TUE Série 3000 (CPTM)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
TUE Siemens/Mitsui/SGP 3000
Siemens 3000.JPG
Série 3000 em operação pela Linha 9-Esmeralda
----
Período de serviço 2000 - presente
Fabricante Siemens/SGP/Mitsui/
Fábrica Krefeld, Alemanha e Maribor, Eslovênia
Período de construção 1997-2001
Entrada em serviço 2001[1]
Total construídos 10 TUE de 4 carros
Formação 4 carros/ 8 carros
Capacidade 1888 passageiros (8 carros)
Operador Brasil CPTM
Depósitos Brás
Linhas Atuais:
10turquoise.png Turquesa
Anteriores:
7roxo.png Rubi
8cinza.png Diamante
9greenturquoise.png Esmeralda
Especificações
Corpo aço inox
Comprimento Total 161,2 metros
Comprimento do veículo 20,15 metros (carro motor e carro reboque)
Largura 3,05 metros
Altura 4,01 metros
Portas 8 por carro (4 de cada lado)
Velocidade máxima 120 km/h
Peso 175 toneladas (TUE)
Aceleração 0,9 m/s
Desaceleração 1,1 m/s

Freio de emergência: 1,2 m/s

Tipo de tração elétrica
Potência 2 992 kW
Tipo de climatização Ar condicionado
Captação de energia Catenária
Bitola 1 600 mm

O TUE Série 3000 (CPTM) é um trem unidade elétrico pertencente ao material rodante da CPTM.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Projeto e construção[editar | editar código-fonte]

Em 1973 a FEPASA contratou as empresas Engevix e Sofrerail para elaborar um plano de remodelação dos subúrbios. O plano consistia na reconstrução de estações, pátios e aquisição de nova frota. Iniciado em 1977, o plano de remodelação foi sendo atrasado por problemas econômicos, de forma que 20 anos depois, apenas metade do mesmo havia sido realizado. As linhas da FEPASA foram repassadas para a CPTM em 1996. A Linha Sul possuía poucas estações e a frota fabricada para operar nela (5500/5550) se tornou obsoleta após 20 anos de operação.

A CPTM realiza a licitação internacional nº 114/1994. Financiada pelo BID, prevê a aquisição de uma frota de 10 trens unidade elétricos de 4 carros. O contrato foi vencido pelas empresas Siemens AG/Simmering-Graz-Pauker (SGP) e Mitsui, pelo valor de DM 102.889.234.[3] Por problemas econômicos de governo paulista, o contrato é congelado. Após os Tumultos na CPTM em 1996, o governo paulista retoma o projeto de remodelação dos subúrbios e contrata as obras faltantes na Linha 9 (ex Linha Sul da FEPASA), incluindo os trens. Assim, o contrato assinado em 1994 só foi efetivado em 4 de julho de 1997, por US$ 70 milhões, prevendo-se a entrega dos trens em 36 meses.[4]

Os trens unidade foram construídos na Alemanha (com peças importadas do Japão) e montados na fábrica da Siemens de Maribor, Eslovênia, sendo a primeira unidade entregue em 10 de novembro de 2000.[5][6]

Operação[editar | editar código-fonte]

Todas as 5 unidades foram realocadas na Linha 7, onde prestaram serviços essenciais. Porém, com a chegada dos novos trens série 8500 e 9500, acabaram sendo retiradas da Linha Rubi.[1]

No fim de outubro de 2016, uma unidade foi vista fazendo testes na Linha 10-Turquesa, e atualmente presta serviços expressos na mesma, operando em via exclusiva entre as estações Prefeito Celso Daniel - Santo André, São Caetano do Sul - Prefeito Walter Braido e Tamanduateí.[7] Em 2017, os trens começaram a fazer o trecho Mauá até Brás pela Linha Turquesa, e em abril de 2019, uma unidade prestou serviços no expresso semanal Linha 10+.[8]

Ícone de esboço Este artigo sobre Locomotiva é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências

  1. a b «Operação dos Trens» (PDF). CPTM 
  2. CPTM (2016). «Frota de trens da CPTM». Internet Archive. Consultado em 1 de novembro de 2016 
  3. CPTM (19 de julho de 1997). «Extrato de Contrato-Processo 114/94» (PDF). Diário Oficial do estado de Sâo Paulo, Seção Ineditoriais, página 17. Consultado em 1 de maio de 2019 
  4. Painel S/A (4 de julho de 1997). «Na Linha». Folha de S. Paulo, Ano 77, edição 24929, Caderno Dinheiro, página 2. Consultado em 1 de maio de 2019 
  5. «Trens alemães da CPTM já estão em operação». Portal do Governo. 24 de dezembro de 2001. Consultado em 1 de maio de 2019 
  6. «(Flash) – Covas apresenta novo trem da CPTM». Portal do Governo. 10 de novembro de 2000. Consultado em 1 de maio de 2019 
  7. Renato Lobo (30 de novembro de 2016). «Expresso Linha 10: Como a CPTM não pensou nisso antes?». Via Trólebus. Consultado em 27 de julho de 2017 
  8. Renato Lobo (23 de abril de 2019). «Trem da série 3000, da CPTM, volta a operar no Expresso Linha 10+». Via Trolebus. Consultado em 28 de abril de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]