos irmãos mais novos, Edmundo e Lúcia. Ela gosta de ficar sozinha, lendo ou refletindo. É realmente boa em arco e flecha, melhor até que a irmã Lúcia, mas não é muito chegada a batalhas e guerras; como bem disse Corin em O Cavalo e seu Menino: "faz mais o estilo dama e sensível".

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Quando Susana chega em Nárnia, está com 12-13 anos de idade, o que acontece em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa. Quando aparece em A Última Batalha, ela já está com 20-21 anos de idade.

O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa[editar | editar código-fonte]

Neste livro, Susana ganha do Papai Noel um arco e flechas que dificilmente erram o alvo, e uma trompa que quando é tocada pode chamar socorro de maneira inusitada. A garota é atacada pelo capitão da polícia da feiticeira, um lobo chamado Maugrim, e faz soar a sua trompa em busca de ajuda. É salva por Pedro, que mata o lobo, e no fim da luta, ela abraça-se ao irmão, mostrando sua gratidão. Susana presencia o sacrifício de Aslam na Mesa de Pedra junto com sua irmã Lúcia. No final é coroada rainha de Nárnia junto com seus irmãos. Como rainha passa a ser conhecida por Susana, a Gentil.

O Cavalo e seu Menino[editar | editar código-fonte]

Susana aparece neste livro na Calormânia como uma rainha adulta que foi visitar o príncipe Rabadash em Tashbaan. Ao perceber que ele quer se casar com ela forçadamente, cego de amores por sua beleza estonteante, ela descobre o quanto ele pode ser cruel. Com a ajuda de Pedro, Susana foge em um barco com o irmão Edmundo e alguns amigos narnianos, voltando para Nárnia. Nesse livro, quando Shasta a conhece, diz que é "a moça mais linda do mundo". Outra evidência da beleza de Susana é que o Príncipe Rabadash vai atrás dela em Nárnia, apaixonado pela moça estonteantemente bela. É referida no livro diversas vezes como "mulher bárbara". Quando Shasta pergunta pela rainha Susana, na batalha em Arquelândia, tem como resposta que a rainha voltou a Cair Paravel, pois não se envolve em guerras e mais parece uma dama.

Príncipe Caspian[editar | editar código-fonte]

Neste livro Susana retorna a Nárnia mais uma vez com seus irmãos, chamada pela sua própria trompa, através do Príncipe Caspian, descobrindo assim que esse instrumento dado pelo Papai Noel tem poderes mágicos trazendo de volta antigos reis e rainhas de Nárnia. Vence o anão Trumpkin numa competição de arco e flecha. Em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa, e em O Cavalo e seu Menino, Susana não luta, mas neste livro ela mostra sua bravura e luta junto com os irmãos Pedro e Edmundo contra os Telmarinos.

Já no filme, Susana vive um romance com Caspian.

A Viagem do Peregrino da Alvorada[editar | editar código-fonte]

Neste livro, ela e Pedro não retornam à Nárnia, pois já estão grandes. Apenas há uma referência no começo do livro, onde diz que ela viajou com os pais, e Pedro estava se preparando para os exames do colégio.

A Última Batalha[editar | editar código-fonte]

Nesse último livro, Susana não retorna a Nárnia. Segundo Jill Pole, no livro, Susana havia crescido, e por se preocupar mais com seu trabalho e vida social, acabou esquecendo-se da existência de Nárnia e de suas aventuras. Muitos leitores se opõem a isto, argumentando que faz parecer que Lewis é machista e preconceituoso em relação às mulheres, pelo menos enquanto escrevia os livros. (Susana poderia voltar, mas não se sabe bem. Apenas se conhece que ela no final do livro está viva, e pode também voltar a juntar-se com a sua familia

Interpretações[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]