TV Clube (Teresina)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Clube
TV Rádio Clube de Teresina S.A.
Teresina, Piauí
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais
04 VHF analógico
26 UHF e 4.1 Virtual digital
Outros canais 04 (Oi TV)
04 (NET)
ver mais
Sede Bandeira de Teresina.jpg Teresina, PI
Avenida Professor Valter Alencar, 2120 - Monte Castelo
MAPA
Slogan A gente se liga no Piauí
Rede Rede Clube (Globo)
Rede(s) anterior(es) REI e Rede Tupi (1972-1976)
Fundador Valter Alencar
Pertence a Sistema Clube de Comunicação
Proprietário Segisnando Alencar
Antigo proprietário Valter Alencar (1972-1975)
Valter Alencar Filho (1975-2015)
Presidente Segisnando Alencar
Fundação 3 de dezembro de 1972 (43 anos)
CNPJ 06.847.495/0001-75
Prefixo ZYB 350
Emissoras irmãs Rádio Clube
Clube FM
Cobertura 97 municípios piauienses
Coord. do transmissor 5° 6' 36.1" S 42° 47' 45.2" O
Potência 10 kW
Página oficial redeglobo.globo.com/pi/redeclube

TV Clube é uma emissora de televisão brasileira sediada em Teresina, capital do estado do Piauí. Opera nos canais 4 VHF e 26 UHF digital, e é afiliada à Rede Globo. Foi fundada em 3 de dezembro de 1972 pelo engenheiro e professor Valter Alencar, sendo a primeira emissora de TV do Piauí,[1] e juntamente com a TV Alvorada do Sul de Floriano, faz parte da Rede Clube.

A TV Clube segue normalmente a programação da Rede Globo gerada diretamente das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, mas quando entra em vigência o Horário de Verão no centro-sul brasileiro, a emissora segue a programação da Rede Fuso. Durante os domingos, a programação é transmitida em tempo real, devido ao fato dos programas desse dia terem em sua maioria classificação DJCTQ - L.svg ou DJCTQ - 10.svg.

História[editar | editar código-fonte]

Década de 1970[editar | editar código-fonte]

Concessão (1962/1965)[editar | editar código-fonte]

Estátua do fundador, Valter Alencar, numa avenida de Teresina.
Sede da emissora, no bairro Monte Castelo

A história da futura TV Clube de Teresina tem início[2] [3] em 1962, quando o engenheiro e professor Valter Alencar, então diretor da Rádio Clube (no ar desde 1960), entrou com pedido de concessão de emissora de TV,[4] pretendendo criar no Piauí uma "Universidade do Ar".[2] [3] Na época do pedido, o Estado do Piauí, ao contrário dos Estados vizinhos, era único dos vizinhos que não havia sido instalado ou inaugurado.

No entanto, montar primeira emissora de TV do Piauí foi difícil: primeiro, com a notícia do pedido, houve resistência do mercado anunciante local que não conhecia a televisão, pois até então anunciava apenas emissoras de rádios e jornais; segundo foi por conta da concessão na qual seria a primeira emissora de TV.[4] Segundo Valter Alencar Filho, filho de Valter Alencar, do pedido até concessão, o pai teve dificuldades: "A concessão foi o maior sofrimento do meu pai, pois existia outra pessoa de nome Valter Alencar que era comunista e teve esse entrave. Além disso, tinham políticos que não queriam que ele tivesse essa emissora nas mãos. Meu pai lutou, foi a Brasília até que o senador Petrônio Portela resolveu o problema e conseguiu o canal.", disse.[4]

A concessão foi aprovada e publicada no Diário da União em 1965 pelo Ministério das Comunicações, como finalidade de TV comercial, com o nome de TV Rádio Clube de Teresina S/A (razão social da TV Clube).

