TV Cidade (São Luís)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Cidade
Rádio Ribamar Ltda.
São Luís, Maranhão
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais
06 VHF analógico
36 UHF e 6.1 Virtual digital
Outros canais 11 e 411 HD (TVN)
06 e 519 HD (NET)
Sede Bandeira de São Luís.svg São Luís, MA
Rua Deputado Raimundo Vieira da Silva, Parque do Bom Menino - Centro
MAPA
Slogan Uma Cidade como você nunca viu
Rede Rede Record
Rede(s) anterior(es) Rede Bandeirantes (1981-2000)
Rede Mulher (2000)
RedeTV! (2000-2004)
Fundador Raimundo Vieira da Silva
Pertence a Grupo Cidade de Comunicação (50%)
Grupo Rocha (50%)
Proprietário Marco Antônio Vieira da Silva
Roberto Rocha
Antigo proprietário Raimundo Vieira da Silva (1981-2007)
Luiz Rocha (1985-2001)
Acionista(s) Marco Antônio Vieira da Silva (50%)
Roberto Rocha (50%)
Controlador Grupo Cidade de Comunicação
Presidente Marco Antônio Vieira da Silva
Fundação 8 de setembro de 1981 (34 anos)
CNPJ 06.268.106/0001-57
Prefixo ZYA 660
Nome(s) anteriore(s) TV Ribamar (1981-1993)
Emissoras irmãs Cidade FM
Rádio Capital
Cobertura Grande São Luís e áreas próximas e algumas partes do Maranhão
Coord. do transmissor 2° 32' 3.9" S 44° 17' 29.3" O
Potência 10 kW
Página oficial suacidade.com

TV Cidade é uma emissora de televisão brasileira sediada em São Luís, capital do estado do Maranhão. Opera nos canais 6 VHF e 36 UHF digital, e é afiliada à Rede Record. Pertence ao Grupo Cidade de Comunicação, do qual também fazem parte a Cidade FM, a Rádio Capital e o portal SuaCidade.com.

A TV Cidade segue normalmente a programação da Rede Record gerada diretamente de São Paulo, mas quando entra em vigência o Horário de Verão no centro-sul brasileiro, a emissora segue a programação da Rede Fuso. Durante os domingos, a programação é transmitida em tempo real, devido ao fato dos programas desse dia terem em sua maioria classificação DJCTQ - L.svg ou DJCTQ - 10.svg.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Sede da emissora, no Parque do Bom Menino, em 2015

Em 1977, o MiniCom lança uma concorrência para um nova emissora de TV em São Luís, onde participaram o Grupo Vieira da Silva, do então deputado federal pela ARENA, Raimundo Vieira da Silva, e o Sistema Verdes Mares, do empresário cearense Edson Queiroz. Paralelamente ligado à família Sarney, e tendo inclusive apoiado a candidatura de João Castelo para governador do Maranhão em 1978, Vieira da Silva, que já era proprietário da Companhia Telefônica do Maranhão (COTEMA) desde a década de 1960 e havia adquirido recentemente a Rádio Ribamar de Gérson Tavares, buscava favorecimento político para conseguir a concessão.[1] Em 15 de maio de 1979, o Grupo Vieira da Silva venceu a concorrência, e anunciou que colocaria a emissora no ar em até 12 meses, o que acabou não ocorrendo.[2]

TV Ribamar (1981-1993)[editar | editar código-fonte]

A TV Ribamar (cujo nome foi herdado da então Rádio Ribamar, hoje Rádio Capital) foi oficialmente fundada por Raimundo Vieira da Silva em 8 de setembro de 1981, data do aniversário de 369 anos da cidade de São Luís, através do canal 6 VHF. Tendo como afiliação a Rede Bandeirantes, era a segunda emissora comercial da cidade, que até então só possuía a TV Difusora (afiliada a Rede Globo) e a TVE Maranhão, pertencente ao governo estadual.

