TV Caravelas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV Caravelas (Ipatinga))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2017). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Caravelas
Associação de Radiodifusão Comunitária de Ipatinga
Logotipo atual da emissora
Logotipo atual da emissora
Sede da TV Caravelas
Sede da emissora em Ipatinga.
Tipo Canal de televisão público e comunitário
País  Brasil
Fundação 10 de agosto de 2009 (10 anos)
por Antônio Queiroga
Pertence a Fundação Amigos do Vale do Aço
Proprietário Fundação Amigos do Vale do Aço
Presidente Vinicius Queiroga
Marcos Constâncio da Silva
Cidade de origem Bandeira Ipatinga.gif Ipatinga, MG
Sede Bandeira Ipatinga.gif Ipatinga, MG
Estúdios Bandeira Ipatinga.gif Ipatinga, MG 1º andar. Área de Produção. Rua Serra Negra, 65, Jardim Panorama
Slogan "Descobrindo um novo jeito de fazer televisão"
Formato de vídeo (16:9)
Audiência Região Sudeste e parte da Região Sul do Brasil, Estados Unidos, Espanha
Canais irmãos TV COM - Canal Comunitário Nacional
Emissoras afiliadas Associação Brasileira de Canais Comunitários
Página oficial TV Caravelas
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Canal 35 UHF (Vale do Aço)

Canal 46 UHF (Vale do Aço)
Canal 7 UHF (Ipatinga)
Disponibilidade por satélite
Oi TV
Canal 28
SKY
Canal 28
Disponibilidade por cabo
NET
Canal 6
Astro
Canal 11
Disponibilidade digital
Iblups
Assistir ao vivo
HotFlix
Assistir ao vivo

TV Caravelas é um canal de televisão brasileiro com sede no município brasileiro de Ipatinga, pertence a FAVI - Fundação Amigos do Vale do Aço, estreou no dia 10 de agosto de 2009 inaugurando a televisão comunitária no Vale do Aço e no Leste Mineiro. A inicial proposta do canal foi conter programação 100% composta de produções de caráter público sem fundo comercial, alguns programas regionais são transmitidos na TV Caravelas.[1] É transmitida em sinal aberto, 24 horas todos os dias, por assinatura no canal 06 da NET e no canal 11 da Astro, ambos digitais, para todo o Vale do Aço. E em parceria com a TV COM Brasil exibe uma expressiva parte de sua programação para os canais 28 das operadoras de televisão via satélite Sky e Oi TV, cujo está sob controle da Associação Brasileira de Canais Comunitários.[2] A pluralidade no contexto social, o anseio democrático de expressar e comunicar de forma livre e respeitosa, através desse veiculo televisivo, foi o mote que norteou o firme propósito dessa iniciativa institucional.

História[editar | editar código-fonte]

Seu modelo de negócio ou operação é voltado para a produção de conteúdo audiovisual com características não comerciais ou mercadológicas, apesar de possuir formato de veículo comercial em sua estrutura de funcionamento com programação, intervalos e espaços para veiculação publicitária de interesse público.

A vocação da TV Caravelas é absorver e exibir acontecimentos culturais, sociais e naturais com foco regional ou local, limitando sua participação em rede ou cadeia, mas permitindo o intercâmbio e troca de conteúdo entre emissoras do campo público como emissoras universitárias, estatais e educativas. Neste formato, a discussão e reflexão social também acontece sobre pautas de relevância nacional, porém, com foco, essencialmente, no impacto regional nas pessoas e comunidades.

Criação do nome "TV Caravelas"[editar | editar código-fonte]

Marcos Constâncio, o fundador estava com um desejo, construir uma emissora de televisão logo lembrou do descobrimento do Brasil. Cabral veio nas três caravelas, Santa Maria, Pinta e Nina[3], aí surge o nome, TV CARAVELAS, descobrindo um novo jeito de fazer televisão, com o seu slogan que é utilizado atualmente.[4]

Licenciamento da "ANATEL"[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de agosto de 2009 a licença de que a emissora poderia transmitir sua programação normalmente, após o processo que decidiria a continuidade da emissora. Sozinhos sem apoio de políticos do município, do estado e federal. Apesar da Fundação ser reconhecida como utilidade pública, nada até hoje conseguiram, documentos e processos já foram colocados na tentativa de conseguir verbas para equipar a TV.[5]

Verbas públicas[editar | editar código-fonte]

Após incentivos culturais de empresas que apoiam a iniciativa da emissora. Os fundadores juntamente com os colaboradores conseguiram estabelecer a melhoria do sinal da emissora, e o implantamento da emissora para operar através do sinal digital. Melhorias nos estúdios da emissora e de suas dependências.

