RecordTV Goiás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV Rádio Clube (Goiânia))
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
RecordTV Goiás
Televisão Goyá Ltda.
Goiânia, Goiás
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 18 UHF
Virtual: 4 PSIP
Outros canais Analógico:
04 VHF (1961-2017)
Sede Bandeira de Goiânia.svg Goiânia, GO
Avenida T-9, 1302 - Bueno
Slogan Reinventar é a nossa marca
Rede RecordTV
Rede(s) anterior(es) Rede Tupi (1961-1980)
REI (1980-1981)
SBT (1981-1989)
TV Rio (1989-1992)
Fundador Assis Chateaubriand
Pertence a Grupo Record
Proprietário Edir Macedo
Antigo proprietário Assis Chateaubriand (1961-1968)
Condomínio Acionário (1968-1985)
Múcio Athayde (1985-1994)
Administração Luciano Ribeiro Neto
Presidente Luiz Cláudio Costa
Fundação 7 de setembro de 1961 (56 anos)
CNPJ 01.279.835/0001-95
Prefixo ZYA 572
Nome(s) anteriore(s) TV Rádio Clube (1961-1963)
TV Goiânia (1963-1980)
TV Goyá (1980-1994)
Cobertura Cerca de 34% do estado de Goiás
Coord. do transmissor 16° 39' 52.6" S 49° 20' 31.5" O
Potência 20 kW
Página oficial recordgoias.com.br

RecordTV Goiás é uma emissora de televisão brasileira sediada em Goiânia, capital do estado de Goiás. Opera no canal 4 (18 UHF digital) e é uma emissora própria da RecordTV, gerando sua programação para cerca de 38% do estado. Seus estúdios ficam localizados no setor Bueno, enquanto sua antena de transmissão está no Morro do Mendanha, no bairro Jardim Petrópolis.

História[editar | editar código-fonte]

TV Rádio Clube (1961-1963)[editar | editar código-fonte]

"Os senhores estão vendo a imagem da TV Rádio Clube em caráter experimental. Estaremos transmitindo a partir de amanhã, de forma definitiva."

Juvenal de Barros, radialista da Rádio Clube de Goiânia, durante a transmissão experimental da TV Rádio Clube, um dia antes da sua inauguração.

Em 1956, Assis Chateaubriand recebeu 10 concessões para implantar emissoras de TV nas principais capitais brasileiras, o que seria a formação da futura Rede Tupi, sendo uma delas, na cidade de Goiânia. Em 7 de setembro de 1961, foi fundada oficialmente a TV Rádio Clube (em alusão a emissora de rádio), primeira emissora de TV do estado de Goiás, e a nona emissora de televisão dos Diários Associados. Inicialmente, transmitia pelo canal 7 VHF, posteriormente, pelo canal 9 VHF, até estabelecer-se em definitivo no canal 4 VHF, ainda em 1961.

Sua programação era inicialmente feita ao vivo, pois não havia videotape, além da estrutura ser completamente precária, havendo apenas uma única câmera para transmitir toda a programação. No entanto, a emissora conseguia certos índices de audiência, tendo inclusive parceria com o comércio local, e mesmo com a concorrência da TV Anhanguera a partir de 1963, liderava com folga.

TV Goiânia (1963-1980)[editar | editar código-fonte]

Em 1963, além de ganhar a concorrência da TV Anhanguera, passou a se chamar TV Goiânia. Nesta época, a gerência da emissora, bem como dos demais veículos dos Diários Associados em Goiânia passou a ser do advogado e jornalista Francisco Braga Sobrinho. No fim da década, começa a mesclar sua programação com a da TV Tupi São Paulo, e também evolui tecnicamente com a chegada do videotape. A emissora passa por várias transformações no fim da década de 1960 e no decorrer da década de 1970, como o aumento da potência de seu transmissor, que segundo anúncios da época, chegava a abranger 65 cidades, embora seu sinal tivesse uma recepção irregular na própria capital.

