Sylvinho (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sylvinho
20180610 FIFA Friendly Match Austria vs. Brazil Sylvinho 850 0232.jpg
Informações pessoais
Nome completo Sylvio Mendes Campos Júnior
Data de nasc. 12 de abril de 1974 (46 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Altura 1,73 m
canhoto
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Ex-lateral-esquerdo
Função Técnico
Clubes de juventude
1990–1994 Corinthians
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1994–1999
1999–2001
2001–2004
2004–2009
2009–2010
Corinthians
Arsenal
Celta de Vigo
Barcelona
Manchester City
00269 0000(2)
00086 0000(8)
00105 0000(4)
00128 0000(3)
00015 0000(1)
Seleção nacional
1997–2001 Brasil 0006 0000(0)
Times/Equipas que treinou
2011–2012
2012
2013
2013–2014
2014–2016
2016–2019
2019
Cruzeiro (assistente)
Sport (assistente)
Náutico (assistente)
Corinthians (assistente)
Internazionale (assistente)
Brasil (assistente)
Lyon






00011
Última atualização: 6 de outubro de 2019

Sylvio Mendes Campos Júnior, mais conhecido como Sylvinho (São Paulo, 12 de abril de 1974), é um técnico e ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-esquerdo. Atualmente está sem clube.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Inicialmente conhecido como Silvinho, começou jogando no Corinthians, equipe com a qual ganhou o Brasileirão de 1998 e a Copa do Brasil de 1995 como títulos mais importantes.

Arsenal[editar | editar código-fonte]

Em 1999, após título no Campeonato Paulista, foi contratado pelo Arsenal por 4 milhões de libras. Na equipe inglesa permaneceu duas temporadas, nas que jogou 55 partidas da Premier League. Chegou à final da Copa da UEFA na temporada 1999–00, na qual os Gunners perderam diante do Galatasaray, graças a uma grande atuação do goleiro brasileiro Taffarel na prorrogação e na disputa por pênaltis.

Celta de Vigo[editar | editar código-fonte]

Em 2001, chegou ao Celta de Vigo por 3,5 milhões de libras. Sua estreia na primeira divisão do Campeonato Espanhol foi no dia 30 de setembro de 2001, no empate em 2 a 2 contra o La Coruña. Com sua nova equipe conseguiu o quarto lugar na temporada 2002–03, sendo este o melhor resultado do Celta na sua história, junto com um mesmo quarto lugar conseguido na temporada 1947–48. Infelizmente, na temporada seguinte, o clube acabou rebaixado. Essa foi a última temporada de Sylvinho no conjunto galego.

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Em 2004 chegou ao Barcelona, somando-se aos também brasileiros Deco (naturalizado português), Belletti e Edmílson na "invasão" brasileira que chegou ao clube, que já contava com Thiago Motta e Ronaldinho Gaúcho. Foi nessa época que adotou a letra Y no seu nome e apelido, tornando-se Sylvinho.

No Barça, participaria em sua primeira temporada na reconquista do Campeonato Espanhol, título que o clube não vencia desde 1999. Na segunda temporada, 2005–06, conseguiria ganhar a Supercopa da Espanha, um bi-campeonato e, o mais importante, a Liga dos Campeões. Nunca tendo se firmado como titular, Sylvinho foi por muito tempo o único remanescente da legião brasileira campeã europeia com o clube em 2006, com os demais transferindo-se do clube anteriormente.

Manchester City[editar | editar código-fonte]

Após cinco anos no Barcelona, não teve seu contrato renovado pelo clube catalão. No dia 24 de agosto de 2009, Sylvinho transferiu-se então para o Manchester City, numa transferência sem custo e assinando um contrato de um ano.[1] Foi reserva durante sua passagem pelo City, atuando em apenas 10 partidas pela Premier League. Ao fim do curto contrato, desligou-se do clube.

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Após mais um ano e nenhuma oferta visando sua contratação, anunciou oficialmente sua aposentadoria no dia 7 de julho de 2011, aos 37 anos de idade.[2]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Jogou pela Seleção Brasileira em seis ocasiões. Sua estreia aconteceu em 1997, em uma partida contra a Rússia. Figurou na Copa Ouro de 1998, pouco antes da Copa do Mundo da França, mas o técnico Zagallo preferiu Zé Roberto como reserva de Roberto Carlos na lateral-esquerda ao fazer a convocação para o Mundial.

Participou de dois jogos nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, para a qual também não foi convocado. Seu último jogo pela Seleção Brasileira aconteceu em 2001.

Carreira como técnico[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2011, foi anunciado como auxiliar técnico de Vágner Mancini, que assumiu o comando do Cruzeiro. Eles ajudaram o clube mineiro a se livrar da segunda divisão, completando a temporada com uma goleada histórica sobre o rival Atlético, por 6 a 1. Vágner Mancini e sua comissão técnica foram então mantidos pela diretoria do Cruzeiro para disputa da temporada 2012, mas deixaram o clube após serem eliminados na semifinal do Campeonato Mineiro.[3]

Sport[editar | editar código-fonte]

No dia 15 de maio de 2012, o técnico Vágner Mancini assumiu o comando do Sport, levando Sylvinho novamente como seu auxiliar técnico. Tinham como principal meta reagrupar a equipe e fazer com que o time tivesse boas apresentações durante o Campeonato Brasileiro de 2012, objetivos na qual não obtiveram sucesso.