Em 1985, frente aos altos custos de se manter uma emissora de TV, Vieira da Silva buscou empréstimos em ienes e também financiamentos com o Banco do Brasil e o Banco do Nordeste para sanar as dívidas da emissora. No entanto, acabou acumulando mais dívidas, e sem ter como quitar os débitos, negociou a venda de 50% das ações da emissora e das demais empresas do atual Grupo Cidade de Comunicação com o então governador do estado, Luiz Rocha. Rocha só viria a tomar parte das suas ações em 1989, tendo neste meio-tempo passado elas para Luís Pires, um empresário tocantinense, pois não teria como justificar os recursos financeiros utilizados para comprar 50% das ações, sendo governador.[1]

TV Cidade (1993-presente)[editar | editar código-fonte]

Em 8 de setembro de 1993, 12 anos após sua fundação, a emissora passa a se chamar TV Cidade, ao mesmo tempo em que sua co-irmã Cidade FM completava 10 anos de fundação. Durante a década de 1990, a emissora investe em novos equipamentos e na melhoria da qualidade do sinal, ampliando sua cobertura para mais municípios do norte do estado.

Em 2000, após quase 19 anos de afiliação com a Rede Bandeirantes, os proprietários da emissora começam a negociar afiliação com a Rede Record, que por sua vez era retransmitida pela TV São Luís desde 1997, e não estava satisfeita com o desempenho da afiliada. À medida em que a TV Cidade e a Band não renovam contrato, a emissora assina com a Record, mesmo já havendo a TV São Luís de afiliada, e a partir daí se inicia uma disputa entre as duas emissoras pelo sinal da rede paulistana.

Na madrugada de 13 de agosto, findado o contrato, a Rede Bandeirantes passa a ter seu sinal retransmitido pela TV Praia Grande (hoje TV Maranhense), e a TV Cidade, ainda no impasse com a TV São Luís, acaba saindo do ar por não haver uma rede de televisão para transmitir. A Rede Record liberou então o sinal da Rede Mulher para que o canal pudesse restabelecer suas transmissões até que se resolvesse o impasse.

Em 1º de setembro, após 20 dias fora do ar, a TV Cidade retomou suas transmissões transmitindo o sinal da Rede Mulher. Os proprietários, porém, anunciavam que a afiliação seria provisória, pois não viam na Rede Mulher uma emissora competitiva, devido ao excesso de programas da IURD e também pela programação própria que não dava audiência. Em 20 de novembro, a emissora passou então a retransmitir a RedeTV!, que dois meses antes era retransmitida pela TV Praia Grande.

Em 2001, além da disputa com a TV São Luís, começam a haver também problemas administrativos na emissora e no Grupo Cidade de Comunicação. Luiz Rocha, sócio do grupo desde 1985, morre em 8 de março aos 63 anos, e sua esposa Terezinha Rocha e o filho Roberto Rocha assumem as suas cotas. Algumas semanas depois, com o falecimento da esposa de Raimundo Vieira da Silva e também acionista Maria do Rosário, os filhos Marco Antônio, Fabiano e Paulo Sérgio começam a se desentender com o pai pelo controle da emissora, e acabam indo à justiça para tentar interditar-lo sob a alegação de que ele não podia tomar conta da empresa em razão da sua saúde. Em 2002, após uma confusão entre ambos dentro da sede da emissora, os funcionários da TV Cidade tiram a emissora do ar por algumas horas como forma de protesto e também denúncia pelo seu sucateamento.[1]

Vieira da Silva então procura o auxílio da família Rocha para administrar a empresa. Terezinha Rocha e Roberto Rocha, os herdeiros do espólio de 50% que cabiam a Luiz Rocha, são legalizados como os novos sócios da empresa, após terem negociado também mais 25% da ações, enquanto os filhos de Vieira da Silva entram na justiça exigindo reintegração de posse, por alegarem que havia uma decisão de partilha previamente elaborada declarando que possuíam direto à 50% das ações da emissora, e ganharam a causa. Já em 2003, após se reconciliar com os filhos, Vieira da Silva volta atrás na sua decisão de venda de 25% das cotas, e entra na justiça para anular a divisão de ações feita com a família Rocha em 2002. Após conseguir a anulação, a TV Cidade e as demais empresas do Grupo Cidade de Comunicação voltaram a ficar divididas meio-a-meio entre os Vieira da Silva e os Rocha, tendo cada um 50% das ações.[1]

Na madrugada de 1º de abril de 2004, a TV Cidade deixava de transmitir a programação da RedeTV! e passava a ser a nova afiliada da Rede Record, ao mesmo tempo em que a TV São Luís passava a retransmitir a RedeTV! com o fim do seu contrato com a rede de Edir Macedo. A partir daí, a emissora que já se encontrava sucateada e com poucos investimentos começa a se reerguer, com a instalação de um novo transmissor, que permitiu a expansão da sua área de cobertura e a compra de novos equipamentos, além da reformulação e estreia de novos programas na segunda metade da década.

