TV Miramar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde novembro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a emissora brasileira. Para a emissora moçambicana, veja TV Miramar (Moçambique).
TV Miramar
Fundação Virginius da Gama e Melo
João Pessoa, Paraíba
Brasil
Tipo Educativa
Canais Digital: 24 UHF
Virtual: 4 PSIP
Outros canais Analógico:
04 VHF (2006-2018)
Sede Bandeira de João Pessoa.svg João Pessoa, PB
Rua Monsenhor Walfredo Leal, 303 - Tambiá
Rede TV Cultura
Rede(s) anterior(es)
Pertence a Sistema Arapuan de Comunicação
Fundação 5 de junho de 2006 (12 anos)
Prefixo ZYB 276
Nome(s) anteriore(s) TVE Paraíba (1989-2006)
Emissoras irmãs
Página oficial tvmiramar.com.br

A TV Miramar é uma emissora de televisão brasileira, sendo a primeira emissora de televisão educativa do Estado da Paraíba. Está sediada na cidade de João Pessoa, capital do estado da Paraíba. Opera no canal 4 (24 UHF digital), e é afiliada à TV Cultura. Pertence ao Sistema Arapuan de Comunicação (que também controla a TV Arapuan, afiliada à RedeTV!), mas sendo educativa, é mantida também pela Fundação Virginius da Gama e Melo.

História[editar | editar código-fonte]

TVE Paraíba (1989-2006)[editar | editar código-fonte]

Em 20 de outubro de 1989, a Fundação Virgínius da Gama e Melo, ligada na época à Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e aos Institutos Paraibanos de Educação (Ipê), coloca o canal 4 VHF no ar. Operando como retransmissora da extinta TVE Brasil, sua antena foi instalada no alto do edifício do INSS, no Centro de João Pessoa. O projeto inicial era transformar a retransmissora em emissora. A ideia não saiu do papel e a retransmissora foi mantida e administrada pela fundação.

O sinal do canal 4 foi marcado por inúmeras interrupções nos anos 90, devido à falta de manutenção técnica e problemas financeiros. No final de 1997, o canal 4 foi desativado devido à grave crise que afetava a Fundação Virginius da Gama e Melo. A fundação conseguiu reativar em 1998 o canal 4, com sinal de péssima qualidade, logo em seguida voltando a sair do ar.

No final de 2000, devido às dificuldades financeiras, a Fundação, junto com a retransmissora (canal 4 e a FM 107,7 MHz foram transferidas para um grupo de líderes religiosos evangélicos. A FM foi reativada e passou a ser denominada Cristã FM. Em meados de 2001, o canal 4 voltou precariamente ao ar.

Em novembro de 2002, a retransmissora da TVE Brasil, realizou sua primeira transmissão local do canal 4, direto da cobertura do edifício sede do INSS, no cento de João Pessoa, local onde fica situado os transmissores e sistema radiante. A transmissão contou com a participação do pastor Marcelo Fonseca Munguba, Pastor Edvan Carneiro da Silva e o reporte Ronaldo Ponciano, com a direção de imagens de Humberto Borges e cinegrafista Edson David.

Em meados de 2003, ainda na qualidade de retransmissora, o canal 4, sob o nome fantasia de TV Miramar, passa a produzir programação local. Dentre os programas locais estavam o policial De Olho na Cidade, Ana Ponzi, Display, os jornalísticos Câmara Aberta e Falando Sério, além do religioso Êta Glória. Nessa época, a produção dos programas era precária e marcada pelo improviso. No final de 2003, os programas locais foram saindo do ar e videoclipes esporádicos eram exibidos para preencher os vazios da programação, em pouco tempo, apenas dois programas (De Olho na Cidade e Falando Sério) restavam na programação.

Em Janeiro, foram ao ar as últimas edições do De Olho na Cidade e a emissora retirou toda a programação local, pois não possuía licença para operar como geradora e voltou a transmitir o sinal da TVE Brasil sem qualquer tipo de inserção.

Em meados de 2004, o grupo de religiosos evangélicos firmou um acordo com o Sistema Arapuan de Comunicação, transferindo o controle da fundação em conjunto com a rádio e a retransmissora. A antiga Rádio Cristã FM teve seu nome mudado para Miramar FM.

TV Miramar (desde 2006)[editar | editar código-fonte]

Em Fevereiro de 2005, a Fundação Virginius da Gama e Melo firma convênio com a Câmara Municipal de João Pessoa para exibição de programas da TV Câmara de João Pessoa no canal 4 (VHF), pelo convênio, o canal 4 (VHF) ganhou um novo transmissor, o que garantiu uma melhor imagem e maior alcance. Em Março de 2005, foram ao ar, ao longo da programação, trechos da programação da TV Câmara, algum tempo depois os programas passaram a ser exibidos em horários pré-determinados. Em Maio de 2009, o convênio acaba e os programas da TV Câmara deixam de ser exibidos na emissora.

No início de dezembro de 2009, os programas que a TV Miramar exibia foram transferidos para a TV Arapuan. Restaram apenas os programas independentes ligados ao Grupo Alex Filho. Os outros programas exibidos pela TV Miramar são da TV Brasil.

Em 1º de maio de 2010, a emissora passou apenas a retransmitir a programação da TV Brasil integralmente. Em outubro de 2011, a emissora assina contrato com a Rede Mundial para a transmissão integral de seu sinal, substituindo então a TV Brasil. No dia 17 de dezembro de 2012, a TV Miramar deixa de retransmitir a Rede Mundial e passa a retransmitir integralmente o sinal da TV Cultura.

No dia 10 de novembro de 2017, a TV Miramar lança seu sinal digital e atualmente, está sem programação local. Emissora sem qualidade e abandonada retransmitindo seu sinal digital via internet. [1]

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Proporção de tela Programação
4.1 24 UHF 1080i Programação principal da TV Miramar / TV Cultura
Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Miramar, bem como as outras emissoras de João Pessoa, cessou suas transmissões pelo canal 04 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[2]

Referências

  1. Fellipi Almeida (10 de novembro de 2017), Teste de Captura | Vinheta da TV Cultura (2015), consultado em 10 de novembro de 2017. 
  2. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 23 de novembro de 2017. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]