TV Nacional do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde maio de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

{{Info/Rede de televisão | nome = TV NBR | nome completo = Empresa Brasil de Comunicação S.A. - EBC | imagem = NBR logo 2016.svg | descricao = | tipo = Canal de televisão aberta | país =  Brasil | fundação = 16 de junho de 1998[1] | extinção = | fundador = Governo do Brasil

| pertence a =

| proprietário = | presidente = | cidade de origem = Brasília, DF | sede = | estúdios = | slogan = A TV do Governo Federal | faixa etaria =

| formato de vídeo =

| irmãos =

| cobertura = Nacional

| significado letras =

  • TV
  • Nacional do
  • Brasil

| nomes anteriores = | nomes posteriores = | site = nbr.gov.br | servidor aberto 1 = Digital

| canal aberto 1 =

| servidor de satélite 1 = Claro TV | canal do satélite 1 = Canal 10 | servidor de satélite 2 = Vivo TV | canal do satélite 2 = Canal 200 | servidor de satélite 3 = Sky | canal do satélite 3 = Canal 25 | servidor de satélite 4 = Oi TV

| canal do satélite 4 =

| servidor de satélite 5 = CTBC TV | canal do satélite 5 = Canal 696 | servidor de satélite 6 = GVT TV | canal do satélite 6 = Canal 230 | servidor de satélite 8 = Nossa TV | canal do satélite 8 = Canal 17 | servidor de satélite 9 = Star One C2

| canal do satélite 9 =

  • 3632 MHz @ 4687 ksps, horizontal (SDTV)

TV Nacional do Brasil (conhecida pela sigla NBR, também chamada de TV NBR) é um canal de televisão controlado pelo Governo Federal brasileiro. Tem a missão de oferecer aos telespectadores informações sobre as políticas, as ações e o dia a dia do Poder Executivo.

O canal entrou no ar em 16 de junho de 1998, no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.[1]

Apesar de ser educativa, a nova emissora transmite ao vivo todos os atos, solenidades e inaugurações de FHC e até ganha no dia 22 de junho várias afiliadas (como a TV Cultura do Pará) e outras 15 cidades, gerando polêmica por uso ilegal dos meios de comunicação para campanha eleitoral, que ocorria no mesmo ano da inauguração.[1]

Porém, por outro lado, a transmissão de atos, solenidades e inaugurações pelo presidente é feita por conta de pouca atenção da imprensa desses eventos do então presidente, que foi reeleito no mesmo ano, que governa até fim do mandato.

Porém, por outro lado, a transmissão de atos, solenidades e inaugurações pelo presidente é feita por conta de pouca atenção da imprensa desses eventos do então presidente, que foi reeleito no mesmo ano, que governa até fim do mandato, Eles foram as melhores reportagens especiais, coberturas completas, debates, documentários, especiais e entrevistas coletivas nos 28 principais telejornais NBR Esportes, Notícias da Semana, Retrospectiva 98, NBR Show da Notícia, Retrospectiva 2003, NBR Brasil, Eleições 98, NBR Noite, A Grande Jogada, Notícias de Brasília, Eleições 2000, Retrospectiva 99, Revista NBR, NBR Total, Retrospectiva 2002, Eleições 2004, NBR Manhã, Plantão NBR, Retrospectiva 2000, Eleições 2002, Retrospectiva 2001, NBR Especial, NBR Esporte Clube, NBR Notícias, Debate NBR, NBR Madrugada, NBR Primeiras Notícias e NBR Entrevista, e tem as reapresentações da TVE Brasil e TV Cultura, os programas Opinião Brasil, Grandes Momentos do Esporte, Provocações, Matéria Pública, Expedições, Edição Nacional, Sem Censura, Planeta Terra, Canal Saúde, Rio, Eu Gosto de Você, A Vida é um Show, MPB Especial, A Grande Música, Cartão Verde, Intervalo, Gema Brasil, Direito em Debate, Jornal Visual, Observatório da Imprensa, Rede Brasil, Diário Paulista, A Verdade de Cada Um, Primeiro Time, Acervo MPB, Conversa Afiada, Brasil Debate, Pensando em Você, Clássicos da Cultura, Metrópolis, Conjuntura Econômica, Espaço Internacional, Repórter Eco, Jornal da Cultura, Esportvisão e Notícias do Rio.

Em 2003, com a posse do Luiz Inácio Lula da Silva, o novo presidente também repete o antecessor, aproveitando a popularidade em alta, chegando visitar em diversas cidades brasileiras e fazendo discursos.

Em 2011, com a posse da Dilma Rousseff, repete o antecessor que conseguiu eleger sua sucessora, aproveitando a popularidade em alta, chegando visitar em diversas cidades brasileiras e fazendo discursos.

Entre março a maio de 2016, Rouseff usou estrutura da emissora para fazer discursos ao vivo na tentativa de se defender do impeachment, até ser afastada por Senado, dando posse ao Michel Temer.