Logotipo utilizado pela emissora até 2011

Em 30 de julho de 2007, Raimundo Vieira da Silva morre aos 85 anos,[3] e seus filhos assumem o controle acionário do Grupo Cidade de Comunicação, sendo Marco Antônio Vieira da Silva o novo presidente, e Fabiano e Paulo Sérgio, respectivamente, vice-presidente e diretor de televisão. Neste mesmo ano, a emissora inicia sua expansão para o interior do estado, com a implantação de retransmissoras via satélite e a parceria com outras emissoras. Em 8 de setembro, a emissora coloca no ar seu website, que no ano de 2011, passou a se chamar SuaCidade.com. Nesse mesmo ano, em comemoração aos seus 30 anos, a emissora reformula sua identidade visual, passando a adotar um novo logotipo.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Proporção de tela Programação
6.1 36 UHF 1080i Principal programação da TV Cidade / Record

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 10 de junho de 2010, sendo a segunda emissora da Grande São Luís a operar com o sinal digital. As operações foram iniciadas com um transmissor de 2,5 kW emprestado pela Rede Record. Como no início a emissora não possuía um master preparado para a nova tecnologia, o sinal analógico do canal 6 VHF era provisoriamente espelhado no sinal digital, em 480i Widescreen.

Em 15 de outubro de 2011, a emissora transmitiu suas primeiras imagens em alta definição, com a transmissão de alguns dos eventos esportivos dos Jogos Pan-Americanos de 2011, exibidos pela Rede Record. A programação local continuou a ser transmitida em Widescreen até 25 de outubro, quando foi reajustada para o 4:3.

Em 29 de março de 2012, após emitir avisos durante a programação, a emissora retirou o seu sinal digital do ar para a instalação de um novo transmissor com 10 kW de potência. Após a troca, o sinal digital voltou a operar às 18h do dia seguinte. Em 25 de agosto de 2013, a emissora passou a exibir todos os seus programas e telejornais em alta definição, se tornando a segunda emissora da Grande São Luís a exibir a programação neste formato.

Programação[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional da Rede Record, atualmente a TV Cidade produz e exibe os seguintes programas:

  • Qual é a Bronca?: Jornalístico policial, com Ailton Nunes. De segunda a sexta, das 6h55 às 8h15;
  • Fala Maranhão: Telejornal, com Davi Araújo. De segunda a sexta, das 8h15 às 8h55;
  • Balanço Geral MA: Jornalístico, com Sérgio Murilo. De segunda a sexta, das 12h30 às 14h00;
  • ChegAí: Programa de variedades, com Carol Carvalho. De segunda a sexta, das 14h00 às 14h45;
  • Jornal da Cidade: Telejornal, com Marcos Martins. De segunda a sexta, das 18h50 às 19h30;
  • Entrevista com Moreira Serra Jr.: Talk show, com Moreira Serra Jr. Domingo, das 8h00 às 9h00;
  • Negócios & Cia.: Talk show, com Laércio de Souza Jr. Domingo, das 10h45 às 11h00;
  • Plantão SuaCidade.com: Boletim jornalístico. De segunda à sexta, durante a programação;
  • Programação IURD local: Religioso, com os bispos da IURD. Todas as madrugadas, após o Fala que Eu Te Escuto.

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

  • A Tarde é Nossa
  • Caras & Bocas
  • Cidade Aberta
  • Comando Cidade
  • De Olho no Português
  • De Olho em Você
  • Etcetera
  • Maranhão TV
  • O Povo com a Palavra
  • Rede Cidade
  • Reggae Point
  • Sucesso
  • Visão Crítica
  • Zoom Zoom Noturno
  • 30 Minutos

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Na década de 1980, o jornalismo da emissora era composto pelos programas O Povo com a Palavra, apresentado pelo radialista Jairzinho da Silva, e o Cidade Aberta, apresentado por Chico Viana a partir de 1990. Na década de 1990, estreou o telejornal Rede Cidade, apresentado por Humberto Martins, seguindo o padrão jornalístico da Rede Bandeirantes. Em 1997, estreou o jornalístico policial De Olho em Você, apresentado por Jânio Arley, recém saído da TV Difusora, onde apresentava o Bandeira 2.

