TV Anhanguera Goiânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV Anhanguera (Goiânia))
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde março de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde abril de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
TV Anhanguera Goiânia
Televisão Anhanguera S.A.
Goiânia, Goiás
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais Digital: 34 UHF
Virtual: 02 PSIP
Outros canais 24 (Claro TV)
02 (Sky)
20 (Mais TV)
15 (NET)
Analógico:
02 VHF (1963-2017)
Sede Bandeira de Goiânia.svg Goiânia, GO
Rua Thomas Edison, 400, Qd. 07 - Serrinha
MAPA
Slogan O bom da vida é te ver
Rede Rede Anhanguera (Globo)
Rede(s) anterior(es) Rede Excelsior (1963-1968)
Fundador Jaime Câmara
Pertence a Grupo Jaime Câmara
Proprietário Jaime Câmara Júnior
Antigo proprietário Jaime Câmara (1963-1989)
Presidente Cristiano Roriz Câmara
Fundação 24 de outubro de 1963 (53 anos)
CNPJ 01.534.510/0001-01
Prefixo ZYA 571
Emissoras irmãs
Cobertura Grande Goiânia e áreas próximas
Coord. do transmissor 16° 39' 52.3" S 49° 20' 41.6" O
Potência 20 kW
Página oficial redeglobo.globo.com/tvanhanguera

TV Anhanguera Goiânia é uma emissora de televisão brasileira sediada em Goiânia, capital do estado de Goiás. Opera no canal 2 (34 UHF digital), e é afiliada à Rede Globo. Pertencente ao Grupo Jaime Câmara, é a matriz da Rede Anhanguera, rede de televisão regional que cobre os estados de Goiás e Tocantins. É a cabeça-de-rede da TV Anhanguera no estado de Goiás, que transmite sua programação para as outras sete emissoras da rede no estado, em Anápolis, Catalão, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Porangatu e Rio Verde. Seus estúdios estão sediados no bairro da Serrinha, e sua antena de transmissão está no Morro do Mendanha, no bairro Jardim Petrópolis.

História[editar | editar código-fonte]

A TV Anhanguera entrou no ar no Canal 2 em 24 de outubro[1] de 1963, data do aniversário de Goiânia por Jaime Câmara e seus irmãos Joaquim Câmara Filho e Vicente Rebouças, tornando-se a segunda emissora a entrar no ar em Goiás (a primeira foi a TV Rádio Clube, atualmente TV Record Goiás). A emissora entrou no ar como afiliada à Rede Excelsior.

Inicialmente a estação se situava na Rua 8, no Centro (atrás do prédio do jornal O Popular, na Avenida Goiás, 345). Seu primeiro programa, A Hora do Ângelus, até hoje é exibido. Diversas atrações faziam parte da programação da emissora, desde programas de auditório à telenovelas, como Drácula e A Família Brodie.

Em 1967 sofreu um incêndio devastador, cujo prejuízo foi de NCr$ 1 bilhão de Novos Cruzeiros. Contou com ajuda da então TV Goiânia e da TV Paranaense para voltar ao ar, duas semanas depois. Após o incêndio, a emissora se instala num prédio, na Rua 2.O mercado publicitário também se uniu para ajudar a empresa a se reerguer. O publicitário Fued Naciff, foi quem levantou a bandeira de que os anunciantes deveria pagar normalmente para a empresa, no intuito de que ela tivesse créditos para sua recuperação.

Em 1968, com o piorar da situação da Rede Excelsior, passa a transmitir os programas da Rede Globo (desde sua inauguração, a TV Anhanguera ja contava com equipamento de videotape).

A afiliação com a rede carioca é efetivada em 1969, quando passa a transmitir o Jornal Nacional e passa também a receber os programas da Globo via micro-ondas da Embratel durante a madrugada (somente o JN era ao vivo). Nessa época, a Anhanguera ainda aplicava programas locais, como o República Livre do Cerrado[2], programa de auditório apresentado pelo Coronel Hipopota (o Chacrinha goiano) até sua morte em 1982 e O Mundo é das Crianças, infantil apresentado por Magda Santos até 1976, além de pequenos noticiários, como o O Popular no 2. Programas como: "General Novilar,Comanda o Espetáculo, apresentando por Fued Naciff, também fez grande sucesso, distribuindo vários prêmios. Juventude Comanda apresentado por Arthur Rezende, foi outro programa de grande destaque.