Corinthians[editar | editar código-fonte]

No dia 5 de julho de 2013, foi anunciada a volta de Sylvinho ao seu clube formador, desta vez para assumir o posto de auxiliar técnico, cargo antes ocupado por Geraldo Delamore.[4][5]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Já no dia 20 de julho de 2016, Sylvinho se juntou à Seleção Brasileira como auxiliar do técnico Tite. No dia 9 de abril de 2019, foi anunciado pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo, como novo técnico da Seleção Olímpica.[6] O foco seria na disputa dos Jogos Olímpicos de Verão de 2020.

Lyon[editar | editar código-fonte]

Entretanto, apenas um mês depois, aceitou o convite do Lyon para ser técnico do time francês.[7] Pesou na decisão o fato de Juninho Pernambucano, ídolo do clube, ter sido anunciado como dirigente da equipe.[8]

Após um péssimo inicio no Campeonato Francês, foi demitido no dia 7 de outubro de 2019.[9][10][11]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Liga Copa Competições
continentais
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Corinthians 1995 20 3 5 1 0 0 25 4
1996 32 3 4 2 0 0 36 5
1997 22 2 2 0 5 2 29 4
1998 34 3 6 3 0 0 40 6
1999 28 4 4 1 5 1 37 6
Total 136 15 21 7 10 3 167 25
Arsenal 1999–00 31 2 4 1 5 1 40 4
2000–01 24 1 6 1 5 1 35 3
Total 55 3 16 2 15 3 86 8
Celta Vigo 2001–02 30 0 3 1 0 0 33 1
2002–03 28 1 6 1 3 0 37 2
2003–04 26 0 4 0 8 0 38 1
Total 84 1 10 2 11 0 105 4
Barcelona 2004–05 20 0 3 1 3 0 27 1
2005–06 27 2 4 0 2 0 33 2
2006–07 13 0 3 0 3 0 19 0
2007–08 14 0 4 0 1 0 19 0
2008–09 15 0 5 0 7 1 27 1
Total 89 2 19 1 16 1 124 4
Manchester City 2009–10 10 0 2 1 0 0 12 1
Total 10 0 2 1 0 0 12 1
Total na carreira 374 22 67 13 53 7 490 34

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 7 de outubro de 2019.

Equipe Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Lyon 11 3 4 4 39.39%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Corinthians
Arsenal
Barcelona

Como técnico[editar | editar código-fonte]

Lyon

Referências

  1. «Manchester City anuncia Sylvinho». GloboEsporte.com. 24 de agosto de 2009. Consultado em 29 de julho de 2019 
  2. «Experiente e multicampeão, lateral Sylvinho se aposenta aos 37 anos». GloboEsporte.com. 8 de julho de 2011. Consultado em 29 de julho de 2019 
  3. «Cruzeiro é eliminado e Vágner Mancini pede demissão». O Globo. 10 de maio de 2012. Consultado em 7 de maio de 2020 
  4. «Sylvinho é o novo auxiliar técnico da equipe profissional do Corinthians». Site oficial do Corinthians. 5 de julho de 2013. Consultado em 7 de maio de 2020 
  5. Karoline Albuquerque (5 de julho de 2013). «Sylvinho é o novo auxiliar técnico do Corinthians». Blog do Torcedor. Consultado em 7 de maio de 2020 
  6. Marcello Neves e Vinicius Faustini (9 de abril de 2019). «Sylvinho é anunciado como técnico da Seleção Brasileira Olímpica». LANCE!. Consultado em 7 de maio de 2020 
  7. Alexandre Lozetti e Thiago Benevenutte (17 de maio de 2019). «Sylvinho aceita proposta para ser técnico do Lyon». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de maio de 2020 
  8. «Juninho Pernambucano e Sylvinho chegam ao Lyon para iniciar trabalhos no clube». FOX Sports. 26 de maio de 2019. Consultado em 27 de junho de 2019 
  9. «Sylvinho não resiste a pior início no Francês em 24 anos e é demitido do Lyon». GloboEsporte.com. 7 de outubro de 2019. Consultado em 7 de maio de 2020 
  10. «Sylvinho não resiste à má fase e é demitido do Lyon». Esporte Interativo. 7 de outubro de 2019. Consultado em 7 de maio de 2020 
  11. «Ex-auxiliar de Tite, Sylvinho é demitido do Lyon após nove rodadas». VEJA. 7 de outubro de 2019. Consultado em 7 de maio de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Bruno Génésio
Treinadores do Lyon
2019
Sucedido por
Rudi Garcia