Em junho de 1999, o programa O Povo com a Palavra deixa de ser exibido pela emissora após Jairzinho da Silva ser contratado pela TV Praia Grande. Já em 2000, Chico Viana deixa a emissora após ser contratado pela TV São Luís, e o Cidade Aberta é reformulado, passando a ser ancorado por Marco Antônio Vieira da Silva, Fabiano Vieira da Silva e Paulo Sérgio Vieira da Silva. Em 2001, estreia o programa 30 Minutos, transmitido ao vivo de Brasília. Porém devido a constantes problemas de transmissão, acaba havendo apenas destaque na política local.

Em 2002, com as reformulações na programação, os programas 30 Minutos e De Olho em Você deixam a grade da emissora, sendo que este último vai para a TV Praia Grande. No período noturno, estreia o Jornal da Cidade, apresentado por Sérgio Murilo. Em março de 2003, estreia o jornalístico Visão Crítica, apresentado por Gilberto Lima, exibido entre 19h15 e 19h45, durando até 31 de março de 2004. Durante o programa, em meio a crise e as disputas pelo controle acionário da emissora, o apresentador chegou inclusive a mencionar que a TV Cidade estava sucateada e operando com equipamentos ultrapassados.

Em 2007, o Cidade Aberta, até então exibido apenas aos sábados, é extinto após seu horário passar a ser ocupado pelo programa O Melhor do Brasil, exibido pela Rede Record. Em 2 de junho de 2008, com o lançamento da nova programação da TV Cidade, estreiam os programas Comando Cidade, jornalístico policial apresentado por Rodolpho Oliveira, e a versão local do Balanço Geral, apresentada por Sérgio Murilo. Com a ida de Sérgio para o Balanço Geral, o Jornal da Cidade passa a ser apresentado por Daniela Bandeira.

Em 27 de fevereiro de 2009, o Comando Cidade deixa de ir ao ar na emissora, após o apresentador Rodolpho Oliveira transferir-se para a TV Maranhense. O horário do programa passa então a ser ocupado temporariamente pelos programas da IURD até 2 de março, quando reestreou o jornalístico Cidade Aberta. Porém, devido a vários fatos controversos, sendo o principal deles as críticas dos apresentadores a gestão do governador Jackson Lago,[4] que terminou cassado em 16 de abril, o programa deixou de ir ao ar dois meses depois.

Novamente, a faixa matinal ficou sem jornalismo local e voltou a ser ocupada pelos programas da IURD. Em 17 de agosto, porém, a faixa foi reativada, com a estreia do jornalístico policial Qual é a Bronca?, apresentado por Osvaldo Maia, e do telejornal Fala Maranhão, apresentado por Olavo Sampaio e Tayse Feques. Posteriormente, Anne Glauce Freire e Núbia Lima chegaram a dividir bancada com Olavo Sampaio no telejornal.

Em 2011, Lorena Amorim e Emanoel Pascoal passaram a apresentar o Fala Maranhão com a ida de Olavo Sampaio para a TV Difusora. Já o Jornal da Cidade passou a ser ancorado por Ailton Nunes, após Daniela Bandeira ser contratada pela TV Guará. Em novembro, Osvaldo Maia é demitido da emissora devido a pressões políticas em razão do apoio do apresentador a greve dos membros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.[5] Com isso, Sérgio Murilo assumiu temporariamente a apresentação do Qual é a Bronca?, até que em 16 de janeiro de 2012, Jeisael Marx passou a apresentar o programa.

Neste ano, o jornalismo da emissora sofre novas reformulações, com a saída do diretor de jornalismo Natanael Júnior (demitido em razão da controvérsia do Metal Open Air) para a entrada de Glauce Telles. Emanoel Pascoal deixa seu posto no Fala Maranhão para Vinicius Oliveira, que passa a ancorar o telejornal com Lorena Amorim. Em 13 de agosto, o Fala Maranhão e o Balanço Geral MA ganham novas vinhetas e pacotes gráficos, e estreia o boletim jornalístico Plantão SuaCidade.com, apresentado por Marcos Martins. Em 2013, Vinicius Oliveira deixa o comando do Fala Maranhão para Lisiane Martins, que posteriormente torna-se a única apresentadora do telejornal com a saída de Lorena Amorim.