Criação do programa Comunidade na TV[editar | editar código-fonte]

O programa Comunidade na TV é o programa produzido pela TV Caravelas que mais apresenta conteúdo público-popular da comunicação comunitária. Nele, a Comunidade se expressa diretamente, expõe suas opiniões, confessa seus sonhos e apresenta suas demandas políticas, urbanas, culturais, econômicas e sociais. Com o Comunidade na TV, a TV Caravelas vai a campo, visita os bairros, registra seus problemas de infraestrutura, ouve a população, dá a voz a suas organizações e lideranças comunitárias. Levas as demandas diretamente ás autoridades municipais, promove o contraponto e possibilita o contraditório. Nisso, reside seu caráter mobilizador, entendido como articulador de vontades para a realização de um propósito determinado, para a transformação da realidade sócio-econômica da comunidade.

TV Caravelas atualmente[editar | editar código-fonte]

A TV Caravelas busca esse novo jeito de fazer televisão. Uma TV Popular que mais que difundir informações, tem compromisso com seus resultados. Um canal que espera que, além de se tornar conhecimento sobre algo, as pessoas incorporem a informação, utilizem-na e a compartilhem. Uma comunicação popular busca e promove a coletivização da informação, construindo o sentimento de que não se está sozinho em aspirações por mudanças, que tem companhia atuando no mesmo sentido e com os mesmos objetivos. Um canal que registra e preserva a memória do movimento e fornece elementos para a construção da identidade comunitária em torno de seus objetivos, de seu projeto mobilizador. E uma comunicação adequada senão uma comunicação dialógica, libertadora e educativa.

Fundação Amigos do Vale do Aço de Ipatinga[editar | editar código-fonte]

Criada em 2007, tem como principal objetivo, promover atividades sociais, culturais e educativas. Em 2009, a Fundação FAVI inaugura  a TV Caravelas, exibindo sua programação no Canal de televisão comunitária em Ipatinga - Minas Gerais, pela operadora NET, inicialmente no canal 12.

O principal foco da Fundação FAVI é promover a democratização dos meios de comunicação, abrindo espaço para que a comunidade possa usufruir de um canal de televisão, onde que a mesma apresente suas atividades culturais e demandas sociais. Para isso, a Fundação FAVI realiza na sede da TV Caravelas, assessoria na área de produção e geração de televisão, no qual as entidades possam produzir seus programas e informativos. A Fundação FAVI também disponibiliza na sede da Tv Caravelas, espaço para exposições, oficinas artesanais e demais atividades culturais.[6]

Presidência[editar | editar código-fonte]

Presidente Curador: Marcos Vinícius Queiroga da Silva

Vice Presidente Curador: Marcos Constâncio da Silva

Conselho[editar | editar código-fonte]

Curadora: Siomar Queiroga da Silva

Vogal Curador: Luis Oliveira dos Reis

Diretoria[editar | editar código-fonte]

Diretor Administrativo: Sebastião Alves

Diretora Financeira: Sueli Martins Silva Andrade

Diretor Operacional: Dalmácio Ferreira Neves

Fiscal Presidente: Ademilson Andrade Lima

Fundadores[editar | editar código-fonte]

Antônio Queiroga[editar | editar código-fonte]

Falecido, foi Filósofo, Ex- Diretor Administrativo da Fundação FAVI, elaborou toda a linha editoral da Tv Caravelas, planejou e atuou diretamente em importantes projetos sociais e culturais coordenados pela Fundação FAVI e exibidos na Tv Caravelas.

Vinicius Queiroga[editar | editar código-fonte]

Autodidata nas áreas de eletrônica e telecomunicações, atuou nas principais emissoras de Rádio e Televisão do Vale do Aço, participando na montagem e implantação da Tv Cultura Vale do Aço. Fez parte também da equipe de engenharia e manutenção das Rádios Vanguarda, Eldorado (atualmente Grande Vale FM), Rádio Galáxia FM (Hoje, Nativa FM), TV dos Vales (afiliada Rede Record) e InterTV dos Vales (afiliada Rede Globo). No momento que recebeu o convite para implantar o primeiro canal de TV Comunitário do Leste de Minas, a TV Caravelas, definiu assim, o desafio: "O que faz a gente ser grande é não perder o futuro de vista, é chegar a um porto, fincar a bandeira da conquista e nesse mesmo instante buscar outros portos. É criar desafios, calcular riscos, avançando sempre, porque, a grande aventura é viver, e a vida, assim como as ondas, tem um jeito diferente de se repetir, de prometer descobertas e abrigar todos os tipos de sonhos e embarcações. O que faz a gente ser grande é ser como o mar, incansável na sua procura pela onda perfeita, até descobrir que a perfeição está na própria busca".

