Taboritas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Os taboritas eram membros de uma comunidade cristã, considerada herética pela Igreja Católica. Situados na cidade boêmia de Tábor durante as Guerras Hussitas do século XV.[1] O movimento de reforma religiosa na Boêmia levou a várias seitas. Começando com as seitas mais radicais foram: adamitas, taboritas, orebitas, utraquistas e pragueiros. O impulso da revolução nasceu a partir da queima de Jan Hus, para simplificá-los, muitos escritores colocaram estas seitas sob o nome de hussitas.

Considerado o setor mais radical dos hussitas, como eram conehecidos os seguidores de Jan Hus, queimado na fogueira em Constança, em 1415.

Em 1420, eles fundaram a cidade de Tábor, no sul da Boêmia, com cerca de 4.000 moradores.

Eles queriam formar uma comunidade que restaurasse o cristianismo primitivo. Desse modo, rejeitavam: rituais, sacerdotes, relíquias, imagens, a veneração dos santos, o juramento, o ministério da alma, o jejum e alguns dos sacramentos, como confissão. Por outro lado, entendiamque o batismo era um sacramento válido.

Uma das características da comunidade fundada por eles, foi a busca da igualdade social e econômica, desse modo, se referiam aos outros como: irmãos e irmãs.

Dentre as fontes de recursos, cabe destacar as minas de ouro da região.

Desse modo, tentaram construir uma sociedade comunal, anunciaram o Milênio de Cristo e declararam que não haveria mais servos e senhores, todas as propriedades seriam mantidas em comum e não haveria mais tributação.

Queriam que as pessoas retornassem a um estado de inocência pura. Segundo, Murray Bookchin foi um dos primeiros exemplos de comunidades anarco-comunistas[2].

Foram combatidos pela Igreja Católica e a nobreza feudal (vide: Guerras Hussitas), depois de diversas batalhas foram liquidados após a derrota na Batalha de Lipany em 30 de maio de 1434, quando de 13 a 18 000 homens foram mortos.

Referências

  1. «Taboritas». Biblioteca Nacional da Alemanha (em alemão). Consultado em 16 de maio de 2020 
  2. The Ecology of Freedom: The Emergence and Dissolution of Hierarchy.