TV Marajoara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV Marajoara (Belém))
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Marajoara
S/A Rádio Marajoara
Belém, Pará
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais 02 VHF
Sede Bandeira belem.jpg Belém, PA
Avenida Governador José Malcher, 1670 - Nazaré
Rede Rede Tupi
Fundador Assis Chateaubriand
Pertence a Diários Associados
Proprietário Assis Chateaubriand (1961-1968)
Condomínio Acionário (1968-1980)
Fundação 30 de setembro de 1961
Extinção 18 de julho de 1980
Cobertura Belém e áreas próximas

TV Marajoara foi uma emissora de televisão brasileira sediada em Belém, capital do estado do Pará. Operava no canal 2 VHF e era uma emissora própria da Rede Tupi. Fundada em 1961, foi a primeira emissora de televisão do estado, e foi extinta em 1980 devido a cassação da concessão da emissora por conta da crise dos Diários Associados.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1956, Assis Chateaubriand decidiu implantar uma antena retransmissora em cada grande cidade. De uma só vez, adquiriu dez estações.

Ainda no final da década de 40, os Diários Associados tem haviam adquirido o jornal A Província do Pará (que era o periódico mais antigo em circulação na Amazônia), além de possuir o jornal A Vanguarda.

A emissora foi inaugurada em 30 de setembro de 1961,[1] exibindo os programas locais e da Rede Tupi. Na época, não havia transmissões em via satélite e microondas, pois a programação após ser exibida de São Paulo e no Rio de Janeiro, vinha de aviões para Belém.

No início, a TV Marajoara contava com bastante programação local que contava desde telejornais e até novelas produzidas em seus estúdios e no Teatro da Paz, no centro da cidade. Entretanto com o tempo, a programação local foi sendo substituída pela da TV Tupi de São Paulo e do Rio de Janeiro e quadro de funcionários foi diminuindo aos poucos.

O monopólio como única emissora do estado foi quebrado com a entrada no ar em 1967, da TV Guajará, no canal 4.

Em 1976, a emissora ganha nova concorrente: a TV Liberal, no canal 7.

Extinção[editar | editar código-fonte]

A TV Marajoara e outras seis emissoras da Rede Tupi tiveram suas concessões cassadas em 14 de julho de 1980, por dívidas com a previdência social e corrupção financeira dos Diários Associados, que estavam envoltos em uma crise financeira desde a morte de Assis Chateaubriand em 1968. A emissora levou seu sinal ao ar pela última vez até a madrugada do dia 18 de julho, quando encerrou sua programação depois de exibir o filme Tempos Difíceis, à 00h17. Durante a manhã, um técnico do Departamento Nacional de Telecomunicações (DENTEL) apareceu às 9h20 para lacrar os transmissores da emissora.[2]

No dia seguinte, os 96 funcionários da emissora enviaram um abaixo-assinado à Brasília pedindo o reexame da decisão do governo e declarando que a emissora estava em dia com os salários, previdência, FGTS e demais impostos em dia. No entanto, a decisão não foi revertida e a TV Marajoara foi oficialmente extinta.

Massa falida[editar | editar código-fonte]

Após a extinção da TV Marajoara, o Governo Federal abriu uma concorrência pública em 23 de julho do mesmo ano para as concessões de TV cassadas. O Grupo Silvio Santos adquiriu cinco concessões, entre elas a do canal 2 VHF de Belém. Em 26 de agosto de 1981, entrou no ar a TVS Belém (hoje SBT Pará), que em setembro do mesmo ano migrou para o canal 5 VHF. Em 1987, o canal 2 voltou ao ar, dessa vez com a TV Cultura do Pará.

Após a quebra dos Diários Associados do Pará, o proprietário da TV Guajará, Lopo de Castro, comprou o prédio e os estúdios da massa falida que ficavam na Avenida São Jerônimo (atual Avenida Governador José Malcher), para servir a nova sede da Guajará. Hoje em dia, o prédio é utilizado pela Escola Dr. Ulysses Guimarães.

O acervo da TV Marajoara (e parte do acervo da TV Tupi de São Paulo e do Rio de Janeiro) foi repassado à TV Guajará e mais algumas fitas continuaram sob posse dos Diários Associados do Pará, através do jornal A Província do Pará. As fitas que pertenciam a TV Guajará, foram doadas para o Museu da Imagem e do Som do Pará, quando esta foi extinta em 1995. Já as que pertenciam aos Diários, não se sabe qual foi seu destino.

Programas[editar | editar código-fonte]

  • Jornal Marajoara
  • Repórter Marajoara

Referências

  1. veja aqui o sujeito participou da inauguração em 1961
  2. «DENTEL lacra 7 emissoras de TVs Associadas». PUC-Rio. Jornal do Brasil. 19-07-1980. Consultado em 30-11-2015. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
-
Canal 2 VHF de Belém
1961 - 1980
Sucedido por
SBT Pará