Em 2015, com a crise financeira que afetou a emissora, a TV Cidade sofre várias baixas, inclusive no setor jornalístico. Sérgio Murilo, apresentador do Balanço Geral MA desde 2008, e o diretor do programa Denilton Neves deixam a emissora e migram para a TV Guará. Sérgio Fernandes, que fazia as reportagens externas do programa torna-se o titular.[6] A direção de jornalismo da emissora passa a ser de Maira Cristine Schneider, com a saída de Glauce Telles. Em 11 de maio, os programas matutinos da emissora sofrem redução na sua duração para abrir espaço para o Balanço Geral Manhã, porém dois dias depois a TV Cidade desiste das alterações e deixa de veicular o programa.

Em 29 de fevereiro de 2016, Davi Araújo passa a apresentar o Fala Maranhão no lugar de Lisiane Martins, enquanto Ailton Nunes deixa o comando do Jornal da Cidade e passa a apresentar o Balanço Geral MA no lugar de Sérgio Fernandes, tendo seu posto assumido por Marcos Martins. Em 22 de abril, Jeisael Marx deixa a apresentação do Qual é a Bronca? para o interino Max Márcio, após ser contratado pela TV Difusora.[7] Em 2 de maio, a emissora promove novas alterações no jornalismo, com a ida de Ailton Nunes para o Qual é a Bronca? e o retorno de Sérgio Murilo para o Balanço Geral MA, que ganha um novo cenário e pacotes gráficos.

Entretenimento[editar | editar código-fonte]

A emissora produziu vários programas locais desde sua fundação, muitos deles voltados para o apelo popular. Em 1984, a emissora estreou o Maranhão TV, uma revista eletrônica apresentada por José Raimundo Rodrigues, destacando a cultura local e também pautas jornalísticas, ficando no ar pela emissora até 1990, quando migrou para a TV Mirante.

Em 1991, o programa Zoom Zoom Noturno, apresentado por Luís Fernando Pinto na TV Difusora migra para a emissora. Em 1996, estreia o programa musical Caras & Bocas, que promovia semanalmente shows em escolas públicas e particulares da capital, e que foi responsável por lançar ao estrelato várias bandas locais como SambaCeuma, Daphne, Paul Time, entre outros. Em fevereiro de 1999, estreou o programa de variedades Etcetera, exibido de segunda a sexta, ficando no ar até outubro de 2000. Nesse mesmo ano, estreou o programa Reggae Point, dedicado ao ritmo musical popular da capital.

Em 2004, com a reformulação da programação, o Reggae Point e o Zoom Zoom Noturno deixam a grade da emissora, com este último indo para a TV Tropical. Em 2006, estreia o programa TV Kamaleão, apresentado por Péricles Cintra e Petrus Cintra, e o humorístico A Tarde é Nossa com o elenco da peça teatral "Uma Linda Quase Mulher", até então exibido na TV São Luís, migra para a TV Cidade. Neste mesmo ano, o Caras & Bocas deixa a programação. Em 2009, estreou o programa de variedades Sucesso, apresentado por Rejany Braga nas manhãs de domingo.

Em abril de 2012, o programa humorístico TV Kamaleão deixa a grade da emissora, migrando para a TV Maranhense seis meses depois. Em 13 de agosto, a emissora estreou o ChegAí, programa de variedades apresentado por Carol Carvalho, vinda da TV Difusora,[8] e passou a ir ao ar durante a programação o boletim De Olho no Português, com dicas sobre a língua portuguesa ensinadas pelo professor Jáder Cavalcante.

Em 8 de abril de 2013, a blogueira de moda Danielle Bacelar passa a fazer parte do ChegAí, comandando o quadro "Cidade Fashion", após deixar o seu antigo programa na TV Maranhense. Em 27 de julho, a TV Kamaleão volta a ir ao ar na TV Cidade após a equipe do programa deixar a TV Maranhense em razão dos atrasos no pagamento de salário. Em 15 de dezembro, estreou aos domingos o programa Negócios & Cia., apresentado por Laércio de Souza Jr.[9]

Em 2015, a emissora entra em uma crise financeira e perde vários profissionais para a concorrência. O programa A Tarde é Nossa é extinto com a saída de Denilton Neves da emissora, e posteriormente os programas Sucesso e TV Kamaleão também deixam de ir ao ar após migrarem para a TV Guará, sendo que com a saída deste último, a TV Cidade fica sem programação local aos sábados. Em abril, o programa independente Para Sempre e a geração local do Record Kids passaram a ocupar a grade de sábado.