Nos anos seguintes, Alencar formou diversos sócios para viabilizar a emissora, reunir dinheiro para construir a sede da emissora que passou ser chamado de Colosso do Monte Castelo e depois comprar equipamentos. Entre os parceiros estavam o técnico em eletrônica Raimundo Nonato de Albuquerque.[4]

Do pedido até entrada do ar, foram dez anos de luta pela liberação de canal de Televisão para o Piauí, o que muitos não acreditavam e para isso, Alencar sacrificou grande parte de seu modesto patrimônio, o que comprometeu a sua saúde, deixou de lado a sua rendosa advocacia e dedicou-se quase que exclusivamente à construção do "Colosso do Monte Castelo", onde seria a futura sede de seu empreendimento.[2] [3] Alencar fica conhecido como "Homem da TV no Piauí".[5]

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Em 1972, após a conclusão da sede e a instalação dos equipamentos, pois o tempo do pedido (1962) e a concessão (1965) passavam se quase 10 anos, pois o pedido até a entada do ar irá automaticamente cancelar a concessão (1975), segundo as leis das concessões das emissoras na época, mas era comum da emissora ganhar concessão e só colocar no ar anos depois devido à preço alto dos equipamentos.

Em outubro, a emissora entrou no ar em apenas fases de testes antes de ser inaugurada. Hoje, a emissora não têm registros de sons e imagens (radiodifusão) da primeira transmissão experimental, pois existe apenas acervo fotográfico exposto na Fundação Valter Alencar em que mostra antes da inauguração.[4]

Ao mesmo tempo, o Governo do Estado do Piauí criou a estatal Empresa Piauí de Radiofusão (Radiotepi), atual Empresa de Telecomunicações do Piauí (Etelpi), o sinal da Clube passa a ser expandido no decorrer do ano e em 1973 para alguns municípios do interior do estado, inclusive pro Maranhão e Ceará, até então sob responsabilidade das TVs Difusora (Maranhão) e Verdes Mares (Ceará).

A TV Clube foi inaugurada em 3 de dezembro de 1972, após dois meses de testes. Foi lançado o primeiro slogan "A Força de um Ideal"[6] (que permanece até hoje, mesmo com outros slogans). Em prédio próprio, recebeu o nome de "Edifício Presidente Médici".[2] [3] A primeira logomarca da emissora foi a Cabeça de Cuia, que foi até 1976.

As imagens a entrar no ar foi o telejornal Tele Quatro e o primeiro apresentador foi Gamalie Noronha, na época em que não havia do hoje conhecido teleprompter, em que Noronha lia as notícias em um papel e depois olhava para a câmera.[7]

Afiliação à REI e Tupi (1972)[editar | editar código-fonte]

A programação da emissora era independente, intercalava programas locais com atrações da Rede de Emissoras Independentes (REI) (formada pela TV Record e a TV Rio) e da Rede Tupi.[2] [3]

Os primeiros anos de funcionamento da TV Clube foram se passando e os problemas estruturais da empresa começaram a afetar de forma direta a sua relação com o público.[8] Apesar de ter importado mão de obra do vizinho estado do Ceará, neste campo havia problemas, pois os profissionais locais vinham do rádio, sem experiência de TV, depois a empresa tinha origem no núcleo familiar e ao que tudo indica o idealizador da emissora também estava aprendendo a fazer, fazendo.[8] A emissora “sofria com a indefinição de conteúdo, falta de estrutura e de experiência de produção, carência de recursos e descompasso entre uma administração idealista e as exigências da lógica do mercado”.[8]

De 1972 a 1976, no entanto, o período andou em passos lentos mesmo com novo veículo,[2] [3] pois o faturamento da emissora continuava baixo e limite da programação local, o que impediu a emissora necessitar para propor uma boa grade de programação, por que os empresários de Teresina ainda relutava em investir em novo veículo e a mídia televisiva[8] e a falta do incentivo do Governo do Piauí e de condições do comércio local.[2] [3] Este conjunto de problemas foi determinante para afiliação da TV Clube à Globo, fato que pôs fim a maioria dos programas produzidos em nível local.[8]

Nos primeiros anos da emissora, os comerciais eram feitos "ao vivo", tendo também locutores lendo textos diante de alguns slides, até comprar e ampliar divisórias para uso de vídeo tape (VT) para edições locais, até então era apenas exibidora de conteúdos das emissoras.[2] [3]

Independência (1973)[editar | editar código-fonte]

Em 1973, segundo Segisnando Alencar, filho de Valter Alencar, em uma festa promovida pela TV Clube, surgiu convite para que a emissora seja afiliada à Rede Globo. “Nós estávamos em uma festa quando nos foi apresentado o Célio Pereira, um dos braços-direitos do Walter Clark, que era diretor de expansão da Globo. Ele disse que queria que nós fossemos a uma reunião no Rio de Janeiro, na sede da Globo, com o Clark, Boni e Roberto Marinho. E assim foi feito.", explicou.