Siomar Queiroga[editar | editar código-fonte]

Formada em Magistério pelo Colégio Frei Orlando em Belo Horizonte , onde lecionou nas principais Escolas Estaduais em Contagem/MG, lecionando para crianças especiais, preparando-as para o convívio social e familiar. Depois de alguns anos, lecionou com crianças do antigo primário 1º ao 4º. Em seguida, para o Admissão (1 ano preparando os alunos para o 5º ano - hoje a 5ª série do curso fundamental ). Em Mariana/MG, continuou lecionando na Escola Primária. Prestou vestibular em Ouro Preto na área de Matemática. Em Belo Horizonte, atuou em escolas, fazendo atividades sociais tanto na igreja como na comunidade. Em Ipatinga/MG, lecionou na E.E. Wilson Alvarenga como professora e vice diretora, sendo transferida para a Escola Estadual Nilza Luzia de Souza Butta, assumindo os cargos de Secretária e Diretora. Atuou como Gerente Administrativa, em empresa de manutenção eletrônica, posto autorizado de marcas de renome nacional, como, Semp Toshiba, Mitsubishi, entre outras. Participou diretamente na criação e concretização da Fundação FAVI e TV Caravelas.

Programação[editar | editar código-fonte]

A programação da TV Caravelas se destaca por ter um conteúdo em alta definição, além de programas do interesse da comunidade em geral, programas em todas as faixas de idade, cujo em sua maioria podem ser vistos por todos os públicos. Grande parte da programação da emissora e focado em entrevistas e jornalismo.

Programas próprios exibidos pela emissora:

  • Artmania
  • Bola na Área
  • Cineminha
  • Clip Show
  • Comunidade na TV
  • Experiência com Deus
  • Fé e Vida
  • Filosofia em Questão
  • Informativo TV Caravelas
  • Missa e bênçãos
  • Momento Jurídico
  • Pipoca na TV
  • Propósitos de Vida
  • Sessão Faroeste
  • Terra & Viola
  • Turminha com Propósitos
  • Zig Zag

Programas extintos[editar | editar código-fonte]

  • Conversa Fiada
  • Jornal Amorca
  • J. Bilt
  • Jornal Brasil
  • Mais Vida
  • Momento Saúde
  • Programa Jander Paulo
  • Sports Play
  • Vale Conversar
  • Video Classics

Slogan e Logotipo[editar | editar código-fonte]

Antigo logotipo utilizado durante o inicio da TV Caravelas.

O slogan mais utilizado da TV Caravelas é: "Descobrindo um novo jeito de fazer televisão", mas é utilizado opcionalmente em vinhetas longas e de caráter nacional o slogan: "A primeira e única TV comunitária do leste de Minas".

O Logotipo da TV Caravelas é formado por três triângulos tridimensionais representado as três Caravelas na época do descobrimento do Brasil, e flecha colorida representando a eficiência e a digitalização da TV Caravelas.

Função da TV Caravelas[editar | editar código-fonte]

A TV Caravelas é um canal responsável por manter uma programação local, diferenciada da que é usualmente assistida na grande mídia e veículos comerciais, por retratar a cultura, a identidade e os interesses de cada localidade. A TV Caravelas permitem dar voz ao cidadão local, o princípio que permite dar voz aos membros da comunidade é o da participação cidadã, cuja presença deve ser de forma livre, diversa e plural.

Também é função social do canal de televisão comunitário o papel de tornar acessível a formação livre para jovens profissionais, estudantes e entusiastas da Comunicação, atuando, em muitos exemplos, como primeiro contato com o formato televisivo e a produção audiovisual de programas de TV, Jornalismo, Documentários, Edição Linear e não-linear, Programação e Exibição, Produção de TV, Iluminação, além de outras funções da área.

Muito comum durante a produção de conteúdo a participação comunitária, acadêmica e setoriais na produção e difusão audiovisual locais por meio de programas, reportagens e documentários de assuntos locais, essencialmente, pautados e aprofundados mais pelas demandas sociais e culturais e inversas ao conteúdo fragmentado e superficial de emissoras comerciais regidas por uma grade de programação achatada pela cabeça de rede e compromissos publicitários.

Legislação brasileira[editar | editar código-fonte]

Lei Nº 8.977, de 6 de Janeiro de 1995. Dispõe sobre o Serviço de TV a cabo e dá outras providências.

Lei Federal nº 12.485, de 12 de setembro de 2011 - Dispõe sobre a comunicação audiovisual de acesso condicionado; altera a Medida Provisória no 2.228-1, de 6 de setembro de 2001, e as Leis nos 11.437, de 28 de dezembro de 2006, 5.070, de 7 de julho de 1966, 8.977, de 6 de janeiro de 1995, e 9.472, de 16 de julho de 1997; e dá outras providências.