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Jornalistas e apresentadores
  • Ailton Nunes
  • Carol Carvalho
  • Davi Araújo
  • Laércio de Souza Jr.
  • Marcos Martins
  • Moreira Serra Jr.
  • Sérgio Murilo
Repórteres
  • Andressa Miranda
  • Clécio Bertozzi
  • Eduardo Bueno
  • Eduardo Pinheiro
  • Karla Piedade
  • Larissa Madeira
  • Lisiane Martins
  • Max Márcio
  • Nice Ribeiro
  • Sérgio Fernandes

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

  • Anne Glauce Freire
  • Arilsson Ferreira (hoje na TV Guará)
  • Camila Aranha (hoje na TV Mirante)
  • Chico Viana
  • Daniela Bandeira (hoje na TV Guará)
  • Danielle Bacelar
  • Denilton Neves (hoje na TV Guará)
  • Darciane Ribeiro (hoje na TV Sinal Verde)
  • Elirdes Soares (hoje na TV Difusora)
  • Emanoel Pascoal (hoje na TV Guará)
  • Fabiano Vieira da Silva
  • Geyce Gomes (hoje na TV Difusora)
  • Guilherme Lima (hoje na TV Guará)
  • Guilherme Telles
  • Humberto Martins
  • Ivan Lima (hoje na Rede Meio Norte)
  • Jáder Cavalcante
  • Jairzinho da Silva
  • Jânio Arley
  • Jeisael Marx (hoje na TV Difusora)
  • José Raimundo Rodrigues
  • Lais Rocha (hoje na TV Mirante)
  • Luís Fernando Pinto (hoje na TV Guará)
  • Lorena Amorim
  • Marco Antônio Vieira da Silva
  • Núbia Lima
  • Olavo Sampaio (hoje na TV Difusora)
  • Osvaldo Maia (hoje na TV Maranhense)
  • Paulo Sérgio Vieira da Silva
  • Pericles Cintra (hoje na TV Guará)
  • Petrus Cintra (hoje na TV Guará)
  • Rayssa Alves (hoje na TV Guará)
  • Rejany Braga
  • Rodolpho Oliveira (hoje na TV São Luís)
  • Tayse Feques (hoje na TV Mirante)
  • Vinicius Oliveira

Conselho administrativo[editar | editar código-fonte]

  • Maira Cristine Schneider (Direção de jornalismo)
  • Paulo Sérgio Vieira da Silva (diretor de televisão)
  • Fabiano Vieira da Silva (vice-presidente)
  • Marco Antônio Vieira da Silva (Sócio-proprietário e diretor-presidente)
  • Roberto Rocha (sócio-proprietário)

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Uso para fins políticos[editar | editar código-fonte]

Por diversas vezes desde a sua fundação, os proprietários da emissora a utilizaram para fins políticos, como forma de defender seus interesses assim como várias outras emissoras do estado. Em 29 de dezembro de 1985, o prefeito de São Luís, Mauro Fecury, acusou a emissora e o periódico Jornal de Hoje, ambos ligados ao PDS da prefeita eleita Gardênia Gonçalves (aliada política de Raimundo Vieira da Silva e Luiz Rocha) de serem responsáveis pelo tumulto que os servidores municipais promoveram no Palácio de La Ravardière, após divulgarem que a prefeitura havia pagado o salário de dezembro e o 13º salário, sem no entanto isto ter acontecido, o que teria motivado o quebra-quebra na prefeitura.[10]

Em outubro de 1989, em meio a corrida presidencial, a emissora protagonizou novas polêmicas. O proprietário da emissora, Marco Antônio Vieira da Silva, declarou publicamente durante o Cidade Aberta que votaria em Fernando Collor de Mello (PRN) para presidente, e que a proposta da TV Ribamar era exibir ao vivo todos os comícios dos candidatos a presidência em São Luís, o que não foi cumprido quando a emissora deixou de exibir em setembro passado um comício realizado por Luís Inácio Lula da Silva (PT). Na mesma semana, em 7 de outubro, a emissora transmitiu ao vivo por 148 minutos o comício de Collor, deixando de levar ao ar inclusive a edição do Jornal Bandeirantes e de parte do Horário eleitoral gratuito, que é de transmissão obrigatória. Vieira da Silva enaltecia o candidato durante a transmissão e reforçava que "o Maranhão nunca havia visto uma expressão popular tão forte como essa". Isso levou o Tribunal Regional Eleitoral a analisar a transmissão para decidir se iria interpelar a emissora por proselitismo político.[11]