Em dezembro do mesmo ano, um ano depois da TV Clube entrar no ar, tornou-se afiliada da Rede Globo.[9] Apesar da afiliação com a Globo, a programação da emissora continua independente, intercalava programas locais com atrações da (REI) (formada pela TV Record e a TV Rio) e da Tupi.[2] [3]

Apesar de ser quinta afiliada da Globo, no entanto em análise das afiliadas da Globo na época mostra que a emissora foi a sétima, pois até afiliar-se para exibir programação da nova rede, outras emissoras se tornaram afiliadas: TV Anhanguera (Goiânia, 1968), TV Triângulo (Uberaba, 1968), TV Difusora (São Luís, 1968), TV Aratu (Salvador, 1969), TV Guajará (Belém, 1969), TV Iguaçu (Curitiba, 1972). Não estão incluídas as TVs Globo de Belo Horizonte (1968), Juiz de Fora (1968), São Paulo (1968) e Brasília (1971), por serem emissoras próprias. Atualmente, das emissoras afiliadas, as TVs Anhanguera e a Integração (antiga TV Triângulo) mantém como afiliadas à rede.

Para manter a Globo, a emissora adquiriu antena parabólica para captar sinal da Globo, em que era transmitida ao vivo pela Eembratel apenas Jornal Nacional e Fantástico e outras programações (novelas, desenhos, séries, filmes, entre outras atrações) eram enviados por aviões diários via malote dos CORREIOS] para Teresina, o que gerava atrasos em dias ou semanas em relação da programação (entre eles, capítulos de novelas) exibida pela Globo ao eixo Rio-São Paulo. Quando os aviões chegavam atrasado ou por outro problema, a emissora era obrigado a repetir atração do dia anterior. Isso durou até 1983, a exemplo de outras redes, a Globo passa exibir toda a programação em via satélite.

Por exigência da Globo, para adequar telejornal Tele Quatro, foi criado estúdio de tapadeira na parte de trás e na frente apresentador.[7]

Com a programação atualizada e com transmissões "ao vivo", a TV Clube passou a fazer um investimento maior em pessoal: contratou os melhores profissionais do Estado e elaborou um cronograma de cursos.[2] [3] Nesse período, o departamento de jornalismo da empresa contava com apenas uma equipe de externa, onde o repórter mantinha uma grande sintonia com o cinegrafista e sua câmera V-8 e as matérias eram "editadas" em campo.[2] [3]

Morte de Valter Alencar (1975)[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de janeiro de 1975, após dois meses de rigoroso tratamento médico, Valter Alencar morreu às 4:15 horas no Hospital Getúlio Vargas, por problemas de coração.[5] Com a morte de Valter Alencar, seus filhos, Segisnando Alencar e Valter Alencar Filho assumem comando da TV Clube que nos anos seguintes passam a investirem em mais equipamentos e na ampliação tanto da programação local como na de Rede Globo.

Afiliação à Globo (1976)[editar | editar código-fonte]

Em 1976,[2] [3] toda programação da Clube passa a exibir com exclusividade a programação da Globo, com fim dos contratos com a REI e a Tupi.

Nos anos 70, como afiliada à Globo, a emissora produzia produzia programas “TP Estúdio” (apresentado pelo ator Tarcísio Prado e nas segundas-feiras o humorista e ex-vereador de Teresina, Deusdeth Nunes), “Encontros e Debates” (por Chico Costa); os programas de auditório “Elvira Som & Imagem” e “Assunto Classe A” (apresentadas pela colunista social, Elvira Raulino).[10]

No entanto, a emissora vivia o drama da falta de arquivo e da insuficiência técnica para atender simples requisição de imagem, por falta de fitas U-matic.[10]

Década de 1980[editar | editar código-fonte]

Em 25 de abril de 1985, o canal 4 começou ter concorrente pelo canal 7, em transmissão por color bar exibida pela TV Timon (atual TV Meio Norte), emissora instalada na vizinha cidade maranhense de Timon, separada de Teresina e do Piauí apenas pelo Rio Parnaíba, que posteriormente passou transmitir a Rede Bandeirantes até final do mesmo ano, quando sai do ar e a TV Clube voltou ser única emissora.

