TVI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TVI
Televisão Independente
Tipo Canal de televisão Generalista privado, em sinal aberto (Free-to-Air)
País  Portugal
Fundação 20 de fevereiro de 1993 (23 anos)
por
Pertence a Media Capital
Proprietário Grupo PRISA
Presidente Miguel Pais de Amaral
Slogan Juntos, criamos a sua televisão
Formato de vídeo 16:9
SDTV
Afiliações TVI24
TVI Internacional
TVI Ficção
TVI Reality
TVI África
Cobertura  Portugal
Países abrangidos pela TVI Internacional
Cobertura internacional Satélite
Países abrangidos pela TVI Internacional
Nome(s) anteriore(s) (A) Quatro
Página oficial www.tvi.iol.pt
Disponibilidade por satélite
MEO
4
NOS
4
Disponibilidade por cabo
Cabovisão
4
MEO
4
NOS
4
Vodafone
4

Televisão Independente (sigla: TVI) é a uma estação de televisão privada portuguesa.

As emissões experimentais iniciaram-se a 20 de Fevereiro de 1993, como o segundo canal privado e quarto generalista, que nessa altura tinha o nome de "4" por ser a quarta rede nacional de televisão.

A emissão regular chega em Outubro de 1993 e um ano depois chega a todo o território nacional, incluindo os arquipélagos da Madeira e dos Açores através de uma rede própria de emissores.

Em 2005, substituiu a SIC como líder de audiências. Em 2015, voltou a ser líder de audiências pelo décimo primeiro ano consecutivo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Televisão Independente (TVI) é o quarto canal de televisão generalista e o segundo de carácter privado.

Foi fundada por entidades ligadas à Igreja Católica, incluindo a Rádio Renascença, e RFM, a Universidade Católica Portuguesa, o Santuário de Fátima, o Seminário do Cristo-Rei, a Confederação Nacional dos Institutos Religiosos e a União das Misericórdias Portuguesas, sendo atualmente detida maioritariamente pelos espanhóis do Grupo Prisa, que detêm com 94,4 por cento do capital da dona da TVI, a Media Capital. Com a TVI aparece o som estéreo em 1994.

A história da TVI pode resumir-se em duas fases essenciais: antes e depois da entrada da Media Capital. O grupo Media Capital entrou no capital social da TVI em 1997, ao comprar 30 por cento da estação, tendo Miguel Pais do Amaral assumido a presidência do grupo. Nesse ano começou a reformulação da estação de televisão que até então registava um fraco desempenho em termos de audiências e de receitas publicitárias. Logo no ano seguinte, a Sonae, associada à Cisneros e à Lusomundo, passa a deter a gestão da televisão depois de conseguir uma posição de relevo em várias assembleias-gerais. Em Outubro de 1998, a Sonae avança com um aumento de capital, e assim a Media Capital exerce o seu direito de preferência e adquire as posições da Sonae, da Cisneros e da Lusomundo, passando a deter mais de 90 por cento do capital.

Em 2005 é a vez da Prisa entrar na TVI ao tornar-se, em Novembro, o accionista principal do grupo Media Capital. No ano seguinte, a Prisa lança uma oferta pública de aquisição sobre a totalidade das acções representativas do capital social da Media Capital, passando a controlar o grupo.

A TVI no início queria ser uma estação alternativa apostando em concursos e séries e novelas estrangeiras, tendo raros momentos portugueses, mas a partir do ano de 1998 a aposta passou a recair na ficção nacional (novelas e séries), talk shows e reality shows.

A TVI emitiu a sua programação no formato 4:3 até 2015, apesar de anteriormente ter sido reconhecida como a primeira estação a implementar o sistema PALplus, em 1994, abandonando-o em 1996. O canal temático +TVI era o único que transmitia em 16:9. A persistência no formato antigo chegou a despoletar críticas do ex-diretor de informação José Alberto Carvalho.[2] Foi só a partir de outubro de 2015 que todos os outros canais (incluindo a TVI generalista) passaram a emitir em 16:9.[3] [4]

Na Direção-Geral da TVI estiveram:

1993-1996 - José Ribeiro e Castro
1996 - Carlos Cruz
1998-2009 - José Eduardo Moniz
2010 - Bernardo Bairrão (diretor-geral interino)
2010-2011 - João Cotrim Figueiredo
2011-2012 - José Fragoso
2012 - atualmente - Luís Cunha Velho

Na Direção de programas da TVI estiveram:

1993-1995 - José Nuno Martins
1995-1998 - Diogo Gaspar Ferreira
1998-2009 - José Eduardo Moniz (direção-geral e de programas)
2009-2010 - Luís Cunha Velho (interino)
2010-2011 - André Cerqueira
2011-2012 - José Fragoso (direção-geral e de programas)
2012-2014 - Luís Cunha Velho (direção-geral e de programas)
2014 - atualmente - Bruno Santos

A TVI é detida pelo Grupo Prisa, mas pertence à Media Capital que tem como presidente Miguel Pais do Amaral.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Alguns dos acontecimentos mais importantes da estação de televisão:

  • 1993 - Início das emissões no dia 20 de fevereiro, como a segunda estação de televisão privada em Portugal. A emissão regular chega em Outubro.
  • 1994 - A TVI chega a todo o país em outubro. Chega a Portugal pela mão da TVI o formato 16:9. É abandonado em 1996.
  • 1996 - Estreia de Batatoon.
  • 1997 - O grupo Media Capital entra no capital social da TVI, ao comprar 30 por cento da estação, tendo Miguel Paes do Amaral assumido a presidência do grupo.
  • 1997 - A estação instala-se em Queluz de Baixo, unindo programação e informação. Até então, a primeira funcionava no edifício Altejo e a redacção no antigo cinema Berna, ambos em Lisboa.
  • 1998 - José Eduardo Moniz torna-se diretor geral da TVI. A Igreja Católica deixa a TVI.
  • 2000 - Surge a presença na internet com a TVI Online.
  • 2000 - A TVI começa a lutar pela liderança das audiências com a aposta em reality shows e na ficção nacional nomeadamente em telenovelas e séries portuguesas.
  • 2001 - Início das transmissões do canal TVI Eventos, a 18 de outubro, para a transmissão de vários reality shows. A transmissão deste canal terminou em 2004.
  • 2005 - É a vez da Grupo Prisa entrar em ação, assumindo oficialmente em novembro desse ano o estatuto de accionista principal do grupo Media Capital.
  • 2005 - A TVI torna-se pela primeira vez líder absoluta de audiências no período chamado all-day (entre as 7h e as 2h30), tendo ultrapassado a SIC, que ganhava à concorrência há dez anos consecutivos.
  • 2006 - Regresso, a 23 de julho, de Batatoon.
  • 2008 - No dia 7 de junho, a TVI obtém a sua maior audiência diária de sempre durante o jogo Portugal-Turquia, no Euro 2008.
  • 2009 - A TVI lança o seu canal de notícias para o cabo o TVI24, a 26 de fevereiro. José Eduardo Moniz sai da TVI.
  • 2010 - Início das emissões da TVI Internacional, a 30 de maio, com o objetivo de chegar à vasta comunidade portuguesa espalhada pelo o mundo, assim como, aos países de língua oficial portuguesa.
  • 2010 - Início das emissões da TVI Direct, lançado a 4 de outubro, criada especificamente para a transmissão durante 24 horas por dia do reality show Secret Story - Casa dos Segredos.
  • 2010 - A novela Meu Amor da TVI é a primeira telenovela portuguesa nomeada e vencedora dos Prémios Emmy Internacional, na categoria de Melhor Telenovela.
  • 2011 - José Fragoso, José Alberto Carvalho e Judite de Sousa, todos vindos da RTP, tornam-se respectivamente Director-Geral, Director de Informação e Directora-Adjunta de Informação da TVI.
  • 2011 - A TVI e a Plural Entertainment inauguram a Cidade dos Sonhos. Um projeto já há muito pensado que permitiu juntar todos os estúdios de ficção TVI num só complexo. Este espaço localiza-se na Quinta dos Melos. Para marcar a inauguração, a TVI preparou e transmitiu um especial durante toda a tarde de 1 de outubro, sábado. Este especial foi apresentado por Fátima Lopes e contou com a presença de vários atores que relembraram vários sucessos da TVI na ficção e também de vários músicos que cantaram vários genéricos de projetos da TVI.
  • 2012 - A TVI altera o seu slogan para "Juntos criamos a sua televisão" (numa campanha institucional especial da Media Capital)[5].
  • 2012 - A 15 de outubro, lança o canal cabo TVI Ficção no MEO, dedicado exclusivamente à ficção nacional.
  • 2013 - A 25 de janeiro, lança o canal cabo +TVI, na NOS, dedicado ao entretenimento.
  • 2013 - A 20 de fevereiro, a TVI celebra o seu 20º aniversário.
  • 2014 - No dia do seu 21º aniversário, muda de grafismo e altera ligeiramente o seu logótipo. A Media Capital nomeia Bruno Santos como diretor de programas da TVI.
  • 2014 - José Eduardo Moniz regressa à TVI como consultor de ficção. As alterações foram mais visíveis nas telenovelas, como O Beijo do Escorpião e Jardins Proibidos.
  • 2015 - José Eduardo Moniz acumula mais funções e passa a prestar serviços de consultoria sobre toda a programação da TVI, excetuando na área de Informação.[6] [7]
  • 2015 - A 3 de junho, lança a nova plataforma digital TVI Player, com acesso a conteúdo em direto e on demand de todos os canais do universo TVI.[8]
  • 2015 - A 3 de outubro, todos os canais do universo TVI passaram a transmitir no formato 16:9, abandonando o 4:3.[3] [4] No mesmo dia, dá início à emissão dos canais TVI África e TVI Reality.[9] [10]
  • 2015 - A 1 de dezembro, é encerrada a emissão do canal temático +TVI.[11]