Nessa mesma época, a programação passa a ser recebida via satélite, e a programação local continuava a ser mesclada com a então recém-criada Rede Tupi de Televisão em 1974. No entanto, a década de 1970 seria a derradeira para a pioneira de televisão, que via crescer a grande crise financeira somada aos atrasos de salários e a improbidade administrativa que se espalhava em todos os veículos associados. Já em 1980, no dia 18 de julho, a Rede Tupi era extinta após um decreto publicado dois dias antes pelo Governo Federal no Diário Oficial da União declarar cassadas 7 emissoras por dívidas com a previdência social e corrupção financeira.[1]

TV Goyá (1980-1994)[editar | editar código-fonte]

Das 14 emissoras próprias que integravam a Rede Tupi, a TV Goiânia foi uma das 7 remanescentes que se salvaram da cassação por estarem em dia com suas contas e financeiramente saudáveis. Após o fim da pioneira, a TV Goiânia passou a se chamar TV Goyá, e passa a retransmitir provisoriamente a programação da Rede de Emissoras Independentes, encabeçada pela TV Record São Paulo e a TVS Rio de Janeiro. Em 1981, após a criação do Sistema Brasileiro de Televisão, tornou-se uma de suas primeiras afiliadas.

Nesta época, a emissora passou por um período de decadência, que era simbolizado pela extinção da Rede Tupi e o advento da TV Anhanguera como afiliada da Rede Globo e líder de audiência, bem como detentora de uma área de cobertura superior a do canal 4 com várias emissoras espalhadas pelo interior. Em 1985, ainda sofrendo com a crise financeira, os Diários Associados vendem a TV Goyá para o empresário e então deputado federal Múcio Athayde, proprietário do Grupo Desenvolvimento.

Envolvido em vários escândalos, sendo o mais notório o da construção do Centro da Barra (Athaydeville), que terminou inacabado, e a bancarrota de algumas das suas empresas, Athayde teve vários problemas quanto ao direito de administrar a concessão da TV Goyá, porém ele continuou a frente da emissora. Em 1989, a TV Goyá perde sua afiliação com o SBT para a sua mais nova concorrente, TV Serra Dourada.

A emissora, então, associa-se com a TV Rio no projeto de uma mini-rede, através de uma parceria entre Athayde e o pastor Nilson Fanini, partindo para uma programação independente, baseada em programas locais, clipes musicais e enlatados. Em 24 de abril de 1992, com o fracasso do projeto, Fanini vende a TV Rio para o empresário e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, que a transforma na TV Record Rio de Janeiro. A TV Goyá, por sua vez, torna-se afiliada da Rede Record, que estava em franca expansão pelo país.

Emissora própria da RecordTV (1994-presente)[editar | editar código-fonte]

Em 1994, Múcio Athayde decide vender todos os seus veículos de comunicação, com o pretexto de ir morar fora do Brasil. A TV Goyá, da mesma forma que a TV Rio, acaba sendo comprada por Edir Macedo, e em 5 de junho, passa a se chamar TV Record Goiás, tornando-se a sétima emissora própria da Rede Record. Neste período, a emissora passa por várias reformulações, extinguindo boa parte da sua programação local, e muda-se da sua sede na Serrinha (que hoje abriga a TV Goiânia) para o Edifício Business Center, no Setor Oeste.

No fim da década de 1990 e início da década de 2000, expandiu sua área de cobertura para o interior, instalando retransmissoras nas principais cidades do estado. Em 2006, assim como as demais emissoras próprias da rede, recebeu vários investimentos, com a modernização de sua estrutura e a reformulação da programação local. Em 22 de junho de 2011, a direção executiva local da emissora passou a ser do ex-diretor executivo da Record News, Luciano Ribeiro Neto, em substituição a Mafran Dutra, que iria retornar a Rede Record para assumir a superintendência da emissora.[2]

Em 5 de junho de 2014, aniversário de 20 anos como emissora própria da Rede Record, a TV Record Goiás migrou da sua antiga sede no Edifício Business Center para o antigo Espaço Ambientar, no setor Bueno, que foi reformado por dois anos e tornou-se a nova sede da emissora.[3][4] Em 24 de novembro de 2016, com a reformulação da marca da rede, a emissora passa a se chamar RecordTV Goiás.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
4.1 18 UHF 1080i Programação principal da RecordTV Goiás / RecordTV

A TV Record Goiás iniciou os testes para implantação do seu sinal digital em 17 de novembro de 2009, através do canal 18 UHF. Em 18 de novembro, a emissora iniciou oficialmente suas transmissões digitais, com o fato sendo noticiado através de uma participação ao vivo no Jornal da Record.[5][6] Em 2014, sua programação local passou a ser transmitida em alta definição.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a RecordTV Goiás, bem como as outras emissoras de Goiânia, cessou suas transmissões pelo canal 4 VHF em 21 de junho de 2017, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[7] A emissora cortou a transmissão às 23h59, durante a transmissão do Gugu. Após a divisão de rede, foi exibido um informativo sobre a TV digital apresentado por Fábio Porchat, e logo em seguida foi inserido o slide do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

