Rede Tarobá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV Tarobá)
Ir para: navegação, pesquisa
Rede Tarobá
Rádio e Televisão Tarobá Ltda.
Logotipo da emissora
Tipo Rede de televisão comercial
País  Brasil
Fundação 1 de fevereiro de 1979
por José Carlos Muffato
Pertence a Grupo Muffato
Proprietário Pedro Muffato
Presidente Pedro Muffato
Cidade de origem Paraná Cascavel, PR
Sede Flag of Cascavel.jpg Cascavel, PR
Rua Tarobá, 6 - Maria Luíza
Estúdios Flag of Cascavel.jpg Cascavel, PR
Rua Tarobá, 6 - Maria Luíza
Bandeira londrina.svg Londrina, PR
Rua Ibiporã, 1000 - Centro
Slogan A TV que a gente faz pra você
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Afiliações Rede Bandeirantes
Cobertura 192 municípios do Paraná (48% do território paranaense)
Emissoras próprias Flag of Cascavel.jpg TV Tarobá Cascavel (Cascavel)
Bandeira londrina.svg TV Tarobá Londrina (Londrina)
Página oficial Rede Tarobá
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital

A Rede Tarobá é uma rede regional de televisão brasileira, afiliada à Rede Bandeirantes. Sua sede está localizada em Cascavel, no Paraná. Foi fundada em 1º de fevereiro de 1979[1]. Sua cobertura abrange 192 municípios, o equivalente a 48% do Paraná.

História[editar | editar código-fonte]

Concessão[editar | editar código-fonte]

Grupo de empreendedores paranaenses (entre eles o então prefeito de Cascavel, Jacy Scanagatta), liderado pelo jornalista João Milanez (que já tinha uma história de comunicação em Londrina) decidiu que Cascavel (cidade distante dos grandes centros brasileiros) tinha potencial para abrigar emissora de televisão e pediu concessão de canal ao Ministério das Comunicações, na qual concorreu e venceu.[1]

Após vencer licitação, os equipamentos foram comprados fora do Brasil e importados da Alemanha Ocidental (hoje reunificada, apenas Alemanha), considerados os melhores da época. Foram contratados profissionais da cidade e até de outros estados do país. A sede da futura emissora foi construída no Jardim Maria Luíza, na época, umas das grandes e modernas do país.[1]

Inauguração[editar | editar código-fonte]

A TV Tarobá entrou no ar em 1º de fevereiro de 1979 na cidade de Cascavel, afiliando-se à Rede Bandeirantes.[1] Pertencia ao jornalista João Milanez.[1]

Desde então e até hoje, a TV Tarobá é única remanescente afiliada da Rede Bandeirantes que remota nos Anos 70, umas das primeiras da rede em formação, considerada a mais antiga afiliada da Bandeirantes, parceria que dura há mais de 30 anos.

Após a emissora entrar no ar, a TV Tarobá se propôs a ser TV oficial dos paranaenses e revolucionou o conceito de cobertura regional, ao passar cobrir áreas dentro do Paraná (estimadas em quase 4 milhões) e fora do Paraná (partes de Mato Grosso do Sul e Santa Catarina).[1]

1981 a 1990[editar | editar código-fonte]

Em 1981, foi instalada a sucursal e repetidora em Foz do Iguaçu, com produções independentes e capacidade para grandes transmissões ao vivo. Paraguaios e Argentinos que viviam perto da cidade brasileira passaram a acompanhar a programação local.[1]

Em 1982, o jornalista João Milanez associou-se aos empresários Pedro Muffato (Grupo Muffatão), Tito Muffato e Hermínio Vieira (Grupo Super Muffato).[1]

Em 1996, Pedro Muffato comprou a TV Folha de Londrina, e com isso, a emissora passou a se chamar TV Tarobá Londrina.

Emissoras[editar | editar código-fonte]

Mapa da cobertura da Rede Tarobá.
Azul: TV Tarobá Cascavel
Laranja: TV Tarobá Londrina
Nome Canal analógico Canal digital Cidade Estado
TV Tarobá Cascavel 6 36 Cascavel PR
TV Tarobá Londrina 13 30 Londrina

Nome da rede[editar | editar código-fonte]

O nome da rede vem da Lenda das Cataratas do Iguaçu.

Os índios caingangues, que habitavam as margens do Rio Iguaçu, acreditavam que o mundo era governado por Mboi (um deus com forma de serpente e filho de Tupã).[2]

Igobi, o cacique da tribo, tinha filha Naipi, tão bonita que as águas dos rios paravam quando a jovem índia nele se mirava. Devido a sua beleza, Naipi seria consagrada ao deus Mboi, passando a viver somente para seu culto.[2]

Havia, porém, entre os caingangues, um jovem guerreiro chamado Tarobá, que se apaixonou ao ver Naipi.[2]

No dia da festa de consagração da jovem índia, enquanto o pajé e os caciques bebiam cauim (bebida feita de milho fermentado) e os guerreiros dançavam, Tarobá fugiu com a linda Naipi numa canoa que seguiu rio abaixo, arrastada pela correnteza.[2]

Ao saber da fuga de Naipi e Tarobá, Mboi ficou furioso. Penetrou nas entranhas da terra, retorcendo o seu corpo e produzindo uma enorme fenda que formou a catarata gigantesca. Envolvidos pelas águas dessa imensa cachoeira, a piroga e os fugitivos caíram de uma grande altura desaparecendo para sempre.[2]

Naipi foi transformada em uma das rochas centrais das cataratas, perpetuamente fustigada pelas águas revoltas. Tarobá foi convertido em uma palmeira situada à beira de um abismo, inclinada sobre a garganta do rio. Debaixo dessa palmeira acha-se a entrada de uma gruta onde o monstro vingativo vigia eternamente as duas vítimas.[2]

Programação local[editar | editar código-fonte]

  • Primeira Hora
  • Tarobá Cidade
  • Tarobá Esporte
  • Jornal Tarobá 1ª edição
  • Jornal Tarobá 2ª edição
  • Ponto de Vista
  • Tempo Quente
  • Vitrine Revista
  • Gente que Faz
  • Canta Paraná
  • Jogo Aberto
  • Tarobá FM na Tela

Referências

  1. a b c d e f g h «NOSSA HISTÓRIA». TV Tarobá. 2013 
  2. a b c d e f «Nossa História». TV Tarobá Cascavel (Web Archive). Antes de 2010. Cópia arquivada em 21 de maio de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)