TV Educativa de Alagoas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde agosto de 2017). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Educativa de Alagoas
Secretaria do Gabinete Civil
Maceió, Alagoas
Brasil
Tipo Pública
Canais 03 VHF analógico
Outros canais 05 VHF (Delmiro Gouveia)
06 (NET)
Sede Bandeira de Maceió.svg Maceió, AL
Avenida Fernandes Lima, 1047 - Farol
Rede TV Cultura
Rede(s) anterior(es)
Fundador Divaldo Suruagy
Pertence a Instituto Zumbi dos Palmares
Proprietário Governo do Estado de Alagoas
Fundação 1984 (33 anos)
Prefixo ZYA 224
Emissoras irmãs
Potência 5 kW (operando com 3 kW)
Página oficial izp.al.gov.br/tv-educativa

TV Educativa de Alagoas (ou simplesmente TVE Alagoas) é uma emissora de televisão brasileira sediada em Maceió, capital do estado de Alagoas. Opera no canal 3 VHF e é afiliada à TV Cultura. De cunho cultural e educativo, pertence ao Instituto Zumbi dos Palmares, que por sua vez é mantida pelo Governo do Estado de Alagoas.

História[editar | editar código-fonte]

A emissora foi inaugurada em 1984, durante o governo de Divaldo Suruagy, baseando-se na programação tripé "educação, cultura e cidadania", estimulando a formação e consciência crítica do telespectador, mostrando que é possível fazer televisão como ferramenta de inclusão cultural, social e educativa.

Porém, durante alguns anos, a emissora passou por uma fase instável, com problemas em sua programação e em sua administração. Entre os anos de 1999 à 2006, recebeu investimentos para retomar sua produção local. Na época, houve a construção de um novo prédio, aquisição de equipamentos, recuperação do sistema irradiante, contratação de funcionários, inauguração de pequena grade de programação local e a ampliação do sinal para alguns municípios do interior.

Em 2009, a emissora lançou uma grade de programação local com um leque de novas atrações e temporadas inéditas do programa infantil Caralâmpia e do premiado Página Aberta. Dentre as estreias, estava o telejornal diário TVE em Dia, trazendo de maneira diferenciada os principais fatos do dia, além de entrevistas e comentários. O programa passou um tempo fora da grade, voltando em 2013 em formato de boletim, com matérias sendo exibidas ao longo da programação.

Outra novidade foi a estreia do programa Vida de Artista, abrindo as portas da emissora para músicos, atores, escritores e artistas em geral, com ênfase na produção cultural alagoana. O programa passou por adaptações e formatos, registrando atualmente eventos culturais relevantes da capital alagoana. Em 2014, o programa comemorou cinco anos no ar.

Também no segmento cultural, estreou em 2009 o interprograma Cine +, dedicado à produção audiovisual e que contava com dicas de filmes, documentários, festivais e projetos relacionados ao tema. O programa permaneceu na grade de programação da TVE Alagoas até 2012. Nessa época, foi ao ar ainda a temporada do programa Trem da História, dedicado a fatos e curiosidades marcantes da nossa história.

No segundo semestre de 2009, dois novos conteúdos passaram a integrar a grade de programação da emissora: O Lugar da Criação, que revelava o processo de criação no ambiente artístico, e o Autoria, que aliava literatura e dramatização para apresentar a vida e a obra de 22 autores alagoanos. Com apoio cultural do Banco do Nordeste, esse segundo programa foi concluído em 2011, destacando os trabalhos dos escritores Yara Falcon, Benedito Ramos, Puresa Amorim, Marcos de Farias Costa, Maurício de Macedo, Arlene Miranda, Vera Romariz, Gonzaga Leão, Vanessa Alencar, Sidney Wanderley, Maria de Jesus, Margarida de Mesquita, Fernando Fiúza, Enaura Quixabeira, Nilton Resende, Solange Lages Chalita, Dirceu Lindoso, Benilda Melo, Milton Rosendo, Tainan Costa, Luciano José e Rosalvo Acioli Júnior.