Apresentadores do telejornal[editar | editar código-fonte]

NBR Noite (1998-2004)[editar | editar código-fonte]

  • Carlos Campbell (1998-1999)
  • Elisa Mendes e Lincoln Macário (1999)
  • Elisa Mendes e Álvaro Pereira (1999-2001)
  • Álvaro Pereira (2001)
  • Darley Melo e Kennedy Alencar (1999-2003)
  • Márcio Aguiar e Natália Pereira (2001-2003)
  • Humberto Valadares e Natália Pereira (2003-2004)

NBR Manhã (1998-2004)[editar | editar código-fonte]

Notícias de Brasília (1999-2005)[editar | editar código-fonte]

  • Rinaldo de Oliveira (1999)
  • Lincoln Macário (1999-2001)
  • Henrique Amaral (2001)
  • Carlos Batista (2001-2002)
  • Humberto Valadares (2002)
  • Ronalldo Rosas (2002-2003)
  • Bernadete Alves (2003)
  • Luiz Fara Monteiro (2003-2005)

NBR Entrevista (Desde 1998)[editar | editar código-fonte]

  • Lincoln Macário (1998)
  • Evandro de Souza (1998-1999)
  • Elisa Mendes (1999)
  • Laerte Vieira (1999-2000)
  • Sandra Gomes (2000)
  • Márcio Aguiar (2000-2001)
  • Hugo Alessi (2003)
  • Renata Gonzaga (2001-2002)
  • Luís Carlos Pinto (2001)
  • Ronalldo Rosas (2002)
  • Domingos Giroletti (2002-2003)
  • Sérgio Ewerthon (2003-2004)
  • Luiz Fara Monteiro (2004)
  • Berto Filho (2004-2005)
  • Natália Leite (2005)
  • Anderson Arcoverde (2005-2007)
  • José Carlos Bernardi (2007)
  • Antônio Augusto (2007-2008)
  • Lúcia Abreu (2008-presente)

Primeiro Time (1999-2004)[editar | editar código-fonte]

NBR Notícias (Desde 1998)[editar | editar código-fonte]

  • Antônio Augusto (1998)
  • Humberto Valadares (2007-presente)
  • Elisa Mendes (1998-2000)
  • Samuel Figueiredo (2000-2001)
  • Natália Leite (2001)
  • Ronalldo Rosas (2001-2002)
  • Samantha Mendes (2002)
  • Luiz Fara Monteiro (2002-2004)
  • Sérgio Ewerthon (2004)
  • Ana Paula Ferrari (2004-2005)
  • Natália Pereira (2005-2007)
  • Lúcia Abreu (2007-presente)

Rio, Eu Gosto de Você (1998-2003)[editar | editar código-fonte]

  • Sargentelli (1998-1999)
  • André Henning (1999)
  • Domingos Giroletti (1999-2000)
  • Humberto Mota (2000-2002)
  • Augusto Xavier (2000)
  • Tarcísio Hollanda (2002)
  • José Carlos Bernardi (2002-2003)
  • Carla Ramos (2003)

NBR Esportes (1998-2004)[editar | editar código-fonte]

Revista NBR (1998-2004)[editar | editar código-fonte]

  • Jefferson Ivanicska e Luciano Cabral (1998)
  • Jefferson Ivanicska (1998-2000)
  • Samantha Mendes e Haroldo Pedreira (2000)
  • Rodolpho Gamberini (2000-2001)
  • Natália Pereira e Inajá Bessa (2001-2003)
  • Lincoln Macário (2003)
  • Lincoln Macário e Natália Leite (2003-2004)

Conversa Afiada (1999-2003)[editar | editar código-fonte]

NBR Total (1998-2004)[editar | editar código-fonte]

  • Antônio Carlos Ferreira (1998-1999)
  • Humberto Mota (1999)
  • Humberto Mota e Samantha Mendes (1999-2001)
  • Carlos Bianchini (2001-2002)
  • Carlos Bianchini e Natália Pereira (2002)
  • Victor Hannover (2002-2003)
  • Victor Hannover e Ana Paula Ferrari (2003)
  • Luciana Martins (2003-2004)

Notícias da Semana (Desde 1998)[editar | editar código-fonte]

  • Aldeson Matos (1998-1999)
  • Renata Corsini (1999)
  • Renata Corsini e João Inácio Júnior (1999-2001)
  • Múcio Teixeira (2001-2002)
  • Múcio Teixeira e Ana Paula Ferrari (2002-2004)
  • Ronalldo Rosas (2004-2005)
  • Ronalldo Rosas e Natália Pereira (2005-2007)
  • Humberto Valadares (2007-presente)

A Verdade de Cada Um (2001-2004)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Escândalo: NBr, a TV do FHC». TV Crítica. 18 de junho de 1998. Consultado em 4 de maio de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]