Taclamacã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tempestade de areia no Taclamacã vista do espaço

O deserto do Taclamacã[1] (em chinês: 塔克拉玛干沙漠; pinyin: Tǎkèlāmǎgān Shāmò; uigur: تەكلىماكان قۇملۇقى), também chamado de Taclimacã, é um deserto frio situado na bacia do rio Tarim na Ásia Central, no Sinquião uigure, região autônoma da República Popular da China. É conhecido como um dos maiores desertos do mundo (o 15.º em área na lista dos maiores desertos não-polares do mundo). A Depressão de Turfã, um oásis perto do limite do deserto de Taclamacã, é o ponto mais baixo da China, a 154 metros abaixo do nível do mar. Chega a ter temperaturas abaixo dos -2 °C.

É no deserto de Taclamacã que se encontra um dos mais importantes sítios arqueológicos da China: as Tumbas de Xiaohe.[2]

O arqueólogo húngaro-britânico Aurel Stein (1862-1943) no século XX penetrou neste deserto seguindo os escritos do século VII do monge chinês Xuanzang.

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • "Tesouros perdidos: o deserto gelado da China" (tít. orig. : Treasure seekers: China's frozen desert), National Geographic Society, 2001 (versão portuguesa, lançada por Lusomundo Editores em 2002).

Referências

  1. Revista da UNIPÊ: revista quadrimestral das Unidades de Ensino Superior dos Institutos Paraibanos de Educação. [S.l.: s.n.] 1998. p. 20 
  2. «Cientistas descobrem queijo mais antigo do mundo em tumbas na China». noticias.terra.com.br 
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia da China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.