Medida Provisória Nº 2.228-1, de 6 de setembro de 2001. Estabelece princípios gerais da Política Nacional do Cinema, cria o Conselho Superior do Cinema e a Agência Nacional do Cinema – Ancine, institui o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Cinema Nacional – PRODECINE, autoriza a criação de Fundos de Financiamento da Indústria Cinematográfica Nacional – FUNCINES, altera a legislação sobre a Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional e dá outras providências.

Objetivos da TV Caravelas[editar | editar código-fonte]

  1. programar, planejar, realizar e divulgar projetos sociais de interesses da comunidade da região, em especial aqueles voltados para as pessoas idosas, crianças, grupos de mães, portadores de deficiências físicas, população de baixa renda, etc.;
  2. criar, manter e administrar atividades e programas de serviços à cultura e a educação, através de canais próprios de radiodifusão cultural e educacional, sem finalidades comerciais, tendo como objetivo prioritário os interesses comunitários, especialmente aqueles citados na letra anterior;
  3. programar e executar serviços especiais de retransmissão ou distribuição de sinais de rádio e ou televisão em regime simultâneo ou misto, atendendo os objetivos de implantação de serviços comunitários informativos e de programas de interesse da comunidade;
  4. executar serviços de radiodifusão de sons e imagens, com fins educativos e ou culturais;
  5. promover iniciativas e campanhas de cunho social-beneficente com a colaboração de entidades de programação e assistência social;
  6. fundar, manter e ou administrar entidades, obras de serviços, centro de cultura, museus, bibliotecas e centros de lazer, incentivando a expansão da cultura, artes e educação;
  7. fundar, administrar e manter creches, bem como cursos e escolas de todos os graus e, ainda, instituir e conceder bolsas de estudos e estágios;
  8. instituir cursos de formação profissional nas diversas áreas da radiodifusão, utilizando-se das instalações da Fundação ou de terceiros;
  9. patrocinar e divulgar eventos culturais, como exposições, festivais de artes, espetáculos teatrais, de dança, de música, de ópera, de circo e atividades congêneres, visando sempre a manutenção dos valores culturais da região;
  10. preservar o folclore e as tradições populares da região, bem como patrocinar as manifestações culturais e folclóricas sem fins lucrativos;
  11. estabelecer contratos com emissoras de radiodifusão com o propósito de produzir programas culturais informativos e educativos;
  12. criar, redigir e imprimir revistas, livros e jornais para o apoio e divulgação de suas atividades e incentivar as artes gráficas em geral;
  13. estimular e apoiar pesquisas, planos e projetos em toda as áreas de conhecimento e da cultura; como fotografia, artesanato, artes plásticas e ciências; prestar serviços a terceiros, sempre tendo em vista os objetivos e finalidades da Fundação;
  14. produzir, vender e distribuir livros, cadernos, revistas, monografias, filmes, vídeo e áudio-cassetes, discos e teses que versem sobre cultura, educação, desporto e ação comunitária;
  15. apoiar, patrocinar e promover as atividades esportivas ou de diversão ligadas ao interesse comunitário e a divulgação dos valores regionais;
  16. patrocinar e colaborar com a preservação do patrimônio histórico, artístico, paisagístico, cultural e ecológico da região;
  17. atuar na área de tecnologia, telecomunicações e informática, trabalhando na implementação de softwares livres, serviços no geral, treinamento, inclusão digital e cidade digital, bem como na área de segurança em redes públicas de prefeituras, secretarias e governo;
  18. implementar, dar suporte e treinar profissionais de órgãos públicos, secretárias e governo dentro da área de tecnologia, telecomunicações e informática;
  19. prestar serviços na área de captação de recursos frente ao Governo Federal para órgãos públicos.


Referências

  1. Constâncio, Marcos (15 de fevereiro de 2016). «Atuação da FAVI e da TV Caravelas no vale do Aço». Favi. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  2. CAMPOS, Maria Alice. (2017) Televisão comunitária e o exercício da liberdade de expressão: uma abordagem no âmbito da CPLP (dissertação de mestrado pela Universidade Nova de Lisboa).
  3. Constâncio, Marcos (2 de agosto de 2010). «O surgimento da TV Caravelas». Fundação Amigos do Vale do Aço. Consultado em 12 de junho de 2018 
  4. Constâncio, Marcos (2 de janeiro de 2018). «O surgimento do slogan e da FAVI». Fundação Amigos do Vale do Aço. Consultado em 7 de março de 2018 
  5. Queironga, Vinicíus (12 de agosto de 2009). «Lincenciamento da Anatel». TV Caravelas. Consultado em 12 de junho de 2018 
  6. Queiroga, Vinicíus (1 de janeiro de 2017). «Sobre a FAVI». TV Caravelas. Consultado em 1 de maio de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.