Entre 1986 a 1992, o mesmo canal 4, até então a única a operar no Piauí e leste do Maranhão, por 13 anos teve de fato o monopólio quebrado com novas emissoras no decorrer dos anos:

  • Em 8 de janeiro de 1985, entrou no ar no canal 5, a TV Pioneira, que de fato houve quebra do monopólio com a entrada do ar da emissora de TV piauiense, apenas em fase experimental, exibindo a programação nacional da Bandeirantes, que era da TV Timon.
  • Em 23 de março de 1985, após pausa de mais de três meses, o Canal 7 da TV Timon retornava do ar já com outra rede, desta vez afiliada do SBT, que só estreava programação local apenas em maio de 1987, após alguns testes.
  • Em abril de 1985, o Dentel lançou licitação para a operação do canal 10, que posteriormente foi vencida pelo empresário José Elias Tajra. Em 19 de dezembro de 1988, entrou no ar a TV Antena 10, afiliada à Rede Manchete, a quarta emissora de TV de Teresina.
  • Em novembro, entrou no ar pelo canal 2, a TV Educativa do Piauí, apesar do prédio já inaugurado e esperado em 1985 para obter link da Embratel (restrito à TV Clube naquela época) e afiliada à TVE Brasil.
  • O interior que só tinha repetidoras da Clube só ganhou primeiras concessões como Geradora de TV no final dos anos 80: a primeira foi em 1988, quando a cidade Floriano foi contemplada; a segunda foi em 1989, quando a cidade de Parnaíba, que só tinha repetidoras de TVs de Ceará e do Maranhão, recebeu licença para a geradora de TV Educativa de Parnaíba, que entrou no ar em 1991.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Em 1992, a foi instituída a Fundação Valter Alencar, que é responsável por guardar todo o acervo histórico da TV Clube, além da realização de seminários, cursos de capacitação e distribuição bolsas de estudo. Tudo de acordo com os propósitos de Valter Alencar, em fornecer educação, para formar e informar os jovens do Piauí.

A emissora foi parceira na instalação da TV Alvorada do Sul de Floriano, Canal 6, entre 1996 a 1997, primeiro canal comercial do interior piauiense, com quase 10 anos de atraso do anúncio da concessão (1988).

Em agosto de 1998, a TV Clube passa a ter sinal próprio de satélite, permitindo que as cidades do interior com retransmissoras passassem a receber o sinal com melhor qualidade e confiabilidade de som e imagem.[2] [3] Com isso, o sinal por via terrestre da Empresa de Telecomunicações do Piauí (Etelpi), empresa estatal do Governo do Estado, deixaram de serem usados por nova tecnologia.[2] [3] Graças à nova transmissão, nas cidades onde tem parabólicas (apontados ao satélite que transmite a emissora) conectados com receptores em estúdios que gera sinal à torre de retransmissão instalados para cidades ou regiões, nos anos seguintes, a emissora atinge 70% das cidades do Piauí.[2] [3]

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

No final de 2001, às vésperas das comemorações de 29 anos da emissora, a Clube passou a operar na internet com a criação do Web Piauí, seguindo exemplo da Globo.com, criado em 1999.

No final de 2006, às vésperas das comemorações de 34 anos da emissora, a Clube lançou na internet o Portal da Clube, substituindo Web Piauí (que é logo descontinuado), seguindo a mesma ética e padrão jornalístico visto na TV, sendo ainda, filiado à Globo.com.

