TV Educativa de Porto Alegre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TVE RS)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
TVE RS
Fundação Piratini
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Brasil
Tipo Pública
Canais Digital: 30 UHF
Virtual: 7 PSIP
Outros canais Ver mais
Analógico:
07 VHF (1974-2017)
Sede Bandeira de Porto Alegre (RS).svg Porto Alegre, RS
Rua Corrêa Lima, 2118 - Santa Tereza
Slogan Cultura muda sua vida
Rede TV Cultura
TV Brasil
Rede(s) anterior(es) TVE Brasil
TV Cultura
Fundador Euclides Triches
Pertence a Secretaria de Comunicação e Inclusão Social
Proprietário Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Presidente Orestes de Andrade Júnior
Fundação 29 de março de 1974 (44 anos)
CNPJ 87.809.992/0001-80
Prefixo ZYB 621
Emissoras irmãs FM Cultura
Cobertura Estado do Rio Grande do Sul
Coord. do transmissor 30° 4' 46.7" S 51° 11' 13" O
Potência 17,3 kW
Página oficial www.tve.com.br

TV Educativa de Porto Alegre (também conhecida como TVE RS) é uma emissora de televisão brasileira sediada em Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Opera no canal 7 (30 UHF digital) e é afiliada à TV Cultura e TV Brasil. A emissora, juntamente com a FM Cultura, pertence à Diretoria de Radiodifusão e Audiovisual da Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Seus estúdios ficam localizados no bairro de Santa Tereza, na antiga sede da TV Piratini, e sua antena de transmissão está no alto do Morro da Polícia.

História[editar | editar código-fonte]

A TV Educativa foi inaugurada em 29 de março de 1974, e sua programação era produzida em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Sede da TVE RS

A emissora transmitia em preto-e-branco até o início da década de 1980. Quando José Antônio Daudt assumiu sua programação, em 1980, conseguiu reunir um grupo de jornalistas consagrados, como Tânia Carvalho e Tatata Pimentel para um café da manhã ao vivo, onde discutiam, em transmissão ainda em preto-e-branco, os assuntos do momento.

Em 1981, a sede da emissora na Famecos sofre um incêndio e a emissora se instala na antiga sede da extinta TV Piratini, no Morro Santa Teresa, onde permanece até hoje, mesmo tendo uma sede nunca usada desde a fundação no Jardim Botânico de Porto Alegre.

Com a chegada de Cândido Norberto à presidência da estatal, a programação da emissora passou a se destacar no cenário televisivo gaúcho. O primeiro programa a causar grande impacto, ainda sob a ditadura militar, era o Pra Começo de Conversa, apresentado por Cunha Júnior e, mais tarde, por Eduardo Peninha Bueno. Esse programa foi o primeiro a dar espaço para as bandas de rock gaúchas, sendo sucedido pelo Radar. Era apresentado diariamente às 19h30 e tinha como cenário um quarto de jovem, com discos LP e pôsteres de Jim Morrison, Janis Joplin e outros estampando as paredes. O apresentador e os convidados sentavam em uma cama de solteiro ornamentada por uma guitarra. Cândido Norberto também tinha seu programa diário, um longo comentário de quase 15 minutos, antes do Pra Começo de Conversa, respondendo às cartas de telespectadores e falando sobre os assuntos da atualidade. Um programa feminino, com Magda Beatriz, chamado Sem Retoque, não sobreviveu muito tempo.

Em 9 de abril de 1983, as instalações da emissora sofrem mais um incêndio, já na antiga sede da extinta TV Piratini no Morro Santa Teresa, quando se perderam todo o acervo da emissora até então e quase todos os filmes da TV Piratini.

Outros programas foram criados nessa época, fazendo história. Tânia Carvalho apresentava diariamente, das 18h às 19h, o Mãos à Obra, com entrevistas sobre cultura, música e comportamento. Isabel Ibias passou a apresentar um programa de debates culturais às 13h.

