Tômbua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tômbua
Church in Tombua, Namibe, Angola.JPG

Paróquia Nossa senhora do Rosário, em 2010, em Tômbua.
Dados gerais
Gentílico Porto Alexandrino
Província Namibe
Características geográficas
Área 17 729 km²
População 187 573 hab.
Densidade 10 hab./km²
Altitude 112 m
Clima desértico

Projecto Angola  • Portal de Angola

Tômbua, também grafada como Tombwa, é uma cidade e município no litoral da província do Namibe, em Angola.

O município tem 18 019 km² e cerca de 187 573 mil habitantes; a cidade e comuna-sede é o principal centro urbano do município e nela vive 60% da população, na sua maioria pescadora.[1]

É limitado a norte pelos municípios de Moçâmedes e a leste pelo município do Virei e pela província do Cunene, a sul pela República da Namíbia, e a oeste pelo Oceano Atlântico. O município do Tômbua é o maior em área territorial da província do Namibe, mas é quase completamente coberto pelo deserto do Namibe. Na fronteira com a província do Cunene é possível observar-se cadeias de morros de pedra que representam o fim do deserto.

O município possui, além da comuna-sede, que também conserva o nome de Tômbua, as comunas de Iona e São Martinho dos Tigres.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O município foi criado em 1895 com o nome de Porto Alexandre, nome que manteve até 1975.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Línguas[editar | editar código-fonte]

No município cerca de 50% da população usa a língua portuguesa como língua primária; a segunda língua mais falada é o cuvale.

Questões ecológicas[editar | editar código-fonte]

A cidade de Tômbua corre o risco de ser coberta pelas areias do deserto. Esforços e medidas contra a desertificação vêm sendo tomadas para combater o fenômeno.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município do Tômbua tem como base a pesca e a indústria na transformação de pescado e marisco.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

O município do Tômbua é servido pelos transporte rodoviários e marítimos tanto de pessoas como de mercadorias. O transporte aéreo no município encontra-se inoperante.[carece de fontes?]

Porto[editar | editar código-fonte]

O porto de Tômbua na cidade de Tômbua serve não só a indústria pesqueira, como também o transporte marítimo, fazendo a ligação com outros portos do litoral.

Aeroportos e aeródromos[editar | editar código-fonte]

O município é servido por três aeródromos:

  • Aeródromo do Tômbua
  • Aeródromo da Ilha dos Tigres
  • Aeródromo do Iona

Saúde[editar | editar código-fonte]

A saúde no município de Tômbua é servida por um hospital municipal e vários postos de saúde. Nos casos mais graves os pacientes são transferidos para unidades hospitalares na cidade de Moçâmedes.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade de Tômbua é servida por escola primárias, secundárias, e do ensino médio. No interior do município um dos principais problemas é o abandono das aulas a meio do ano letivo, quando as populações nómada comuns na região se deslocam. A administração municipal de Tômbua vem tomando medidas para que as populações nómadas consigam fixar-se para facilitar o acesso aos sistemas de educação e saúde.

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

A população desta região da província tem na sua cultura sobretudo a pesca. As mulheres são responsáveis pela limpeza e preparo para a salga. No interior do município encontram-se os mucubais, himbas (maioria) e pequenas áreas com da etnia san.

Espaços de lazer[editar | editar código-fonte]

O município de Tômbua possui os seguintes locais de lazer para a população:

No município existem algumas unidades hoteleiras, mas ainda existe carência especialmente na cidade do Tômbua. No Parque Nacional do Iona — um dos maiores e mais ricos de Angola — encontram-se uma grande variedade de espécies de animais como olongos, cabras-de-leque, avestruzes, suricatas, leões, raposas, hienas, zebras e guelengues entre outros.

Na foz do Cunene podem-se observar jacarés e outras espécies de animais aquáticos e terrestres por ser um lugar de desova. Nesta zona é proibida a caça.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 6 de março de 2014. Arquivado do original (PDF) em 7 de março de 2014 
  2. Comunas. Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado. 2018.
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia de Angola, integrado no Projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.