Numa parceria com o Tribunal de Justiça de Alagoas, ainda em 2009 a TVE Alagoas passou a exibir o programa semanal Em Dia com a Justiça, produzido pelo Núcleo Audiovisual do Tribunal, com reportagens sobre ações do Poder Judiciário e novidades do mundo jurídico. O programa se mantém na grade até os dias atuais. Nesse mesmo ano, a emissora também exibiu as produções da I Mostra Sururu de Cinema Alagoano, visando contribuir para a popularização e o fomento da produção audiovisual no Estado.

Em 2011, a TVE Alagoas lançou o Pauta Especial, programa sobre temas relevantes em entrevistas com personalidades alagoanas, que segue na grade da emissora em sua terceira temporada. Também estrearam os programas semanais Conhecer, sobre ciência, tecnologia e inovação, e Enfoque, com pauta diversificada em discussão com especialistas, com várias edições desses programas indo ao ar em duas temporadas.

No segundo semestre de 2011, o programa Balançando o Ganzá ganhou reedição especial com nova identidade visual e formato de documentário, mas com o mesmo propósito de reconhecer e valorizar a cultural popular alagoana. Também foi ao ar nesse período o Faixa Musical, espaço dedicado à música e que proporcionou ao telespectador a possibilidade de conhecer o talento de músicos alagoanos e de outros estados. O programa permaneceu na grade até o ano seguinte.

A TV Educativa também veiculou campanha de nova identidade visual, reforçando a marca da emissora com vinhetas feitas por artistas alagoanos que empregaram o seu talento para estilizar a logomarca da emissora. Participaram do projeto os artistas Persivaldo Figueirôa, Achiles Escobar, As Baianas Mensageiras de Santa Luzia, o artesão Cicinho, do Guerreiro Campeão do Trenado, e o grafite do Estúdio Reca.

Em 2012, além de novas temporadas, a TVE Alagoas lançou os conteúdos TVE Sports, trazendo entrevistas com cronistas, especialistas e dirigentes esportivos para discutir lances de rodadas e desempenho dos clubes alagoanos em competições locais e nacionais, e TVE Documenta, que trouxe de volta à programação da emissora a exibição de grandes reportagens. Com formato diferenciado e atrativo, veiculou os episódios “Centenário de Luiz Gonzaga”; “Os Miseráveis”, mostrando como é a vida de pessoas que vivem em situação de extrema pobreza; e “Quebra de Xangô”, sobre episódio de mesmo nome, ocorrido em 1912, quando praticantes de religiões de matriz africana foram perseguidos e dizimados em Alagoas.

De grande relevância e audiência, o programa Escola Viva voltou a fazer parte da grade da emissora em 2012, com novos cenário, formato e identidade visual, mas mantendo o compromisso de debater, discutir e suscitar reflexões sobre a educação alagoana, em todos os níveis.

Em 2013, a grade de programação da TVE Alagoas passou por reformulações e os programas ganharam novos formatos. Vida de Artista, Da Sua Conta, Pauta Especial, Escola Viva e Em Dia com a Justiça começaram a ser reprisados em dias específicos da semana. Nesse mesmo ano, o TVE em Dia, que estreou em 2009 como telejornal, ganhou versão de boletim. Já o programa Autoria ganhou o formato compacto de interprograma, sendo veiculado ao longo da programação.

Em 2014, a TVE Alagoas colocou no ar uma nova atração: o programa Síntese, que aborda temas e pautas sob novos ângulos e perspectivas. Realizou também o documentário Memórias de Sangue, contando a história de Jayme Miranda, jornalista, advogado e militante político alagoano, e mostrando como era viver no Brasil durante o período da Ditadura Militar.

Em junho de 2017, a imprensa alagoana divulgou que a TVE estava em negociações para se afiliar com a TV Cultura,[1] que já havia sido transmitida pela emissora entre 1984 e 2009, junto com a programação da TVE Brasil e da TV Brasil. A troca ocorreu oficialmente em 15 de agosto.