A administração de Bibo Nunes, durante o governo de Alceu Collares, foi certamente a mais controversa e modernizadora. A partir dessa administração foi que começou a afiliação da TVE com a TV Cultura e mais tarde, também com a TVE Brasil. Nessa época a TVE RS adquiriu teleprompters, câmeras novas e expandiu seus transmissores pelo Estado. Lançou e apresentou o programa 7 No Ar, baseado no Câmera 2, de Clóvis Duarte, que discutia os assuntos locais do dia em horário nobre. Ao lado de Bibo, Vera Armando, Rejane Noschang, Sérgio Schueller, Lena Kurtz e José Fontela. No horário do almoço, foi criado um programa semelhante ao Jornal do Almoço, inclusive contando com a participação de sua recentemente demitida apresentadora Maria do Carmo. Também participavam do programa de quadros de comentários Eduardo Peninha Bueno, o cineasta José Pedro Goulart e outros.

Sede da TVE em 2007.

A primeira-dama de Alceu Collares, a então Secretária Estadual da Educação Neuza Canabarro, revoltada com um comentário de Tânia Carvalho sobre o governador, invadiu o estúdio onde era feito o Mãos à Obra e exigiu, com sucesso, o cancelamento imediato do programa.

O programa Radar marcou época, dando espaço a bandas de rock gaúchas e visitantes, dicas para os jovens e informações culturais. Uma das primeiras apresentadoras foi Marla Martins.

Estúdio da emissora na Feira do Livro de Porto Alegre

Na década de 2000, a emissora integra a Rede Pública de Televisão, fundada na década anterior, unificando diversas emissoras educativas, entre elas a própria TVE, a TV Cultura e a TVE Brasil. Essa rede foi desfeita em 1º de dezembro de 2007.

Desde 2 de dezembro de 2007, dia da inauguração da TV Brasil, a TVE-RS deixou de transmitir os programas que eram exibidos pela extinta TVE Brasil, e passa a retransmitir apenas o sinal da TV Cultura.

A partir de fevereiro de 2011, a TVE passa a fazer parte da Rede Nacional de Comunicação Pública e retransmitir gratuitamente parte da programação da TV Brasil e passa a transmitir em massa a programação da nova rede. Depois de cinco anos fora do ar, volta a São Borja na Fronteira-Oeste com o canal 4.

Em fevereiro de 2014, a emissora faz a cobertura do Carnaval de Porto Alegre, transmitindo os desfiles dos grupos Intermediário A, Acesso e desfiles de Tribos Carnavalescas. Juntamente com os festejos carnavalescos, estreou uma nova versão de sua logomarca, em comemorações ao seus 40 anos de fundação.

Em 2015, com nova gestão, a emissora sofre um grande corte de gastos e a transmissão do Carnaval de Porto Alegre é cancelada.[1] Em 18 de maio de 2015 a emissora volta a parceria com a TV Cultura para retransmitir o conteúdo da mesma .[2] Em 21 de novembro de 2016, o governador José Ivo Sartori anuncia a extinção da Fundação Piratini, que era a mantenedora da emissora, deixando o futuro da emissora educativa incerto.[3][4][5] Em 21 de dezembro, a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul aprova a extinção de 6 fundações, entre elas a Fundação Cultural Piratini. A partir de então, um série de decisões judiciais barrou as demissões dos funcionários das emissoras.

A negociação coletiva para desligamento dos servidores atravessou o ano de 2017 e foi interrompida em outubro, quando o Governo do Estado conseguiu uma liminar do ministro Gilmar Mendes para que pudesse se abster de negociar com os servidores. [6]Posteriormente, nova liminar foi concedida por parte da Justiça do Trabalho, indicando que os funcionários da Fundação aprovados por concurso não poderiam ser demitidos por terem adquirido estabilidade.[7] O governo recorreu novamente ao STF para que pudesse proceder às rescisões de contrato, sem sucesso.

Para driblar a liminar e continuar com o processo de extinção, o governo estadual desligou os servidores sem estabilidade em novembro de 2017, instaurou um Programa de Demissão Voluntária e estudou a realocação do restante do quadro no início de 2018. Posteriormente, a extinção virou alvo do Tribunal de Contas do Estado, que solicitou, via medida cautelar, a suspensão do processo em abril de 2018, até a conclusão de uma auditoria que apontasse a garantia da manutenção dos serviços essenciais, prestados pela Fundação, após sua extinção - a saber, a produção e veiculação de conteúdo ligado à comunicação pública[8].

