TV Equatorial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Equatorial
Z Sistema Equatorial de Comunicações Ltda.
Record News
Macapá, Amapá
Brasil
Tipo Comercial
Canais 8 VHF analógico
Sede Macapá, AP
Rua Eliezer Levy, 684 - Laguinho
MAPA
Rede Record News
Rede(s) anterior(es)
Fundador José de Matos Costa
Pertence a Z Sistema Equatorial de Comunicações
Proprietário José de Matos Costa
Presidente Alexandre Costa
Fundação 12 de agosto de 1979 (39 anos)
Extinção 14 de agosto de 2018 (5 meses)
CNPJ 05.861.372/0001-26
Prefixo ZYA 288
Emissoras irmãs
Cobertura Macapá, Santana e Tartarugalzinho
Coord. do transmissor 0° 02' 45.1" N 51° 3' 22.2" O
Potência 2 kW

TV Equatorial foi uma emissora de televisão brasileira sediada em Macapá, capital do estado do Amapá. Até o desligamento do sinal analógico na capital, em 14 de agosto de 2018, operava no canal 8 VHF e era afiliada à Record News. Pertencia ao Z Sistema Equatorial de Comunicação, de propriedade do empresário José de Matos Costa, que também controla as rádios Equatorial e Mix FM Macapá. Foi inaugurada em 12 de agosto de 1979, retransmitindo a programação da Rede Tupi.

História[editar | editar código-fonte]

A TV Equatorial entrou no ar no dia 12 de agosto de 1979, fundada pelo empresário José de Matos Costa (também proprietário da Rádio Equatorial, inaugurada no início do ano), sendo a segunda geradora de televisão de Macapá, na época capital do Território Federal do Amapá. A emissora retransmitia a programação da Rede Tupi, sendo a última emissora a se afiliar à rede antes de sua extinção, em 1980.

Em 1982, quando a TV Amapá que exibia dupla afiliação (Bandeirantes e Globo) passa a exibir a Rede Globo, a emissora voltou ao ar e passa a transmitir a programação da Rede Bandeirantes. De 1985 a 1987 a TV Equatorial exibia a programação do SBT aos domingos com o Programa Sílvio Santos.

Em outubro de 1987 a TV Equatorial deixa a Bandeirantes e passa a ser afiliada da Rede Manchete de Adolpho Bloch. Pouco tempo depois, entrou no ar apenas um programa local, o telejornal Jornal Equatorial, um marco para o telejornalismo amapaense, produzindo uma série de profissionais para o mercado carente, que ainda não conhecia nem curso superior em jornalismo. O telejornal tinha duas linhas paralelas formavam o Z (de Z Sistema Equatorial e de Zelito, apelido do proprietário da emissora) e que depois se reduzia e juntava-se com uma figura representando o mapa do Amapá. O fundo do cenário era apenas um azul de chroma key com o famoso Z estampado no canto.

Com a falência da Manchete em 10 de maio de 1999, a TV Equatorial desativou seu jornalismo local e continuou repetindo o sinal da TV! de maio a novembro do mesmo ano. Em 15 de novembro, a TV! transformou em RedeTV!, e a TV Equatorial uma das primeiras afiliadas da rede.

Em 2000, a emissora começou a disputar sua afiliação com a TV Tucuju, chegando a haver dois canais transmitindo a programação da RedeTV! ao mesmo tempo. No entanto, a emissora perde sua afiliação com a rede e torna-se afiliada à Rede Mulher.

Em 27 de setembro de 2007, com a extinção da Rede Mulher e a criação da Record News, a emissora torna-se uma das primeiras afiliadas da nova rede. Em 2008, os dirigentes da emissora, anunciaram que iriam colocar telejornais locais, mas antes contratariam os profissionais na cidade, o que ocorreria em 2009, mas até agora não ocorre.

Em 2010, a emissora deixa de transmitir o sinal nacional da Record News e passou apenas retransmitir o da Record News Nordeste, que tem programação gerada na Bahia. Em 4 de julho de 2013, passa a retransmitir a programação da Record News Araraquara.

Em 14 de agosto de 2018, com o desligamento programado do sinal analógico em Macapá, a emissora deixou de transmitir sua programação, e não se tem previsão de retorno ao sinal digital.

Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.