Direção da TVI[editar | editar código-fonte]

Conteúdos[editar | editar código-fonte]

  • Luís Cunha Velho - Diretor-Geral
  • Bruno Santos - Diretor de Programas
  • Frederico Teves - Diretor de Operações e Meios
  • Filipe Terruta - Diretor Criativo
  • Cristina Ferreira - Diretora de Conteúdos Não Informativos
  • José Eduardo Moniz - Gestor de Conteúdos de Entretenimento e Ficção

Informação[editar | editar código-fonte]

  • Sérgio Figueiredo - Diretor de Informação
  • Judite Sousa - Diretora-Adjunta de Informação
  • António Prata - Diretor-Adjunto de Informação
  • Luís Salvador - Diretor-Adjunto de Informação

Programas[editar | editar código-fonte]

Ficção[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de telenovelas da TVI
Ver artigo principal: Lista de séries da TVI
Ver artigo principal: Lista de minisséries da TVI
Ver artigo principal: Lista de sit-coms da TVI
Ver artigo principal: Lista de telefilmes da TVI

A TVI deu um grande passo na ficção nacional em 1999 ao produzir, em conjunto com a NBP (Fealmar e Casa da Criação, atualmente com o nome de Plural Entertainment Portugal), várias novelas e séries que têm dado à TVI ótimos resultados nas suas audiências. O projeto resultou e nunca mais parou, sendo atualmente muitas as novelas e séries produzidas, tendo inclusivamente um cada vez maior sucesso fora de Portugal, resultado dos inúmeros países que compram os direitos de transmissão de novelas e séries portuguesas. Entre eles, estão vários países da América Latina, também os Estados Unidos, Roménia, Venezuela, Hungria, Vietname, Rússia, Polónia, China.[12] A produtora Plural Entertainment Portugal, que também produz para o mercado espanhol e da América Latina, é igualmente detida pelo grupo Media Capital.

Entretenimento[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de talk shows da TVI
Ver artigo principal: Lista de reality shows da TVI
Ver artigo principal: Lista de talent-shows da TVI

Um dos primeiros programas de entretenimento da TVI foi A Amiga Olga apresentado por Olga Cardoso. Nos anos seguintes até à atualidade outros programas surgiram. Cristina Ferreira, Manuel Luís Goucha, Fátima Lopes, Marisa Cruz, Nuno Eiró, Iva Domingues, Leonor Poeiras, Mónica Jardim, Marta Cardoso, Isabel Silva, Manuel Melo e Teresa Guilherme são algumas das caras do entretenimento da TVI.

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Antigos apresentadores[editar | editar código-fonte]

Jornalistas[editar | editar código-fonte]