Em maio de 2018, os Ministérios Públicos Federal e de Contas emitiram recomendação ao Governo do Estado para que não extinguisse a Fundação Piratini.[9] Os órgãos alegaram que o fim da entidade e a veiculação das emissoras a uma secretária faria ambas perderem o caráter público e adquirissem caráter estatal. A recomendação também foi feita ao Ministério de Ciência e Tecnologia para que não transferisse a concessão da TVE e da FM Cultura ao Estado, e que elas seguissem vinculadas à Fundação. O governo, entretanto, ignorou a recomendação e impetrou um mandado de segurança no Tribunal de Justiça do RS, conseguindo liminar que derrubava a medida cautelar do Tribunal de Contas e garantisse, novamente,e o andamento do processo de extinção[10].

Diante da nova decisão, o governo emitiu, no fim de maio de 2018, um decreto declarando o encerramento das atividades da Fundação Piratini.[11] Apesar do CNPJ ainda não ter sido extinto e a concessão seguir vinculada à entidade, as atividades antes ligadas à Fundação ficam veiculadas agora à Diretoria de Radiodifusão e Audiovisual da Secretaria de Comunicação. O decreto também definiu a extinção do Conselho Deliberativo da Fundação, composto por 26 membros de entidades que representam os interesses da Sociedade Civil (como o Cpers para os professores, a Famurs para os municípios, entre outros) e fundamental para a manutenção da diversidade da programação das emissoras. Em seu lugar, foi criado um Conselho Consultivo, composto por 11 membros de 3 secretarias de Estado, 4 fundações privadas e associações e dois membros da Sociedade Civil indicados pelo governo, que não mais orientarão a programação, mas apenas serão consultados sobre ela quando o governo assim solicitar.

Apesar das alegações de que uma nova programação deve estrear, o futuro das emissoras ainda é incerto, uma vez que fontes do governo, após o encerramento das atividades, informaram ainda precisarem pensar em uma alternativa para os antigos programas veiculados.

Com o fim das atividades da Fundação Piratini, a TVE e a FM Cultura passam a ficar vinculadas à nova Diretoria de Radiodifusão e Audiovisual da Secretaria de Comunicação. Até o dia 4 de junho de 2018, a emissora seguiu transmitindo só a TV Brasil, sem programação local.[12]

Uma semana depois a TVE voltou ao ar, voltando a retransmitir a TV Cultura, e gerar programação local.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

PSIP Canal Resolução de tela Programação
7.1 30 UHF 1080i Programação principal da TVE RS / TV Brasil / TV Cultura

O Ministério das Comunicações concedeu à emissora em 6 de agosto de 2012 o canal 30 UHF para transmissões digitais, e a emissora iniciou suas transmissões em caráter experimental às 17h00 do dia 1º de outubro de 2013. A sua primeira transmissão de conteúdo em alta definição foi o Carnaval de Porto Alegre em 2014.

Transição para o sinal digital

A emissora anunciou em 13 de janeiro de 2017 que iria desligar o seu sinal analógico em 31 de janeiro,[13] exatamente um ano antes da data prevista no cronograma oficial da ANATEL.[14][15] À 0h01 do dia 1º de fevereiro, a emissora encerrou suas transmissões pelo canal 7 VHF, deixando apenas o sinal digital no ar.

Multiprogramação

A emissora pública será a única do Rio Grande do Sul a ter multiprogramação.[16]

Equipe[editar | editar código-fonte]

Jornalistas e apresentadores
  • Maria Helena Ruduit
  • Domício Grilo
  • Demétrio Xavier
  • Newton Silva
  • Carlos Cachoeira
  • Nani Ribeiro
  • Marcelo Bergter
  • Fernanda Carvalho
  • Izabel Ibias
  • Lívia Guilhermano
  • Clarissa Lima
  • Christiane Matos
Repórteres
  • Mariana Baierle
  • Patrícia Salvadori
  • Carlos Vogt
  • Lívia Guilhermano
  • Anália Barth
  • Fernanda Fell
  • Clarissa Lima da Silva
  • Angélica Coronel
  • Lisele Félix Veloso
  • Dalva Bavaresco