Com a consolidação do padrão global, as atrações locais vão sendo extintas, ficando alguns poucos programas de cunho regional e os telejornalísticos, como o Fatos em Manchete, Jornalismo Eletrônico (padrão antigo da Globo de telejornalismo local), Retrospectiva, Jornal do Campo e os blocos locais do Jornal Hoje e Jornal Nacional, apresentados por Jackson Abrão, José Divino e Paulo Beringhs.

A partir de 1980, a Anhanguera, já poderosa por ser afiliada à Globo muda de sede, saindo do Centro de Goiânia para a longínqua Serrinha (hoje bairro semi-nobre).

Em 1981, surge o Feminina, criado por Célia Câmara, que tratava de temas do universo feminino.

Em 19 de agosto, a TV Anhanguera foi a emissora responsável pela geração de imagens da cerimônia de outorga das Redes SBT e da Manchete, diretamente de Brasília.

Em 1983 são criados os telejornais "Bom Dia Goiás", Jornal Anhanguera e um bloco local dentro do Jornal da Globo.

Em 1987, estreiava o Jornal Anhanguera: Edição do Almoço (ou Jornal do Almoço, como ficou conhecido. Atualmente se chama Jornal Anhanguera 1ª Edição).

Em 1993, é relançado o Jornal do Campo.

Em 2000, a emissora passa a adotar o novo padrão de telejornalismo local das emissoras da Globo, o jornalismo comunitário e reformula as duas edições do Jornal Anhanguera, que ganha novo cenário.

Foi a primeira emissora do estado a transmitir jogos do Campeonato Goiano de Futebol, a partir de 2001 a 2003 e desde 2007. Geralmente transmite uma partida para a rede no interior, e outra para Goiânia e região.

Em 5 de julho de 2010, a TV Anhanguera reformula os cenários dos seus telejornais, adotando uma linha editorial semelhante ao RJTV. O telejornal passou a ser mais informal e ganhou mais agilidade.

No dia 24 de outubro de 2012 a Rede Anhanguera lançou durante o Jornal Anhanguera - 1ª edição a nova logomarca, com traços semelhantes aos da Rede Globo.[3]

Em 29 de outubro de 2013, a Claro TV passou a disponibilizar o sinal da emissora no canal 17.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
2.1 34 UHF 1080i Programação principal da TV Anhanguera Goiânia / Globo

A TV Anhanguera Goiânia foi a primeira das afiliadas da Rede Globo a iniciar suas transmissões digitais, através do canal 34 UHF em 4 de agosto de 2008. Isso demandou altos investimentos em equipamentos e também na reforma de suas instalações. Em 4 de junho de 2012, todos os seus programas passaram a ser produzidos em alta definição.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Anhanguera Goiânia, bem como as outras emissoras de Goiânia, cessou suas transmissões pelo canal 2 VHF em 21 de junho de 2017, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[4]O sinal foi cortado às 23h59, durante o Profissão Repórter, e foi substituído pelo aviso do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

Programação[editar | editar código-fonte]

  • Bom Dia Goiás: Telejornal, com Handerson Pancieri e Suelen Reis;
  • Jornal Anhanguera - 1ª Edição: Telejornal, com Lilian Lynch;
  • Globo Esporte GO: Jornalístico esportivo, com Victor Andrade;
  • Jornal Anhanguera - 2ª Edição: Telejornal, com Matheus Ribeiro;
  • Jornal do Campo: Jornalístico, com Márcio Venício;
  • Cidade Já: Boletim jornalístico;

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Assim como a Rede Globo, a TV Anhanguera também sofre críticas de seus adversários por ter se aproveitado do Regime Militar (1964-1985) para expandir-se. O seu fundador, Jaime Câmara (1909-1989) foi deputado federal pelo extinto PDS goiano.

Durante as ondas de manifestações no Brasil, no dia 24 de junho de 2013, os carros de reportagem da TV Anhanguera, TV Serra Dourada e do jornal O Popular, foram destruídos e depredados em frente à sede da prefeitura de Goiânia.[5]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]