Programação[editar | editar código-fonte]

Programas atuais

Além de retransmitir a programação nacional da RecordTV, a emissora produz os seguintes programas:

Programas antigos
  • Carrossel
  • Circo da Alegria
  • Clip TV
  • Diário de Um Repórter
  • Esporte Record Goiás
  • Goiânia Urgente
  • Informe Goiás
  • Jornal da Cidade
  • Na Beira da Mata
  • Programa das 8
  • Programa Vip
  • Rádio Jornal Especial
  • Rock Drinks
  • Roda de Chimarrão
  • Sucessos 99 FM
  • Tudo a Ver Goiás

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Nos primórdios da emissora, a programação jornalística era composta de pequenos noticiários, como o Diário de um Repórter, além de esportivos em formato mesa-redonda. Dentre os nomes desta fase, estiveram Willy Luiz, Cunha Júnior, Ariel Stenius, Luís Carlos, dentre outros. Posteriormente, com a consolidação da programação da Rede Tupi, a emissora passou a produzir blocos locais do Grande Jornal e posteriormente do Rede Tupi de Notícias.

Em 1981, estreou o programa jornalístico Goiânia Urgente, que se consolidou como um dos principais programas da emissora durante anos. Fazendo um jornalismo informal e popularesco, foi um dos percussores de vários outros programas pelo país, além de revelar vários nomes do jornalismo local como Rachel Azeredo, Lília Teles, Luís Carlos Bordoni e Luís César do Amaral Muniz, o "Leleco".[8] No fim da década de 1980, porém, o programa passou a sofrer com a concorrência do Jornal do Meio-Dia, apresentado na sua mais nova concorrente, TV Serra Dourada. Nesta época, também surgem os programas Cidade Alerta e Jornal da Cidade.

Em 1994, com a compra da emissora pela Rede Record, todos os programas da grade foram extintos, permanecendo apenas o Goiânia Urgente. Posteriormente, foi lançado o Informe Goiás, que foi extinto e retomado entre 2004 e 2007. Neste ano, a TV Record Goiás estreou uma nova programação, e surgiram em 5 de junho o Goiás no Ar, com Oloares Ferreira, Esporte Record Goiás e Goiás Record (sucessor do Informe Goiás), com Carlos Magno e Vanessa Lima.

Em 4 de janeiro de 2008, o Goiânia Urgente é extinto após 27 anos no ar, e é sucedido pelo Balanço Geral GO em 7 de janeiro, apresentado por Oloares Ferreira, que deixa o comando do Goiás no Ar para Rachel Azeredo. Em novembro de 2009, Allysson Lima assume o comando do Goiás no Ar no lugar de Rachel Azeredo, e os telejornais da TV Record Goiás passam a ser apresentados em uma newsroom, inaugurada junto ao sinal digital da emissora.[5][6]

Em junho de 2014, todos os programas locais são reformulados e ganham novos cenários com a transferência para a nova sede da emissora. Em 6 de julho de 2015, a TV Record Goiás estreou a versão local do Cidade Alerta, apresentada por Silvye Alves.[9] Em 18 de setembro de 2017, reestreou o GO Direto da Redação, apresentado por Manuela Queiroz na faixa matinal.

Entretenimento[editar | editar código-fonte]

Em seu início, os programas de entretenimento eram feitos ao vivo e com apenas uma única câmera, e o videotape passou a ser uma realidade apenas anos depois. A estrutura era totalmente precária, a ponto de se exibirem filmes e séries projetando a imagem na parede para a câmera filmar. Fued Naciff, que também era publicitário da emissora, apresentava um programa de auditório que tinha início por volta das 19h00 e ia até por volta de 23h00 (sendo que não havia grade fixa na emissora), onde sorteava prêmios e apresentava atrações musicais. Com a chegada do videotape e a evolução dos equipamentos, as produções oriundas da TV Tupi São Paulo passaram a ocupar a grade, e isso se intensificou com a consolidação da Rede Tupi em 1974.

Entre 1980 e 1987, a emissora exibiu juntamente com a TV Brasília o infantil Carrossel, que era feito em Brasília. O boom de programas locais da emissora ocorreu no fim da década de 1980, quando a então TV Goyá associa-se a TV Rio e passa a fazer uma programação totalmente independente. Foram destaques nessa época o Programa Vip, de colunismo social, apresentado por Ivone Silva, o Programa das 8, que misturava vídeos musicais com informações sobre horóscopo e outros fatos, e o Rádio Jornal Especial, com vídeos gravados da TV Record. Houve também vários programas musicais, como Clip TV e Rock Drinks, programas de clipes; Sucessos 99 FM, apresentado pelo radialista Zé Luís, e também programas dedicados à música sertaneja, como Roda de Chimarrão, com Odair Terra, e Na Beira da Mata, com João Veloso.