Produtores e editores[editar | editar código-fonte]

  • Lírian Sifuentes
  • Milton Martins
  • Gabriel Palma
  • Mariana Müller
  • Alcides Gonçalves
  • João Brites
  • Carla Xavier
  • Rafael Xavier
  • Patrícia Flesch
  • Sandra Porcincúla
  • Glória Athanázio
  • Gidiane Farias
  • Gabriela Barenho
  • Matheus Freitas da Rosa
  • Marcelo Coelho
  • Fabio Fogliatto
  • Daniela Bonamigo
  • Germano Mascherin Filho
  • Isabel Bonorino
  • Frederick Martins
  • Maria Inês Falcão
  • Janice Brasil
  • Maria Lúcia Melão
  • Vera Cardozo
  • Cristiane Reque
  • Fabiane Alves
  • Vera Vergo
  • Iara Valente
  • Elisabete Dala Lana
  • Elisa Serra
  • Tiago Gautier
  • Bruna Linhares
  • Julli Massena
  • Gabriela Belnhak
  • Daniel Marcílio
  • Jaldson Borges
  • Cristina Charão
  • Rochele Tonello Zago

Diretores executivos[editar | editar código-fonte]

TV Brasil[editar | editar código-fonte]

TVE RS passa a retransmitir na íntegra a programação da TV Brasil.[17]

Secom RS[editar | editar código-fonte]

Secretaria de Comunicação do Rio Grande do Sul.[18]

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Slogans[editar | editar código-fonte]

  • 1991: Toda nova, toda nossa
  • 1991: A visão do Rio Grande
  • 2003: A TV pública do Rio Grande
  • 2007: Faz bem ver
  • 2014: Cultura muda sua vida

Referências

  1. «Corte de gastos do governo vai reduzir atividades da TVE». Zero Hora. Consultado em 23 de janeiro de 2015. 
  2. «TVE retoma parceria com TV Cultura e apresenta novos programas». Coletiva.net. Consultado em 18 de junho de 2015. 
  3. «Após anúncio de pacote, futuro da TVE e da FM Cultura é incerto». Zero Hora. Consultado em 21 de novembro de 2016. 
  4. «Após anúncio de Pacote de Sartori extingue 11 órgãos e deixa governo com 17 secretarias». G1. Consultado em 21 de novembro de 2016. 
  5. «Funcionários da Fundação Piratini fazem vigília em frente à Assembleia». Correio do Povo. Consultado em 21 de novembro de 2016. 
  6. «Gilmar Mendes concede liminar que permite extinção de fundações do RS». www.correiodopovo.com.br. Consultado em 15 de junho de 2018. 
  7. «Nova liminar barra demissões de servidores da Fundação Piratini». Coletiva.net - Tá todo mundo aqui. Consultado em 15 de junho de 2018. 
  8. Comércio, Jornal do. «Medida cautelar do TCE suspende a extinção de fundações gaúchas». Jornal do Comércio 
  9. «MPF e MPC recomendam que governo interrompa processo de extinção da Fundação Piratini». www.correiodopovo.com.br. Consultado em 15 de junho de 2018. 
  10. «Liminar do TJ derruba cautelar do TCE que suspendia extinção das fundações». GaúchaZH 
  11. «Estado declara fim das atividades da Fundação Piratini e da Cientec». Portal do Estado do Rio Grande do Sul. 30 de maio de 2018 
  12. «Atividades da Fundação Piratini estão encerradas». Coletiva.net - Tá todo mundo aqui. Consultado em 30 de maio de 2018. 
  13. «TVE desliga o sinal analógico de Porto Alegre». TVE RS. 13 de janeiro de 2017. Consultado em 12 de janeiro de 2017. 
  14. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 14 de janeiro de 2017. 
  15. 27/01/2017 - TVE terá somente sinal digital na Região Metropolitana a partir de fevereiro
  16. 22/03/2018 - TVE terá quatro faixas de programação diferentes no mesmo canal
  17. 30/05/2018 - Atividades da Fundação Piratini estão encerradas
  18. 04/06/2018 - Secom RS dá continuidade à programação da TVE e da FM Cultura

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]