Sylvio Pirillo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sylvio Pirillo Cesarino)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sylvio Pirillo
Sylvio Pirillo
Pirillo no Flamengo, 1944
Informações pessoais
Nome completo Sylvio Pirillo
Data de nasc. 26 de julho de 1916
Local de nasc. Porto Alegre (RS), Brasil
Falecido em 22 de abril de 1991 (74 anos)
Local da morte Porto Alegre (RS), Brasil
Altura 1,74 m
Destro
Informações profissionais
Posição Treinador
(ex-Ponta-direita)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1934–1935
1936–1939
1939–1941
1941–1947
1948–1952
Americano-RS
Internacional
Peñarol
Flamengo
Botafogo
0000? 0000(9)
0000? 000(71)
0000? 000(23)
00237 00(204)
0000? 000(42)
Seleção nacional
1941–1943
1942
Rio de Janeiro
Brasil
0000? 000(17)
00005 0000(6)
Times/Equipas que treinou
1952
1953–1955
1955
1956–1958
1957
1959
1959–1960
1962
1963–1964
1965
1967–1968
1969
1970
1972
1974
1974–1975
1976
1977
1979
1980
1980
Botafogo
Bonsucesso
Náutico
Fluminense
Brasil
Internacional
Corinthians
Seleção Brasileira de Acesso
Palmeiras
Juventus-SP
São Paulo
Ferroviário-PR
Náutico
Bahia
Desportiva Ferroviária
Corinthians
Grêmio de Esportes Maringá
Paysandu
Santo André
Rio Claro
Taubaté

Sylvio Pirillo (Porto Alegre, 26 de julho de 1916 — Porto Alegre, 22 de abril de 1991) foi um futebolista e treinador brasileiro, que atuou como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Começou a jogar futebol no Americano de Porto Alegre, sua cidade natal. Em 1936, foi transferido para o Internacional, clube no qual permaneceu até 1939. Mesmo atuando no Rio Grande do Sul, suas atuações chamaram atenção e o levaram à Seleção Brasileira, onde ganhou fama até fora do país.[1]

No entanto, Sylvio Pirillo teve maior destaque no futebol carioca, mais especificamente no Flamengo. No rubro-negro, o atacante teve a árdua tarefa de substituir o célebre Leônidas da Silva. Em 1941, Pirillo estabeleceu um recorde que permanece de pé até hoje, sagrando-se artilheiro do Campeonato Carioca com 39 gols (a maior marca anterior era exatamente de Leônidas, com 30).

Em 1948, Pirillo chegou ao Botafogo e, no mesmo ano, ajudou o clube a conquistar o Campeonato Carioca, segundo título de futebol do clube após sua fusão. O primeiro havia sido o Torneio Início de 1947. Encerrou a carreira em 1952, no Botafogo, onde iniciou a carreira de treinador, acumulando funções de jogador e treinador.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Após encerrar a carreira de jogador, Sylvio Pirillo se tornou treinador e teve passagens por grandes clubes, com destaque para o Fluminense, onde foi campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1957. Foi quem convocou Pelé pela primeira vez para a Seleção Brasileira de Futebol, para disputar a Copa Roca de 1957.[2][1]

Em 1962, comandou a Seleção Brasileira de Acesso (uma equipe formada somente por atletas que não disputavam a 1ª divisão nacional) no I Campeonato Sul-Americano de Acesso, disputado no Peru.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Internacional
Peñarol
Flamengo
Botafogo

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Fluminense
Palmeiras
Seleção Brasileira
Seleção Brasileira de Acesso

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Flamengo
  • Rio de Janeiro Campeonato Carioca: 1941 (39 gols)
  • 4º maior artilheiro do Flamengo (204 gols)[3]
  • Artilheiro do Flamengo na década de 1940 (204 gols)[3]
  • Artilheiro do Flamengo no ano: 1941 (41 gols), 1942 (28 gols), 1943 (27 gols), 1944 (20 gols), 1945 (32 gols), 1947 (33 gols)[3]
  • Jogador com mais gols numa única edição de Campeonato Carioca: 39 gols (1941)

Referências

  1. a b Kern, Matheus (Abril de 2008). «O goleador dos anos 30». Revista do Inter 
  2. Estreia de Pelé na seleção completa 50 anos GloboEsporte.com, acessado em 11 de abril de 2010
  3. a b c flapedia.com.br/Artilheiros Arquivado em 29 de janeiro de 2016, no Wayback Machine.. Consultado em 04 de fevereiro de 2017.

Precedido por
Carvalho Leite
Técnico do Botafogo
1952
Sucedido por
Martim Silveira
Precedido por
Ivanildo Souto da Cunha
Gradim
Técnico do Náutico
1955
1970
Sucedido por
José Fiorotti
Cido
Precedido por
Gradim
Técnico do Fluminense
1956–1958
Sucedido por
Jorge Vieira
Precedido por
Osvaldo Brandão
Vicente Feola
Técnico da Seleção do Brasil
1957
1962
Sucedido por
Pedrinho
Aymoré Moreira
Precedido por
Luís Engelke
Técnico do Internacional
1959
Sucedido por
Selviro Rodrigues
Precedido por
Cláudio
Luizinho
Técnico do Corinthians
1959–1960
1974–1975
Sucedido por
Jim López
Osvaldo Brandão
Precedido por
Aymoré Moreira
Técnico do São Paulo
1967–1968
Sucedido por
Diede Lameiro
Precedido por
Fleitas Solich
Técnico do Bahia
1972
Sucedido por
Evaristo de Macedo
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço relacionado ao projeto desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.