Em dezembro do mesmo ano, já às vésperas do segundo turno entre Collor e Lula, o apresentador Jairzinho da Silva, que também era deputado federal do mesmo partido de Collor, o PRN, declarou que "Comunista come criancinha, sim. E de preferência os bebês, que tem a carne mais mole", em tom de ataque a ideologia política de Lula e seu partido.[12] Por conta disso, em 15 de dezembro o TRE-MA decidiu lacrar os transmissores da TV Ribamar por quatro dias como penalização por fazer campanha pró-Collor.[13]

Metal Open Air[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Metal Open Air

Em 2012, a TV Cidade tornou-se a emissora oficial do festival de rock Metal Open Air, promovido pela Lamparina Produções, do diretor de jornalismo da emissora Natanael Júnior, e pela Negri Concerts de Felipe Negri. O evento, que foi realizado entre 20 e 22 de abril daquele ano, acabou marcado por vários problemas de infraestrutura e também pelo cancelamento da maioria das apresentações que iriam acontecer.[14] A TV Cidade e os veículos do Grupo Cidade de Comunicação, no entanto, omitiram os inúmeros problemas que ocorreram, se restringindo a mostrar apenas as bandas que se apresentaram. A polêmica do festival acabou custando o cargo de diretor de jornalismo de Natanael Júnior, que foi demitido e substituído por Glauce Telles.

Referências

  1. a b c d BARBOSA, Amanda Lea Soares; ALMEIDA, Danielle Morais; FARIAS, Lucio da Silva; CORREIA, Polyanna Bittencourt; PEREIRA, Renato Vilar Sá (2006). «De TV Ribamar à TV Cidade - histórico e polêmica atual sobre sua concessão» (PDF). UFMA. Consultado em 03-07-2016. 
  2. (15-05-1979) "Maranhão ganha outro canal de TV". Folha de S.Paulo: 36. Visitado em 04-10-2014.
  3. «Fundador do Grupo Cidade de Comunicação recebe homenagem da ALEMA». SuaCidade.com. 05-09-2012. Consultado em 08-09-2012. 
  4. "Dr. Pêta" (31-03-2009). «Cartas ao Dr. Pêta». Jornal Pequeno. Arquivado desde o original em 03-04-2009. Consultado em 03-07-2016. 
  5. Jesus, Daniel de (30-01-2012). «Retaliação da TV Cidade ao jornalista Osvaldo Maia». Daniel de Jesus. Consultado em 03-07-2016. 
  6. Corrêa, Clodoaldo (15-01-2015). «TV Guará lança a programação 2015». Política e atualidades. Consultado em 03-07-2016. 
  7. Corrêa, Clodoaldo (22-04-2016). «Jeisael Marx deixa a TV Cidade e vai para a TV Difusora». Política e Atualidades. Consultado em 01-07-2016. 
  8. «ChegAÍ chegou com tudo na TV Cidade». SuaCidade.com. 13-08-2012. Consultado em 03-07-2016. 
  9. «Estreia de Negócios & Cia na TV Cidade repercute no mercado publicitário». SuaCidade.com. 16-12-2013. Consultado em 03-07-2016. 
  10. (01-01-1986) "Servidores invadem Prefeitura de São Luís". Folha de S.Paulo: 15. Visitado em 20-10-2014.
  11. (08-10-1989) "TRE aprecia caso da tevê". Folha de S.Paulo: B-6. Visitado em 20-10-2014.
  12. (12-05-1990) "Contraponto - Colloridos e comunistas". Folha de S.Paulo: A-4. Visitado em 20-10-2014.
  13. Silva, Carlos Eduardo Lins da. . "Ataques marcam fase final da campanha". Folha de S.Paulo: B-5. Visitado em 20-10-2014.
  14. Dias, Teresa (12-05-2012, atualizado em 16-05-2012). «Além de insatisfação do público, MOA deixa dívidas com tradutores e outros serviços». O Imparcial. Arquivado desde o original em 15-06-2012. Consultado em 01-07-2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]