Tabuleta de Nebo-Sarsequim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Tabuleta de Nebo-Sarserquim é uma inscrição cuneiforme de argila (2.13 polegadas; 5.5 centímetros) que faz parte da coleção do Museu Britânico. Datado por volta de 595 a.C., faz referência a um oficial na corte de Nabucodonosor II, rei de Babilônia.

Arqueólogos descobriram a tabuleta na antiga cidade de Sippar (perto da moderna Bagdá) por volta de 1870. O museu britânico adquiriu a tabuleta em 1920, mas esta ficou arquivada até que Michael Jursa fez a descoberta em 2007.

Decifrando a escrita[editar | editar código-fonte]

A tabuleta trata de uma oferenda de ouro apresentada por Nebo-Sarsequim no principal templo da Babilônia, provavelmente em honra aos deuses, sendo parte de um arquivo de um ídolo-sol do templo em Sippar.

Michael Jursa catedrático associado da universidade de Viena e especialista na civilização assíria, fez a descoberta em 2007, com a seguinte tradução:

[Recebendo] 1.5 minas (750 quilogramas) de ouro, da propriedade do Nabu-sharrussu-ukin, (Nebo-Sarserquim) o eunuco principal, que foi enviado através do eunuco Arad-Banitu, ao [templo] Esangila: Arad-Banitu [ele] entregou a Esangila. Na presença do bel-usat, filho de Alpaya, guarda-costas real, [e de] Nadin, filho de Marduk-zer-ibni. Mês XI, dia 18, ano 10 de Nabucodonosor II, rei de Babilônia.

Comparações bíblicas[editar | editar código-fonte]

De acordo com o livro de Jeremias (39: 3 no texto massorético; 46:3 na Septuaginta), um indivíduo com o nome de Nebo-Sarsequim (Sarsequim) visitou Jerusalém durante a conquista babilônica. O versículo começa indicando que todos os oficiais babilônicos sentaram-se com autoridade no portão do meio, e a seguir nomeia diversos deles, e conclui, mencionando que todos os outros oficiais estavam lá também.

  • Jeremias 39:3:

Durante muitos anos, os tradutores bíblicos dividiram os indivíduos nomeados de maneiras diferentes (como visto na tabela abaixo), rendendo em qualquer lugar dois a oito nomes. Esta tabuleta cuneiforme pode alterar o texto, para futuras revisões mais consistentes (isto é, hifenização ou apagamento alternado das vírgulas) em versões futuras.

Hebraico:

נרגל שראצר סםגר־נבו שרסכים רב־סריס נרגל שראצר רב־מג

Grego:

Μαργανασαρ και Σαμαγωθ και Ναβουσαχαρ και Ναβουσαρεις Ναγαργας Νασερραβαμαθ

Uncial:

ΜΑΡΓΑΝΑΣΑΡ ΚΑΙ ΣΑΜΑΓΩΘ ΚΑΙ ΝΑΒΟΥΣΑΧΑΡ ΚΑΙ ΝΑΒΟΥΣΑΡΕΙΣ ΝΑΓΑΡΓΑΣ ΝΑΣΕΡΡΑΒΑΜΑΘ

Vulgate: NEREGEL SERESER SEMEGAR NABU SARSACHIM RABSARES NEREGEL SERESER REBMAG
Versão Nome #1 Nome #2 Nome #3 Nome #4 Nome #5 Nome #6 Nome #7 Nome #8
KJV Nergal-Sarezer, Sangar-Nebo, Sarsequim, Rabe-Sáris, Nergal Sarezer, Rabe-Maque,
NM Nergal-Sarezer, Sangar-Nebo, Sarsequim, Rabe-Saris, Nergal-Sarezer, Rabe-Mague,
ALA Nergal-Sarezer, Samgar-nebo, Sarsequim, Rabsáris, Nergal, Sarezer, Rabe-Maque,
AL Nergal-Sarezer, Samgar-nebo, Sarsequim, Rabe-Sáris, Nergal, Sarezer, Rabe-Maque,
AM Nabusezbã, chefe dos eunucos, Nergal-Sereser,
EP Nergalsareser, Samgar-Nabu, Sar-Saquim, chefe dos eunucos, Nergalsareser,

Flávio Josefo[editar | editar código-fonte]

No livro 10 (Capítulo VIII, parágrafo 2; linha 135) em Antigüidades Judaicas, Flávio Josefo registra os oficiais babilônicos como:

Ρεγαλσαρος Αρεμαντος Σεμεγαρος Ναβωσαρις Αχαραμψαρις

William Whiston historiador, teólogo e matemático inglês, traduz Jeremias 39:3 invertendo dois deles:

Nergal Sharezer (Nergal-Sarezer), Samgar Nebo (Sangar-Nebo), Rabsaris (Rabe-Saris), Sarsechim (Sarsequim), e Rabmag (Rabe-Mague).

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]