Em 03 de dezembro de 2007, a emissora comemora seus 35 anos com grande festa e a inauguração do novo transmissor, garantindo maior qualidade de som e áudio que o telespectador recebe.[11] A emissora lançou no Portal Clube sobre especial.[12]

Em 06 de agosto de 2009, foi homenageada pelo Jornal Nacional na qual na época o telejornal iria fazer 40 anos.[13]

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

Em 13 de maio de 2010, a apresentadora do programa Kalor na Noite, Samilla Mello deixa a TV Meio Norte com destino à Clube, visando dar continuidade ao trabalho como jornalista.[14]

Em 7 de outubro, a emissora foi sorteada, juntamente com as TVs Antena 10 (entre os dias 8 e 14) e a Cidade Verde (de 15 a 21), para ser geradora de propaganda partidária no segundo turno no Piauí. A emissora ficou para os dias 22 até 29. A TV Meio Norte foi excluída do sorteio.[15]

Sinal digital HD (2010)[editar | editar código-fonte]

A TV Clube iniciou os testes de sinal digital no Canal 26 UHF em maio de 2010.[16]

Em 11 de junho, a emissora recebeu o primeiro lote de equipamentos para a instalação definitiva da TV Digital. Foram investidos mais de 4 milhões para a compra de um transmissor de 2,4KW de potência, capaz de cobrir com o sinal digital todas as regiões que já recebem o analógico através do Canal 4. De acordo com o gerente de engenharia da TV Clube, Sérgio Paiva, entre as partidas de futebol, o sinal de teste continuará sendo exibido no canal 26 UHF com trechos de programadas da Rede Globo gravados em alta definição.[17]

Em 23 de julho, a emissora recebeu o segundo lote de equipamentos para a instalação definitiva da TV Digital. A primeira transmissão em HD da TV Clube foi o primeiro jogo da Copa do Mundo em junho deste ano. A previsão é que a TV Clube inicie a transmissão em caráter definitivo no dia 16 de agosto, aniversário da capital piauiense.[18] [19]

Em 16 de agosto, estreou os novos cenários, e passou a transmitir em caráter definitivo o seu sinal Digital, no aniversário de Teresina.

Declínio e unificação (2011/2012)[editar | editar código-fonte]

Até 31 de maio de 2011, a TV Clube era responsável pela cobertura de 184 dos 221 municípios piauienses (equivale a 85% do Estado), inclusive os sinais alcançava leste do Maranhão, oeste do Ceará e Pernambuco,além do noroeste da Bahia. Em 1º de junho daquele ano perdeu presença em muitos municípios para TV Alvorada do Sul, que iniciou transmissões em via satélite no StarOne C1 em 2010, que até então, só era presente apenas Floriano e Barão de Grajaú (Maranhão) pelo sinal analógico desde que entrou no ar em 1997.

A partir de então, a TV Alvorada do Sul passou a cobrir 39 municípios apenas no centro do Piauí, fronteira com Maranhão e Pernamburco. Com a perda de presença dos municípios para Alvorada do sul, a Clube passou atender 145 municípios.

No decorrer de 2011 a 2012, a emissora deixou muitos municípios sem sinal, caindo de 145 para 71 municípios.

Em 01 de abril de 2012 as TVs Clube e a Alvorada do Sul se unificam e formam a Rede Clube.[20]

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

A partir de 1998 e decorrer dos anos 2000, a emissora substituiu os enlaces (ou links) de antenas terrestres pela transmissão da programação via satélite ao interior do Piauí, com exerção dos enlaces próximos à capital Teresina. Para retransmitir seus sinais no interior, a TV Clube utiliza gratuitamente infraestrutura pertencente ao Poder Público, torres de transmissão de prefeituras (Prefeitura Municipal) ou da Empresa de Telecomunicações do Piauí (Etelpi), a quem também pertence a grande maioria das concessões de RTV que utiliza no Estado.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Não é a única emissora da Globo a cobrir seu principal mercado, Teresina. Sofre concorrência da TV Mirante Cocais, localizada em Timon, a única cidade da Grande Teresina localizada no Maranhão (que opera no canal 14 UHF). Ambas porém têm público alvo distintos pois a TV vizinha tem programação e publicidade voltada para o público maranhense e seu sinal só tem captação de qualidade perfeita nas zonas próximas ao centro de Teresina.
  • Além disso, como a TV Clube ao longo de sua história cobriu a cidade de Timon. Ambas compartilham matérias produzidas para seus jornais locais.
  • Apesar de ter menos audiência em Teresina do que a TV Mirante Cocais, possui expressiva audiência em Timon, devido ao grande número de piauienses que residem em Timon que é uma cidade dormitório de Teresina.
  • Até 1987, era exibida, à noite, terceira edição do telejornal PITV 3ª Edição. Neste mesmo ano era exibido, aos domingos, o PITV Edição de Domingo. Esta edição foi ao ar apenas durante o ano de 1987, depois foi extinta, assim como ocorreu com o PITV 3ª Edição.