Série de interprogramas[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a TVE Alagoas reforçou a grade de programação com alguns interprogramas - de formato curto e criativo -, que suscitaram interesse e interação por parte do telespectador. Aprendendo com Uedison Nomeriano, com o professor Uedison Nomeriano, da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal); Aprendendo Inglês, com o professor Marcel Ambrósio, da escola de idiomas Fun Kids; Mirantes de Alagoas, com imagens panorâmicas dos oito mirantes presentes na capital alagoana, e Giro Cultural, com dicas sobre a agenda cultural do Estado deixaram a programação da emissora ainda mais rica.

Duas iniciativas, também em formato de interprogramas, foram ao ar nesse mesmo ano. O Projeto Ondas teve o propósito de abrir espaço para a divulgação de trabalhos de artistas iniciantes ou com algum tempo na estrada, com conteúdos sendo veiculados também na TV Pernambuco e TV Aperipê, de Sergipe. O outro foi o projeto Brincar de quê?, com vídeos de crianças no momento lúdico de brincadeiras tradicionais e diferenciadas, exibidos no mês de outubro.

A TVE Alagoas também estreou em 2010 o programa semanal Da Sua Conta, único na TV alagoana sobre economia. Em sua trajetória, o programa ganhou mais tempo, reprises e novo cenário, estando atualmente na quarta temporada.

A emissora participou ainda nesse ano da série Nosso Nordeste, que promoveu a troca de conteúdos entre emissoras públicas da região. Os materiais foram exibidos nos estados de Pernambuco, Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Ceará e Alagoas, abordando temáticas como cultura e turismo. Como forma de incentivar a produção audiovisual alagoana, a TV Educativa também exibiu em 2010 pequenos documentários produzidos pelo projeto Olhar Circular, iniciativa de fomento a produções realizadas por jovens de comunidades carentes do estado. Os trabalhos foram ao ar no programa Cine +.

Ampliação de sinal[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de agosto de 2011, foi inaugurada a nova torre e antenas de transmissão da Tve, com as quais amplia-se o sinal. Sua antiga torre que possuía 60 metros da altura e duas antenas supertunistile VHF, não tinha a capacidade de transmitir seu sinal com qualidade, mas agora com a atual torre 90 metros somados à 24 antenas direcionais de VHF, seu sinal se espalham por toda grande Maceió. Alcançando assim, mais de 1 milhão de alagoanos.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Em 29 de agosto de 2013, por intermédio da Portaria nº 976, foi concedido o canal digital 14, canal virtual (3.1) para as operações da emissora no Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre[2]. Contudo não há data para o início das transmissões digitais, restando efetuar todos os procedimentos licitatórios pertinentes para aquisição de equipamentos e as adequações técnicas necessárias no âmbito da emissora.

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

A TVE tem pontos de retransmissão nas cidades de Arapiraca, Delmiro Gouveia e Porto Calvo, sendo que os de Arapiraca e Porto Calvo estavam fora do ar. Mas em 2015 foi anunciado que as retransmissoras voltariam ao ar , através de uma parceria do IZP com o Instituto de Tecnologia em Informática e Informação do Estado de Alagoas (Itec).

“Temos pontos de retransmissões em Arapiraca e Porto Calvo de rádio FM, a ideia é que essa conexão seja restabelecida para que possamos fazer programas simultâneos. No caso os programas exibidos localmente possam também ter essa penetração em Arapiraca e Porto Calvo. O que hoje não está acontecendo”, destaca Marcos Gomes, representante do IZP.

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional da TV Cultura, a TVE Alagoas produz os seguintes programas:

  • Escola Viva
  • Síntese
  • Pauta Especial
  • Vida de Artista
  • Da Sua Conta
  • TVE em Dia
  • Aprendendo com Uedisom Nomeriano
  • Giro Cultural
  • Autoria

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]