Tabuleta de Cortona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tabula Cortonensis

Tabuleta de Cortona (Tabula Cortonensis) é uma escritura descoberta em 1992, em Cortona, na Itália. Feita sobre placa de bronze, de aproximadamente 50 cm por 30 cm, com inscrições na face e na parte superior do verso. Sua autoria é desconhecida e deve datar por volta de 200 a.C.[1] A tabuleta foi encontrada quebrada em vários pedaços, dos quais somente sete foram encontrados. Acredita-se que a porção que falta só possuía nomes, e não mais detalhes da transação realizada.

Com 206 palavras, a tabuleta contém o terceiro maior texto etrusco conhecido em número de linhas.[1]

Interpretação[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que a tabuleta seja um contrato sobre a divisão de uma herança ou a venda de terras[2], onde existiam uma vinha e um olival situado perto do lago Trasimeno, com uma lista de nomes próprios que, provavelmente, representam os vendedores, os compradores, as testemunhas e os fiadores.

Na inscrição, consta a expressão cen zic zichuche, que se traduz por "este texto foi escrito" - fórmula utilizada em ata notarial. Há, ainda, o registro de um magistrado, zilath mechl rasnal, que significa "pretor da liga etrusca.[1]

Referências

  1. a b c Revista História Viva, número 76 - "Os enigmáticos etruscos", pgs. 60-65. Editora Duetto. São Paulo (2010).
  2. Bonfante, Larissa; Bonfante, Giuliano (2002). The Etruscan Language. [S.l.]: Manchester University Press. pp. 178–179 
Ícone de esboço Este artigo sobre arqueologia ou arqueólogos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.