Referências

  1. «História da TV». Portal da Clube. 19 de abril de 20008. Consultado em 19-04-2008. [ligação inativa]
  2. a b c d e f g h i j k l m n o «TV Rádio Clube de Teresina». Web Piauí. 2002. Arquivado desde o original em 27 de setembro de 2002. 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o «Empresa». Web Piauí. 2002. Arquivado desde o original em 23 de fevereiro de 2003. 
  4. a b c d e «Há 40 anos, parceiros de Valter Alencar se uniam para criar TV Clube». G1 PI. 2 de dezembro de 2012, 22hs08min. Atualizado em 3 de dezembro de 2012, 9hs53min. Consultado em 03-12-2012. 
  5. a b «Currículo de Valter Alencar». Web Piauí. 2003. Arquivado desde o original em 12 de janeiro de 2003. 
  6. «A Força de um Ideal». Portal da Clube. 19 de abril de 2008. Consultado em 19-04-2008. [ligação inativa]
  7. a b «Imparcialidade e pioneirismo são as marcas do Telejornalismo da Tv Clube». 2 de dezembro de 2012, 22hs08min. Atualizado em 3 de dezembro de 2012, 9hs55min. Consultado em 03-12-2012. 
  8. a b c d e Francisco Alcides do Nascimento. «IMPRENSA E IMAGENS: A CONSTRUÇÃO DE REPRESENTAÇÕES DO PIAUÍ E DE TERESINA ATRAVÉS DE JORNAIS DIÁRIOS NA DÉCADA DE 1970.». 2009. Consultado em 04-12-2012. 
  9. «TV Clube foi a 5ª emissora no país a fazer parte da Rede Globo». 2 de dezembro de 2012, 22hs59min. Atualizado em 3 de dezembro de 2012, 10hs07min. Consultado em 03-12-2012. 
  10. a b Tyciane Viana Vaz. Co-autores: Anucha Melo, Joelson Giordani, Josué Nogueira, Nadja Rodrigues, Sérgio Mendes. (2009). «História da Televisão Piauiense: Período 1976 a 1980» (PDF). UFRGS e Universidade Federal do Piauí. Consultado em 04-12-2012. 
  11. «TV Clube comemora seus 35 anos em grande estilo». Portal da Clube. 15 de dezembro de 2007. Consultado em 17-06-2010. 
  12. «TV Clube 35 anos "A Força de um Ideal"». Portal Clube. 2007. Arquivado desde o original em 31 de maio de 2008. Consultado em 03-04-2014. 
  13. «JN 40 anos: TV Clube (PI)». Globo.com. 6 de agosto de 2009, 23h16. Consultado em 01-04-2014. 
  14. «Samilla Mello Deixa a TVMN e assina com a TV CLUBE». TV Piauí. 13 de maio de 2010. Consultado em 13-05-2010. 
  15. «Comissão faz sorteio da propaganda do 2º turno». Cidade Verde.com. 7 de outubro de 2010, 10:48. Consultado em 19-10-2010. 
  16. «TV Clube em HD». Blog de notícias TV Piauí. 23/05/2010. Consultado em 23-05-2010. 
  17. «TV Clube recebe 1º lote de equipamentos para a implantação da TV Digital». Portal da Clube. 11 de junho de 2010. Consultado em 11-06-2010. 
  18. «TV Clube inicia transmissão digital em agosto». Portal da Clube. 23 de julho de 2010. Consultado em 23-07-2010. 
  19. «Mais quatro cidades passam a ter a TV digital em agosto.». Portal TV Globo Digital. 25 de julho de 2010. Consultado em 25-07-2010. 
  20. «Sinal da TV Alvorada vai chegar a 39 municípios a partir do dia 1º de abril». 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]