Em 1991, foi destaque na programação o infantil Circo da Alegria, apresentado por um casal de palhaços, além dos independentes Porteira Aberta e um esportivo apresentado por Mané de Oliveira, feitos em parceria com a Idéia Produções, que também passou a ser responsável pelo Clip TV no fim de 1991. A grade também era composta por vários enlatados norte-americanos, como São Francisco Urgente, Perdidos no Espaço, Túnel do Tempo e Kung Fu.

Após a venda para a Rede Record, a nova administração priorizou as produções de jornalismo, e extinguiu todos os programas locais exibidos até então. O setor só voltou a ter investimentos com a criação do Tudo a Ver Goiás, apresentado por Camyla Nogueira, e funcionava como um bloco local da versão nacional, inicialmente exibido de segunda à sexta, às 13h45, e posteriormente aos sábados, às 13h30. O programa estreou em 5 de junho de 2007 e saiu do ar em 2008, e desde então, a emissora não produziu mais programas de entretenimento.

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Jornalistas e apresentadores
  • Alysson Lima
  • Carlos Magno
  • Claúdio Silvério
  • Fernanda Arcanjo
  • Manuela Queiroz
  • Oloares Ferreira
  • Silvye Alves
Repórteres
  • Arianne Candido
  • Douglas Fernandes
  • Fred Silveira
  • Jakeliny Mendonça
  • Jerônimo Venâncio
  • José Aurelio Mendes
  • Marcos Teixeira
  • Monica Novaes
  • Patricia Piassa
  • Paulo Henrique Santos
  • Raphael Oliveira
  • Revana Oliveira
  • Saulo Lopes

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

  • Ariel Stenius
  • Camyla Nogueira
  • Carlos de Souza
  • Cunha Júnior
  • Felipe Furtado
  • Flavia Moreno
  • Hamilton Carneiro
  • Ivone Silva
  • João Veloso
  • Juvenal de Barros
  • Lilia Teles (hoje na TV Globo Rio de Janeiro)
  • Luís Carlos
  • Luiz Carlos Bordoni
  • Luiz Carlos Lopes
  • Luiz César do Amaral Muniz (Leleco)
  • Mané de Oliveira
  • Mariane Ferreira
  • Nathalia Mendonça
  • Odair Terra (hoje na TV Aparecida)
  • Rachel Azeredo
  • Rogério Guimarães (hoje na RecordTV São Paulo)
  • Téo Taveira (hoje na RedeTV!)
  • Tom Bueno (hoje na RecordTV São Paulo)
  • Vanessa Lima (hoje na RecordTV Brasília)
  • Willy Luiz

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «DENTEL lacra 7 emissoras de TVs Associadas». PUC-Rio. Jornal do Brasil. 19 de julho de 1980. Consultado em 7 de junho de 2016 
  2. «Mafran Dutra reassume programação da Record; Luciano Ribeiro Neves vai para a Record Goiás». Tela Viva. 22 de junho de 2011. Consultado em 7 de junho de 2016 
  3. «Record inaugura nova sede em Goiás com grande festa». R7. 6 de junho de 2014. Consultado em 7 de junho de 2016 
  4. «Com Sabrina Sato, Record Goiás inaugura nova sede nesta quinta». A Redação. 4 de junho de 2014. Consultado em 7 de junho de 2016 
  5. a b «Sinal em alta definição da Record chega à Goiás (GO)». Jornal da Record. 18 de novembro de 2009. Consultado em 7 de junho de 2016 
  6. a b «Record Goiás lança sinal digital e inaugura newsroom nesta quarta». NaTelinha - UOL. 18 de novembro de 2009. Consultado em 7 de junho de 2016 
  7. Lis, Laís (30 de maio de 2016). «Desligamento do sinal analógico de TV se estende até dia 21 de junho em Goiânia». G1. Consultado em 30 de maio de 2017 
  8. Lopes, Afonso (13 de maio de 2014). «Reminiscências de um velho repórter...». afonsolopes.com. Consultado em 7 de junho de 2016 
  9. Vaquer, Gabriel (6 de julho de 2015). «Record Goiás estreia versão do "Cidade Alerta" com Silvye Alves». NaTelinha - UOL. Consultado em 7 de junho de 2015 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]